quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Orgulho Benfiquista na Luz

Hoje com o AEK na Luz não há nada a ser disputado. Pontos insípidos. Posições definidas. Um AEK já conformado com a eliminação e focado nas competições internas. Um Benfica desiludido mas conformado com a relegação para a Liga Europa.

Contudo hoje está muito mais em jogo que a competição em si.

Não, não iremos lutar por nada mais do que aquilo que já temos. Iremos jogar por aquilo que somos e precisamos.

Assim defino 3 objectivos para hoje:

- Os milhões. É o menos importante do que podemos retirar deste jogo. Temos obrigação de ir recolher pelos menos mais estes 2,7M.

- O momento da equipa. Jogamos pouco mas é com vitórias que, pelo menos na vertente psicológica, conseguimos afastar-nos de maus momentos. Vencer hoje o AEK é um reforço para o momento de vitórias que temos tido nos últimos 3 jogos.

- O orgulho benfiquista. Este para mim é o mais importante. Hoje, despedida da maior competição de clubes que existe, é obrigatório elevar o símbolo que todos carregamos ao peito. Vencer, jogar bem e mostrar um Benfica bem vivo nos relvados da Luz. É o retribuir aos adeptos e à nossa história.

Bem sei que este jogo não pode ter a mesma importância da deslocação ao Estádio dos Barreiros que aí vem. Mas é um jogo que tem de nos orgulhar.

Neste contexto de necessária gestão, recuperação e glória, lançaria o seguinte 11:

Na baliza o Svillar. O miúdo já acalmou. Está mais maduro. Menos louco. Espero é que não tenha perdido toda a sua loucura. Toda a sua coragem. Nas últimas aparições vi um Svillar mais sereno mas também demasiado escondido. Crescer não é abdicar das suas melhores qualidades. Isso não é evoluir. Precisa de jogo, precisa de competir. Precisa de ser colocado à prova. Hoje é um bom jogo para isso.

No centro da defesa lançaria o Conti com o Jardel. Não abdicaria nunca de ambos os centrais titulares. O Rúben merece o descanso e o Jardel tem jogado menos que o miúdo. Além disso, pela sua experiência e posição no centro da defesa, o Jardel é o jogador indicado para integrar e orientar o Conti. No argentino ou temos central ou não temos. Que jogue e nos convença que temos.

A equipa precisa de uma solução para o lado direito da defesa. O Almeida é o Almeida. No seu melhor consegue dar-nos uma exibição segura. Temos o Corchia, um jogador com maior potencial que o André. Lançaria o francês. Uma boa oportunidade de ganhar ritmo e crescer exibicionalmente. Uma boa oportunidade para começar a ganhar o lugar.

Na esquerda mantinha o Grimaldo. O craque espanhol não tem substituto e nesta altura em que também o Rui Vitória viu a Luz - Zivkovic - acho importante continuar a cimentar as rotinas entre o espanhol e o sérvio.

O meio-campo é onde tenho mais dúvidas. Gostava de poder descansar o Fejsa mas o sérvio não tem substituto. O Alfa não tem qualidade nem para o Benfica dos anos 90 e o Samaris anda encostado há tanto tempo que neste momento não consigo esperar nada de bom dele. Assim, colocaria o Fejsa no apoio ao Krovinovic e ao Félix. Estes dois precisam de crescer com jogo. Um com maior leitura táctica e outro com maior criatividade. Os dois bem sustentados pelo Fejsa têm a oportunidade de explorarem o seu futebol e se soltarem no meio-campo. O Félix tem jogado mais pela linha mas penso que pode fazer a diferença na construção de jogo e nos apoios centrais ao avançado.

Na esquerda já referi que manteria o Zivkovic. Mais um craque que tem de crescer com jogo.

Na direita, não havendo Salvio para descansar o Rafa, lançaria o ex-bracarense. O Rafa está com a corda toda e pode ser importante continuar a alimentar o seu bom momento.

O maior de todos os craques deveria poder jogar sempre. Aliás, por mim na BTV eram jogos diários do Jonas. O brasileiro poderia jogar em todos os escalões e até em amigáveis com a produção ou adeptos. Infelizmente fisicamente o Jonas não dá para tanto. Hoje dar-lhe-ia a pausa merecida.

O seu substituto óbvio é o Ferreyra. Ferreyra ou Seferovic. Contudo gostava de ver o argentino em acção. Muito poderia ganhar este Benfica se a sua equipa técnica conseguisse tirar proveito deste jogador. Ferreyra a receber o Zivko, Grimaldo, Rafa, Félix e Krovinovic. A recebê-los, a sustentá-los e a beneficiar dos seus apoios.

Um 11 para ganhar, para jogar e para nos fazer crescer.


2 comentários:

Anónimo disse...

És pouco para escriba: Samaris não está inscrito...

Daniel Oliveira disse...

Anónimo,

Agradeço a lembrança. No momento em que escrevi e pensei o jogo de hoje não me recordei dessa situação.

Contudo, o nome Samaris é provavelmente o mais insignificante em todo o texto.

Portanto respondendo-lhe directamente, e tendo em conta todo o nada que conseguiu comentar sobre o muito que foi escrito, só lhe posso dizer que para leitor é um total vazio.