terça-feira, 8 de novembro de 2016

O porquê de ser extraordinário o Capitão Pizzi


Minuto 92. O Benfica perde por 1-0 no Dragão, há mais dois minutos para jogar num jogo de grande importância. Herrera tenta ganhar a bola rematando contra um adversário mas a bola segue pela linha de fundo. Canto.

Com menos de 2 minutos para jogar, Pizzi não seguiu o plano habitual dos momentos de desespero. Não,  Pizzi não despachou uma bola para a área à espera que Nossa Senhora de Fátima aparecesse e a empurrasse para dentro da baliza do Porto.

Pizzi viu o golo antes dele acontecer, tal como André Horta, que veio pedir a bola e criar uma situação de 2x1 na ala - quão importante para uma equipa ter alguns jogadores com cérebros assim. Cérebros melhores, maiores, mais bonitos. Cérebros que resolvem jogos e ganham campeonatos. Cérebros que não se sujeitam aos lugares-comuns do futebol. Cérebros que pensam, cérebros que criam.

Com o toque para Horta, Pizzi conseguiu desmembrar a inicial organização defensiva do Porto. Obrigou-a a ajustar-se, favorecendo um cruzamento mais difícil de defender porque mais próximo da área e mais certeiro. Depois Horta faz simulaçāo que vai devolver para tirar o portista da jogada e cruzar. O maravilhoso pé de Horta, ouvindo a voz dos maravilhosos cérebros de Horta e Pizzi, fez o que havia a fazer: bola-satélite para a cabeça de Lisandro. Golo.

Os jogadores que fazem a diferença neste lindo jogo que nos apaixona, muitas vezes aqueles que são desprezados porque o que fazem não é tão facilmente compreendido, são jogadores que fascinam pela forma como aproximam sempre, em cada gesto, a equipa do golo. Jogadores que não fazem o óbvio - "Cruza, pá, só temos um minuto, que merda de passezinho para o Horta é esse?" - jogadores que sabem que no primeiro ou no último minuto de jogo há uma forma de chegar mais facilmente ao golo: usando o cérebro.

E depois agarram-se à camisola, beijam o símbolo, gritam para a bancada azul: "Isto é o Benfica!" com a braçadeira de capitão no braço. Glorioso Capitão Pizzi.

 http://www.vsports.pt/vod/32989/m/262881/vsports/76a04eb8edd9742413a2a74e1854e889

8 comentários:

Benfiquista Tripeiro disse...

Sonho com este onze, pode ser que Rui Vitória ouça:

Ederson,
Semedo, Lindelof, Jardel, Grimaldo,
Fejsa,
Pizzi, Horta, Rafa,
Jonas, Mitroglou.

Anónimo disse...

O problema dos lesionados do Benfica não é a quantidade de jogadores no estaleiro. O problema é a qualidade cerebral dos jogadores no estaleiro. São só os com mais cabeça.

A bug's life disse...

E não esquecer a ratice do Eliseu, senao seria pontapé de baliza :)

Henrique Ponte da Luz disse...

ok Pizzi, e mais Pizzi... eu jogava sempre com o Pizzi...se pudesse jogar com 12.
É o que o Pizzi me parece...com todas as virtudes que lhe reconheço, e os defeito também. Um bom 12.
Sem ser mauzinho, não fosse o fantasmagórico minuto 92 e as forças abundassem, não fosse o brilho e a força de como apareceu o Horta a pedir a bola, e o Pizzi não teria centrado como quase-sempre?
Dei-lhe tudo como expectativa, mas estou convencido...é muito futsal para tanto m2.
Lamento.

Ricardo disse...

Henrique, acredita, eu também lamento.

jorgen80 disse...

Provavelmente o melhor jogador do Benfica. Fica-lhe bem a braçadeira.

Hugo Peixoto disse...

Passes para o lado e para tras? Ok. Tmb posso jogar no glorioso!!! 😄

Anónimo disse...

Também eu! É sem dúvida o nosso melhor onze - e esse sim, um onze de Champions League.

Mas pelo andar da carruagem, mais depressa temos este onze na enfermaria do que no campo...;)

Benfiquista Primário