terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

UM POUCO MAIS SOBRE O ÓPTIMO JOGADOR QUE É PIZZI


Antes de mais, é importante esclarecer que 9 em 10 pessoas que falam de futebol só vêem uma vez o jogo sobre o qual falam: ao vivo ou através da televisão. Ora, isto limita muito a capacidade de perceber o que se passou em campo, já que há uma infinidade de acontecimentos que não são percebidos com uma só visualização. Juntem a isso a natural emoção e nervosismo de estar a ver a própria equipa e têm uma óptima poção mágica para não terem percebido nada do que se passou em campo para além dos golos, das jogadas perigosas, das faltas mais agressivas, dos possíveis penalties e das correrias de um jogador que consegue guardar a bola dentro de campo em carrinho.  Vejam, portanto, se puderem, o jogo mais uma vez. Mais duas, mais três.

No último jogo, Pizzi fez mais uma óptima exibição. Já sei: fez um passe de merda que ia dando golo do adversário.  É verdade, mas esqueçam agora esse lance. Revejam o jogo e atentem só no que anda Pizzi a fazer pelo campo. Com bola, sem bola, as indicações que dá aos colegas. "Mete ali", "traz", "estou livre", "solta na ala". Só lhe falta ter uma batuta. Vejam quando não só decide bem por ele mas pelos outros. O passe que encaminha a bola para o que ele sabe que vai resultar. Pizzi não é só um jogador que decide bem; ele ajuda a que toda a equipa decida melhor.

Escolho um entre milhares de lances iguais que faz durante a época: aquele que acaba com Semedo a sofrer penálti. São 15 segundos que resumem tudo sobre Pizzi: visão de jogo acima da média, noção perfeita do espaço,  dos colegas e da bola,  técnica, imaginação, inteligência, criatividade.

Ponham o vídeo nos 18:55 e vejam até aos 19:10. Pizzi recebe no meio, solta em Semedo para obrigar o adversário a focar-se na ala e a deixá-lo com espaço para pensar. Vai sempre dando o apoio a Semedo para que ele possa devolver.  Semedo devolve e corre para o espaço. Pizzi percebe que está congestionado,  que não é a melhor opção,  que a equipa não precisa de fazer tudo em histeria. Vai chegar ao perigo mas de outra forma. Sente que o adversário vem atrás dele, faz compasso de espera para retirar o adversário daquela zona e mete outra vez na direita, agora em Salvio. Vai logo dar ao argentino a opção de passe no meio. Salvio, muito bem, mete em Pizzi que, sem recepção,  directo, põe logo em Semedo que fica de frente para a baliza em posição privilegiada.

Pizzi é isto. Faz coisas destas constantemente. Faz de uma bola no meio-campo uma jogada de perigo em 15 segundos. Mete a equipa toda a fazer o que ele quer só pelo posicionamento e tipo de passe (geralmente para o espaço para condicionar positivamente as opções ao colega). Pizzi é extraordinário e não é pelos golos que marca ou pelas assistências. É porque mete sempre a equipa muito mais perto do golo. Agora digam-me: como é que a goalpoint vai meter a inteligência desta jogada na estatística?


9 comentários:

Paulo Duarte disse...

Concordo com tudo, e sempre disse que o Benfica não tem ninguém para substituir Pizzi no plantel, excepto aquilo ser pênalti. O árbitro só pode ter considerado que o Semedo escorregou, senão ficou amarelo por mostrar

jorgen80 disse...

O futebol do Pizzi é só para quem realmente percebe de bola. É o nosso Fabregas. Sem ele, a equipa não tem ligação nenhuma. Um craque.

artnis disse...

Estamos de acordo, o Pizzi é um enormíssimo jogador!...o terceiro anel continua como sempre ... !!!

Matrecos Vermelhos disse...

Só não concordo com uma coisa. Não podemos esquecer a falha que quase dá golo.

Acredito que podemos ter um Pizzi assim tão genial como está descrito (e como na realidade é) não tendo que levar também com um Pizzi que não saiba marcar um canto, ou um livre, o que para alguém que coloca bolas redondas a 50 metros é algo que nunca consegui perceber, e faça estas cagadas jogo sim, jogo não. Ele é melhor que isso.

AFA disse...

Não concordo.
Sou dos que não perde nenhum jogo no nosso Estádio; sócio há 30 anos e sempre presente, naturalmente que às vezes acontecem imprevistos.
Acho um jogador suficiente + ; se repararem raramente joga bem contra os grandes clubes ; sempre que do ”outro” lado encontra bons jogadores não se consegue evidenciar.
Quando encontra médios de qualidade e que o pressionam, vejam as exibições!!!
Digam-me grandes jogos que fez contra o Bayern, Atlético Madrid, Nápoles, SCP, FCP….só para falar dos mais recentes.
O que referes como movimentação etc etc tem que ser o normal para um médio centro do SLB, isso é básico e não se esqueçam que custou 14 Milhões.
Na nossa História sempre houve grandes médios centro, uns mais defensivos, outros mais ofensivos.
Valdo, Rui Costa, Thern, Enzo Perez, Ramires, Matic, Javi Garcia, Carlos Manuel, Alves, Diamantino, Sheu, Aimar,Tiago, Stomberg, Paulo Sousa, etc etc

Para mim, Pizzi é um médio útil e atualmente muito importante devido á falta de alternativa, mas se bem se recordam o ano passado a equipa quando jogou com ele ou talisca na posição 8 não resultou…foi a entrada do Renato que fez com que o SLB fizesse uma época maravilhosa.

PS: a época passada, aquele passe de morte contra o Setúbal podia ter ditado o nosso fim….queria ver quem o elogiava agora!!

Anónimo disse...

Provavelmente elogiavam os mesmos que hoje ainda continuam a falar do Paulo Sousa e a referir-se a esse badameco como jogador e ousadia de comparar com os atuais que lutam e respeitam o clube.

Anónimo disse...

Querer fazer de Pizzi um jogador que faz a diferença é ambicioso demais. Como outros aqui disseram, ele só joga quando tem espaço, tempo e contra equipas que pressionam pouco. Senão, são passinhos de 3 metros para o lado e para trás! Um grande jogador não pode entregar a bola tantas vezes, especialmente na posição dele em que sempre que o faz encontra a equipa balanceada para o ataque e desequilibrada na defesa. Sempre que é pressionado é um "ai jesus". Um grande jogador não pode ter tantas paragens cerebrais como ele. Uma coisa é verdade, neste momento o Benfica não tem nenhum substituto para a posição.

joão carlos disse...

pizzi faz o que dizes com bola sem bola é muito deficiente sobretudo para a posição que ele ocupa hoje no campo.
lá esta agressividade e fazer falta não é fazer aquilo que ele faz que são faltas, quando as faz, com dureza em excesso.

outra coisa repara neste momento, e isso deve-se ao facto de ele não estar bem fisicamente, a quantidade de vezes que o jogo empanca quando a bola lhe chega permitindo ao adversário se recompor e o numero de vezes que ele perde a bola por ser pressionado.

JotaPê disse...

Ricardo,

Posso concluir, portanto, que, sendo o futebol do Benfica pouco mais que miserável e Pizzi o homem da batuta (como pareces fazer crer), o culpado do mau futebol do Benfica é do Pizzi?

Eu não diria que a culpa seja do Pizzi, porque já o ano passado o Benfica apresentava um fraco futebol que até parecia óptimo no meio da pobreza franciscana que havia à sua volta...

Eu inclino-me mais para o facto de teres um treinador que, de futebol, percebe zero e que, frente a qualquer equipa mais mediana, é o que se sabe...