domingo, 22 de novembro de 2015

Bailando

“O que aconteceu no domingo na Luz dificilmente voltará a suceder em circunstâncias semelhantes. O Sporting chegou a uma vantagem dilatada de uma forma dificilmente repetível, naquele que terá sido provavelmente o jogo mais fácil da temporada para a equipa de Jorge Jesus. Não se pense, contudo, que a vitória dos verde-e-brancos é injusta ou está aqui a ser menorizada. Não está. O maior erro será, por ventura, pensar que o jogo caiu para o lado do Sporting por acaso. Não, não e não. O Sporting foi mais organizado, soube tirar proveito dos momentos do jogo, foi mais adulto, maduro, trabalhado e, virando as palavras contra o próprio Rui Vitória, foi mais (a única) equipa. Vimo-lo na Supertaça e voltámos a vê-lo na Luz. O Sporting não vencerá o Benfica nem por 0-3 nem com facilidade em todos os jogos. Mas da forma como estão as coisas, seria surpreendente que o Sporting, em dez jogos com o Benfica, não ganhasse pelo menos sete ou oito, alguns deles com facilidade. Por questões que se prendem com as individualidades e com o colectivo. E quem não acredita nisto terá a realidade a entrar novamente de chofre pela cara adentro já no próximo dia 22 de Novembro.”

in Previsível, Ontem Vi-te no Estádio da Luz, 27 de Outubro de 2015

Vamos directos ao assunto. Não há volta a dar, o Benfica meteu-se a jeito. Primeiro na pré-época, ao não conseguir despachar Jorge Jesus para as arábias, como era aparentemente vontade de Vieira. Depois, ao potenciar o agravamento de uma situação por demais óbvia e que já se adensava desde o início da temporada anterior, a política de desinvestimento brutal no futebol, que serviu apenas para agudizar todos os problemas já conhecidos. O Benfica meteu-se nesta alhada porque quis. Porque foi anjinho. Basicamente, porque foi incompetente.

O Benfica começou a perder o jogo de sábado na conferência de imprensa de antevisão ao clássico, no só pelo atraso patético de Rui Vitória, que queria saber antecipadamente o que Jesus iria dizer, ou pelo menos que o treinador do Sporting não pudesse usar as suas palavras na conferência de imprensa do Sporting, mas também pelo próprio conteúdo que verbalizou, que mostrou um Rui Vitória completamente perdido, com um discurso pobre, desconexado e repetitivo. O desnorte que o Benfica revela dentro de campo tem o seu espelho no discurso e na postura que o seu treinador evidencia fora dele. O Sporting ganhou bem, merecido, ao som de bailando na conferência de imprensa de antevisão e no relvado.

Contudo, a culpa não morre só com o treinador. Já no ano passado o Benfica tinha sido claramente inferior ao Sporting no confronto directo. No jogo da Luz acabaram por ser os leões a dispor das melhores ocasiões de golo, com Slimani a falhar um golo feito no último fôlego da partida, enquanto que em Alvalade foi uma avalanche da equipa de Marco Silva que terminou com um anti-climáx final quando Jardel fez o primeiro e único remate do Benfica à baliza de Patrício nesse jogo, para golo, por sorte. E quem diz com o Sporting diz com o Porto (empate sofrível na Luz e vitória milagrosa no Dragão) e nos seis jogos que efectuou na Liga dos Campeões. Este ano, à semelhança do que aconteceu na época passada, o Benfica demite-se de jogar o jogo e procura apenas vencer com base na sorte de um chutão para a frente poder resolver a questão. E aqui o problema não é só do treinador (ou dos treinadores, neste caso). Prende-se essencialmente com a falta de qualidade dos intérpretes. O Benfica deu-se ao luxo de perder jogadores essenciais, com Maxi à cabeça, e ainda Salvio por lesão, sendo que Lima foi o único cuja saída acabou por ser colmatada com alguma qualidade. Se a estes problemas somarmos uma defesa envelhecida em que Sílvio tem abordagens assustadoramente más aos lances, Luisão está em pré-reforma, Jardel só tem mostrado o agravar das suas deficiências com a idade (para não falar no inenarrável Eliseu, que ontem nem foi o elo mais fraco), e um miolo do terreno sem a qualidade de outros tempos, nomeadamente craques como Javi, Ramires, Witsel, Matic ou Enzo, fica tudo muito mais perceptível.

E não venham com a desculpa da formação. Não se perdem estes jogos pela aposta nos jovens da formação. Basta ver que o Sporting terminou a partida de ontem com 7 elementos da sua academia. O projecto da aposta na formação encarnada está correcto. E tem tanto de correcto como de mal conduzido.

14 comentários:

Anónimo disse...

Excelente texto.

José Manuel Baylina - VNGaia

Anónimo disse...

Vai ser uma semana muito dura, ai se vai!!...
Saudações Benfiquistas de um sócio preocupado que acompanha este blog.

hugo pinto disse...

Tudo dito, boa visão...

F.L. disse...

Excelente comentário como sempre. E gostaria de acrescentar: corre-se o risco de mesmo os jogadores da formação se perderem no meio daquele caos que é a equipa do Benfica. Os jovens, para poderem crescer, têm se ser enquadrados dentro dum grupo de jogadores feitos, experientes e de qualidade. Não são os jovens que vão resolver os problemas da equipa como parece ser a intenção de LFV e RV.
E se o Benfica perde com o Braga não acredito que nada mude.
Mas com este LFV tudo é possível.

moleculasdeamor disse...

A direcção é a responsável pela situação ao trazer o clube para estes níveis de endividamento, tornando impossível atacar o mercado, no entanto existem jogadores "desconhecidos" com valor que certamente gostariam de jogar no Benfica. Esse é o trabalho da estrutura ver jogadores de equipas menores e perceber-lhes a qualidade, relembro Vitor Paneira que veio da segunda divisão.

Anónimo disse...

E tem tanto de correcto como de mal conduzido. Na mouche!

Valdemar Iglésias disse...

Dura é a semana de um sportinguista, que concorda totalmente com o texto, na qual vai ter que levar com análises enviesadas dos lances da partida com a finalidade de desculpabilizar os verdadeiros responsáveis. Já são 3 jogos, e preferem enterrar a cabeça no chão.

A origem é a "estrutura" ou o "gabinete de comunicação" encarnado que transmite a cartilha aos opinion-makers nos vários órgãos de comunicação social e programas de comentário.

Felizmente que há benfiquistas inteligentes que vão deixando de acreditar na palavra oficial.

O clube é vosso, não se esqueçam disso como nós certa vez deixámos acontecer.

Um forte abraço a todos.

Anónimo disse...

Excelente texto. Está aqui tudo!!

Pedro

A bug's life disse...

Tem dó! Nos outros anos jogávamos à bola. Os jogadores não andavam perdidos. Os jogadores circulavam a bola no meio campo e no ataque. Este ano zero! É só pontapé para a frente e cruzamentos! Nem os jogadores sabem o que fazer! Desde o início da época. A culpa está toda no treinador e em quem o escolheu, mas nisso toda a gente pode se enganar.

Anónimo disse...

Quase completamente de acordo, apenas quando referes desinvestimento apôs as aquisições do Raul, Mitroglu, Carcela, Taarabt, etc... com toda a certeza que houve muitas equipas a soltar uma gargalhada.

Quanto ao resto brilhante analise

Cumprimentos

Rogério Paulo disse...

Bom texto, boa análise.
Só acrescento o que ainda alguns benfiquistas não conseguem dizer: "Vieira, obrigado foi bom mas já não dá. Levantas-te o clube, deste-lhe crédito e algum sucesso desportivo (mais acentuado nas modalidades, se bem que recente), mas em 14 anos é manifestamente pouco. São muitos erros e incompetências e ainda, muitas negociatas que em nada têm beneficiado o clube.
obrigado por tudo mas chegou a hora de dar o lugar a outro que sinta mesmo o que é ser do BENFICA!!"

Saudações Vermelhas!!!

Borrego das Cartas disse...

Clap clap clap! Tudo dito.

Railwayman disse...

Primeiro sou Sportinguista, logo a minha opinião é tanto válida como a minha filiação clubistica, temo pelos miudos de qualidade superior que têm que sofrer como as ideias desse treinador (minuscula), pois a sua evolução pode estar comprometida. O Guedes é mesmo muito interessante.

Germano Bettencourt disse...

Vai ser um ano tão GRANDE!!!

Abraço