quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Estratégias de compra e venda

Tendo em conta as notícias que saíram hoje sobre a concretização do negócio de compra de Fernandez ao Racing e de venda de Patric ao Atlético Mineiro, fico simultaneamente satisfeito e preocupado. Se, por um lado, há o assumir de um mau planeamento da época, indo em busca de um jogador que, de facto, seja o extremo-esquerdo de que a equipa precisa, por outro tenho sérias dúvidas que seja Fernandez a solução para o problema. Não porque conheça o jogador (não conheço), mas porque, mais uma vez, a escolha recai num elemento que precisará, por vir de um campeonato em que as características de jogo são substancialmente diferentes, do natural tempo de adaptação. Esta contratação poderá fazer sentido se o pressuposto for o de médio prazo, preparando-o para na próxima época poder ser integrado já rotinado com o resto da equipa; se a ideia é colocar Fernandez a titular a partir do momento em que saia do Aeroporto, estaremos muito provavelmente incorrendo em mais uma má decisão estratégica.
Em Janeiro, só faz sentido contratar um jogador se ele tiver as características certas para vir colmatar, no imediato, as lacunas do onze titular: conhecimento do tipo de jogo que aqui se faz, experiência ao mais alto nível europeu e facilidade de assimilação das ideias do treinador. Fernandez poderá até vir a revelar-se um jogador com facilidade de adaptação mas, a priori, não me parece o caminho certo a seguir.
Por outro lado, com esta escolha, assume Jesus e toda a estrutura do Benfica que a opção de compra de Gaitán para suprir o espaço deixado vago por Di Maria, foi um verdadeiro falhanço. O que é contraditório, visto que o treinador do Benfica opta, sempre que pode (e tem podido quase sempre), por Gaitán para aquele espaço do terreno. E, se nos primeiros dois meses poderíamos ter compreendido a sua vontade em adaptá-lo a uma posição que claramente não é a sua, nos últimos dois - e esta escolha por Fernandéz vem corroborá-lo - tem sido um caso de pura falta de humildade em assumir o erro e de teimosia bacoca, o que não deixa de ser preocupante.
Há, no entanto, e se Fernandez entrar directamente para a esquerda do meio-campo, uma boa notícia: veremos o talento de Gaitán explorado decentemente. Na minha visão, dar-lhe-ia a oportunidade de jogar a segundo avançado, no lugar do Saviola. Ou seja, um suplente muito utilizado. Veremos que planos tem Jesus para este talento.

Outra notícia que saiu foi a de o Benfica ter vendido Patric ao Atlético Mineiro. Sinceramente não percebo esta decisão. Há cerca de um ano e meio o Benfica comprou 70 por cento do passe de Patric por 2 milhões de euros; agora, depois de um excelente campeonato brasileiro, em que revelou poder ser uma alternativa credível a Maxi Pereira (e essa é umas lacunas do plantel, não ter um substituto natural ao uruguaio; deixemos Amorim a médio, a sua posição natural), um jovem com potencial, que provavelmente nos próximos dois anos verá o valor do seu passe altamente inflaccionado, vendemos 50 dos 70 que tínhamos por 1 milhão e meio. É verdade que recuperámos o dinheiro investido mas parece-me que teria sido mais benéfico para o clube uma de duas coisas: recuperá-lo para o nosso plantel, fazendo-o evoluir a espaços na lateral direita e prepará-lo para a próxima época OU deixá-lo emprestado no Brasil, evoluindo no jogo para depois, se mostrasse a qualidade que parece ter, trazê-lo para o plantel principal da equipa. Entre ter recuperado 1 milhão e meio de euros e ter esperado mais um ano pela sua evolução, escolheria claramente a segunda opção. Não aconteceu assim, é pena. Espero que não o vejamos no futuro numa grande equipa europeia e a remoer o erro de casting.
Sílvio, do Sporting de Braga, seria uma contratação inteligente. Grande qualidade, português, 23 anos, provável jogador de Selecção no futuro, das escolas do Benfica. Olhem, gastem o dinheiro recebido pelo Patric no Sílvio e não se fala mais nisso.

19 comentários:

M disse...

bom...que fazer ao Salvio?

gaitan a segundo avançado parece-me bem, saviola nao vai ficar para sempre...mas se calhar, a 10 não?

o problema do Patric foi ter levado um trólóró de um gajo chamado Alexandre Pato, do ACMilan...e não percebo porque é que ha gajo no plantel que têm tempo para evoluir, e outros são despachados....que raio anda ali a fazer o Menezes?

silvio, sendo do Braga e do Salvador, menos de 3,4 milhoes nao me parece que custe.

Ricardo disse...

Ao Salvio acho que é tempo de dar uma oportunidade real, como tem sido dada ao Gaitán mesmo tendo este sido bem menos profícuo que o primeiro. Há duas soluções: aposta-se no Salvio para a extrema-direita, colocando na esquerda um médio mais posicional (Jesus já o tentou com Amorim no jogo com o Schalke) ou derivando o Salvio para a esquerda que, apesar de nunca lá ter jogado este ano, me parece uma boa opção; vejo no Salvio características próximas das do Simão e, como sabes, o português jogou quase sempre à esquerda. Isto, claro, se Jesus estiver a pensar em dar a titularidade ao Salvio, questão que me parece longe de ser consensual.

Gaitán a 10 é uma solução a tentar embora me pareça que seria, mais uma vez, condicionar-lhe os movimentos: precisa de mais liberdade em campo, especialmente liberdade para cair nas alas onde é desequilibrador, tem boa capacidade de finta e cruzamento. Mais como vagabundo do que propriamente como estratega.

O Menezes tem tido poucas oportunidades mas também é verdade que quando as tem não as aproveita.

Pois, o Sílvio é provável que esteja carote. Mas entre gastar 4 milhões em dois sul-americanos que não se sabe ao que vêm ou 4 num lateral de qualidades inegáveis e adaptado ao futebol português, parece-me lógica a opção.

low desert puke disse...

Mas Maxi tem o lugar assegurado e nao me parece que saia do Benfica na(s) pròxima(s) época(s). Logo, dar 2 ou 3 (ou mais) milhoes por Silvio seria um negòcio pouco sustentado. A nao ser que...Silvio joga também, e bem, a defesa esquerdo. Portanto poderia ser o sucessor natural de Coentrao. Este sim, sairà no final da época para um grande europeu. (aproveitem agora rapazes, ainda que ultimamente nao tenha jogado um pinchavelho, a contagem decrescente com a camisola gloriosa ao peito jà iniciou..)

Sobre Fernandez tenho alguma curiosidade. Mas a contrataçao jà està confirmada? é que ainda ontem em Itàlia Nàpoles e Palermo disputavam o jogador. Com os napolitanos à frente na corrida. Sabendo a qualidade dos sul americanos que compoem estes dois planteis: Lavezzi, Pastore, Gargano, Cavani, Munoz...parece-me que se o vamos buscar pode revelar-se uma escolha acertada.

Ricardo disse...

Pouco sustentado porquê, Low? Um lateral que faz os dois lugares, com todas as qualidades que tem (de que falei no post) como é que pode ser "pouco sustentado"? Está na hora de apostar correctamente nestes portugas. Mais ainda quando vêm da formação. Mas não acho que ele possa ser o substituto do Coentrão, ele na esquerda é muito menos jogador. Agora... falas numa coisa triste: a saída do vila-condense. Há-de acontecer. Como há-de acontecer voltar ao Benfica. São outras coisas para falar depois. "Tem mais samba no som que vem da rua", diz o Chico.

Quanto ao Fernandez, falei do que li na imprensa (virtual). Em que cidade estás? Nestas férias estou a pensar em ir a Itália. Ainda bebemos um Rosso por aí...

low desert puke disse...

Tens toda a razao. A meio do comentàrio mudei de ideia..."A nao ser que..." Porque o Silvio também joga à esquerda. Nao ataca nem metade daquilo que o Coentrao faz em campo, mas seria uma alternativa muito sòlida.

Bergamo.

Hattori Hanzo disse...

Concordo com o M.: Gaitan parece-me muito mais um 10 para começar a fazer o lugar do Aimar do que 2º avançado ou falso ponta-de-lança como é o Saviola, até porque não tem velocidade para andar a deambular nem me parece com vontade de pressionar os defesas. Para substituto de Saviola é muito mais Jara, mas esse já está queimado na Luz. Quanto a substituto de Dimaria tínhamos um no plantel, lembrámo-nos foi de emprestar: Urreta. Sílvio neste momento já deverá ser um pouco caro, pois está no Braga, mas para um clube que pagou 12 milhões pelo Gaitan deverão ser peanuts.

Ricardo disse...

M, "para andar a deambular" a segundo avançado não precisas de muita velocidade, precisas de inteligência nos movimentos entre linhas e de apoio aos que vêm de trás. E Gaitán é veloz em progressão! Quanto à capacidade de pressionar, para o tipo de jogador que é, faz sentido que pressione mais à frente, onde o movimento de pressing é menos exigente. A 10 já teria de estar mais rotinado com todo o bloco, o que para ele é (ainda) uma incógnita.

Quanto ao Jara, concordo. Mas se está queimado é pelo próprio treinador, que não lhe dá muitas oportunidades. Seria de esperar que o Jara já tivesse tido mais minutos. De qualquer forma, os jogadore snão têm de entrar logo de caras na equipa. Dá-lhe tempo. Espero é que o Jesus também lho dê e não repita algumas das situações anteriores com outros jogadores: sem jogarem muito, são recambiados para empréstimos e não voltam mais.

O Urreta, tendo em conta a saída do Di Maria e a chegada de Gaitán para aquela possição, foi um erro ter saído. Mas acho que os benfiquistas, por ele ter saído, fazem mais dele do aquilo que ele vale actualmente. É um jovem com talento e potencial para ser titular no Benfica mas é só isso. Se calhar se aqui estivesse já estava na lista de empréstimos de muitos adeptos. Vamos com calma e não vamos fazer de alguns os salvadores. Foi jogar para um campeonato mais competitivo (começou a titular, bem, depois teve uma lesão durante mês e meio e voltou agora e, rezam as crónicas, bem; nos últimos 3 jogos foi titular), isso só o poderá fazer evoluir. Para o ano virá mais jogador e será integrado, espero eu, na equipa principal. Agora em Janeiro acho que é impossível.

Ricardo disse...

Hanzo, não M! Desculpa. Ao M estavas tu a responder, daí a confusão.

José Vieira disse...

Bom "post", subscrevo quase na íntegra.

"o problema do Patric foi ter levado um trólóró de um gajo chamado Alexandre Pato, do ACMilan...e não percebo porque é que ha gajo no plantel que têm tempo para evoluir, e outros são despachados".
Nem mais. O Patric mostrou, efectivamente, alguns problemas defensivos mas não percebo porque nem sequer se tentou corrigir esse defeito, o mesmo se aplicando a Schaffer.
E tudo isto é tanto mais incompreensível quando o Benfica joga com laterais e não com defesas (esquerdo e direito). Depois, também me lembro de um "trólóró" levado por um tal de David Luiz de um tal de R. Quaresma e não vejo que isso tenha afectado a evolução do primeiro...

Quanto a Gaitán, parece que já podemos afirmar com segurança tratar-se de um bom jogador mas não para actuar naquela posição (pese embora a tendência seja para melhorar...).
Para mim a discussão da posição do terreno por ele ocupada tem que ser cotejada com a distribuição táctica da equipa.
No actual 4-1-3-2 só o vejo como alternativa (muito) viável a Saviola, tendo até algumas vantagens em relação a este último.
Colocá-lo a 10 neste sistema seria, para mim, um erro pois fragilizaria (mais ainda) o meio-campo.
Vejo-o, no entanto, a 10 num 4-3-3 (4-2-3-1), parece-me ter características para isso, se bem que o próprio já afirmou sentir-se mais confortável numa posição mais avançada do terreno.

Hattori Hanzo disse...

Sim Ricardo a questão do Jara é queimado precisamente pelo treinador. Eu acho que tem futuro, mas a jogar 10, 15 minutos ou menos quando os jogos já estão resolvidos é claramente a queimá-lo. Quanto a Patric e Schaffer acho que foram claramente erros de casting, apesar de aqui também não terem tido verdadeiramente oportunidades. A venda de Patric agora também não se compreende por aqueles valores (e continuamos com 20%, para quê, não sei).

M disse...

hum.....o Gaitan ainda vai ser o nosso "Aimar do Valencia"...

ficou meio estranho mas acho que perceberam...:)

eu adoro ver este miudo a acelerar no centor do terreno e a deixar 2,3 gajos com a maior das simplicidades (acho que ja me estou a repetir, mas gosto pá!)..ja nao gosto nada de o ver na linha a nao conseguir driblar ninguem.

Jara..um miudo, que chega à Europa cheio de ilusoes,de um clube que nap era de topo na Argentina, começa a jogar, a mostrar serviço no famoso 433 da pré-época, ainda marca um golito na jornada inicial e depois...desaparece...surgindo pontualmente para 10, 15 minutos finais, em jogos em toda a malta esta a jogar sobre brasas...

faz mossa....

precisa de tempo e acima de tudo, de uma REAL integração...depois logo se vê...precisa mais do que o salvio, qjue apesar da idade ser muito semelhante, não é um activo nosso..

José Vieira disse...

O problema é que Patric parece ter sido encarado, tal como F. Menezes, como "uma oportunidade de negócio".
Que seja um empresário a expressar-se nestes termos, até aceito.
Ser proferida por um treinador (mesmo ressalvando estar em consonância com a direcção)perdoem-me o romantismo mas não me soa nada bem e diz muito do actual momento do glorioso.
Esta visão mercantilista do futebol não augura nada de bom.
Prefiro o discurso tradicional do treinador que afirma esperar que certo jogador seja uma "mais-valia" para a equipa e uma direcção ou seu presidente regozijarem-se com a considerável "mais-valia" proporcionada com a venda de determinado jogador. De contrário, mais valia estarem calados.
É que agora todas as nossas contratações parecem incluir-se no lote das "boas oportunidades de negócio".

Ricardo disse...

Concordo com tudo menos com o último parágrafo, José.

Hanzo, o Schaffer não faço ideia do que vale, tão pouco foi o tempo em que jogou no Benfica. Pelos vistos, ninguém o quer comprar. É mais um para o saco dos emprestados eternos. Temos de fazer alguma coisa em relação a isso.

Os 20 por cento do passe do Patric com que ficámos parece indiciar que na Luz há a crença de que ele vai evoluir e sair do Brasil a um bom preço. Se é de facto assim, ainda menos se compreende a venda.

M, um "10" tem de ter mais do que capacidade para driblar em velocidade - aliás, essa característica seria mais bem aproveitada se estivesse mais solto do que no centro do terreno. Ao "10", além das questões defensivas que competem a todo o colectivo, exige-se que tenha velocidade de raciocínio e visão de jogo. Não me parece, principalmente nesta última característica, que o Gaitán seja o indicado.

Ricardo disse...

José, tocas no ponto fulcral: as oportunidades de negócio em detrimento da mais-falia desportiva. E não acho o teu pensamento nada romântico, pelo contrário, um clube de futebol tem de pensar em contratar pelos aspectos desportivos, ou pelo menos tem de ser essa a tendência. Andar a contratar jovens para receber comissões e esperar por negócios futuros é uma política prejudicial ao clube e à própria equipa.

M disse...

Ricardo, percebo o que dizes mas os "10" de hoje não sao tão estáticos e remetidos sempre ao centro do terreno....alias, no futebol de hoje, quais são os "10" parecidos aos que a minha/tua geraçao se maravilhou a ver?

Diego,Rui Costa, Zidane,Mathaeus, Sammer (?)

Del Piero, Totti, Nedved são outras "coisas"...Pirlo é um hibrido...Laudrup era tão bom que jogava em qq sítio,em Inglaterra não sabem o que é isso (minha opinião claro...)

Xavi e iniesta, andam por ali mas parecem ser algo...único, que talvez so funcione ali...

Schneider (?), talvez o mais parecido...

epá e correndo o risco de cometer pecados ainda maiores ao esquecer-me de gente, fico por aqui.

quando falo em 10, falo num gajo que do meio, parte para todo o lado, se calhar de acordo com aquilo que chamas "solto"..

musculo no meio, 2 gajos capazes de defender e apoiar ataque, ou em alternativa, um gajo forte devidamente apoiado pelos alas...e depois restantes a espalhar magia.

era por aqui a ideia para Gaitan..mas como nao pesco nada disto, é so uma ideia.

José Vieira disse...

Ricardo, eu próprio tenho algumas reservas quanto a essa possibilidade mas acredito ser possível fazer o homem jogar nessa posição.

M, curioso que fales em Xavi e Iniesta e esqueças o "10" do barça e actual melhor jogador do mundo, que vai um pouco ao encontro do teu "10 moderno".

P.S. Incrível como no espaço de poucos anos tivemos no nosso clube Rui Costa, Deco e Aimar, três dos melhores "10" que o futebol gerou nos últimos tempos...

Ricardo disse...

Se vais por aí, M, ninguém botava faladura. A ideia é mesmo cada um mandar a sua posta de pescada e tentar que o outro nos convença de algo que não vimos ainda. Todos temos o nosso treinadorzinho de bancada aos pulos no cérebro.

Sim, o 10 não é um gajo estático mas convém pelo menos que esteja a maior parte do tempo em zonas privilegiadas para "pautar" o jogo, sejam elas centrais ou laterais. Nesse sentido, o Gaitán será sempre um jogador de desequilíbrio individual, de rasgos, de centros, de espaços entre linhas, nunca - na minha visão, claro - um jogador de pausas, de cabeça levantada, de visão de jogo. É muito mais um rompedor do que um pensador de jogo. Nota-se bem isso na forma como irrompe muitas vezes em velocidade e drible, especialmente por zonas interiores. O que digo é que podia ser um vagabundo, vindo do centro para as alas e vice-versa, um desestabilizador, um... Saviola. Mas o Jesus insiste em colocá-lo preso ao flanco esquerdo, com preocupações defensivas rígidas, o que obviamente lhe retira clarividência e o deixa longe das posições mais adiantadas onde poderia ser muito mais perigoso. Repara que ele, mesmo jogando na ala, raramente procura a profundidade, deixando-a para o Coentrão. O Gaitán está neste momento a jogar como um médio interior. Isto é ir contra todas as suas melhores características.

José, falar no Barça é falar num conceito de jogo mais avançado, mais evoluído. Pelo conceito e pelos intérpretes. O Messi não tem um papel de "10" embora tenha capacidade para criar momentos de ruptura vindo do centro (ultimamente tem assistido como um 10, sem dúvida). Mas também não é um ponta-de-lança nem um extremo, é um híbrido. Salvaguardadas as devidas diferenças, acho que o Gaitán poderia fazer algo parecido. O 10 do Barcelona são vários ou se quiseres não é ninguém. Mas isso é de outra galáxia.

Karl disse...

Muito interessante a discussão. Estou mais de acordo com o Ricardo, embora todas as opiniões sejam de levar em conta.
Mas curiosamente dispersaram-se do tema que o Ricardo levanotu no post: a escolha de um sulamericano em Janeiro, com todas as condicionates que podem advir dessa escolha. E concordo com o que é dito, até pode resultar mas é por princípio um erro.

Saudações gloriosas.

M disse...

provavelmente não me fiz entender e a questão que lancei, perdeu-se...

falávamos do gaitan, de jogar ou nao pelo centro...falávamos se teria características para ser um "10"...

e o que tentei dizer/perguntar....

as características dos "10" dos anos 80, 90...têm lugar no futebol de hoje? o "10" evoluiu para algo diferente (por isso, Jose Vieira, não falei no messi..falava do antigamente, messi é o presente "10" e quiça, futuro...mas nao estou tão certo que ele funcione noutra equipa tão bem como ali, como disse, e o Ricardo afirmou e bem, o Barça tem vários "10"...)

quem sao os "10" da actualidade?

só me lembro do holandes careca do Inter...

saudaçoes...