terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Procura-se médio

Uma das razões que levou ao mau início de época da equipa esteve relacionada com o mau planeamento e organização do plantel. Foram vendidos três jogadores fundamentais e para o seu lugar vieram cinco ou seis que ou não tinham a mesma qualidade ou tinham potencial mas não eram, ainda, jogadores totalmente formados. Esta queda qualitativa revelou-se fatal e o Benfica comprometeu, veremos se a título definitivo, o resto da época.
É também e fundamentalmente por isso que nesta reabertura de mercado interessava reajustar o plantel, comprando com critério e apontando cirurgicamente às deficiências do mesmo. E, entre as compras já efectuadas, que pelas características dos jogadores em causa revelam uma estratégia a médio prazo e não para o imediato, o problema mantém-se: falta um médio ao Benfica. Se era importante colmatar essa falha há uma semana atrás, com a lesão do Amorim, é, mais do que necessário, fundamental pra o sucesso da equipa nos exigentes quatro meses que nos esperam.
Neste momento, não há um único médio de construção no plantel. Há dois pivots defensivos (Javi e Airton), três alas (Gaitan, Salvio e Fernandez) e três médios ofensivos (Aimar, Martins e Menezes). Pensar o Benfica nos próximos meses sem um médio que assegure, nos muitos jogos de dificuldade acrescida que a equipa irá ter, estabilidade, segurança e equilíbrios no miolo é projectar o fracasso. Este cenário é-me incompreensível essencialmente por dois motivos: o clube no início de época e em Dezembro procurou contratar esse tal médio, pelo que não se compreenderá se até final de Janeiro o não fizer, porque revelará não uma lacuna na interpretação das deficiências do plantel mas a assumpção de que, não conseguindo comprar antes, abdica de procurar o equilíbrio do plantel por questões financeiras; o segundo prende-se com a questão táctica: achará Jesus que o Benfica terá sucesso se, nos grandes jogos, persistir em jogar com Gaitan e Salvio nas alas, sem necessitar de dar outro tipo de qualidade em posse ao meio-campo? Se sim, e parecendo um erro tremendo, mesmo nesse caso precisaria de alternativas credíveis (que não tem); se não, de que é que estão à espera para contratar o tal jogador de que necessitamos?

Pensar este Benfica com os actuais jogadores de meio-campo (Amorim provavelmente terá mais dois meses de recuperação) é projectar o fracasso. Não pela qualidade (que há em barda), mas pelas características dos jogadores que temos. Urge comprar alguém com outras características. E que venha preferencialmente de um campeonato europeu, experiente e com facilidade de adaptação ao modelo de Jesus.  

11 comentários:

Anónimo disse...

Ainda nao pensas te um bocado e vis te que o novo argentino Fernandez , nao e um di maria mas sim mais ramires mas pe esquerdo ou nao ??? ai equilibra melhor com salvio na direita e Fernandez na esquerda ou nao ??? Vais ver se nao sera assim !
Madnekas

low desert puke disse...

Jà contra o Leiria, Martins jogou mais atràs do que o que é habitual. Pode ser uma das coisas a considerar.

Ricardo disse...

Madnekas, o Fernandez até pode ter muitas qualidades mas seguramente não será o médio posicional de que o Benfica precisa. Pareceu-me um jogador d elinha, de rasgos, mais para explorar a profundidade do que outra coisa. O jogador de que falo tem de ter outras características.

Puke, é verdade que nos últimos jogos o Martins tem aparecido mais próximo do pivot mas se vamos contar para o resto da época com o Martins para equilibrar a equipa estamos muito mal. Para além de que o sistema resulta bem como está. Aproximarmo-nos do 442 clássico é suicídio.

JD disse...

Chama-me louco (pelo jogador em questão, pelos valores que o envolvem, pela posição que ultimamente tem ocupado - lateral esquerdo - em suma, provavelmente pela impossibilidade de alguma vez representar algum clube Português), mas o jogador que mais gostava de ver no meio campo do SLB este ano, era o Jonas, actualmente no Newcastle.
Vou repetir... chama-me louco mesmo, mas gostava!! :)

Abraço.

Paulo Santos disse...

Absolutamente de acordo. Epá, e em última instância, sigam o exemplo (não na forma) da contratação do Jardel e vão ao mercado interno. Até o Leonel Olímpio do Paços, dava um jeitinho.


Grande abraço

Ricardo disse...

És louco, JD! :)

Quanto é que custaria essa brincadeira?

Paulo, mas é que não duvides. Desde há uns tempos para cá, parece que há uma certa alergia a comprar no mercado nacional. O que é estúpido porque a mais-valia de um jogador já adaptado ao campeonato português é maior do que muitas vezes parece ser tido em conta. O Olímpio é bom, mas no Paços tenho gostado muito do miúdo Pizzi e, claro, do nosso David Simão (será que haveria forma de o chamar já em Janeiro? acho que poderia se ruma boa solução).

Depois há Sílvio, que faria as duas laterais (essencial para em certos jogos subir Coentrão ou ser alternativa credível a Maxi, visto que Amorim está lesionado) e o Salino, que acho que se encaixaria bem neste modelo.

Há outros mas se calhar não vale a pena. O Benfica parece só ter olhos para a Patagónia...

José Vieira disse...

- "Houston, we've got a problem";

- Leandro "Pequeno Ramires" Salino, definitivamente. É o único que tem condições para entrar no "onze", que é o que precisamos.
Ainda assim, apetece perguntar quem faz o lugar (para além de Maxi) de lateral direito. "Houston, we've got 2 problems".

Paulo Santos disse...

Ricardo, infelizmente parece que o Sílvio já tem guia de marcha para o dragão...chegou-me aos ouvidos...

Quanto ao David Simão, concordo, tal como o Miguel Rosa que, ao que parece, anda a carregar o moribundo Belenenses às costas. Mas são ambos mais médios ofensivos. E creio que te tens referido à necessidade de termos um médio, sobretudo para as compensações e equilíbrios defensivos (um Ramires). Nesse sentido, e goradas que estão as possibilidades de termos um dos dois clones do Ramires (Elias assinou pelo patético de Madrid e Juciley também parece que não dá), vejo o Olímpio e o Salino, como bem referes como opções a considerar. Mas não me parece que o clube vá por aí. Em compensação contratatar-se-à mais 2 defesas centrais e provavelmente mais dois avançados centro para emprestar a um qualquer clubezeco...


Abração,

PS: Temos que combinar aí uma tertúlia um dia destes

JD disse...

Pois, por isso te disse logo que era uma afirmação mais que louca! lol
Só digo isso porque cedo percebi que JJ não iria alterar a sua forma de jogar, apesar de até ter testado outra, mas nunca o imaginei modificar tudo (dar outro tipo de identidade ao jogo do SLB), então, esse tal Jonas, pelas características,sempre me pareceu ser um dos únicos "substitutos" de Ramires, que teria "rendimento" no imediato.
Não concordo com essa forma de ver as coisas, mas é a forma que entendo que JJ as vê ... não sendo eu ninguém para dizer que o homem está errado, atenção!

Abraço.

Ricardo disse...

Paulo, espero que não se concretize a ida do Sílvio para o Porto. Para além de perdermos uma boa oportunidade de recrutarmos um jogador que vem da nossa formação e tem muita qualidade, vemo-lo ir para o rival.

O Miguel Rosa é outro a quem o empréstimo tem feito muito bem. O problema nem tem estado na estratégia, tem estado no que se faz depois dela. Emprestar, como estão Rosa, Carvalhas, Simão, Pimenta e outros jovens, é oq ue deve ser feito; o que falta é recuperá-los depois de um ano ou dois a bom nível e integrá-los na nossa equipa principal. Quando olho para o nosso plantel e vejo, em 25 jogadores, 4 ou 5 portugueses e apenas 1 da formação não posso deixar de achar que algo vai mal na estratégia que o clube tem tido em relação tanto à forma como enquadra os jogadores saídos da formação como encara a possibilidade de comprar portugueses de qualidade.

Podemos combinar uma antes de um jogo.


Não me compreendas mal, JD, acho o Jonas um bom jogador e concordo que tem características que podiam fazer sentido para a posição, falo apenas na questão financeira. E acho, como disse noutros comentários, que podemos comprar bem e (mais) barato.

Quanto à ideologia de Jesus, também eu discordo de algumas coisas mas é como dizes: ele é que é o técnico. Embora isso não nos impeça de darmos a nossa ideia sobre as coisas. Mesmo que totalmente errada.

Abraço aos dois.

JD disse...

Sim claro, isso põe-se no caso do SLB, e de qualquer outro clube português que o quisesse contratar...impossível nesta fase, mesmo!

Abraço.