domingo, 18 de junho de 2017

Os jogadores festejam, depois esperam. Depois metem, depois tiram. Depois festejam. O vídeo-árbitro é o golo interrompido.

11 comentários:

Unknown disse...

Deviam fazer a avaliação dos árbitros por email.

Anónimo disse...

e a verdade desportiva?

Müs disse...

A alternativa seria 3 golos ilegais decidirem jogos. Era preferível? Só para quem tem gosto por isso...

Ricardo disse...

Sou a favor do vídeo-árbitro. Aqui falo apenas num certo emporcalhamento da alegria e espontaneidade do golo.

Anónimo disse...

Sim, é o que acontece em todos os desportos civilizados.

Ace-XXI disse...

Tem de se ir melhorando as decisões mas no caso dos fora de jogo parece me que este é o único caminho possivel (deixar jogar para depois anular).

No caso do nosso golo fico com uma dúvida se houver posse de bola de 5minutos a acabar em golo vão analisar a jogada desde o início? Parece me um pouco exagerado começar a puxar os lances atrás sem ser o último passe.

Anónimo disse...

é preferível minutos de euforia frustrados pela Verdade do que anos e anos de Vergonha com a mão de Maradona, por exemplo. Embora reconheça, no mundo do futebol, a capacidade de sentir vergonha não é recurso abundante.

ana disse...

Verdade! Mas no fim do jogo, no finzinho do jogo,fica-se com a sensação de que a verdade desportiva imperou. Acho que isso compensa bem as esperas e as interrupções. Mas isso sou eu que penso assim...

Anónimo disse...

"VIDEO KILLED THE FOOTBAL STAR" acabem com isso de imediato. Amem o jogo e deixem-se de modernices sensaboronas.

Jonhy Guitar

Unknown disse...

O artigo dos emails acima foi a opinião mais lucida e razoavel que vi de um benfiquista até hoje.

Só faltou um peça.
- porque é que a reação do Benfica foi tão atabalhoada? Porque é que não conseguiram desmentir, clarificar, desarmadilhar de forma mais contundente?

Face à "ausencia categórica de resposta" e "incomptetentíssimo e inabil directo", convém levar em conta que o conteúdo dos emails seja bem mais comprometedor do que polvora seca.

Uma pista para ajudar a reflectir sobre o puzzle. De facto nada apresentado configura grande corrupção (pagamentos) mas configura bem como Trafico de Influências e isso, sabe-o muito bem a direcção do Benfica é causa suficiente para despromoção. Conscientes disso, sabedores que há mais emails para revelar, talvez estejam com dificuldade em responder de forma competente e hábil.

Manuel disse...

Meu(s) caro(s),


Tinha este blogue em melhor consideração, que pior ficou quando vi que o post "Em@il" parece ter os comentário bloqueados.



Antes de mais que fique claro, que ninguém falou em corrupção (activa ou passiva), que exige a obtenção de uma vantagem, mas que aquilo que pode estar aqui em causa é um caso de tráfico de influências, que não exige essa prova.


Na questão do email "dêem-lhe cabo da nota" o problema não é o facto do Benfica querer rever a nota do árbitro, muito menos a expressão utilizada como parecem fazer crer os jornais. Tudo isso é legítimo e normal. O problema é quando um delegado da liga, que deve ser isento (concordamos nisto, certo?), aparece a dizer que vai interceder pelo Benfica para que a nota baixe, respondendo mais tarde que foi graças ao "nosso trabalho" que a nota baixou. Este delegado nem delegado desse jogo foi... O mesmo na questão do email de Adão Mendes, em que um observador de árbitros da liga aparece a falar do "nosso glorioso" (!?). Email este que o meu caro convenientemente omite.


A questão que importa aqui colocar é esta: porque é que um observador de árbitros da liga e um delegado da mesma aparecem em emails trocados com funcionários do Benfica a comportarem-se como se fossem empregados do clube?

Já agora, decidam-se em relação ao VAR.