sexta-feira, 25 de março de 2011

O melhor drible de Futre

O momento é trágico, benfiquistas. Não esperem facilidades a partir do dia de hoje. Aquilo que era uma campanha à Presidência do Sporting absolutamente caótica, recheada de candidatos utópicos, discutindo tudo o que não era essencial, mais preocupados com nomes de jogadores e fundos internacionais do que em pensar o clube de forma séria e lúcida, aquilo que, no fundo, nos dava a garantia da continuidade no disparate por parte do Sporting hoje teve um fim dramático.
Para mal dos nossos pecados, Dias Ferreira saiu da sua demência e escolheu uma pessoa que finalmente credibilizará o Sporting e dará ao clube toda uma projecção internacional - repare-se que o objectivo certeiro é a China, parceiro privilegiado para a incrementação dos lucros a médio e longo prazo - que relegará Benfica e Porto para um papel secundaríssimo na elite nacional.
Confesso-me preocupado e sei que, após a visualização do vídeo que se seguirá, todos vós também integrarão o lote - em que me incluo já - dos que sabem ter chegado o tempo de assistir ao sucesso alheio com pouco mais do que a resignação tão própria dos que sabem e reconhecem a superioridade moral, negocial, estratégica dos adversários.
Irrita-me e confunde-me que não sejamos nós, clube com mais adeptos do que a junção de todos os outros em Portugal, a elaborar planos desta monta, com este critério, com este detalhe, com esta visão. Assusta-me terrivelmente pensar nos próximos anos e na competição nacional, tendo em conta o que teremos de enfrentar daqui para o futuro.
Que nos sirva de lição e que aprendamos com Paulo Futre a capacidade inigualável de projectar um futuro de êxitos, baseado em premissas tão simples como a noção de construir um plantel mais curto (19+1), fazendo desse "1" não só um elemento de elite mundial mas simultaneamente o elo de ligação negocial com um país que oferece todas as condições para que, toldado pelo facto de possuirmos no nosso núcleo um seu jogador, nos ofereça quantias exorbitantes de notas de euros a troco de uns míseros 6 ou 7 jogos em 15 dias.
Sim, a China é isto, esteve sempre lá, ali à mão de semear, pronta a colher, só nós é que não vimos. Tolos, nós. Pequenos, de visão curta, ambição nula, perna pequena, fechados neste mundinho que é o nosso e de onde não queremos sair. Já Futre, homem do Mundo, incapaz de se resumir a uma fronteira, a um cheiro a sardinha com broa ou a um galo de Barcelos, vai lá longe e executa, programa, elabora, cria laços, compra, negoceia, enfim, produz.
Mas... chega-lhe isso? Obviamente que não. Futre não só planeia comprar um talento chinês, não só pensa (e combina) fazer partidos em terras chinesas (recebendo milhões), como - e aqui, sim, está o golpe de asa, o truque só ao alcance dos génios - projecta no próprio país, com ganhos óbvia e exclusivamente para o Sporting, viagens intermináveis de chineses até à Madragoa e à Penha de França, milhares e milhares de charters prontos a aterrar na Portela para difundir o mandarim por toda a Brandoa, por todo o Massamá, por todo o Cacém! em pelo delírio de fusão cultural. Imaginem-se as conversas na Cova da Moura entre chineses e cabo-verdianos, enquanto se assam uns pargos, se trincham umas carnes e se roubam uns transeuntes. Africanos, asiáticos, ciganos, árabes, juntos em museus, restaurantes, bombas de gasolina, casas-de-banho, discotecas, galhos de árvores, bagageiras de carros, no fundo de rios.
A lição cultural disto tudo, Deus meu, a verdadeira forma de nos sentirmos no Mundo, presentes, globais, inteiros! E tudo isto - repare-se na excelência, no oportuno, na genialidade - directamente para os bolsos do Sporting, numa jogada negocial só ao alcance dos eternos. Não, Futre surpreendeu e inovou. Todos lhe devemos um pedido sincero de desculpas. Quem de nós, no auge da apresentação do Director-Desportivo de Dias Ferreira, não embarcou imediatamente no insulto fácil, na graça soez, na vil gratuitidade da soberba, amesquinhando, espezinhando, zurzindo na escolha do candidato do Sporting para o homem forte do futebol?

Reflectindo agora no silêncio do meu quarto, minúsculo sob o peso da culpa, penitencio-me de ter desacreditado Paulo Futre. Cada visualização das imagens em que ele apresenta o seu extraordinário plano para o Sporting é mais uma lança que me fere mas ensina, que me magoa mas cura, que me atraiçoa mas faz crescer. Perdoa-me, Paulo Futre, pois eu pequei. Nós pecámos. Ilumina-nos na tua sabedoria e no teu rigor, na tua inteligência e no teu sábio ensinamento, na tua humildade e no teu brilhantismo.

Nunca será de mais assistirmos ao coroar de um discurso de um predestinado:



10 comentários:

Éter disse...

Excelente, excelente, excelente! Muito melhor do que a própria apresentação do Futre. Já pensaste em assessorá-lo?

Aliás, aceçorálo, como diria o Futre.

Sérgio disse...

Ricardo,
Já vi o filme 3 vezes e continuo sem acreditar que é verdade. Isto é...sei lá; fico completamente...epá...sem palavras. Fantástico, como o Drenthe!!

Ricardo disse...

Nunca, Éter, nunca, jamais! Um talento destes merece espaço criativo. "Aceçorálo" seria cortar-lhe as pernas, o que não dava jeito nenhum porque ele precisa delas para receber os... CHARTERS! VAI VIR CHARTERS! CHARTERS DE CHINOCAS, CHARTERS!

Sérgio, não é de comentar. É ver. E ver. E ver. E rever. Rever, ver, rever, ver. E rir. Muito.

John Billy #32 disse...

Quando ouvi a versão "rádio" sem as imagens, pensei que fosse alguma brincadeira.
Agora que vi o vídeo nem sei o que pensar.

Catenaccio disse...

PURE GOLD :)

É guardar para mostrar aos netos e, depois, juntar (também) aquele golo marcado ao Sporte, na Luz, a passe do JVP. Para que também o débito da parvóice ligue com o crédito do talento (ahhhhhhhhhhhhh ganda Futre!!!)

PalCba disse...

Boas,
É pena o dias ferreira não ganhar!! Pois seriam uma conferências de imprensa de fazer concorrência ao nossos jogos!!! E aqui eles poderiam negociar o oliveira um valor mais próximo do nosso LoL.

Manuel disse...

Muito, muito bom. Genial. A escrita, não o filme. Este é a versão portuguesa do Monty Pythons! LOL!!

Hattori Hanzo disse...

Desde Fiuza que o futebol português não tinha uma Conferência de Imprensa tão boa. Confesso que há muito tempo que pensava que o mercado asiático seria bom para que o Benfica apostasse, mas não com a clarividência de Futre. O homem tem tanto talento com a sua língua (se não mais)do que com o seu fabuloso pé esquerdo. Dias Ferreira para presidente já! Não se pode perder este génio!

qualquercoisa disse...

http://futebolfilosofal.blogspot.com/2011/03/rip.html

rogerAjacto disse...

Epah,uma caricatura nunca seria tão boa...
O texto está igualmente maravilhoso.
Que fartote de rir.