quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Núcleo Duro – 15 Jogadores


Tinha dito que o faria ontem mas na verdade não estava com muita disposição.

Como disse no outro post, considero que um treinador deve construir a identidade de uma equipa com base num núcleo duro do plantel – 15 jogadores de entre os 25.

Estes 15 jogadores oferecerão todo o tipo de soluções. Além de cimentarem uma filosofia de jogo, deverão também permitir ao treinador a possibilidade de trabalhar nuances tácticas sem fragilizar a identidade da equipa.

São 15 jogadores que lutam pela titularidade, jogadores que irão realmente fazer a diferença no momento das substituições e que permitirão adaptações ao jogo.

O Rui Vitória ainda não formou o Núcleo Duro dele.


Olhando para o plantel e para a época do Benfica, estes seriam os meus 15 jogadores.

Júlio César

Nélson Semedo
Luisão
Lisandro

André Almeida

Samaris
Renato Sanches

Gonçalo Guedes
Jonas
Gaitán
Mitroglou

Eliseu
Fejsa
Pizzi

Jiménez

Nesta cimentação considero crucial a estabilidade na baliza e a estabilidade de uma dupla de centrais. Daí só colocar um guarda-redes e dois centrais. Estas são as posições onde normalmente não se mexe, a base de toda a segurança defensiva da equipa.

O Djuricic e o Cristante são jogadores sobre os quais prefiro não opinar, deixando-as assim, por agora, fora das minas cogitações.

Já o Salvio ainda anda longe destas contas.

Sobram o Sílvio, Jardel, Carcela e o Talisca.
Também o Clésio e o Victor Andrade andaram (andam?) nas contas do treinador e segundo este ainda outros aparecerão.

O sucesso de um grupo de trabalho deve aproveitar o lançamento de novos jogadores, não ser sobreposto por este.

Há uma altura da época em que se tem de acabar com a experimentação e promover-se a consolidação.

3 comentários:

VC disse...

É uma base15 fraca.

Daniel Oliveira disse...

VC,

Culpa minha ou do plantel?

VC disse...

Ò amigo, do LFV que não percebe nada de gestão.