quarta-feira, 20 de abril de 2016

Rivalidade com cancro




A 4 jornadas do fim, uma bela luta entre os dois rivais lisboetas. Nos últimos 30 anos aconteceu duas vezes, em 94 e 2005. Estranhamente, a conversa incide em árbitros, comissões, dívidas, insultos, mentiras, populismos sem sentido, gráficos e tabelas a atacar os números do adversário. Duas equipas que têm feito um Campeonato fabuloso, cheio de golos marcados, poucos sofridos, tantas vezes emoção e bom futebol. O que devia ser uma festa foi transformado numa guerra imbecil, arrastando os adeptos para as areias movediças de quem não gosta do jogo. É triste, mas a culpa é de quem gosta mais dos dirigentes do que dos próprios clubes.

7 comentários:

Duarte disse...

Totalmente de acordo. O ambiente é irrespirável e não é pelo amor aos respetivos clubes, é porque os dirigentes de parte a parte estão preocupados com as suas reeleições.

Só espero que o desfecho seja diferente de 94 e 05!

troza disse...

A culpa será mesmo de quem gosta mais dos dirigentes? E quem passa a palavra sem questionar o que se diz? Quem deixa que do outro lado falem sem que lhes aconteça nada?

É muito fácil falar mas já é por várias vezes que vejo os textos como se o Benfica tivesse na mesma onda do Sporting. Sim, temos uma pessoa que manda umas larachas (quase sempre a responder) enquanto que o outro clube todos falam mal do Benfica sem que lhes aconteça nada... mas é tudo posto no mesmo saco... enfim...

Anónimo disse...

Sou do Sporting e subscrevo na integra. Vai custar muito caso o Benfica seja campeão porque sentimos que chegamos a ter uma mão no título mas é preciso ver que do outro lado esteve uma equipa que, além do talento de alguns jogadores, se revelou uma verdadeira equipa, apenas foi afastada nos quartos-de-final da champions pelo Bayern e provavelmente vai atingir os 90 golos no campeonato. Se o Sporting conseguir ultrapassar novamente o Benfica, os factos atrás salientados valorizarão ainda mais o mérito de uma equipa que se revelou bastante forte desde o início da temporada. Abraço a todos.

Fernando

Anónimo disse...

Caro Ricardo,

Discordo do que dizes neste post (não comentei ainda o de Pizzi, tens já lá uma boa discussão, nesse tema, estou totalmente contigo).

O Benfica não está nessa guerra. Existiu o caso JJ no início, adiado o processo para daqui a um mês e meio, mas, depois disso, apenas silêncio. O barulho abjecto dos personagens verdetes não tem tido eco, na Luz. A desfaçatez daquela gente seria apenas risível, se não fosse perigosa. Temo que, até fim do campeonato, algo de violento ainda venha a acontecer. Com um único culpado: Brunóquio. Sei da tua sanha anti-Vieira, mas, neste caso, não deixes que isso te polua o espírito. Temos estado dignos e equilibrados. Já agora, o treinador que não se gosta por aqui, tem dado lições de benfiquismo a muito boa gente.

Abraço
Pedro B.

Ricardo disse...

Troza, não é uma questão de colocar tudo no mesmo saco (é evidente que o Sporting tem estado muito mais activo nesta campanha imbecil), é apenas um momento de parar. Não continuar em guerra. Não dizer que a culpa é do outro. Alguém tem de assumir um discurso pacificador. Apenas isso.

Pedro B., a minha sanha anti-Vieira advém da minha saga pró-Benfica. Quem ama o glorioso tem de detestar aldrabões que lhe fazem mal. Sobre o Vitória, "aqui" não se gosta das suas qualidades como técnico; sempre se elogiou a sua qualidade como homem e como benfiquista.

troza disse...

Ricardo, mas mais parados que nós não há... tiras o João Gabriel (e porque os gajos dos programas não contam) e nós já saímos da guerra há muito.

Tivemos mal no início da época mas os outros é todos os dias...

Peter ar disse...

Muito bem, Fernando. Pena é que outros não pensem como tu. Saudações desportivas