terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Acabar o assunto e os vouchers

Oficialmente já foi colocado um ponto final neste assunto. Ficou esclarecido que o Benfica nada mais faz que receber muito bem os árbitros e que tal atitude está dentro da legalidade do simbólico.

Não oficialmente o assunto continua a correr. Há os adeptos de clubes rivais que continuam a querer um castigo para o Benfica e que insistem na ideia que há uma qualquer tentativa de influenciar os árbitros. Há os oradores do nosso clube que teimam em manipular intelectualmente o assunto, mentindo e tentando transformar a conversa em algo mais ridículo do que aquilo que verdadeiramente é (e que triste espectáculo, mais um, deu o Pedro Guerra ontem).

Dentro da legalidade cada clube recebe os árbitros como quiserem. Os vouchers são legais mas são desnecessários. São dispensáveis e não fazem qualquer sentido.

Se é para insistirmos em receber tão maravilhosamente bem os árbitros deixo a seguinte proposta:
- Acabar com os vouchers.
- Providenciar o serviço mínimo e humano que consiste em colocar no balneário garrafas de água, alguma fruta (nada de fruta exótica ou tropical) e ainda disponibilizar a assistência de um fisioterapeuta.
- Manter a visita ao Museu Cosme Damião.
- Camisola do Eusébio e não só. Até este ano tem sido a do Eusébio e a minha proposta é que a partir de agora se defina um jogador diferente todas as épocas.

Faria ainda outra alteração. A visita ao museu e a camisola só seriam ofertadas em jogos na Luz (não no Seixal) e no primeiro jogo da época que cada um dos 4 árbitros fosse arbitrar em nossa casa.

Assim se acaba com a conversa e com a parvoíce dos vouchers.
Assim se faz algo que, para mim, faz sentido.

15 comentários:

Ricardo Fernandes disse...

Este assunto já foi mais que debatido, porém continuamos sempre a falar de coisas diferentes.

Tenho algumas perguntas:

- O que é ofertado aos árbitros? É esta caixa? http://loja.slbenfica.pt/DetalheProduto/tabid/894/ChildProductID/10583/PREMIUM-PACK---CAMISOLA-EUS%C3%89BIO.aspx

Se é esta caixa, contém ou não contém os vouchers como mostrados claramente: 4 entradas no Museu Cosme Damião (a propósito, imperdível) e 4 entradas no Museu da Cerveja (no valor de 3,5 euros). Nada de refeições.

Porque é que ninguém investiga isto claramente? Quem é que tem uma caixa destas e confirma se estão ou não os vouchers como mostrados na TV ou é uma coisa à parte? Porque é que ninguém liga para o Museu da Cerveja para saber?

Anónimo disse...

Os serviços de um fisioterapeuta serão provavelmente de valor superior ao de uma refeição. Estarei enganado?

João A.

Anónimo disse...

Não é uma refeição mas sim quatro! A cortesia é extensível aos amigos e familiares.

Será que o serviço mínimo no oferecido no balneário, também será extensível aos amigos e amigas dos árbitros.

Para alem disso esqueces que os vouchers também são oferecidos aos delegados e observadores, se todos eles levarem os amigos será uma enorme festa no balneário.

João A., quando o arbitro se lesiona no decorrer de um jogo, na tua opinião devem pagar a assistência prestada pelos fisioterapeutas??
No final do jogo, para retemperar as forças pode-se oferecer um lanche ou quatro refeições para eles encherem o bandulho que nem Pedros Guerras???

Ricardo Fernandes, andas um pouco desatento, pois já foi mais que esclarecido e oficialmente pela Liga, que o Kit inclui vouchers para 4 refeições e é oferecido aos árbitros, delegados e observadores, num total de 32 refeições por jogo. No entanto a liga avalia toda esta oferta em cerca de 180 euros e por isso enquadrada nas ofertas de cortesia.
Parece que afinal ainda há almoços grátis!

Daniel Oliveira disse...

Ricardo Fernandes,

Tenho ideia que isso está tudo mais que esclarecido.

O Benfica oferece essa caixa e acrescenta-lhe os os tais vouchers que dão direito à visita ao Museu da Cerveja e ainda a refeição lá. A Liga até estimou teria o valor de 30 euros.

Daniel Oliveira disse...

Anónimo das 19:08,

Tal serviço de fisioterapia não tem valor. É um acto pura e simplesmente de humanismo. Um acto que acontece por todo este Mundo fora, seja nos balneários, nos relvados, nos pavilhões, no meio da rua e seja em qualquer sitio em que haja pessoas presentes.

Nem é um saber receber mas sim um saber estar em sociedade.

Não temos de colocar um valor em cada coisa que acontece. A água quente paga-se, a manutenção do balneário também, a luz também, há quem pague por ter alguém com quem falar, há quem pague para conhecer os jogadores, há quem pague para visitar os balneários, há quem pague estacionamento!

Não devemos confundir o básico com o extra. Não devemos andar a misturar o que é ética e humanamente obrigatório e o que é ir mais além.

Daniel Oliveira disse...

Anónimo das 19:34,

Acho que fui bem claro que por mim se acaba com os vouchers.

sempreglorioso disse...

Sendo assim o Benfica que acabe também com a comida na zona viP. Principalmente para todos aqueles que representam instituições organismos relacionados com o futebol em geral. Porque os meninos que estão na zona viP comem à grande, do bom e do melhor e quem trabalha no duro é criticado por receber refeições. Isto é tipo do tuga, os cães grandes podem comer lagosta o pequeno se come rissóis é criticado. É preciso saber do que se fala para se críticar o que quer que seja.

Daniel Oliveira disse...

sempreglorioso,

Nem sei que lhe diga.

(e agora peço desculpas aos meus colegas de blog)

Uma pessoa já nem tem cabeça para responder a tanta estupidez.

Fiquemos assim.

JP disse...

Estas entalado como o carrillo...
Alivia essa pressão homem.
Deita cá para fora.
Olha, faz isso ou deposita 2000€ na conta de um árbitro de te apetecer.

Ricardo Fernandes disse...

Muito bem, e uma vez que o tal voucher não refere em lado nenhum refeições (estou a insistir nisto, porque nunca vi, nem na comunicação social, nem neste acordão que ficasse provado que o tal voucher dá direito a refeição).

Em lado nenhum vi o que foi só insinuado pelo Gordo de Carvalho e nunca vi uma investigação onde se perguntasse ao Museu da Cerveja se eu tiver um voucher destes, tenho direito ao quê, porque mais uma vez, não está escrito em lado nenhum Jantar.

PS. Eu não quero dizer com isto que não hajam jantares, que não hajam coisas piores ofertadas pelo Benfica (não estou a fazer de advogado do Diabo), parece-me é que toda a gente empranhou pelos ouvidos o que o Gordo disse, sem se dar ao trabalho de verificar. Liga inclusivé.

Anónimo disse...

Ricardo, quando a Liga no acórdão refere que valoriza os jantares em 30 euros cada um num total de 120 euros mais o custo do kit que valorizou em 59.99, considerando que oferta tinha um valor global de 179.99 euros, escreveu isso porque sim... enfim não me custa acreditar que a Liga decida questões jurídicas sem as comprovar, alias teremos mesmo que considerar que a audição das testemunhas é de uma palhaçada total, pois a forma de resolver as questões já está decidida antes dos inquéritos.
Efectivamente custa mesmo acreditar que estas praticas fossem correntes no Benfica, geralmente eram mais comuns no norte do país.

tomates, magnusson disse...

Subscrevo na íntegra o comentário do Ricardo Fernandes, às 11:48.


(com excepção do "empranhou", que alero para "emprenhou")

Anónimo disse...

lol

Muitos adeptos do Porto ainda não acreditam nas escutas do processo da fruta.

Temos uma versão 2.0, os jantares não existem ... foram criados pelo Bruno.

Resumindo, mais um mito urbano.

Ricardo Fernandes disse...

Obrigado pela correcção Tomates ( e é estranho escrever isto, quanto mais dizer em voz alta).

Daniel Oliveira disse...

Ricardo Fernandes,

Tens a confirmação no parecer da Liga.

Além disso, esta Segunda o Pedro Guerra, ser que sempre negou os jantares, confirmou que 10% dos que receberam a oferta foram lá jantar e que a ementa era definida pelo Chef.

Não sobra qualquer dúvida.