segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A minha equipa-tipo para este ano



Ederson
Almeida, Lindelof, Jardel, Grimaldo
Fejsa
Pizzi, Danilo (ou um médio de grande qualidade e experiência que chegue entretanto), Rafa
Jonas
Mitroglou

15 comentários:

PP disse...

Continuas a colocar o Kostas no onze titular?

ped.ribeiro disse...

Curioso que dessa equipa tipo quatro estejam no estaleiro e dois acabados de chegar.

SLB disse...

Equipa tipo para esta época?

Indiferente,
indiferente, indiferente, indiferente, indiferente,
indiferente,
indiferente, indiferente, indiferente,
Jonas, indiferente.

Anónimo disse...

O Rafa ainda não chegou ...

RedMist disse...

1. O Benfica de ontem jogou isto: 0.

2. O golo do Setúbal é irregular: há um jogador em fora-de-jogo com influência no lance do golo, determinante na acção do JC e na obtenção do golo.

3. O golo do Benfica é irregular: o GG sente a aproximação (estapafúrdia, em carrinho, na grande-área) do adversário e aproveita-se. Não há penalti.

4. O árbitro perdoou uma expulsão a um jogador vitoriano que poderia ter tido influência no desfecho final do jogo.

5. O árbitro roçou a perfeição na 1.ª parte, apenas tendo falhado no tempo de compensação (uns incompreensíveis 2 minutos). O árbitro roçou a infâmia na 2.ª parte. A competência técnica da 1.ª parte prova, como tal, que o que aconteceu na 2.ª parte não foi um acaso, mas premeditado: por não reunir princípios, valores ou carácter para apitar o Benfica. Ou qualquer outro clube da 1.ª Liga.

6. Com tanta gente boa a aparecer e a querer uma oportunidade como aquelas que o de ontem não fez por merecer, é fazer-lhe a vontade e dar-lhe guia de marcha.

7. A legitimidade para a direcção do Benfica criticar esta gente está ao nível da exibição de ontem: 0. Se, ao fim de 15 anos, o melhor que conseguem na esfera de influências do futebol nacional redunda no que se viu ontem, nas gentes que pululam na arbitragem ou em decisões de “justiça” como as do “caso Slimani”… não vejo como possam fazer parte da solução: mas antes enquanto mais um problema com que os benfiquistas terão de se debater. Pois se não são parte da solução…

8. Todos notaram a falta de Jonas. É verdade: Jonas não esteve lá. Contudo, se olharmos ao 11 tipo do Benfica da época passada, além de Jonas, faltavam Ederson, Jardel, Eliseu, Renato e Gaitan. 6 em 11: ou seja, mais de meia equipa campeã. Se juntarmos eventualmente Almeida a estes, 7 em 11.

9. Considerando que, a meu ver, a espinha dorsal da equipa da época passada passou por Ederson, Jardel, Fejsa, Renato, Gaitan e Jonas… fica igualmente fácil perceber porque é que aquilo ontem foi um grande monte… de nada.

10. Quando vi o onze do Benfica, pensei: “estão a brincar, certo?”. Pizzi atrás do ponta-de-lança não fica muito longe do Benfica de Jesualdo a jogar com 2 trincos, em casa, frente ao Penafiel: jogo que (surpresa!) o Benfica perdeu.

RedMist disse...

11. A queda de um mito: este Benfica não é melhor que o da época passada. JC não é melhor que Ederson. Lisandro não é superior ao melhor central do Benfica: Jardel. Ou a Lindel.

12. Grimaldo “engana” pelo fino porte de quem já foi 10: joga de “pantufas”, cabeça levantada, a bola sai redondinha… Problema: é ala esquerdo – pede-se explosão, que vá à linha, crie desequilíbrios, não afunile como os restantes, velocidade, poder de explosão, passada larga, que vá e venha, que dê massa, que se imponha. Ou seja: dá para os jogos de “rolo compressor” mas, fora isso, é (à falta de melhor) dar lugar a Eliseu. Ao campeão europeu e bicampeão nacional Eliseu.

13. Fejsa é rei e senhor do lugar. Danilo é mais um jogador pelo qual, à semelhança de Raul, vamos pagar uma heresia só para mantermos os canais de comunicação abertos com JM. Não precisamos do jogador para nada, na medida em que é mais um 6: não 8. Como Samaris também não o é.

14. E como Horta também não é. Horta é para jogar a 10 (posição inexistente no actual Benfica). No limite, na posição que Pizzi ocupou ontem (e, mesmo assim, faltando-lhe muita coisa para a posição). Não é nem nunca será 8. Quanto mais RV insistir neste erro, mais o Benfica sofrerá. Também aqui e à semelhança de Grimaldo, disfarça nos jogos mais acessíveis. A doer, vai-se esbardalhar. E arrastar a equipa com ele.

15. O Benfica tinha 3 jogadores para a posição 8: um vai a caminho da Turquia, o outro já está em Inglaterra, o terceiro, consta, a caminho de Braga: Benitez.

16. RV é casmurro. Por sua vez, a casmurrice é sinal de ignorância: no sentido da falta de visão por indisponibilidade para colocar à prova ideias pré-concebidas. RV afunila na ideia que concebeu de que um jogador de toque, inteligente, elegante, carismático e bom rapaz é o que se quer.

17. Não é. O que se quer é qualidade. Se, em cima dessa qualidade, se tiver o atrás referido: melhor. Mas, mesmo podendo não tê-lo (e até me pareceu bom rapaz na única entrevista em que o apanhei), Benitez é, actualmente, quem reúne melhores condições para a posição.

18. À semelhança de Enzo, organizava a partir de uma linha. Contudo, tem uma dimensão física que lhe permite não apenas ir ao choque (no ar e pelo chão), marcar posição, impor-se, ser agressivo, mas igualmente ir e vir: ser mais um a atacar e mais um a defender. E nisto: ou se tem, ou não se tem. Mesmo não tendo a elegância ou a contundência no passe de Horta: coisa que não se pede a um 8, tal como não se pediu a Renato.

19. Estou tão convicto do que refiro que até digo mais: se Benitez vai para Braga (ou para outro sítio qualquer), rescindo a assinatura da BTV. Porque não valerá a pena: a equipa ficará desequilibrada, “coxa”, “ferida”, irá sofrer, “sangrar” ao longo de toda uma época que, invariavelmente, estará destinada ao insucesso.

20. Ninguém é bem sucedido com um “miolo” tão frágil. JJ foi (em 2009/2010) porque, além de uma super equipa, tinha um Ramires “on fire”, que equilibrava a coisa. Quando ele saiu, foi o que se sabe. JJ nunca mais voltou a jogar assim. Hoje, quem ali “é” Ramires? Pizzi? Salvio? Cervi? Carrillo? Certo…

RedMist disse...

21. A direita é de Pizzi. Com Salvio a ser “oferecido” a meio mundo e a não colar (o que lhe deve fazer maravilhas ao ego), espera-se que o irmão gémeo de Carrillo vá entrando e fazendo umas coisas: para, assim que possível, seguir – não tem dimensão mental para um clube desta exigência.

22. Ainda assim, é a prova cabal de que, no seu ex-clube (e noutros), nem tudo o que reluz é ouro. Na Supertaça da época passada, só faltava levantar voo e dar 3 voltas ao planeta. Agora é o que sempre foi: um jogador interessante a espaços, que faz umas coisas, mas não muito mais. “Tácticas” diferentes, certamente. Daqui a não muito tempo, também as gentes de Milão vão perceber o boné que levaram.Saindo, não dou 6 meses para JM se “eclipsar”.

23. Se Carillo e Salvio saírem, fica por saber quem se propõe a dar profundidade naquele flanco. Considerando que, do lado oposto, ninguém o faz, vislumbra-se aqui um problema crónico, com potencial para as equipas adversárias desmontarem mais facilmente a estratégia da equipa (na medida em que esta afunilará ao centro e tornar-se-á previsível).

24. À esquerda: Rafa. Com Cervi a ir entrando. Nenhum dos 2 resolve o problema de profundidade da equipa e não será certamente Grimaldo a fazê-lo. Pessoalmente, teria ficado com Carcela (a titular) e nem me teria metido em despesas na ordem das que se falam, mas há muito que se percebeu que Carcela deixou de entrar nas contas. Ontem, fez falta. Como fará lá mais para a frente. Tivesse olho azul, falasse bonito e tivesse um empresário que eu cá sei e talvez a história fosse outra.

25. Por vezes, fico com a sensação que RV é um bocado Paulo Bento: pão pão, queijo queijo. Aquela historinha toda do cavalo que só passa uma vez. Devia saber que o fogo não se combate com fogo. E que a capacidade da humildade e o poder do perdão podem, muitas das vezes, aportar maravilhas: nomeadamente, à entidade que o remunera.

26. Jonas e Mitro são reis e senhores dos respectivos lugares. Raul para ir entrando para o lugar de Mitro. Guedes para o de Jonas. Guedes: não Pizzi, Horta ou a Branca de Neve. Guedes. O miúdo vai errar, vai meter os olhos no chão, precipitar-se, decidir mal, ser egoísta: o esperado para a idade. Mas há também outra coisa que fará inerentemente: vai crescer. E, pelo caminho, fazer coisas como as de ontem.

27. A queda de outro mito: este Benfica não tem melhores soluções que o da época passada. Dá essa ilusão por ter mais soluções e que enchem o olho. Mas não são melhores que os que estavam. Estão não pelo que valem, mas pelo que valerão, pela respectiva margem de progressão (e inerente valor de transferência): independentemente de Grimaldo, Horta, Cervi, Zivko, Carrillo, Cellis, Danilo e sei lá mais quem… não serem melhores que Eliseu, Talisca, Carcela, Salvio e afins. E, seguramente, que Gaitan e Renato.

28. Pelo menos, não para já. E isso, como ontem aconteceu, vai-se notar em campo. RV fez o que há muito havia deixado de fazer: inventou. Quis ser ele a ganhar o jogo. Às vezes a qualidade individual dos jogadores disfarça a coisa: ontem não foi suficiente. Quando deixar de inventar, a coisa vai ao sítio. Espera-se que a tempo.

29. Em suma:
GR: Ederson (com JC nas taças e a ajudar no crescimento dos “tenrinhos”)
DD: Semedo (com Almeida a avançar nas jogar que implicam maiores cautelas)
DC: Lindel (com Lisandro a ir entrando, somente para esta posição, nunca jogando ambos lado a lado, fica a faltar estatura)
DC: Jardel (com Kalaica ou Luisão a irem entrado)
DE: Eliseu (com Grimaldo a avançar nas jogas de maior avalanche ofensiva)
MD: Pizzi (com o irmão gémeo do Carrillo a ir entrado)
MDC: Fejsa (com Samaris, o Javi grego, a ir entrando)
MC: !!! BENITEZ !!!
ME: Rafa (com Cervi a ir entrando)
AV: Jonas (com Guedes a ir entrado sem fazer cara de enjoadinho como ontem – mesmo que com razão para tal)
PL: Mitro (com Raul “€22M” Jimenez a ir entrando)

30. A fórmula para o tetra está aqui. Agora é imprimir, distribuir entre quem de direito, não inventar e deixar a agenda livre para Maio.

Pedro Moutinho disse...

Claramente!

Anónimo disse...

Com todo o respeito... mas bem mal vamos quando um jogador como o Pizzi é titular de uma equipa como o Benfica, não digo que tenha as suas qualidades, mas daí a ser titular indiscutível vai um grande passo...

Carlos Gomes

Semper Fidelis disse...

ped.ribeiro no estaleiro deves estar a considerar Ederson, Almeida, Jardel e Jonas
Ederson já esteve no banco neste último jogo e os outros 3 são casos de lesões pouco graves e estarão operacionais dentro de umas 2 semanas
acabados de chegar ? Rafa e Danilo ?
será que o Rafa vem?

jorgen80 disse...

O problema do Benfica não são os miúdos de 20 anos chamados Hortas e Grimaldos. O primeiro fez muitos desarmes e está a mostrar inteligência na ocupação dos espaços. Gostei muito do seu papel defensivo; Grimaldo é apenas o jogador que melhor cruza neste Benfica atual, juntamente com Pizzi. Vem para dentro porque foi isso que lhe ensinaram na La masia. O facto de o fazer tão bem, só demonstra o quão completo se tornará em alguns anos. O lateral costuma ser muitas dificuldades para entrar por dentro. Este fa-lo às mil maravilhas. E claramente que tem o dedo de Guardiola.
A questão é o Jonas. Não temos nada parecido. O Jimenez a ponta fixo é um desastre; a avançado, com espaço e o seu altruísmo, pode ser a diferença-

ped.ribeiro disse...

Semper Fidelis: era precisamente a esses que enumeras que me referia. O que queria dizer é que (infelizmente) a equipa-tipo do Ricardo ainda vai demorar algum tempo a começar a carburar o que nos fará ficar mais expostos ao erro/"azar" como no jogo deste fim-de-semana. Infelizmente as lesões não estão a ajudar.

RedMist disse...

I) Gostaria, antes de mais, de rectificar o que havia referido anteriormente acerca do golo do V. Setúbal: é um golo irregular, mas não pelos motivos que anteriormente apontei.

II) Lembram-se das queixinhas do Vitó acerca dos bloqueios do Benfica de então? Pois bem: após ver a repetição do lance, percebe-se a presença de um jogador adversário, parado propositadamente em fora-de-jogo antes da bola ser batida. Estranho, certo?

III) Nem por isso. Assim que a bola é batida, aquele jogador tem apenas um único objectivo: bloquear ostensivamente o jogador do Benfica que estava na marcação ao adversário que acabaria por fazer o golo. O que, como é sabido, conseguiu, ainda que de forma irregular: na medida em que não fica parado, definindo a sua posição; mas antes dirige-se deliberadamente ao jogador do Benfica, estendendo os braços, agarrando-o e impedindo-o de acompanhar o adversário que, à vontade, fez o golo.

IV) Isto não é um acaso: é estudado, treinado e executado propositadamente. Como foi propositado o anti-jogo, as malhas, as queixinhas e afins do Setúbal. Pelo que o Couceiro e sus muchachos podem muito bem meter todo aquele discurso sonso num sítio que eu cá sei.

V) O fora-de-jogo constitui mera dupla irregularidade, uma irregularidade em cima de uma outra anteriormente verificada: e que espelha bem o que foi aquela 2.ª parte e a intenção com que quem de direito veio para aquele período: prolongar o mais possível a igualdade, irritar com más decisões, paragens desnecessárias, provocar ansiedade, ser conivente com o anti-jogo adversário, aldrabar na compensação, incidir para o mesmo lado na dúvida, fazer vista grossa a lances faltosos (inclusive para expulsão directa), começar a amarelar lá para o final quando já não faz moça e até ajuda a perder mais tempo…

VI) Isto não é conversa académica: é conversa de quem já viu disto à colherada e os topa à distância. Já vi N jogos de FCP e SCP nos quais, não jogando a real ponta de um corno, levaram para casa os três pontos. N jogos. Inclusive, N campeonatos.

VII) O Benfica jogou 0, mas, à semelhança destes, podia perfeitamente ter ganho aquilo: e não tenho quaisquer dúvidas, no meu âmago, de que aquele espantalho veio para a 2.ª parte determinado a, no que lhe fosse possível, evitá-lo. O resto é conversa da carochinha, daquela que deixou o Benfica durante uma década no estado em que sabemos. Dêem-lhes o flanco que vão ver…

VIII) Jorgen80, se me permites:

IX) Isto não tem a ver com miúdos: tem a ver com a qualidade actual que querem atribuir a esses miúdos e que eles, podendo vir a tê-la, ainda não têm. E não podes assentar a avaliação do Grimaldo ou do Horta somente pelas respectivas capacidades de cruzamento ou desarme. O Taarabt tem dos melhores pezinhos que por ali andam: pena é não ser jogador profissional de futebol.

X) Quando penso no jogador que quero para ambas as posições dos jogadores que referes, não me vêem à cabeça atletas com o perfil daqueles. Mais: de Horta, eu quero que o seu principal destaque na equipa assente em tudo menos na sua evolução relativamente à capacidade de desarme. Porque, neste capítulo, para o patamar de exigência do Benfica, será sempre medíocre.

XI) O facto de Horta andar cá atrás a ganhar bolas tem mais de pernicioso que de positivo: porque retira ao jogador aquilo em que aquele é realmente bom – a condução da bola em zonas mais avançadas, de decisão, a criar aquilo que vai muito além do pré-definido em papel ou slides de PowerPoint.

RedMist disse...

XII) Se anda lá atrás preocupado com outras coisas, estará sempre impedido de fazer aquilo em que realmente é bom. E não te esqueças que falamos de um actual titular indiscutível, para a posição mais nevrálgica do campo, ocupada por um atleta “adaptado”, tenrinho e que, ainda a época passada, não era sequer titular indiscutível do Setúbal. Desconcertante.

XIII) Horta não vai conseguir cumprir com aquilo que se espera dele. É demais para a sua capacidade. Está fora do seu habitat. E o Benfica pesa muito. Considerando a importância da posição, convém, o quanto antes, começar a equacionar e testar alternativas. Antes que seja demasiado tarde.

XIV) Grimaldo cruza espectacularmente. E o problema é esse: as pessoas fixam-se no supérfluo, não vão ao conteúdo. Pergunto: e cruza de onde? Em que condições? Em que posição está a equipa à altura dos seus cruzamentos? E a equipa adversária, como está posicionada? Descompensada? Confortável? Quantos resultaram em golo? São cruzamentos com elevada taxa de sucesso? Ou para a foto?

XV) Ele vem para dentro não porque a dinâmica da equipa o solicite, mas porque só sabe vir para dentro. Porque não pode ir até ao fim: não tem pernas nem pulmão para isso. O Benfica não é nem joga como o Barça pelo que aquele “toca e foge” redunda num jogo afunilado, previsível, sem capacidade para "rasgar" nas costas. Com a devida reserva, Cervi e Grimaldo são em muito semelhantes nos seus movimentos: e isso é um problema, pois retira imprevisibilidade à equipa e insegurança ao adversário.

XVI) Não tens nada parecido a Jonas pela mesmíssima razão que não tens nada parecido a Renato: são únicos. Renato já foi e é um “ai Jesus” naquele meio-campo. Nos termos em que este Benfica vai a jogo, deixa Jonas sair e ficará visível a todos como a mera perda de um jogador pode aportar consequências fortíssimas a um clube, mesmo com todas as estruturas, treinadores, tácticas e tricampeonatos do mundo. Temo-lo visto, aliás.

XVII) Jonas é o melhor jogador que o Benfica poderia adquirir para aquela posição: a simbiose perfeita entre um “10 criativo” e um “9 goleador”. O melhor de 2 mundos. Destes, aparecem lá muito de vez em quando. Saviola tinha golo, mas não tinha “jinga”. João Pinto tinha “jinga”, mas não tinha tanto golo. Jonas é um misto de ambos. Bota preta, pureza no olhar e aquela ligação do antigamente com o público. Se não tivesse visto com os meus próprios olhos, dava-lhe a mesma credibilidade que a um unicórnio.

XVIII) Alguma vez viste Jonas receber uma bola? Parece que a acarinha. Alguma vez viste Raul receber uma bola? Parece que bate num muro. O jogo “abre” quando Jonas tem a bola. Com Raúl, o jogo “afunila” nele próprio. Raul nunca poderá ser opção a Jonas (com excepção de situações em que é para mandar tudo para a área e apostar no jogo aéreo). Nunca. Ali, actualmente, somente Guedes.

XIX) Não olhem para Raul como Jonas. Sequer como Mitro. Mas mais como Rodrigo: numa versão menos talentosa, mas mais “matadora”. Raul é jogador de equipa de Liga Europa, nunca será titular num grande europeu. Para explorar as costas adversárias em velocidade, para aparecer de rompante. E RV não lhe vai ensinar nada que ele já não saiba. Se tivesse que apostar, diria que a sua passagem pelo Benfica será efémera e sem brilho. Até lá, dará jeito nos jogos a doer, onde teremos de baixar mais e terá espaço para fazer o que sabe e gosta: correr, contra-atacar.

XX) Queres mais previsões com uma taxa de sucesso equivalente à do Professor Karamba? Raúl será enfiado pela garganta abaixo dos técnicos e adeptos até ser confrangedor e ficar à vista de todos que não é nada daquilo. O Benfica, entretanto, terá condicionado muita dessa época, jogando as suas aspirações consoante os “tiros nos pés” dos adversários. Mesmo não fazendo nada por aí além, sairá por valores “superiores” a “€30M”, estabelecendo-se como uma das “maiores” transferências do futebol nacional. Poderá até ser já na próxima época. Todos viverão felizes para sempre e o carrossel continuará a rodar e a rodar…

Lourival disse...

***off the record*** porque há vida alem da bola...
Descobri o mentor e principal inspiração do RAP; https://www.youtube.com/watch?v=c13fhS_6unA

**da-se... de ir às lágrimas... and search "sr. José"... épico...