terça-feira, 3 de maio de 2016

ALGUÉM QUE CONHEÇA ALGUÉM QUE CONHEÇA ALGUÉM QUE CONHEÇA RUI VITÓRIA

Acredito que, numa pequena rede como a rede dos benfiquistas, a distância entre mim e o Rui Vitória seja bem menor do que 6. Tenho assim alguma esperança que este texto possa chegar às suas mãos.

Caro Rui, sou um benfiquista que sempre dormiu sem problemas. Mas, nas últimas semanas, o meu sono anda em turbulência, de tanta inquietação. A equipa está de parabéns, não quero que me interprete de forma errada. Muito acima de todas as expectativas iniciais, com a aposta (ganha) na formação e com o nosso regresso (convincente) aos grandes palcos do futebol mundial. Tudo isso se deve, em grande parte, ao "efeito Vitória", essa capacidade ímpar e superior que o Rui tem para motivar uma equipa, para a unir em torno de um bem maior e comum. Mas sabe, Rui, embora não seja hábito de um bom benfiquista falar de arbitragem ou de cabalas, embora isso não seja próprio de pessoas bem formadas, como o demonstra em cada conferência de imprensa, talvez seja altura de fazermos um ponto da situação, agora que tanto mal se tenta fazer ao seu e ao meu clube, ao nosso Benfica.

Depois destes últimos jogos, desde o jogo com o Boavista, não dá mais para ignorar que estamos perante um ataque pessoal sujo e violentíssimo. Uma distorção da essência do desporto, à lei da mala. E, sendo assim, é necessário unirmos também as nossas forças, caro Rui, com toda a alma, em torno de si e da equipa.

O Rui viu, como eu e como todos, o penalti que não foi marcado na Luz a nosso favor, neste último jogo, bem como os segundos amarelos que não foram exibidos. Viu também os penaltis que não foram marcados contra o nosso rival direto no Dragão. Ouviu, como eu, as declarações do PdC no final do jogo com o Sporting. Viu como se beijam agora na boca, aqueles miseráveis.

Já não é propriamente novidade que o nosso rival tem sido carregado ao colo por algumas equipas de arbitragem. Mas agora este comportamento anti desportivo estende-se também às outras equipas, às equipas técnicas e aos jogadores das equipas que jogam com o Sporting e com o Benfica, de forma totalmente assimétrica. Enquanto as equipas que jogam com o Sporting poupam jogadores (!?!?!??!?!) para o fim de semana seguinte (razão totalmente absurda e sem precedentes, ridícula e inexplicável), aquelas que jogam connosco poupam jogadores no fim de semana anterior ao do nosso jogo. E são malas de dinheiro a viajar por este país fora, caso se concretize alguma perda de pontos. Enquanto os guarda redes que jogam com o Sporting dão verdadeiros espectáculos de "pirus" domesticados, já quando jogam contra o Glorioso fazem todos as exibições das suas vidas. A dureza dos nossos adversários contrasta, de forma gritante, com a moleza dos adversários do Sporting. Antes dos jogos com o Sporting, balneários inteiros andam "à porrada". Já antes dos nossos jogos, estão todos unidos pela promessa de uma mala cheia de euros. O Rui vê tudo isso, como todos nós. Tem visto o desespero daqueles que choram pela mala como se tivessem perdido um familiar. Pobres almas, que se vendem por tão pouco.
Sabemos que falta dignidade à direção de BdC. Sabemos que falta dignidade aos treinadores e às equipas que entregam os jogos ao Sporting, de mão beijada. Sabemos que são umas belas de umas rameiras deslavadas, aqueles jogadores e treinadores que se batem connosco como se disso dependesse a saúde dos filhos, quando a única diferença para os outros jogos é apenas uma questão de dinheiro extra. Mas o que lhes falta em dignidade a todos, caro Rui, a nós terá que sobrar. Ou não fossemos o Benfica! Honestamente, eles que vão para o real caralho que os foda.

Peça aos jogadores que se transcendam no próximo jogo. Que joguem com alma e com inteligência, que deixem tudo em campo. Que tenham noventa minutos iguais àqueles trinta que fizeram contra o Setúbal na Luz, intensos, plenos de oportunidades e de garra, à Benfica, sem medos de lesões. Peça aos jogadores que tenham em consideração estas agressões pessoais de que têm sido alvo. E diga-lhes a verdade, caro Rui, diga-lhes que eles não são os únicos alvos de toda esta filha da putice nojenta. Esta é uma agressão, também, ao seu património de memória futura. É uma agressão a todos os seus familiares e amigos. Aos seus actuais e futuros filhos. Aos seus netos, que terão de encarar um dia, quando surgir a pergunta sobre a história do final do campeonato de 2016.
Peça-lhes que se centrem, por um breve momento, no dia em que contarão a história deste campeonato. E depois que pensem qual é a história que querem estar a narrar. Uma história de heróis com alma grandiosa e plena, cheios de glória, ou uma história de tristeza e de vergonha alheia.

Quero pedir-vos a todos, caro Rui, que tenham a capacidade de entender e transmitir que este é, definitivamente, o jogo do título. Tenham a capacidade de ver agora aquilo que o Ordinário Analfabeto não conseguiu ver antes do jogo com o Estoril. É este o jogo em que a pele fica toda em campo. O Marítimo é para ser encarado com a mesma concentração de uma final da Champions. Ganhem agora o jogo na Madeira, porque depois, na Luz, somos 65000 contra 11 mais árbitros. Até os esmagamos, a uma só voz.

Para os nossos jogadores, isto nada tem a ver com dinheiro. É a honra deles e o seu bom nome que estão a ser atacados, com ataques comprados por malas recheadas. Mas a honra e o bom nome, bem como a glória e a consciência, não têm preço. A história do nosso clube é uma história de Homens, e os Homens não vendem a alma.

Já reparou como é curiosa, esta proximidade gráfica entre "mala" e "alma"? Já como a primeira pode comprar a segunda, é mistério que nunca descodificarei.

Embora nada tenha a ver com conhecimentos técnicos do jogo, gostava de terminar dizendo-lhe que me sinto muito feliz por poder acabar um texto a falar de um anagrama e saber que o meu treinador não vai dizer qualquer coisa estúpida como "Mas quem é essa Ana? E quem é que ela grama?"


13 comentários:

Anónimo disse...

EXCELENTE, FILIPE!!!
É, a honra de um Clube que Amamos, dos seus Dirigentes, dos Seus Profissionais de futebol, que está a ser atacada maneira mais suja e nojenta que alguma vez se viu!
Nunca pensei ver no meu pobre País, tanta baixeza de valores: como ética, princípios, dignidade, serem conspurcados, por: suborno, corrupção etc. Só vejo, uma área no qual vejo alguma comparação;a
politica que se vive em Portugal, onde tudo é possível para chegar ao Poder.
Saudações Benfiquistas.

Ps.
Caro filipe, espero O rui vitória, tenha acesso em Suas mãos a este texto, pois a mim tocou-me profundamente.
Que os verdadeiros Benfiquistas se unam em volta da Equipa e do Seu Técnico contra toda esta pouca vergonha.

André Pereira disse...

Brilhante!

Augusto Renato Ribeiro Gonçalves disse...

Pode ser que alguém conheça alguém,pois merece chegar ao destino de alguém.

Frank disse...

A mim tocou-me bastante tambem,oxala que o nosso Rui tenha a possibilidade de o ler parabens ao seu autor.

Pedro Lingueiral disse...

Ricardo, escriba deste blog...

Por favor, responde a texto absolutamente demente.


Grande Abraço.

Filipe Rebelo disse...

O Ricardo pode responder, comentar e fazer o que quiser quando bem lhe apetecer. Tal como eu. Este é um blog plural e de opinião. A sua é a de que o meu texto é demente. A minha opinião sobre esse seu comentário é que quem tem que responder sobre o texto sou eu, e não o Ricardo. O texto está assinado.

Quanto à demência, ela é própria do presidente do SCP, bem como de todos aqueles que alinham pela sua cartilha. A loucura de BdC é uma verdade absoluta, um axioma indiscutível. Mas se quer discutir a demência de todos os episódios que aqui são falados, recordo-lhe que alguns são factos.

Outros são leituras sobre declarações. Outros, leituras sobre posturas em jogos. É necessário ser-se totalmente cego para não se somar 1 e 1 quando se analisa um conjunto factual sequencial cuja probabilidade de coincidência é, por demais, diminuta. O bom senso a isso obrigam. Precisa de provas para saber que Capone foi assassino, ou vai apoiar-se no facto de que a justiça apenas conseguiu condenar o senhor por fuga ao fisco?

A realidade é que o Benfica não anda a jogar assim tão mal, nem o Sporting assim tão bem como dizem. As vitaminas, por um lado, e a falta das mesmas, por outro, são responsáveis por grande parte das aparências. As declarações de Conceição e Fonseca, no final dos dois últimos jogos, bem como as do cretino, são de uma desonestidade absoluta. A arbitragem beneficiou os nossos adversários no jogo com Guimarães. De forma óbvia. E beneficiou o Sporting, no jogo contra o Porto.

O anti-benfiquismo é uma doença real, Pedro. Para uns, reflete-se em ações. Noutros casos, o único sintoma é o da cegueira selectiva. Quem não quer ver, que não veja. Mas está aí tudo, para quem quiser/puder ver. Se conseguir explicar, sem se rir para dentro, como é que uma equipa que precisa de pontos se poupa no jogo contra o sporting a pensar na Académica, eu agradeço. Mas não como se eu fosse atrasado mental. Explicar mesmo, com argumentação válida, argumentação não filtrada e desonesta. É porque eu nunca tinha visto tal coisa, quando se precisam de pontos. Mais, pelo comportamento do Boavista, Setúbal e afins contra o Benfica, vemos exatamente aquilo que é a verdade. Quando se precisa de pontos, todos os jogos são para ganhar, sobretudo se forem com uma semana de separação.

E depois uma equipa como o Marítimo, que a jogar contra o Estoril, equipa do seu campeonato, prefere não meter jogadores amarelados (5!!!! Foram 5!!!!) para que este possam jogar contra o Benfica. Mas há mais "coincidências". O estranho é que todas favorecem o Sporting ou tentaram prejudicar o Benfica, com tratamentos absolutamente assimétricos.

Não alinho no politicamente correto. Nem papo a estória de que, depois de 2000, as arbitragens nivelaram e ficaram isentas. Não são, nunca o foram, e talvez nunca o venham a ser. Já rodaram os vários clubes, em termos de maior peso dos benefícios. Até chegou ao Braga e ao Boavista (este sim, vergonhoso). Mas tendências têm sempre que ser denunciadas. Sobretudo quando, para além dos árbitros, se jogam os jogos também em bastidores, com malas de dinheiro. Para quem quer verdade desportiva, é uma atitude, no mínimo, nojenta.

Para terminar, deixe-me dizer-lhe que me estou literalmente a cagar para a opinião que o Pedro, ou qualquer outro adepto de outros clubes, possa ter sobre o meu texto. Ele foi escrito para Vitória, e serve um propósito. Sei que já lá chegou, por vários caminhos. De um "máximo" de seis graus de separação, acabou por se verificar um caminho de comprimento 4, dois de 3 e um mais curto, com apenas 2. O texto é para consumo interno, exclusivo SLB, mas teve que se tornar público para que eu pudesse ter chances de que chegasse a bom porto, pelo uso de uma rede de contactos. E o resto é ruído.

Hugo disse...

Este texto é a sério? Já reparaste no papel que os cães de fila da tua direcção andam a fazer?
Deve ser triste viver num mundo assim onde todos estão contra nós. Onde se trata um antigo treinador que tantas alegrias como ordinário analfabeto. Onde as outras equipas são miseráveis e vendidas.
Demente é pouco para descrever este texto

Minha Chama disse...

Excelente texto Filipe!

Saudações Gloriosas

Filipe Rebelo disse...

Hugo, o texto é a sério, evidentemente. Como já disse, serve um propósito, e como também já disse, estou-me a cagar literalmente para a lagartagem que o possa comentar. Já o expliquei acima.

Os cães de fila da minha direção, embora nem se comparem com os da tua, são amplamente criticados neste blog e na página do Facebook. AMPLAMENTE, ao contrário daquilo que não vejo da parte da lagartagem (não confundir com a "meia dúzia" de sportinguista que ainda existe). BdC é um santo, Otávio, José Eduardo e Inácio são pessoas integras e incríveis, não é? Maravilhoso!

Quanto ao tratamento do antigo treinador, posso dizer aquilo que bem me apetecer por foi o que sempre disse. Ele é, e já era, ordinário, reles, baixo nos comentários e atitudes. De fazer envergonhar qualquer pessoa com o mínimo de coerência e educação. Quanto a ser analfabeto, nem é um insulto, aliás, ele é mesmo um analfabeto comum, e este epíteto não passa de uma mera afirmação de um facto. A sua qualidade como treinador já aqui foi amplamente discutida também. A consciência está tranquila.

Grande parte das outras equipas tem sido miserável em campo. Na segunda feira viu-se o que é uma equipa que está no quarto lugar a lutar por uma final de outra competição. Perde contra uma equipa de suplentes do Benfica, porque decide jogar normalmente quando não lhes dão as vitaminas. E , mesmo assim, o (esse sim) demente do PF no final ainda vem falar da arbitragem. Como vi falar da arbitragem no jogo contra o Guimarães. Mas alguém, no seu perfeito juízo, e que tenha visto ambos os jogos, pode falar de arbitragem? Mas quantos casos querem que aponte? Quantos? Faz tudo parte de uma mesma forma de estar no futebol, neste momento. Por que raio de razão têm estes dois treinadores que falar de arbitragem, sem ser para condicionar e desestabilizar? Quem lhes paga? Ou é apenas o seu anti benfiquismo em ação?

As vitaminas são isto, suplementos não legais, que assimetrizam o campeonato e levam uma cambada de vendidos a jogar mais num jogo do que noutro, quando a sua obrigação é jogarem bem EM TODOS OS JOGOS, puta que os pariu.

Anónimo disse...

1. Nunca fui muito de filmes de super-heróis. Ainda hoje. São raros aqueles que me despertam algum interesse, tal a respectiva frivolidade. Mas existe uma saga que merece a minha consideração: a mais recente do Batman, de Nolan. Num dos respectivos filmes, o Joker, pendurado de cabeça para baixo e a ver a vida a andar para trás, abre o livro à sua filosofia de vida muito própria, problematizando todos os ideais “bonzinhos” da melhor coisa que já nos aconteceu: o Batman, pois claro.

2. Conclui ele, a dada altura, que, no meio de toda a aparência, tudo o que é realmente necessário para que se penetre na dimensão da loucura é um pequeno empurrão.

3. Sobre BdC já muito foi escrito. Ele, que certamente já teria comportamentos indiciadores daquilo a que, irremediavelmente, vamos diariamente assistindo, viu esse pequeno “empurrãozinho” ser-lhe dado quando o palco e as responsabilidades assumiram uma outra dimensão. É, obviamente, um caso de divã.

4. Mas é, também ele, um caso flagrante e genuíno do que, conscientemente ou não, nos move a todos: o desespero, a necessidade. Nada disso parece aparente ou relevante à luz de uma realidade na qual a estabilidade actual parece um dado garantido. Ainda que o seja, e muito. Porque, quando estala o verniz, quando as dificuldades verdadeiramente surgem, tal como quando já não tens gás no depósito e precisas de dar aquele esforço extra… é quando a verdadeira natureza de um ser humano se revela.

5. A presidência do SCP atribuída, aliada a todas as circunstâncias que se foram acumulando ao longo da sua presidência, apenas hiperbolizou todos os seus traços de personalidade e psicopatia.

6. Pergunto: o que é mais demente? Alguém assim ser? Ou quem o nomeia? Quem o apoia? Quem se serve de alguém assim? Quem se deixa instrumentalizar por este? Que a ele se alia? Quem renovaria o seu voto de confiança naquele a troco de um campeonato nacional? Da manutenção de um treinador? De uma mala?

7. Se, nos dias de hoje, se procurasse aprimorar as virtudes ao invés dos vícios, estas seriam sempre perguntas de fácil resposta. Para qualquer um de nós: independentemente da cor, credo ou cor clubística.

8. Quão barata é a honra da 1.ª linha de clubes em Portugal. Nem perante a possibilidade dos novos acordos televisivos essa realidade se altera. Marram em tudo o que for vermelho e jogar de águia ao peito. Escudam-se por detrás do pseudo-profissionalismo para eles próprios praticarem aquilo de que já se queixaram e tiveram de defender. Aparentemente, por saudade dos tempos em que um advogado pessoal de PdC subia e descia árbitros a seu belo prazer.

9. Não há melhor vitória do que aquela obtida na adversidade. Na capacidade de superação. O que faz com que, de facto, tudo isto abrilhante ainda mais a eventual conquista do campeonato por parte do Benfica. Gosto de ver os jogadores do Benfica assim, presos por arames. É bom sinal. Porque é uma consequência óbvia, natural, de se andar a jogar há muito, a defrontar o que de melhor há na Europa. Ficaria preocupado era se visse, o que vi, no FCP-SCP.

10. E nem me refiro à mal disfarçada indignação dos responsáveis do FCP face à prestação de um seu sócio e adepto confesso. Refiro-me sim, por exemplo, ao facto de, à semelhança de tantos outros, o el capitan do SCP (que nunca foi conhecido por tratar-se de um jogador leve, rápido, ágil - daí ser médio-centro e não ala/extremo), ter passado o jogo aos saltinhos. Repare-se como, no lance da grande penalidade assinalada (é penalti, mas dificilmente o árbitro teria condições para a assinalar conscientemente, foi na “crença”, o que é sempre tranquilizador), a abordagem do el capitan, que chega junto do adversário derrubado num piscar de olhos, é aos saltos.

RedMist

Anónimo disse...

11. O que leva uns, à 32.ª jornada, a não poderem com o rabo… e outros a andarem aos saltinhos em campo. A acorrerem a todas. A serem tidos como jogadores extraordinários de €60M quando, ainda há ano e meio, nem estrelas da companhia eram para os lados do Sado. A apresentarem índices físicos muito acima dos revelados pelos mesmíssimos atletas ainda há 10 meses atrás.

12. De uma “virilidade” e “aplicação” extremas que levam pontas-de-lança, para lá dos 90 minutos de jogo, a passar o tempo a fazer carrinhos lá na frente e a lavrarem aquilo tudo como se na 2.ª feira seguinte fosse dia da apanha.

13. A não esperarem sequer 10 segundos para, mesmo após o abaixamento da intensidade que resultaria de um período de intervalo e contrariamente ao que resultaria de qualquer estratégia definida pelo treinador (uma vez que não conheço nenhum que aprecie ficar uma 2.ª parte inteira a jogar com 10, ainda para mais num jogo a eliminar), agredirem barbaramente um atleta, aplicando-lhe um golpe não admissível em qualquer desporto de combate, tal a perigosidade que implica para a vida do atleta.

14. Tudo isso, e muito mais, é, para mim, revelador.

15. De que nem tudo o que reluz é ouro. E de que, por muitos “vampiros” que ponham a rodar a 2 jornadas do final, isto assim não vai lá.

16. Reza a história de que, na década de 60, uma direcção do Benfica estava hesitante quanto ao apresentador a nomear numa gala que iria ser realizada. Perante o impasse, o presidente da altura decidiu escolher Artur Agostinho. Quando informado de que aquele era adepto do SCP, o presidente deu uma resposta que devia ter ecoado para todo o sempre junto das gente do futebol (e não só):

17. “É preciso é gente séria e com qualidade.”

18. Talvez o segredo do actual SCP tenha passado pela contratação de JJ. Ou talvez tenha passado pela descoberta da fórmula do Panoramix. Quem conseguirá precisar ao certo no meio de toda a conspurcação praticada? Não faço ideia, nem me interessa. Até porque, conforme acima referi, não aprecio super-heróis. Isso e gente sem escrúpulos, que não olha a meios para atingir os fins.

19. Desejo, do fundo do coração, que os atletas, respectivas famílias e futura prole, não venham, mais tarde, e em virtude do egocentrismo megalomaníaco de terceiros (para quem aqueles são meios perfeitamente descartáveis com vista a atingir os seus fins), a sofrer eventuais efeitos secundários adversos.

20. Porque tudo o que sobe, tem de descer. Porque não há “milagres”. Porque as pessoas, contrariamente ao que procura a desonestidade intelectual que passa incólume nos media, não são estúpidas. E porque, acima de tudo, isto é só um jogo.

21. É por estas que, por vezes, dou comigo a querer concordar com JJ e a restante tralha que o acompanha neste lamaçal, quando referem que o SCP seria o justo campeão deste campeonato. De facto, que melhor clube para representar a elite do que por cá se passa senão o actual SCP…

RedMist

Hugo disse...

Podes conecar por falar no fora de jogo no segundo golo. Portanto se o Benfica tem a obrigacao de jogar bem em todos os jogos mas nao o faz e porque tambem toma vitaminas.
Esse ultimo paragrafo tambem se encaixa bem na tua equipa, caso nao tenhas reparado.

Filipe Rebelo disse...

O Benfica joga bem em todos os jogos, não no sentido em que faz grandes jogos, mas no sentido em que dá o máximo. As coisas nem sempre correm bem, mas vinte vitórias nos últimos dezanove jogos do campeonato é obra feita.
Os fora de jogo? Tens que arranjar um daqueles peritos do photoshop que vocês têm, com os pontos de fuga e afins, para vir fazer a escatologia. Queres que te fale dos fora de jogo do Sporting? Dos penaltis não assinalados? Dos amarelos e vermelhos não mostrados? Da vergonha Slimani? É que podemos estar aqui dias.
O Sporting é uma grande instituição, cada vez mais vazia de sportinguistas. Foi assim, desde os anos sessenta, começou a esvaziar, verdes de pequenez e inveja. Esta direção é o corolário do vosso declínio.