terça-feira, 24 de maio de 2011

O que eu vi em Braga - Parte 2 - A cidade corrompida por Pinto da Costa

À entrada de Braga há um túnel. Não o mundialmente conhecido pelos pontapés de Vandinho mas outro, mais perto da estação de comboios, por onde passam carros, ciclomotores, animais e, de vez em quando, um ou outro bezano que se perdeu na noite.

Naquela tarde cheguei ao túnel faltavam 3 horas para começar o jogo e o trânsito parecia uma procissão religiosa, uma língua de carros em filinha pirilau, muito deles com bandeirinhas e cachecóis dos dois clubes. Mais do Braga, naturalmente, não por serem em maior número mas porque os benfiquistas de há uns tempos a esta parte decidiram não dar muito nas vistas para cima de Coimbra não vá o diabo tecê-las. Ainda assim, na amálgama lenta da procissão, estavam duas bravas viaturas que exibiam o seu clubismo desbragado - nenhuma delas a do vosso escriba (sempre gostei de manter os vidros incólumes) -, que rapidamente foram alvo dos fervorosos adeptos do Braga que se encontravam numa espécie de ponto alto estilo ponte de viaduto. Pareciam animais raivosos,

Ó filha da puta, tira-me essa merda daí, caralho!

Essa merda era um cachecol do Benfica no vidro traseiro do carro. Perto de um destes senhores, encontrava-se uma criança, supostamente filha do quadrúpede, que olhava não para o cachecol alvo da ira dos fanáticos mas para cima, para o suposto Pai, com um olhar entre a incredulidade e a incompreensão. O Pai não desarmava, empoleirava-se no varão, quase caía, aos gestos, aos cuspos, aos insultos e o pequeno bípede a pensar se a divindade genética lhe teria pregado alguma partida de mau gosto.

Volta para a tua terra, mouro do caralho!

E o malandro do benfiquista sem retirar o cachecol, a afrontar os escandinavos portugueses numa quezília que lembrou guerras antigas, na altura em que os bárbaros decidiram descer as escadas da Europa e vociferar contra esse conceito de Sul que a muitos ofende e discrimina. A este excelso animal, outros se juntaram enquanto os carros lentamente entravam na cidade. Não houve feridos, que se saiba. Mortos, muito menos. Na mistura das ruelas bracarenses, todos se diluíram. O jogo estava próximo. Havia que beber.

Parei o carro numa praça. Lembro-me vagamente de passear com o meu Pai por aquelas pedras minhotas já lá vão dois milénios. As pedras mantêm-se, oculto mistério que nem a ciência das estruturas consegue entender. Já a hospitalidade mudou uns continentes desde que há 10 anos por ali andei a fingir estudar. Perguntei a um velhote se devia deixar o carro ali ou levá-lo para mais perto da Pedreira. Os anos avisados do senhor deram-me a resposta esperada

Você vem de Lisboa, não vem? (tudo o que não seja gente com sotaque do Norte, vem de Lisboa)

Não, mas se quiser posso vir.

Então vem de onde? (é importante termos registos sobre a proveniência das pessoas, antes de darmos algum conselho)

Do Porto.

Ah está a estudar no Porto? (é fundamental, antes de darmos algum conselho, sabermos onde estuda a pessoa)

Não, mas estudei em Guimarães.

Em Guimarães? Ó amigo, você devia era ter estudado aqui.

Pois, pois devia. Mas é a mesma Universidade.

A Universidade do Minho é em Braga. Em Guimarães é só um pólo pequeno. É uma filial. (e fez-me aquele olhar malandro, de quem sabe ser dono do Mundo)

Gosto de Guimarães, é mais pequeno, lembra-me a minha cidade.

Então mas você não é do Porto?

Não bem, sou mais da província. (Abrantes pode ser considerada província do Porto, numa análise mais complexa da geografia)

De onde? (este lado pidesco dos portugueses é deveras interessante)

Olhe, estou com pressa. Deixo o carro aqui?

É melhor. Até porque você como benfiquista é capaz de vir a ter problemas à saída do estádio. (touché!)

Obrigadinho, caro velhote bracarense. Além de um conselho útil, pude confessar-me. Um dois em um que nos tempos que correm vale ouro.

Carro largado, hora de beber. Meto-me pela rua que vai dar à estação e entro no primeiro café. A sede era muita. Fico ao balcão, como convém a quem está sozinho e quer dois cérebros de conversa. Ou meio, vá, que não podemos ser exigentes.

É uma imperial fresquinha, se faz favor.

Não temos fino (fino, claro).

Venha média.

Sagres ou Bock? (aquele primeiro degrau que tudo explica)

(confundo-lhe as voltas) Super!

(silêncio com o som da cerveja a despejar em diagonal para o copo)

Você é de Lisboa, não é? (a pergunta mais ouvida em Braga naquele dia, importante para os arquivos dos arcebispos)

Sou.

Vem ver o jogo?

Venho. Entre outras coisas.

Que coisas? (assim, como um familiar. Ou como um pide. Mais pide, pelo subversivo do tom)

Venho ver um amigo. Aliás, ele já deve estar a chegar.

É de Braga o seu amigo?

Não, mas trabalha cá.

É de onde?

De perto do Porto. (mais uma vez, Abrantes como Ermesinde)

Ah… (um olhar desconfiado)

Então e o amigo? Não me diga que é de Olhão!

Hoje está um boa dia para o futebol (faz muito bem em não responder, então agora temos de falar destas coisas com estranhos?)

Está bom para beber. O jogo ainda não pensei nele.

O Braga vai ganhar.

Pode ser. Espero que não.

Ah é do Benfica? (com um ar falsamente surpreendido)

Sou. E você é do Braga, presumo.

Sou. Vocês antes tinham muita gente aqui do Benfica. Agora já ninguém é.

É, é. Estão é mais escondidos. E há aqueles que de repente deixaram de ser. O que é estranho.

Estranho? Não, deixámos de ser dos clubes de Lisboa para ser do da cidade.

Acho bem. Mas o amigo tem alguma preferência além do Braga?

Sou do Sporting. Desde pequenino.

Ah…

Mas agora com o Braga a ganhar sou do Braga.

Pensava que o clubismo não se mudava.

Então não muda! E também sou do Porto, às vezes. Do Benfica é que nunca.

Porquê?

Porque quando o Braga era amigo do Benfica, nunca ganhava. Agora com o Salvador o Porto ajuda-nos.

Ajuda como?

Dá-nos jogadores, somos respeitados pelos árbitros.

Ah…

Agora odiamos o Benfica.

Mais uma média, se faz favor. Odeiam? Porquê?

Porque são do Sul e nós somos do Norte!

Então mas você não é sportinguista?

Ah mas o Sporting não faz mal a ninguém.

E o Benfica faz?

Faz. Odiamos o Benfica.

Está certo. Olhe, eu não odeio o Braga. É uma boa equipa.

O ano passado íamos sendo campeões! Se não fossem os árbitros.

Aquela bola fora de campo que deu golo e a arbitragem contra o Guimarães não dizem muito isso.

O quê? Contra os espanhóis? Foi uma roubalheira.

Pois foi. A favor do Braga.

Ó amigo, quer mais uma?

Quero. Olhe, que seja um bom jogo de futebol. Sem pedras.

Quando é com o Benfica, não podemos garantir.

Porquê? É só um jogo.

Mas é o Benfica. Odiamos o Benfica.

(nisto chega o empregado do café, benfiquista, que faz um reparo)

Aqui o meu chefe é daqueles que era do Sporting mas que agora é mais portista que os portistas-

Então mas não era do Sporting?

Ele é de quem ganha.

Ah, então percebe-se que não seja do Sporting.

E odeia o Benfica.

Pois, o seu chefe já me disse. Mas fiquei sem perceber porquê.

Nem ele sabe bem. O que está a passar em Braga nos últimos anos é um fenómeno inexplicável. Eu já não posso ir a café nenhum. Se sabem que sou do Benfica, insultam-me, não me deixam quieto.

Mas há muitos benfiquistas como tu aqui.

Há, mas não se assumem. Têm medo. Olha, aqui ao lado há o café Benfica.

Ah, então esse deve ser um bom sítio.

Bom sítio? Aquilo é um lugar de ódio. Têm cachecóis do Braga por todo o lado e não deixam os benfiquistas irem lá.

Hmmm? Mais uma média.

Era de um benfiquista. Agora se vais lá ver um jogo, eles passam o tempo a dizer mal e a insultar.

Não deve ser fácil viver com esta realidade.

(um olhar perdido, triste) Nada. O ano passado passei o ano a ouvi-los, fui agredido.

Pelo menos fomos campeões (uma tentativa desesperada de optimismo da minha parte).

Fomos, mas nem pudemos festejar. Quando estávamos nas ruas, vieram uns gajos da claque do Braga e outros, muitos, Superdragões que começaram a agredir e a insultar.

E a polícia?

Não fez nada. Tivemos de sair dali.

(viro-me para o chefe, que estava a ouvir a conversa) Isto não está bem, ó chefe. Então o rapaz não pode festejar?

Eles que vão festejar para o caralho!

(o empregado para mim) É isto que vivemos aqui, desde que o Salvador chegou.

(nisto chega o meu amigo) Ricardo, tu vê lá o que dizes, que ainda acabas numa confusão de primeira.

Calma, estamos só na conversa.

Sabes o que me aconteceu (o meu amigo o ano passado foi agredido por 8 (!) gajos da claque do Braga porque estava a comemorar o campeonato de… basquetebol)

Sei. Vamos beber e fumar um cigarro lá para fora.

(fomos, eu, o meu amigo e o empregado fumar um cigarro cá para fora e o empregado) Vocês têm sorte em viver lá em baixo. Não fazem ideia do que é isto, aqui. Gente agredida, outros que já nem saem para ver jogos nos cafés, outros que já nem dizem que são benfiquistas. Estes gajos são uns fanáticos. E a mesma gente que antes tinha uma atitude de respeito. Alguns deles até eram do Benfica.

Mas o que é que mudou?

O Salvador. Desde que chegou, tem imposto uma cultura de ódio ao Benfica. O mais estúpido é que as pessoas não pensam por elas. Vão todas em rebanho.

Mas isto não pode ser só gente de Braga.

Claro que não. Há portistas que vão ver os jogos do Benfica para os cafés só para arrumarem confusão. Os superdragões vêm sempre que o Benfica joga na Pedreira. Este ano muitos dos que fizeram aquela confusão toda foram gajos do Porto. O ano passado vieram para evitar que os benfiquistas de Braga festejassem.

E os bracarenses não se insurgem contra isso?

Claro que não. O clube está patrocinado pelo Porto, vai ganhando mais vezes. Isto aqui é pior que no Porto.

(entrámos no café. Bebemos mais umas e fomos para o estádio. À despedida, o sportinguista que é do Braga, às vezes do Porto e nunca do Benfica)

Vejam lá, tenham cuidado!



O resto foi estádio. Um jogo de futebol. Que correu mal para o Benfica, apesar de ter sido muito melhor. No fim, à saída do Estádio e apesar de terem ganho, umas centenas de adeptos bracarenses esperavam a saída dos benfiquistas. Uma corrente de polícia a segurar os cães com raiva e eu a ver aquilo muito mal parado. Crianças, mulheres, velhotas pelas ruas de Braga a chamar nomes a quem levava o cachecol do Benfica. Gente que educa os filhos, que paga os impostos, que compra o pirilampo mágico. Gente. A mesma que, toldada pelo sucesso do Braga, se esquece de que vive em sociedade e, potenciada pelos métodos portistas de décadas, faz de Braga uma filial nojenta do Porto. O mesmo ódio naquelas caras, a mesma raiva, os mesmos animais.

Tenho um grande amigo, o Sérgio, deste mesmo blogue, que me diz que temos (clube) culpa de nos odiarem. Pela petulância e arrogância com que os nossos dirigentes falam e que os adeptos, alguns, seguem. Discordo. Há, é verdade, uma mania de grandeza por vezes estupidificante entre os benfiquistas mas nada, NADA, justifica estes comportamentos desta gente de cidades fantásticas como Braga e Porto. Nada, NADA, justifica este estado de espírito, esta venda dos princípios morais. Por muito que se ganhe. Por pouco que se ganhe. Quem perde é o país. Perdemos todos.

34 comentários:

Anónimo disse...

Sendo eu um Benfiquista de braga, confirmo tudo o que foi escrito, agora em braga ser do BENFICA parece que é um crime...

Abraço Pedro

Carlos F. disse...

Subscrevo inteiramente. Sou de Braga (centro) e nestes ultimos anos so manifesto o meu Benfiquismo por aqueles que me são proximos e por onfe moro, tenho medo de represalias. Existe um ambiente de odio maior do que o Benfica - Sporting... Inimaginavel...
Quando fui ver o jogo do Benfica a Coimbra fui de comboio, na Estação de Braga fui insultado e na Estação do Porto escondi a camisola que tinha vestida... Tenho a noção que o nome Benfica no norte é motivo de odio e não é aceite.
So existe uma explicação é Salvador, o qual o nosso presidente se dá muitoo bem.

Saudações Gloriosas

Carlos F.

Zé Azevedo disse...

Grande post! Sim sou de Braga e benfiquista. Isto aqui há uns anos ia toda a gente à pedreira era uma grande festa, toda a gente festejava a vontade e com respeito, agora é o que se vê, infelizmente....

Pedro disse...

Enquanto não fizermos valer a nossa grandeza, enquanto não reduzirmos estes badamecos à sua real dimensão nada disto se alterará...o medo alimenta estes merdas. Com os grupos de apoiam do SLB eles piam baixinho...

Pode ser q um dia em Lisboa se comece a fazer o mesmo e depois quero ver o q se diz e faz...

PB disse...

Ricardo, tens facebook?

Zigofrigo disse...

Também não concordo com o teu amigo! Sou de Ermesinde e recordo-me de há mais de trinta anos sentir o ódio dos não adeptos do Benfica, fossem portistas ou sportinguistas! A diferença é que era um ódio "normal" dada a enorme grandeza do Benfica e não existia a violência.

Com o peidoso-corrupto tudo mudou e Salvador é da mesma escola, aplicou, com a ajuda deste, a mesma receita!

Tenho, para mim, que o que alimenta este ódio exacerbado são os benfiquistas com a sua fidelidade! Eles, como nem com as vitórias conseguiam demover-nos, avançaram para estratégias mais agressivas e para a intimidação através da violência!

Esta estratégia resulta com muita gente, mas também tem um efeito contrário pois há aqueles que preferem quebrar a ter que torcer...

Acho que os benfiquistas não deviam ripostar, com isso apenas alimentam e justificam o ódio dessa gente.

No dia que o clube da corrupção começar a perder é que saberemos o verdadeiro resultado da ditadura, vai para trinta anos, que este impôs ao futebol português. Até lá, o Benfica só tem a ganhar se for humilde! Os seus adeptos e dirigentes devem deixar-se de grandezas sem sentido!

Anónimo disse...

Solução: nós, os Benfiquistas, só temos que começar a agredir e insultar esses anti-Benfica por todo o país. REVOLTEM-SE! Eu já o fiz e não me arrependo.

Anónimo disse...

Eu antes ia à bola com a camisola do Benfica e o cachecol sem problema algum. Hoje levo só o cachecol e só tiro o mesmo do casaco quando estou dentro do estádio. É que já apanhei um grande susto quando uma vez fui ver o Benfica a alvalade e apanhei uns tipos da claque jl e foi por pouco que a coisa não foi pior. Apareceu um sportinguista decente que disse que era um jogo de futebol e apenas isso; depois fui com ele até à porta onde eu deveria entrar. Esse dia foi um ponto de viragem no ir à bola fora da Luz.

Miguel

JS disse...

Só faltou um paragrafo no texto: se bem se recordam, no último braga-Benfica para o campeonato, o senhor Luis Filipe Vieira apressou-se a vir a público defender o grande amigo salvador!
Desvalorizando o que tinha sucedido e dizendo que era impensável serem atitudes do salvador e da sad do braga.

Ou o LFV é um grande ingénuo idiota ou tem interesses pessoais a defender...
... não acredito que seja ingénuo.

Por isso, bem podem se revoltar ou ficar tristes. Enquanto não tirarem o mal que mina o nosso Benfica, os Benfiquistas só fazem figura de calimeros.

Ramiro Lopes disse...

Não é fácil ser Benfiquista no Norte...

Um abraço, bom post.

mWo disse...

Caro Benfiquista Ricardo, muitos parabéns por este grande post, embora tivesse sido preferível que não fosse necessário escrevê-lo...
Como Benfiquista e vivendo em Gondomar compreendo perfeitamente o significado inerente a este post, porque mais que tentar escrever sobre isto, é vivê-lo todos os dias e experienciar o ódio que toda esta gente nutre pelo Glorioso. É qualquer coisa de surreal...

AbraÇo e Saudações Benfiquistas!

http://benfica-world-order.blogs.sapo.pt

Ricardo disse...

Pedro, discordo totalmente da parte em que dizes que "pode ser que um dia...". Espero que nunca haja esse dia. Não estamos a falar de claques - nesse particular, todos os clubes têm gente que não interessa a ninguém; estamos a falar de adeptos que vão ao futebol por paixão, por amor, que não querem participar em guerrilhas. E é essa a diferença que se nota entre uns e outros. Espero bem que isso não aconteça aqui. Os portistas poderem festejar o campeonato em Lisboa como e onde querem é sinal de civilidade. Não percamos a noção das coisas.

PB, sim, tenho. Ricardo Silveirinha.

Zigofrigo, nem mais. E tocas num ponto crucial: o Porto ganha (esta época, então, de que maneira!). Imaginemos se não ganhasse...

JS, é só mais uma de muitas incoerências de Vieira.

A todos os benfiquistas do Norte, o meu abraço. Já sabia que a situação era chata mas depois desta aventura fiquei esclarecido. Não se deixem ir abaixo. Também depende de vós a luta contra esse estado de coisas. E não falo de luta com violência, falo de outras formas de defenderem o Benfica e mudarem o que está errado com esses animais.

Carlos F. disse...

Sou de Braga (centro) e nestes ultimos anos so manifesto o meu Benfiquismo por aqueles que me são proximos e por onde moro, tenho medo de represalias. Existe um ambiente de odio maior do que o Benfica - Sporting... Inimaginavel...
Quando fui ver o jogo do Benfica a Coimbra fui de comboio, na Estação de Braga fui insultado e na Estação do Porto escondi a camisola que tinha vestida... Tenho a noção que o nome Benfica no norte é motivo de odio e não é aceite.
So existe uma explicação é Salvador, o qual o nosso presidente se dá muitoo bem. Começo a ficar farto desta Amizade...

Saudações Gloriosas

Carlos F.

Diogo Pontes disse...

sou de Braga e concordo com tudo o que aí está escrito. desde há 2, 3 anos que isto se tornou impossível para os benfiquistas. antes não tinha problema nenhum em andar onde quer que fosse com a minha camisola, agora simplesmente não ando. quando vou ao Axa ver o Benfica já nem levo a minha camisola, levo apenas um cachecol, mas levo-o escondido e só dentro do estádio é que o tiro do bolso. É impressionante o ódio que eles têm por nós benfiquistas, e só quem cá está é que faz ideia do que é isto. e depois ainda dizem que a culpa é nossa...
mas é por este tipo de atitudes que o Braga para mim morreu, antes ainda tinha uma simpatia por eles, afinal de contas é o clube da minha terra, mas agora é impossível ter simpatia por quem só nos quer mal...

Filipe Simões - Porto disse...

Moro no Porto e sou benfiquista desde sempre. O complexo de inferioridade de Portistas e Bracarenses faz com que eles odeiem o benfica. Contudo, é importante não esquecermos que 25% dos habitantes do Porto são benfiquistas. Pois eu vou ver o Benfica em todos os estádios do Norte. Não provoco ninguém e não me agrupo em claques. O ódio que nos têm torna-nos mais fortes. SÓ NOS RESTA REBENTAR COM ESSES FILHOS DA PUTA SEMPRE QUE SE METEREM CONNOSCO!

Carlos Alberto disse...

E entretanto existem uns palhaços que querem bater no Aimar e no Ruben Amorim.

Foda-se, eu cá achoq ue os NN são é uma cambada de maricas comparados com estes gajos.

Se fosse dantes até Bracara Augusta caía quanto mais... agora, somos todos 'oposição'

PUTA QUE OS PARIU... que hei-de ver o dia que o braguinha segue os passos do Boavista.

P.S. Já agora o Sr. Luís Filipe Vieira era bem 'aviado' na cidade do seu 'amigo'

Ruben disse...

oh Filipe Simões complexo de inferioridade os Portistas nao tem nem nunca tiveram em relaçao a ninguem, deves ser tanto do Porto como eu sou de Beijing...ou és falso, mas se isso se ta moral, força nisso

sotilmae disse...

O post e os comentários são exemplos acabados - de tanta afronta, de pretensa grandiosidade e superioridade moral - de como gente genuína de Braga que nunca quis saber de claques, do Porto, só vos pode dedicar o desdém e desprezo.
Tivessem-se dado ao respeito quando ganhavam (já lá vão muitos anos!), soubessem ganhar, ao invés de espalhar sobrancerias, e granjeavam o respeito. Sempre trataram com desdém quem, de alguma forma, esteve convosco. No meu caso nunca; um clube vive por si e para si… Em tempos idos, criticava as amizades com o Benfica, como o faço agora com eventuais arranjos com o Porto…
Um post destes, não haja dúvida que é um hino à pacificação, ao enaltecer dos valores desportivos! As cenas relatadas parecem que são próprias de um campo de batalha, daqueles fanáticos bombistas, completamente cegos por quem lhes tolhe a mente. Como se isto fosse um exclusivo de terras e gentes menores, como Braga e outras, como se isso fosse típico de todos os seus habitantes. Ofendam a todos, espalhem a vossa “superioridade moral” e colham beijinhos e abraços por tais “acolhedoras” palavras…. Nada disto se passa em cidades e cidadãos mui dignos de terras nobres como a nossa capital e outras que tais, que “mantêm” o estatuto de benfiquistas. Como Braga, está bom de ver, perdeu esse estatuto (digo eu, ainda bem), toca a denegrir e tratar quem nela vive como se todos fossem uns “cordeirinhos” para pastar no ódio à raça benfiquista.
Continuem assim e admirem-se do ódio que espalham, típico de quem sempre esperou comportamentos de subserviência e admira-se que a massa quando atiçada não possa reagir.
Paspalhões, parvos, Energúmenos, fanáticos, desvairados há em todo o lado, agora querer fazer parecer que todos são assim, é só mais uma razão para cavar os ódios que semeais, faz anos seguidos.
Continuem assim, a vociferar as vossas razões, como se os outros fossem acéfalos, e não saibam pensar...

sotilmae disse...

Esqueci-me:
A começar logo pelo autor quando dá este título ao post: "A cidade corrompida por Pinto da Costa". Haja respeito! A cidade!? Como cidadão de Braga sinto-me ofendido, para não dizer mais, e não reconheço a Pinto da Costa tais dotes... Que se relacione com A. Salvador é outra coisa, que muitos braguistas contestam.
Agora os exemplos que o Benfica tem produzido nos últimos anos também são de uma castidade a toda a prova: Damásio, Vale e Azevedo, Vilarinho, LFV - tudo gente muito respeitosa e digna, gente com desportivismo e que não ofendeu ninguém. Aliás, se eu fosse benfiquista (lagarto, lagarto, ...) seria o primeiro a sentir-me incomodada, com representantes tão "proeminentes" e que souberam cuidar dessa dita "grandiosidade" e espalharam "valores", "paz e alegria" por todos os relvados, fazendo amizades, atirando rosas aos adversários (e não inimigos, que é o que estais a querer fazer daqueles que não são pelo benfica).
Haja paciência! Resolvam os vossos problemas e depois venham falar...

Anónimo disse...

olha tive praqui a ler esta bullshit toda e nem sei bem ao certo o que dizer,eu sou nortenho..de espinho.unica vez que fui a braga fui dar 1 passeio ao bom jesus levava 1 camisola do benfica e nao tive qualquer problema..eles se nos odeiam nos nao temos culpa...eles que se fodam.eu amo o benfica,e se eles nos querem odiar por causa disso azar o deles,cabe a cada 1 de nos fazer o nosso papel...repito.sou de espinho..tem ali em cima 1 terra com 1 rotunda onde se festejam titulos,seja do benfica ou porto...no dia antes do porto ser campeao fui la pintei aquela merda toda de 1 ponta a outra a dizer porto é merda.filhos da puta.corruptos e viva o benfica..e depois o porto foi campeao e eles foram pra la todos festejar mas nao se livraram de ler o que nao queriam.....eu tenho a minha bandeira do benfica no carro...eu tenho hasteada la fora..nuna tive problemas..e se algum dia algum engraçadinho quiser problemas vai telos..isto hoje em dia é assim...e so nos cabe a nos..que somos mais que eles ser igual e piores que eles, que eles amansam logo,porque esta cultura da intimidaçao e do medo funciona pros 2 lados...se nos formos iguais..eles sabem que somos mais que eles borram se todos.se o benfica quer dar a outra face que de...mas na minha face mando eu

sotilmae disse...

Anónimo das 01:42; também não serei eu que farei alguma coisa ao teu carro e indumentárias benfiquistas. Não lhe acho de bom gosto, mas o problema é teu. Já com essa linguagem, não fazes mais do que repetir quem tu e teus 'compinchas' encarnados criticais!

Só voltei para dizer ao autor do post (e do blogue, depois de ler a parte 1) que apesar das discordâncias, queria-lhe dar os parabéns pela prosa. Raro, do que conheço, no reino da blogosfera, a qualidade do enredo (embora, discordando, nalguns aspectos - não sou cego!).

Manuel Oliveira disse...

Caro Ricardo, antes de mais, parabéns pelo post.
Peço desde já autorização para citá-lo e publicar alguns excertos no Blog do Manuel.

Abraço.

Anónimo disse...

Realmente, continuai assim como calimeros que sois, na vossa superioridade moral de virgem ofendida ansiosa por experimentar os prazeres do coito. A quem quer e não consegue, é o que resta...

Anos passados, as forças nivelam-se e parece que a existir desequilíbrio futuro, apenas será desfavorável ao Benfica.

Aos adeptos do clube que outrora foi grande, face à maior força dos adversários (não inimigos), resta entre cervejas, cigarros e jogos de cartas lembrar os passes do Aimar...

Soa um bocadinho a Belenenses e a Sporting, parece-me que caminhais para aí... Os clubes de bairro festejam em casa. Mas quando ganharem, se não quiserem ficar em Carnide e quiserem vir a Braga festejar, são muito bem vindo. Como qualquer um de outro clube igual ao vosso.

M disse...

Boa prosa...

reconheço na minha própria experiencia de vida algumas dos pormenores que escreves...

já vivi no Porto e sendo lisboeta (Mouro) e Benfiquista, sócio e com assento no estadio, neste e no antigo (anti-cristo), senti muito no dia-a-dia o desdém, o desrespeito e algum odio...

não se percebe, então o caso de Braga, casa de tantos Benfiquistas, reconhecidamente um dos maiores locais de apoio, ter-se tornado naquilo que descreves...

matam o futebol, espero que se fodam todos, que não tenho nem vida nem postura para ir ver bola a um cafe com taco de basebol para o que der e vier.

Ricardo disse...

Sotilmae, o título versa obviamente a cidade "desportiva" de Braga e quem vive o futebol. Não se refere à cidade como um todo até porque há gente que não se interessa minimamente por futebol. Mas aos que interessa, a cidade está de facto corrompida. E se o meu caro é de Braga conhecerá bem a realidade.

Manuel, toda a autorização. Abraço.

Kardash disse...

Caro amigo
Gostei muito do seu texto.
Gostaria de solicitar autorização para postar este brilhante texto no meu blog http://oexpressodavitoria.blogspot.com/

Anónimo disse...

Essa mania de adeptos de outros clubes dizerem que nos achamos superiores é uma autentica mentira e é com essa mentira que justificam as pedradas, golf, não se poder andar na rua com algo alusivo ao SL BENFICA que ouvímos logo ofensas, quando não pior.
A realidade é bem diferente, desde que se ligam ao sebozo pcosta o clube fica logo diferente e dou logo dois exemplos: 1º desde que Salvador entrou e se aproximou de pc e este emprestou jogadores é o que se vê, 2º o Setúbal recebeu emprestados dos corruptos e não se importou de ser roubado no jogo do famoso penalti repetido, mas ficou muito chateado por o Benfica ter jogado com uma 2ª equipa com a Naval (não havia verdade desportiva segundo o pres. do Setúbal???).
Em comum a sua aliança a pc, com os famosos emprestados, que servem para aqui sim, não haver verdade desportiva, ex: as famosas lesões antes de jogarem com o fcp e a tranquilidade com que jogam com eles. Com isto o sebozo pcosta tem logo 12 pontos sem esforço. E vejam já agora como estas equipas jogam contra nós, claro com a permissividade do árbitro, o outro artista do jogo.

Miguel

sotilmae disse...

anónimo 12:39.

Quais emprestados do Porto ao Braga!?
Este ano, a meio da época, Ukra.
O ano passado, a meio da época, Renteria (este estava emprestado e sem jogar, por isso é que fez questão de voltar ao Braga, onde tinha sido também , há 3 anos o único emprestado ao Braga, neste caso, na época inteira).

É a esses que te referes!? São mesmo muitos, não haja dúvida!?

O Braga já anda noutra polítca, como fazem os ditos grandes. Só este ano tivemos 19 jogadores a rodar. Para tua informação o tal de PIZZI do Paços, que é do Braga, só foi o jogador que pôs o Braga fora da Taça da Liga que ganhaste (se é que és benfiquista).

Adianto desde já, para o chorrilho de nomes que vais adiantar que foram todos comprados pelo Braga ou quando vieram cá parar, também comprados pelo Braga, já tinham passado por outros paragens. Faz as contas e adivinham lá quem são... se é que sabes tanto do Braga, como pareces querer fazer crer!

Como de costume, emprenhais pelo ouvido!

Ricardo: mesmo sendo a "cidade desportiva", que não estava óbvio para os leitores menos atentos (é assim que se lançam os ódios e se faz jornalismo de pacotilha), não me deixo de sentir ofendido, assim como a maioria dos bracarenses/braguistas que sentem este clube de igual modo como tu dizes que sentes o teu (ou achas que há diferenças? Esse é dos piores erros que muitos benfiquistas cometem - a tal ideia dos valores e afins....). Mais uma vez, é meter no mesmo saco sensibilidades muito diferentes.
Ou devo-te considerar da mais laia de quem já matou num estádio de futebol, devo considerar-te criminoso por posse de armas e drogas, deve ainda considerar-te um fugido à justiça por uma série de trapaças, ..., e muitas outras histórias que não vale a pena enumerar nem é a minha especialidade, pois não guardo nenhuma folha de "bons serviços".
E não me venham com as histórias do Porto, porque eu borrifo-me para o Porto tanto quanto o faço para o Benfica.

Trimble disse...

Realmente isto é muito triste. Tenho a sorte de ser de Lx mas ''conheço'' casos de pessoas em Braga que também lhes ocorreram o mesmo. Alvos de insultos entre outras coisas...

Saudações benfiquistas

Gonçalo disse...

Os meus parabéns Ricardo. Dos melhores posts que li na blogosfera benfiquista desde que aqui ando.

Pode ser coincidência mas os que tenho gostado mais no blog (leio sem olhar para quem escreve) têm sido os teus.

Tens jeito para escrever e transmites na escrita o sentimento pelo Benfica.

Essa cultura anti-Benfiquista que está a ser adoptada em Braga vai dar mau resultado e eles vão aprender com isso. Já aconteceu com o Boavista.

Querem ser a filial do Porto e vão acabar é na 2ª divisão. Porque quando estão em problemas os porcos viram as costas.

Corram com esse Salvador. Eu até simpatizava com o Braga até à época passada, em que começou a chuva de pedras cada vez que o Benfica joga lá.

Um abraço benfiquista,
http://escoltavermelha.blogspot.com/

Baixa a Tola disse...

Ser de Braga não é crime.

Mas, estar associado ao tal de benfica pode ser cúmplice de qualquer "alcatrafua" a espreitar a esquina.

Manuel disse...

Muito bom post, eu diria extraordinário, e que conta a verdade como ela é. As coisas em Braga mudaram nos últimos anos. Se o Benfica fosse um clube sem valor os invejosos não se incomodavam com ele.

Lembra-me de certo modo, e guardadas as devidas distâncias, os EUA que durante muitos anos, e ainda agora, foram e são objecto de inveja e de muita maledicência por parte de outros países que gostavam de lhes chegar aos calcanhares. Tinham inveja da sua grandeza e da sua riqueza, mesmo a cultural... Até à queda do muro de Berlim... Aí houve muita gente que abriu os olhos... Irá acontecer o mesmo no futebol em Portugal. As ditaduras não duram para sempre. A democracia, sim!

Pois é, a História é escrita pelos vitoriosos. E quando o Porto começar a perder, e por arrasto o Braga também, e já faltou mais, serão os benfiquistas e mais ninguém que irá reescrever a história recente do futebol em Portugal dos últimos 30 anos. E iremos ver muita gente a torcer as orelhas. E temos muitos documentos, e testemunhos, onde nos apoiar...

A última palavra será nossa.

P.A. disse...

Excelente artigo. Tomei a liberdade de o transcrever no meu blogue.

Frederico Godinho disse...

Fazendo a devida ressalva de que o norte não começa acima de Coimbra mas sim acima de Aveiro (que nós Aveirenses nada temos a ver com essa gente lá de cima), devo dizer que em Aveiro ando com a camisola ou o cachecol do Glorioso quando quiser e ai de quem se julgue no direito de olhar de lado, que seja. O Beira-Mar desceu à segunda mas o Benfica tem e terá sempre em Aveiro um "último bastião" antes de entrar no norte minado pelos corruptos e anti-Benfiquistas fanáticos!