quarta-feira, 21 de maio de 2014

Jorge Jesus



No final da época passada fui dos que defendeu a não renovação com Jorge Jesus. Podemos dizer que quem, como eu o fez, errou na sua avaliação, atendendo apenas aos resultados finais desta época. Por outro lado, encontraremos as razões para a não renovação na primeira metade desta época.

A época esteve longe de começar perfeita, bem pelo contrário. A somar à derrota frente ao Marítimo, há os empates caseiros frente aos recém-promovidos Belenenses e Arouca e a eliminação da Liga dos Campeões com uma derrota humilhante em Paris e um empate caseiro comprometedor e sofrido frente ao Olimpiakos.

Em boa verdade, a equipa chegou a Janeiro a jogar aos “repelões” e ganhando sofrivelmente, quando não empatava ou perdia. E aqui está a razão pela qual defendi a não continuidade do treinador. A equipa era a mesma, tendo sido adicionados reforços, o treinador era o mesmo, os processos de trabalho eram os mesmos, mas a qualidade de jogo estava longe, muito longe de se aproximar da qualidade apresentada na época anterior. Animicamente a equipa ainda vivia presa na época passada e foi sobrevivendo até Janeiro. Sim, teve esse mérito de se aguentar sem cair de vez na sua fase mais difícil, mas também é legítimo questionar se não teria caído caso a oposição fosse mais forte como habitualmente.

Não obstante, em Janeiro foi dado um pontapé anímico na equipa. Não sei se a morte do Rei teve alguma influência no processo, mas o certo é que a partir do jogo com o FCP (primeiro jogo após o desaparecimento de Eusébio) a equipa iniciou uma espiral positiva rumo ao sucesso, invertendo por completo o momento vivido até aí.

A juntar a esta reviravolta anímica há ainda a mudança táctica introduzida na equipa, por via da introdução de uma dupla atacante diferente. E esta dupla atacante é a chave principal para uma ideia de jogo baseada mais no ataque rápido e menos na avalanche ofensiva que nos desposicionava defensivamente. Sendo assim também é legítimo perguntar se esta mudança que nos conduz ao título ocorreria sempre ou se apenas ocorreu pelo imperativo da lesão de Cardozo? Para mim é evidente que se o Paraguaio não tivesse recebido a visita da infelicidade, dificilmente a dupla atacante seria a que foi durante a segunda metade da época e que tantas alegrias nos ajudou a dar.

Para além da mudança no ataque há ainda uma mudança chave: O guarda-redes. Mais uma vez, esta mudança acontece por via da lesão do titular do lugar e não por opção directa do treinador. Ainda assim há a realçar a continuidade dada a Oblak após a recuperação física de Artur. Mas há algo que não nos poderemos esquecer: Esta mudança só foi possível pela lesão de Artur e porque houve alguém que contrariou JJ e não deixou que o jovem esloveno fosse dispensado no início de época, porque “o Oblak ainda não está preparado para a baliza do Benfica”, como disse alguém.

Esta época revela ainda um Ruben Amorim a um nível nunca antes visto actuando como… Médio. Se nos recordarmos bem, o internacional Português passou época e meia fora do clube por não querer ser utilizado a lateral direito como tanto JJ teimava. O facto é que se desentenderam por aí e isso fez-nos perder um jogador que nos poderia ter sido muito útil e acabamos por ver que talvez Ruben Amorim tivesse razões para querer ser médio no Benfica e não lateral.

O que pretendo com isto? Simples, lançar alguns dados de analise para que se forme a opinião sobre a continuidade ou não de Jorge Jesus e/ou a sua renovação ou não.

Analisando a sua continuidade, e ao contrário do que defendi na época passada, considero que faz sentido que continue, apesar de ter sérias dúvidas sobre a sua capacidade para nos levar ao bi-campeonato. E quando falo em capacidade não me refiro a competências técnicas e tácticas, refiro-me a excesso de bazófia e de ego que nos podem levar a um novo 2º ano de JJ no Benfica. Ainda assim, pelo que venceu este ano merece esse benefício da dúvida continuando assim à frente dos destinos técnicos da equipa.

O que não concordo é com uma possível renovação. É compreensível que JJ queira abraçar um outro projecto no exterior (Valencia ou AC Milan). Se o quiser fazer, desde que garanta a compensação devida ao clube, não acho que o Benfica lhe deva dificultar a vida, até por reconhecimento do seu trabalho ao longo dos últimos 5 anos. Mas caso o treinador não queira sair, não vejo nenhuma razão para a renovação. Há mais um ano de contrato e esta época não mostrou nada que já não soubéssemos de JJ, ou seja, que o treinador é competente e capaz de ganhar já todos o sabíamos, o que ainda não está comprovada é a sua capacidade para ganhar consecutivamente e para isso acontecer não precisa de prolongar o seu vínculo e muito menos ter as suas principescas condições salariais revistas.

Quando se avança para a renovação do contrato de um treinador não se pode faze-lo tendo em conta o último momento, mas sim todo o processo. Ou seja, não concordo com uma renovação baseada nesta época, e considero que os 5 anos como um todo não justificam uma renovação. Continuidade sim, renovação não.

17 comentários:

Laranja disse...

Se ficar tem obrigatoriamente de renovar, vejam o que falaram nesta época se ele saia ou não mesmo tendo contrato, sem ter contrato para o ano seguinte vai-se tentar destabilizar ainda mais

José Moreira disse...

A destabilização só surte efeitos se nos deixarmos destabilizar, Laranja

Mats Magnusson disse...

Boas, José. Olha, depois quando tiveres tempo diz-me lá um único treinador que quisesse vir para o Benfica este ano com a garantia de era capaz de ganhar. É que desses nem isso sabemos.

Gostava de ouvir a tua opinião porque escrever um post a dizer que não se quer a renovação de um treinador sem indicar quem o pode suceder é um bocadinho...coiso.

Abraço.

Anónimo disse...

Caro amigo

Sou dos que sempre defenderam a continuidade de Jesus.
Para mim ele é intocável pois já mostrou claramente a sua competência na orientação do nosso Benfica.
Recordo que só não ganhou mais porque aqui em Portugal os jogos não se fazem só dentro de campo.
Claro que a conversa é sempre a mesma...mas basta recorrer ao auxílio das escutas...e não é preciso dizer mais.
Como benfiquista dispenso o andar sempre a trocar de treinador, prefiro trocar de jogadores.
Se calhar preferem voltar aos tempos dos Quiques, dos Koemans, etc...
É incrível esta exigência atroz com aqueles que põem de facto o Benfica a jogar. Graças a vocês, o Toni deixou o Benfica, extremamente contestado e desgastado, quando estava em 1.º!!! sem derrotas.
Haja um mínimo de bom senso e de humildade.
Obrigado JESUS por estas 5 épocas fabulosas (sem dúvida com alguns espinhos pelo meio, mas era impossível fazer melhor).

Obrigado e desculpem a extensão da missiva

José Moreira disse...

Boas Mats

Como explico no texto, apesar e não defender a sua renovação, acho que deve continuar. Na minha opinião uma coisa não deve implicar a outra.

Nunca teremos garantia que o treinador ganhará, nem sequer JJ nos dá essa garantia se analisarmos os 5 anos que leva ao leme da equipa, certo? Venceu 2 em 5, com os maiores orçamentos da história do clube. Nenhum outro, num passado recente, teve ao seu dispor os orçamentos e planteis que JJ teve. O único que talvez se aproxime seja Quique tendo sido o desastre que foi.

Não apontei alternativas, porque considero que JJ deve ficar não renovando. Se acabar por saír tentarei apontar alternativas possiveis, ainda que uma delas esteja para ser apresentada pelo Sporting.

formatted error free disse...

quando perdemos a culpa é do Jesus, quando ganhamos é da morte do Eusébio, das lesões e da sorte.

O ano passado com o Cardozo a titular a trajatória da equipa nas competições foi identica. A diferença foi perder aquele jogo nas antas e o do jamor. atribuir a conquista de titulos que se decidiram em 2! jogos à titularidade ou não do Cardozo é irrealista.

O ano passado perdemos, a culpa foi do Jesus. Este ano ganhamos, a culpa foi do Jesus. Podes discutir é se o que ganhaste este ano é suficiente. Se calhar uns quartos de final na champions é melhor que a final da Liga Europa, não sei. Mas o Jesus também já foi aos quartos de final da Champions...

José Moreira disse...

Caro anónimo

Como já referi não é justo comparar JJ com outros, porque nenhum outro teve os meios que JJ tem ao seu dispor.

Numca coisa JJ tem mérito incontestavel, passou e vendeu bem vendida a ideia de que ou ele ou o kaos.

Em nenhum momento lê no texto que ele não é um treinador capaz, apenas pode ler uma tentativa de enquadrar os 5 anos numa só analise. Com tudo o que isso tem de bom e mau.

O meu caro considera ser impossivel fazer melhor, eu considero que este titulo não deveria ser o 33º, mas sim o correspondende ao tri-campeonato, bastando para tal que tivessemos ganho os dois últimos que tivemos na mão e deixamos fugir.

Dizer que esses titulos fugiram por influencias externas, poderá significar que este só foi ganho porque viramos essas influencias a nosso favor...

José Moreira disse...

formatted error free

A mudança na dupla atacante foi a chave para a inversão do que havia acontecido na primeira metade da época, isso sim, está escrito no texto, tudo o resto são suposições suas.

Sim, prefiro os 1/4 da LC que a final da LE, mas de longe. E isso JJ conseguiu... uma vez. Nas restantes 3 oportunidades caiu com estrondo na fase de grupos.

Anónimo disse...

Venceu 2 em 5 com os maiores orçamentos do clube porém nos 5 anos foi sempre o 2º maior orçamento a nível nacional....

Anónimo disse...

Assunto de jornal banal e pior que isso, o seu conteúdo!!!
Quer dizer JJ para este ano serve, mas para o ano(quer ganhe ou perca) ja não serve!! Nao sera melhor que ficando renove (pelo menos para acabar com este tipo de posts e especulações) ou saindo o faca ja para se encaixar algum dinheiro e roubar o Marco Silva (ja vamos tarde, mas bem que ele queria)??
Nao percebi o objectivo!!!

De qualquer forma acho que o Jesus vai ficar -valência parece ser a unica opção- e acertar a renovação, o que nao implica que no futuro e na vigência do mesmo nao possa sair

Saudações Benfiquistas

luis borges

Marcos Gonçalves disse...

José,

Excelente análise! Finalmente uma análise fria sobre este assunto. É importante não esquecer que a derrota no Marítimo e o empate com o Belenenses foram gotas de água para muitos adeptos, esses mesmos hoje que bajulam e nos criticam a nós por continuarmos a apontar defeitos ao homem.

Jorge Jesus sempre foi e sempre será um bom treinador, ponto final parágrafo. MAS, nunca será um grande treinador. Para ser grande tinha de ser dotado daquela estrelazinha que protege os audazes e inovadores e disso ele não tem nada. Longe vai o tempo, mas eu não me esqueço das adaptações do David Luiz a defesa esquerdo no jogo com o Porto, numa clara impreparação para um jogo daquela magnitude. As casmurriçes de Ruben Amorim a lateral também são conhecidas e casos assim existem aos pontapés nos últimos 5 anos.

Vibrei com a conquista do campeonato, mas partilho do teu ponto de vista. Um FCP fraco, a definhar, não deu a real luta que pensámos. Talvez o desfecho fosse diferente... talvez não. Não meto as minha mãos no fogo, mas concerteza que se precisámos do jogo no dragão para sermos campeões, seriamos novamente "engolidos". Jesus viveu e sempre viverá nesse clima de insegurança que caracterizam jogos de elevada pressão com boas equipas.

A juntar a isso, temos o completo desacerto da nossa comunicação social, a começar na figura do treinador. Frases infelizes a desvalorizar a prata da casa, indicando que têm de "nascer dez vezes" até terem valor, não podem NUNCA, ser os valores do nosso clube. Jesus tem uma aversão enorme a produtos de formação e não lhe dá a devida atenção. Teremos nós na figura de Cortez, Funes Mori, etc, valores maiores do que Cancelo, Bernardo Silva, Lindelof? Os mesmos que pedem tempo par ao jovem estrangeiro se adaptar, são os mesmos que crucificam o jovem português quando este não responde à exigência. Haja critério... O tempo de aprendizagem é lento e gradual, nacional ou não. Agora já anda tudo em polvorosa com o Pawel, pois viram uns quantos vídeos no Youtube e o homem 'percebe de bola...'. Se querem ficar impressionados também procurem "Best Ofs" dos nossos jogadores da B e se calhar ficam surpreendidos.

Vale e Azevedo nunca mais, mas não se compara um passivo de dezenas na altura a um passivo de centenas... Aconselho a todos os sócios a passarem os olhos pelo relatório de contas do ultimo semestre e analisarem em detalhe os custos da folha salarial e os empréstimo obtidos... Podem ter um susto.

Jesus teve condições salariais excelente, usufrui em plena força de infraestruturas topo de gama no Seixal, tem ao seu dispor o produto amadurecido do investimento nas camadas jovens, sem falar nos orçamentos milionários que possuiu nos últimos 5 anos. O Benfica neste momento aplica a teoria de José Sócrates quando era 1º ministro: "A divida não é para se pagar... é para se ir gerindo". E esta bolha há-de estoirar algum dia... Só espero que nessa altura, quando estivermos numa situação idêntica ao Sporting, alguns se arrependam das palavras hoje utilizadas. Para bem do nosso clube, espero que isso não aconteça.

Para mim, o ciclo de Jesus chegou ao fim. Nem sempre o fim de ciclo significa que algo correu mal.

luis disse...

Renovar, obviamente.

Deixar JJ apenas com um ano de contrato vai ser tema de conversa desde Agosto.

E Jesus não mudou nada. Antes da lesão de Cardozo já tinha jogado com Lima e Rodrigo. Depois da lesão, voltou a jogar com Cardozo e Lima ou Rodrigo. Só mudou na tua cabeça, desculpa que te diga.

Fomos melhores quando, com JJ, somos melhores (entre Dezembro e Abril). E com Cardozo, sempre, nas últimas quatro épocas.

Insinuar que uma equipa como a do Benfica depdende para o bem ou para o mal, de Cardozo, é risível.

Rodrigo e Lima fizeram muitos jogos (inteiros) péssimos. "Ah, mas eram eles que pressionavam lá na frente". Poupa-nos :)

chakra indigo disse...

Exercicio especulativo-na proxima época o Glorioso em Abril tem 8 pontos de vantagem sobre o 2º classificado.Estamos nas meias finais da Champions, nas meias finais da taça de Portugal, e Jesus está no ultimo ano de contrato....
Como este existem varios cenarios que justificam renovação de contrato, porque num projecto, ou se acredita nas pessoas que as tentarão concretizar ( e no ano passado a diferença entre ganhar e perder foi minima ), ou se há desconfiança, isso refelecte-se na organização.
E faço ideia do pasto para as chamas dos incendiários da comunicação social.
Evitem-se problemas por antecipação, e não se reaja apenas.
Viva o Benfica!

José Moreira disse...

Luis

é apenas meia verdade. Sim, JJ utilizou Rodrigo e Lima antes da lesão de Cardozo mas... Quando o Paraguaio estava em recuperação física por falta de pré-época... Ou seja, utilizou aquela dupla, mas com os principio de jogo utilizados para Cardozo.

chakra

O mesmo se coloca na inversa: Renovas por mais 2/3 anos... levas com um reeditar da 2ª época e fica provado que JJ é bom treinador mas não o suficiente para te levar à hegemonia e o que fazes, tendo em conta o contrátio milionário que terá?

ATF disse...

O que me espanta é haver quem se tenha deixado levar pela propaganda de um FCP fraco e a definhar. mas cos diabos, quantos campeonatos esses caralhos ganharam por termos um Benfica fraco e a definhar? Quantos? e eles mais a imprensa alguma vez disseram isso? Não...disseram sempre "hegemonia, competencia, grande estrutura, etc" Fiquem a saber>: o Benfica ganhou porque jogou mais a bola. Os andrades foram à Luz com os mesmos pontos do Benfica, NÃO FORAM LA COM 7 PONTOS DE ATRASO. o bENFICA tem é de continar a reforçar-se bem e a johar ao ataque, que é a sua Matriz. Com JJ ou outro, não interessa. So nao quero é um andrade como o Artur Jorge que, qual cavalo de troia, vá destruir o Benfica. Por isso neste momeno, JJ ja está moldado, já é Benfica. O Marco Silva é Benfica, agora e se o JJ sai e o Vieira enfie la dentro o Nuno Espirito Santo? So pq é do Mendes...isso sim será preocupante pq iremos ter um portista a prestar vassalagem aos andrades. Issso NUNCA MAIS!!!

luis disse...

O grau de importância ou o grau de exigência numa reflexão sobre o Futebol do Sport Lisboa coloca sempre este imbecil a olhar para a coerência do passado. Em tempos, quando era treinador do Benfica, o Velho Capitão Wilson disse,

" Qualquer treinador do Benfica arrisca-se a ser Campeão "

Nota: Matemática mente em 5 épocas, o resultado é de 3 a 2 desfavorável ;)
Prestigiante diriam uns, acrescentando que
com outros o Benfica estaria pior. Dirão mais uns quantos,
«como se pode saber, se quem está é que toca guitarra.» Rechear e manter o plantel com muita qualidade e equilíbrio é um desafio para todo o tempo. Porque os Homens passam e o Benfica, BEM...FICA!!!

Benfica Todos Tempos

Anónimo disse...

Para Jesus não ganhar o campeonato durante 3 anos, teve o FCP de vencer 2 campeonatos invicto e 1 só 1 derrota. Mostrem-me outras 3 épocas, neste ou noutros campeonatos de igual qualidade, em que isto tenha acontecido.
A fasquia é muito muito alta para se ganhar a Jesus. Que pode acontecer. Mas, repito, a fasquia é alta.