sexta-feira, 8 de abril de 2011

Como me ofereceram o bilhete, vou apoiar o adversário!

O benfiquista é, por natureza, um ser solidário. Não só ajuda os outros como por vezes acaba a prejudicar a própria equipa, tudo em nome de uma bondade que lhe é intrínseca. Vejam-se estes dois casos: há os que continuam a dizer que o Roberto serve para o Benfica, mesmo que o rapaz vá mostrando para os mais teimosos que, apesar de ter qualidades, tem defeitos insuperáveis que fazem dele - e farão sempre - um jogador sem capacidade suficiente para envergar o manto encarnado. São estes benfiquistas bondosos, de uma solidária compaixão com os oprimidos, que não se cansam de ver o Benfica prejudicado, tudo em nome de um bem supremo e maior: a causa humanitária. Tiremos-lhes, compungidos, todos os chapéus deste Mundo e do outro.

Num plano ainda mais misericordioso, temos os benfiquistas que vão para o Estádio da Luz apoiar o rival. É algo nunca visto e que merece destaque. Ontem tive uns quantos ao meu lado, a quem muito respeitosamente atirei uns gritos (pena não ter megafone), não por maldade minha mas por achar que aquilo se calhar já começava a constranger o adversário, pouco habituado a estes actos nobres por parte dos adeptos.
 
A coisa atingiu laivos memoráveis em três momentos distintos do jogo: aquando de mais uma dádiva de Roberto (também ele, feito benfiquista-novo, muito dado a estas causas humanitárias), no momento em que entrou César Peixoto e, para acabar em glória, um enorme assobio a um passe do Jardel para o guarda-redes, quando estávamos a ganhar 3-1 a um minuto do fim de um jogo de crucial importância.
 
O primeiro momento chega a ser cómico, visto que observámos in loco aos assobios de uns solidários para com um solidário - os apoiantes do adversário a assobiarem o jogador do Benfica que apoiou o adversário. Só o futebol nos pode dar isto;
O segundo é já um clássico e desconfio que deverá ter a ver com a escolha muito acertada que o rapaz revela para escolher namoradas - o benfiquista não gosta de jogadores-modelo com mulheres bonitas ao lado, prefere os Chalanas, os Pietras, os Jesus, cabelos farfalhudos, bigodes e gordas feias ao lado. Pelo menos é isso que eles vêem sempre que estão em casa e olham para o sofá. Solidários com a fealdade e obesidade das companheiras, vão para o estádio assobiar quem escolhe estupidamente mulheres bonitas. Têm razão, claro, desfeitas destas não se fazem a ninguém;
O terceiro momento deixou os assobiadores solidários com o adversário a espumar da boca - então não é que aquele passe para o guarda-redes, que lhes serviu de pretexto a mais um apoio ao adversário, acabou na baliza do PSV? Mas que afronta é esta? Então agora vamos para o Estádio ver golos dos nossos, é? Qualquer dia ainda nos pedem para apoiarmos a própria equipa. Isto há com cada uma...

12 comentários:

JNF disse...

Eu continuo a tentar perceber a razão para o segundo acontecimento. Para todos em geral, mas para o 2º em particular. Peixoto entra e entra bem como vem sendo apanágio, é dos poucos jogadores que consegue segurar a bola sem andar à maluca (algo que é útil em mais que uma ocasião nos jogos) e ainda ssim é assobiado.

Tiago disse...

o terceiro momento é a prova dos nove para toda a parvoíce das assobiadelas que faz com que o Roberto jogue melhor fora de casa.

agora é o Roberto que não presta. mas já antes foram outros que não prestavam nada, e depois mostraram o seu valor noutros lados. só para exemplo, o butt que era uma nódoa e foi com o Bayern de Munique a uma final da champions.

Ricardo disse...

JNF, acho que tem a ver com a junção de 4 factores:

- profunda ignorância futebolística: são capazes de tecer loas infinitas a um jogador como o Gaitán porque "tem técnica", porque "parte os gajos todos", mesmo que enterre forte e feio (ontem, como é costume, teve mais momentos brilhantes de "deixa o Coentrão tratar do assunto que eu fico aqui à mama" ou "agora, só porque me apetece, vou ali para a direita e deixo a esquerda toda aberta") mas são incapazes de perceber o que o Peixoto pode dar ao jogo porque "não parte tudo" nem tenta chapeús monumentais mesmo que acabem quase sempre nas mãos do GR adversário, logo... não serve.

- Tem uma namorada boa e já tinha tido uma namorada boa. Não se faz.

- Já jogou no Porto.

- É preciso ter um gajo para assobiar no plantel. É histórico.

Hattori Hanzo disse...

Concordo contigo e com JNF na questão do Peixoto (infelizmente pqarece que somos poucos). Diria mais: se no Domingo Maxi tem jogado e Peixoto tem jogado a titular a estória do jogo seria totalmente diferente (Não por acaso ele até jogou a titular no jogo da Taça lá). Quanto a Gaitan: vendam-no por favor. Já não posso mais com tanto talento desperdiçado só porque se preocupa em fazer bonitos, não pensando na equipa. Não me comparem com Dimaria e que fez mais que este no 1º ano: Que idade tinha Dimaria quando chegou e que idade tem este? Pois...

Anónimo disse...

@Hattori Hanzo: eu não acredito no que leio. Vendam o Gaitan?! o homem chegou, faz meia dúzia de obras primas. como o golo em casa do PSG (já lhe agradeceste, a ele e ao Roberto a passagem aos quartos da Liga Europa?), ou melhor ainda, como o golo contra o Paços. Um hino ao futebol. um golo do outro mundo.
depois o rapaz tem um jogo menos conseguido (esqueçamos por um segundo o facto de que ontem foi importantíssimo na construção do primeiro golo) e já é "vendam-no, não pensa na equipa". não vos compreendo. a sério. conseguiram tirar aspectos negativos de uma noite de sonho como a de ontem. aposto que ontem estiveste no estádio a assobiar. bah, com adeptos assim, quem precisa de inimigos?

Hattori Hanzo disse...

Caro anónimo (antes do mais obrigado por te apresentares) não sou de assobiar. Não me conheces portanto nada de conjecturas sobre quem não connheces a aprtir de um pequeno texto. Quanto ao resto podia-te rebater todos os pontos sobre o Gaitan que falaste, mas não apenas te digo uma coisa: parece que tu preferes malabaristas que se estão marimbando para a equipa, eu prefiro jogadores que jogam em prol da equipa, mas que não brilham tanto.

Hugo disse...

Apesar de concordar com quase tudo do que é dito pelo Hattori Hanzo, não concordo "apenas" com a situação do Gaitan...

Ele irrita-me à brava com aquele jeito de que só interessa a bola nos pés e que defender é para os outros...

Faz tanta merda, erra tanto passe, cria desequilíbrios na equipa...

No entanto, quando as coisas saem como ele quer, como ele pensou...chiça!!!É passes maravilhosos, é engates perfeitos, é arte, enfim, é a beleza do futebol!!!

Posto isto, ele não pode ser vendido. Pelo contrário, tem é que evoluir mais e mais porque assim, dentro de alguns meses, temos ali um craque que, infelizmente, sairá para outro grande da Europa...

Quanto ao Peixoto, é o jogador preferido para qualquer treinador. Culto e inteligente tacticamente que, no entanto, por não deslumbrar e namorar com gajas boas, é odiado pelo adepto do Benfica...

É a prova de que nós, benfiquistas, não somos perfeitos...mas sim invejosos!!!

Saudações Benfiquistas...

Anónimo disse...

O Gaitan será um grnde jogador quando sou que ofutebol é um jogo solidário e de equipa, mas é novo e terá de aprender. Roberto pode vir a ser um bom redes porque também ele é novo, e digamos que jogar perante 65 mil á espera que cometas uma falha pra descarregarem as suas frustações não é nada facil. Falhou no lance do golo? Talvez mas quantos estavam á espera que ele tivesse uma falha para o achincalharem? Ontem lá estive fiquei rouco mas foi a puxar pelos nossos HEROIS assobiar numca pra nenhum deles. Se me disserem que esta equipa com o Srº. MICHEL PREUDOME seria quase imbativel estamos de acordo! Mas essa é outra história.
VIVA O ETERNO SLBENNNNNNNNFIICAAA

Ricardo disse...

Hattori, não sou tão radical. O Gaitán é um jogador com um potencial tremendo. Só que tem de ser ensinado. E posto no banco, por não cumprir. Porque das duas uma: ou o Jesus o mete a jogar noutra posição (preferencialmente a segundo avançado, na minha opinião) ou então, se quer que ele renda na ala, tem de saber ensiná-lo e puni-lo quando ele não faz as coisas bem. Metê-lo em certos jogos no banco não é heresia nenhuma. É isso que faz confusão, como é possível um jogador com tanto ainda para crescer ter um estatuto de indiscutível. É essencialmente por teimosia do Jesus, que não quer abdicar das apostas pessoais. Com oo Roberto, passa-se o mesmo.

Anónimo (21:14):

"Vendam o Gaitan?! o homem chegou, faz meia dúzia de obras primas. como o golo em casa do PSG (já lhe agradeceste, a ele e ao Roberto a passagem aos quartos da Liga Europa?),"
Já disse que não concordo com a venda do Gaitán, que o Hattori defende, mas também não percebo essa teoria. Que teoria é essa, agora, do "já lhe agradeceram?"? Então mas os jogadores estão lá para fazer o seu trabalho ou para enterrar e depois quando fazem bem devemos ficar eternamente agradecidos? É um bom estúpido, isso.

Ricardo disse...

"Roberto pode vir a ser um bom redes porque também ele é novo, e digamos que jogar perante 65 mil á espera que cometas uma falha pra descarregarem as suas frustações não é nada facil. Falhou no lance do golo? Talvez mas quantos estavam á espera que ele tivesse uma falha para o achincalharem?"
Tanta coisa neste excerto que resume bem o estado de espírito de grande parte dos benfiquistas e que, quanto a mim, não faz sentido nenhum.

Portanto, "Roberto pode vir a ser um bom redes". Ok. Não é bom, pode vir a ser. No entanto, devemos tê-lo a defender a nossa baliza. Certo.

"Ele é novo". E nós, como somos uma Associação humanitária que acredita nos jovens e tem tempo para experiências vamos deixá-lo crescer. Espera aí, e o Júlio César? É velho?

Jogar perante 65 mil faz tremer as pernas ao coitado do Roberto. Pois. Ou se tem capacidade para superar ou não se tem. Mas... não era a questão mental um dos portentosos argumentos da força do Roberto?

Falhou no golo? Que se foda! A verdade é que estavam uns à espera para o achincalhar. Portanto, vamos defender o Benfica pensando na qualidade do guarda-redes ou da imbecilidade de alguns adeptos? Claramente, da imbecilidade dos adeptos. Vamos, portanto, manter Roberto no onze porque "pode vir a ser um bom GR", "é novo", jogar perante 65.000 fá-lo ter caganeira e porque alguns adeptos esperam que ele falhe.

Benfica, Benfica...

Hattori Hanzo disse...

Ricardo, já leste o texto do Pedro Ribeiro? (http://osdiasuteis.blogs.sapo.pt/525812.html)... é como que um complemento ao texto que escreveste após o jogo com o Porto. E depois existe pessoas que acham que criticar alguém da parte do Benfica é colocar-se no lado do "inimigo". Parece que não percebem que se critica porque se acha que está mal e se quer melhorar, para que não se aconteçam erros passados. Sobre Roberto, nunca o vou assobiar, mas duvido que chegue alguma vez a guarda-redes de topo. É que ainda por cima essa estória dos guarda-redes aguentarem mais tempo é muito bonita e é verdade (apesar de O Benfica não ser propriamente um clube em que se possa tolerar isso, devido à procura de títulos), mas também é verdade que os melhores guarda-rede se mostraram logo muito novos (só na actualidade com que idade é que Casillas ou Buffon por exemplo ganharam a titularidade nos seus clubes e mostraram que eram muito bons?)

Ricardo disse...

Li, Hattori, e está lá tudo. É no fundo um texto com a mesma ideia que o meu mas menos asneirento. Uma das coisas que me faz admirar o Pedro Ribeiro, além das manhãs da Comercial e de ser, por aquilo que sei, um homem decente, é exactamente essa capacidade para a crítica inteligente. Repara: o homem é convidado pela Direcção para apresentar a Gala do Benfica, é frequentemente conotado como uma das figuras públicas ligadas ao Benfica e consegue esse distanciamento. Porquê? Não é por má-formação nem despeito, é porque ama o Benfica, logo tem capacidade para ler as coisas para além da demencial submissão a tudo o que a Direcção decide. E isto devia ser normal mas infelizmente não é. Basta ver a Benfica TV, alguns blogues ou estar atento à massa associativa para perceber que a crítica inteligente não merece um debate sério; pelo contrário, é atacada por todos os lados. Mas não me espanta. Quem decide antecipar eleições para não ter de lidar com essa coisa tão chata da democracia é capaz de tudo, inclusivamente preparar equipas de cães de fila prontos a atirar a tudo o que discorde.

Sobre o Roberto, concordo em absoluto. A menos que sejamos alguma instituição de solidariedade ou estejamos aqui para rodar uns jogadores, fazermos umas peladinhas e vermos os jogadores evoluirem sem pressão nem critério, não vejo como pode ser defendida a titularidade do Roberto. Outra coisa, que é clara e óbvia, é que eu nunca assobiarei um jogador do Benfica. Pelo contrário, aquando dos assobios ao espanhol, aplaudo e grito para os imbecis que assobiam que se calem. Tenho mesmo de levar megafone no próximo jogo.