terça-feira, 19 de abril de 2011

A gradual amesquinhização de Freitas Lobo

Sou um ouvinte atento do "Jogo Jogado" há já algum tempo, sendo que sempre admirei bastante, além da qualidade do Mário Fernando como moderador, a qualidade das intervenções de Luís Freitas Lobo, alicerçada num conhecimento sustentado sobre o jogo e capacidade para um discurso que foge da banalidade, muitas vezes socorrendo-se, presumivelmente pelas leituras dos grandes mestres sul-americanos, de uma linguagem metafórica que, sendo simbólica, não extravasa para um universo paralelo só ao alcance desse grande Mestre Gabriel Alves. Fala bem, socorre-se da metáfora quando deve e é muito bom a analisar os jogos.
Mas confesso que, gradualmente, venho ficando desapontado com algumas análises, por parecerem revelar um certo distanciamento de factores que, não sendo exclusivamente o sumo do futebol, condicionam e adulteram resultados.
Falarmos em futebol - especialmente no nosso corrompido lusitano futebol - sem darmos importância aos factores externos (arbitragem, influências de bastidores, pressões, corrupção) é, também eu socorrendo-me da metáfora (essa palavra estranha para Mario Ruoppolo, no "O Carteiro de Pablo Neruda", filme tremendo), como um concurso entre chefs culinários, em que o objectivo é servir 100 pessoas o mais rapidamente possível - assim à "Hell´s Kitchen". Na cozinha vermelha, temos 2 chefs, na azul temos 10. Não chegando, o chefe de sala leva os pedidos da cozinha vermelha para os comensais errados, enquanto da cozinha azul saem vários empregados de mesa sempre prontos a ajudar na entrega rápida dos Bifes Wellington e das vieiras gratinadas. No fim, o juri, muito assertivamente, decide: ganha a cozinha azul, muito justamente, porque foi mais rápida a despachar a comida.

Ora, se a generalidade da CS em Portugal faz este tipo de análises enviesadas há 30 anos, não sabia que também era possível até aos melhores comentadores enveredarem pelo mesmo caminho. E Luís Freitas Lobo de cada dia que passa parece apaixonar-se mais pela adulterada opinião em Portugal.
"Isso não interessa nada", dizem os justiceiros, o que conta é lá dentro. Pois conta. É a diferença entre marcar ou não marcar um penálti aos 93 minutos que, em vez de vitória portista, daria empate. E assim lá vêm os 10.000 golos marcados, os -5.000 sofridos, as vitórias consecutivas e tudo o resto. Mais a sul, no Estádio da Luz, anulava-se um golo limpo (o 5º da época - assim é difícil ser o melhor ataque) sem que possamos dar qualquer benefício de dúvida tanto ao auxiliar como ao árbitro. Toda a gente viu. Até o cego do Piso 3. Mas foi anulado. Pois foi.
Esta jornada serve assim perfeitamente como paradigma do que foi este campeonato. Mas, claro, no final teremos os jornalistas em loas infinitas à equipa portista. É o nosso futebolzinho corrupto em alta sustentado pela comunicação corrompida. E Freitas parece gostar cada vez mais.

Tudo isto a propósito da sua opinião estapafúrdia sobre as declarações dos responsáveis leoninos. Bom, bom é calar e elogiar o Porto. Isso é que dá, digamos, poiso.

Quanto a Rosado, peço imensa desculpa, parece ser uma boa pessoa e muito dedicado, mas acho inacreditável como é possível tê-lo como comentador de jogos de futebol. A última saga brilhante foi no jogo em Eindhoven, em que o amigo Rosado e o execrável Marques passaram meia-hora a falar em euromilhões.

Não há ESPN que os eduque?


9 comentários:

Anónimo disse...

Adoro quando voces se acham donos da razao e nao toleram opinioes contrarias. Continuem

M disse...

Estou ctg...ainda nesta segunda-feira foi mais do mesmo....

faz um bocadito de confusão ver o LFLobo ignorar completamente as dualidades de critérios e fazer o branqueamento de como arbitragens podem ou nao condicionar equipas, estados de espirito, niveis de confiança e validar automatismos...

é impressionante como um gajo, que supostamente domina todas as perspectivas que influenciam o jogo, ignore a arbitragem..

percebe-se de certo modo....tem de trabalhar e "aquilo" sempre é a TSF..

Mac disse...

Ricardo,

Em primeiro lugar, parabéns pelo Vosso espaço. Excelente!

Em segundo lugar, e não sendo um expert nos meandros do futebol (aliás, sendo benfiquista, é complicado ser um expert nessas matérias), parece-me que o Luís Freitas Lobo sente algum ressabiamento pelo Carlos Freitas. Parece-me que, na altura em que o Carlos Freitas foi escolhido para o clube da corrupção do Minho, o Freitas Lobo também foi sondado.

Quanto ao resto, já há algum tempo que observo o Freitas Lobo (como preticamente todos os comentadores) a debitar loas aos corruptos e a menosprezar/esquecer os factores externos que se passam no nosso futebol.

Abraço e... keep up the good work!

Éter disse...

Eu acho que o Freitas Lobo gosta de utilizar palavreado caro e técnico para passar a ideia de que o comum mortal não tem hipóteses de compreender um jogo de futebol sem ouvir as suas sábias explicações, e que portanto ele e gajos como ele são imprescindíveis no debate futebolístico. Mas a verdade é que se o futebol não é tão simples como parece, também não é tão complicado como o Freitas Lobo o pinta.

Quanto ao João Rosado, o homem é qualquer coisa de não sei bem o quê.

Hattori Hanzo disse...

Nunca percebi o fascínio das opiniões de Freitas Lobo para muita gente até porque sempre o vi como flop. No programa da RTP N das quintas à noite vi ele levar baile de vários treinadores (Manuel José por exemplo mas também William !!!, sim aquele que foi central do Benfica, vindo do Guimarães) e dava para perceber que não é por ver muitos jogos que se percebe da poda. A juntar ao facto sempre me pareceu que o gajo apesar de dizer que era do Braga desde pequenino, mas não era do que mais um tripeiro.

JD disse...

Ricardo,

Na minha opinião, LFL sabe comentar, percebe do que fala, e é claro que a arbitragem influencia o futebol, mas como ele próprio já disse, mais Carvalhal na RTP N, aquele é um programa onde não se comentam arbitragens, e estou de acordo, já há programas em excesso a faze-lo.

Custa a admitir, e por isso percebo o teu texto, Portugal é um País de corrupção, e o futebol não foge a essa regra, por muito que não lhe queiramos ligar.

PS: Também acho que as suas metáforas cuja palavra "táctica" está sempre presente, estão a cair um pouco no ridículo. lol

PS2:Ele tem imensos amigos que trabalham para o FCP... convém não fechar as portas todas de uma vez só :P

Abraço.

Tiago disse...

também se ouve muitos a elogiar ditadores e a forma como ganham as eleições (viciadas) por maioria mas depois quando são depostos o que é que acontece?

como é possível falar deste campeonato sem falar nos vários erros graves e absurdos que quase sempre beneficiaram o mesmo?

Abelourinha disse...

À uns tempos a esta parte este ANALISADOR DE FUTEBOL BEM FALANTE, Saí-se com esta pérola: Luisão como jogador é um jogador banal, não,não estou a inventar, e nada tem a ver com o contexto, eu ouvi na TV do estado que trata o Glorioso SLB de forma execrável esta frase, a partir daqui percebi logo quem era o Freitas Lobo.

jzz disse...

o Freitas Louco para mim morreu quando disse: "o futebol português não merece ter alguém como o prof. carlos queirós, que é o único treinador de Portugal que pensa a longo prazo"