quarta-feira, 20 de abril de 2011

A lesão de Gaitán - um milagre que pode salvar a época

Calma, leitor, não espume já da boca. Recoste-se, prepare uma bebida, fume um cigarro. Já está? Então agora sim, está preparado:

Este título tem tudo para ser uma imbecilidade digna de Guiness. Ver mão divina numa lesão de um jogador com o talento de Gaitán só pode ser de um parvo que anda a brincar com isto. E, vendo bem as coisas, se calhar é. Mas também os parvos têm direito à opinião. É a parvocracia neste Estado de Direito. Por outro lado, e seguindo a cartilha da livre escolha, só lê quem quer, ou seja, quem é parvo. Portanto, estamos tratadinhos, somos todos parte integrante - uns porque lêem, outro porque escreve - de um grande mar de parvoíce em que se inclui, já se adivinha, Jorge Jesus.

Relaciona-se muito com o grau de parvoíce de Jesus esta minha tomada de posição. Em condições normais, a lesão de Gaitán seria um contratempo, uma contrariedade de última hora que nos daria dores de cabeça. Sim, isso se a utilização de Gaitán fosse equilibrada e ajustada às necessidades da equipa. Se Jesus fizesse dele um jogador importante para certos momentos e não, como faz, um jogador que sempre que está disponível é titular. É este exagero de importância dado a Gaitán por parte de Jesus que me faz chamar milagre à lesão do argentino, uma vez que, estando apto, Gaitán seria utilizado esta noite e nas próximas, que serão jogos de dificuldade acrescida e em que Gaitán não pode entrar de início. Ou seja, entendamo-nos: se Gaitán fosse usado com critério, esta lesão seria má porque nos retiraria uma opção de banco de grande qualidade. Como sabemos que, estando bem, o argentino joga sempre a titular, esta lesão parece cair do céu porque "obriga" o Benfica a um reajustamento táctico que nos favorece bastante nos jogos cruciais, especialmente neste, em que partimos com uma vantagem de 2-0 e necessitamos não de perdas de bola em zonas perigosas ou displicência defensiva (Gaitán) mas de mais ajuda no meio-campo e qualidade e temporização em posse (Peixoto).

É verdade que não abona muito a favor de Jesus defendermos ser um milagre a lesão de um jogador com o talento de Gaitán apenas e só porque sabemos que Jesus não consegue abdicar de querer que a equipa, esteja em vantagem ou não (veja-se Eindhoven), massacre tudo e todos. Mas esse já foi chão que deu uvas. Jesus, aos meus olhos, já há algum tempo que deixou de ser salvador e mestre. É um bom treinador, no top 3 em Portugal, sabe muito de futebol, defende boas princípios de jogo mas tem duas falhas gravíssimas: é teimoso - não abdica das suas ideias, mesmo que comprovadamente erradas - e prepara pouco (ou nada) as suas equipas para uma mudança táctica - o Benfica basicamente não consegue jogar de outra forma que não seja a procura incessante pelo golo (houve uma excepção: o jogo do Dragão para a Taça, lição que Jesus pareceu nunca querer entender, tendo em conta os vários jogos em que o Benfica devia ter entrado dessa forma e não entrou).


Há, no entanto, a possibilidade de, mesmo com Gaitán e Salvio (esta, sim, uma grande contrariedade) de fora, Jesus teimar à exaustão e colocar Jara na esquerda, com Aimar e Javi no meio e Martins à direita. Claro que há e acho que é isso que ele vai fazer, de tal forma é a sua obsessão - acho que está comprovado cientificamente que o Jara nas alas é banal. A minha equipa, porém, seria outra:



20 comentários:

Sérgio disse...

Excelente equipa!
Estou com medo do jogo de hoje, essencialmente porque o Jesus é o treinador...
Ocorre-me agora, que se fossem os teus cabelos a esvoaçar no banco do Benfica estaria mais tranquilo! :)

...mas isso sou eu, que sou parvo.

Carlos Alberto disse...

Constitucionalmente tens razão. Tu e o Sérgio que comentou antes de mim.

John Billy #32 disse...

Ricardo, provavelmente o onze de logo a noite será o teu. Mas não concordo com essa opção. Nem sequer fico satisfeito com a ausência do Gaitan apesar de concordar com as falhas que lhe apontas.

Eu jogava assim:
1- Depois do jogo de Domingo e dos vários que foram jogados no inicio da época, não concordo com a utilização simultânea do Martins e do Aimar. Ao fim de 20 minutos temos o Martins no miolo a estorvar as acções do Aimar, ficando um buraco no lado direito. Além disso, são dois jogadores muito limitados em termos físicos obrigando o Jesus a queimar 2 substituições.
2- Também não concordo em por o Peixoto numa ala. Aí perde muito do seu rendimento porque simplesmente não tem velocidade. O Peixoto deve jogar mas no miolo, junto ao Javi.

Por isso ficava com o teu guarda redes e o teu quarteto defensivo, mas ficava com dois médios defensivos (Javi e Peixoto) para controlar melhor as movimentações do Falcão e para dar melhor cobertura aos nossos laterais.
Jogava na mesma o Aimar no meio campo com o Cardozo a sua frente mas depois punha nas alas o Gaitan na esquerda e o Jara na direita.
Tanto o Jara como o Gaitan são jogadores com golo podendo se juntar ao Cardozo nas fases de maior ataque mas podem tornar-se uma ajuda preciosa no meio campo nas fases de maior aperto, principalmente na faixas laterais onde o Porto é muito perigoso.
Tirei o Saviola porque acho o Jara com muito mais capacidade física mas pode jogar no lugar do Cardozo se for pretendido mais mobilidade.

É claro que com a lesão do Gaitán o meu onze e a minha táctica fica sem sentido.

low desert puke disse...

Gosto da disposiçao tàctica que engendraste, Ricardo.

Nao me parece que ele meta o Jara.

John Billy, sem Saviola é que nao!

Mr. Shankly disse...

Por acaso acho que o Jesus te vai fazer a vontade e colocar a equipa que dizes. Mas preferia ter o Gaitan, e discordo de quase tudo o que escreveste (o que acaba por ser injusto, porque quase sempre concordo e não digo nada).
Nõ me chateava por aí além perder o Gaitan se o Sálvio estivesse disponível; assim, o rasgo tem que vir dos laterais, e esse aventureirismo é que nos costuma custar dissabores defensivos. Sem desprimor para o que Maxi e Coentrão trazem ofensivamente (e é imenso).
Outra hipótese é Carole a lateral (ou Peixoto...) e Coentrão a extremo, mas espero que não seja essa a ideia do JJ.
De resto, ver um treinador que nos deu um título o ano passado (e aquele futebol todo) e já nos levou pelo menos às meias da UEFA e da Taça de Portugal e à final da Taça da Liga) como o problema e não parte da solução parece-me no mínimo ingratidão.

Ricardo disse...

John,

Percebo perfeitamente o teu ponto 1 e concordo com ele. A questão está na falta de soluções para a direita. Se não metes o Martins, metes quem? Menezes? No limite, MAS MESMO MUITO NO LIMITE, podias meter o Luís Filipe à frente do Maxi.

Com o ponto 2, também totalmente de acordo. Mas, mais uma vez, não há soluções melhores para a esquerda. De qualquer forma, jogando nesta espécie de 442 losango o Peixoto acaba por povoar zonas interiores.

Jogar sem o Saviola parece-me errado. Não que defenda sempre a sua titularidade mas nestes jogos é um jogador que faz, ou pode fazer, a diferença.

Low, acho que vai meter o Jara. Mas espero que não.

Ricardo disse...

Shankly, é normal dizermos mais quando não concordamos. Não vejo mal nisso, tranquilo.

Defendo este posicionamento também pela possibilidade de fazer subir os laterais. Principalmente pela esquerda, onde o Peixoto compensa bem as subidas do Coentrão.

Quanto à ingratidão, depois de ler o teu comentário fui reler o texto e tens razão: perpassa uma ideia algo errada daquilo que penso. Ou, vá, incompleta. Sou um adepto do Jesus, que disso não haja dúvidas. E quero-o como treinador do Benfica para a próxima e, se o trabalho mantiver qualidade, para as seguintes épocas. No entanto, gostando dele e admirando o seu trabalho, acho que há coisas que podia melhorar e que o levariam (e a nós, por consequência) a um patamar de excelência. E isso não acontece muito pela casmurrice que tem evidenciado. Um gajo que sabe da poda como ele sabe tem de ser mais humilde para conseguir estar em constante aprendizagem. O lado parolo do Jesus é que parece não o deixar melhorar. Dá a sensação de que, depois de ter chegado a um grande e ser campeão com um belíssimo futebol, achou que não tinha mais nada a aprender. E começa normalmente aí a queda dos anjos.

José Vieira disse...

É o melhor onze, sem dúvida, se bem que eu trocava o Cardozo por Jara (não consigo conceber um "losango" sem dois avançados "móveis", é a minha parvoíce).
O problema é que com Peixoto, Martins e Aimar em simultâneo tens "intensidade" de jogo para 60/70 minutos e...não tens banco!

Hoje, quando soube da lesão de Gaitán, lembrei-me de algo verdadeiramente parvo: o "onze" da pré-epoca que esmagou o Aston Villa.
Com as necessárias adaptações, teríamos

Júlio César (Roberto)
Maxi (Amorim), Luisão, Jardel(D.Luiz) e Coentrão

Airton, C. Martins, Aimar

Cardozo, Saviola e Jara

Vladimir Kaspov disse...

Tal como o José Vieira tb apostaria num 4-3-3. Mas isso sou eu e duvido que aconteça.

E tb acho q Aimar e Martins é demasiado arriscado tal como referido anteriormente.

Incrível como me revejo neste post sem igualmente querer ser ingrato, mas a teimosia de JJ é o que mais tenho repetido em conversa com os meus amigos. Está tão à vista que chega a ser parvo! O q tb explica concerteza as limitações do plantel q são tão obvias.

Aliás actualmente vivemos num pais parvo, mas é o nosso.

Viva o SLB

PS: Mais parvo é quem me chama.

Anónimo disse...

o martins nao se consegue fixar na direita, mas o aimar ja deu mostras de ser capaz disso.

PalCba disse...

Ricardo,

Fico com a sensação que se a cuecas do JJ fossem brancas! a 5 min antes do jogo já estavam castanhas!!!

Isto de uma forma simplista de ver a coisa


FFFFDDDDDDDDDDXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PB disse...

Pois é Ricardo. Não sei que post saiu 1º. Se o meu, se o teu. Mas é isso mesmo.

O pior é que o Jesus não foi por nós...

suave.portugues disse...

É gajo para ser catedrático com a cátedra obtida na mesma escola do JJ. Sabeis ambos de futebol como o caralho! Continuai assim, mestres da táctica, catedráticos do futebol, e deixai o puto do FCP aprender convosco. É um puto, só percebe de powerpoints. Em jogos: 4-1. Em golos: 12-4.

DESPORTO ALENTEJO disse...

VOTEM NO GLORIOSO PARA VENCER A LIGA EUROPA EM:

http://montemor-evora-arraiolos.blogspot.com/

PEÇO O FAVOR DE DIVULGAR SFF.VIVA O BENFICA

Manuel disse...

Com o Gaitan e o Salvio, e já não estou a falar do Ruben, não perdíamos. De certeza!

Jorge Mota disse...

Manuel disse...
Com o Gaitan e o Salvio, e já não estou a falar do Ruben, não perdíamos. De certeza!

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL!!!

N perdiam por muitos!!!

Anónimo disse...

Aquele sr q no outro dia fez o artigo qdo estava aliambado e etilizado n se lembrou de fazer outro desta vez??

MAIS UMA VERGONHA

MAIS UMA HUMILHAÇÃO

Anónimo disse...

MALTA MAS NOS SOMOS O BENFIKA OU NAO?????? O QUE VEM A SER ISTO! O BENFIKA GANHA KOM O NICO DE INICIO OU COM O RUBEN AMORIN, NAO FAZ A DIFERENCA PORQKE A FORSA DO BENFIKA ESTA NO SEU CLUBE COMO EM TODO :DDDDD

CARREGA ENORME!!!!!!!!!!!!!!!!!
E A TODOS OS ANTIX-GLORIOSO: CARREGEM MAIS ENORME :))))))))))))))

Obsidiante disse...

Pois, Ricardo, pois...o problema é o mas.
JJ é um grande treinador, as suas ideias são o futebol do futuro, o passo adiante no "tika-taka". O mas é o lado parolo, o lado pessoal, a pessoa mesquinha, demasiado envolvida nos subterrâneos bastidores do futebol português. O mas são os 56 anos de JJ, o homem já não está em tempo de investir e sim de preparar a reforma e quando a temporada do Benfica, um completo desastre, coincide com o absoluto sucesso do rival, conhecendo o futebol português como o conheço, o cheiro a esturro é insuportável. Odeio coincidências.
Suponho que voltaremos ao tema.

Mentiroso disse...

Luisão

Entristece-me de sobremaneira a ignóbil contestação que tem vindo a ser alvo o nosso capitão Luisão, maior e mais representativo símbolo da actual geração de jogadores do Benfica.

Por mais insignificante que seja quanto à sua representatividade no universo da massa adepta benfiquista, este grupo de pretensos contestatários escolheu mal o alvo para mostrar o seu desagrado pelos últimos desaires desportivos. Luisão não merecia tamanha ingratidão dos adeptos, tal como não a merecem outros briosos atletas, com Fábio Coentrão à cabeça. Pelos anos que leva de clube, pela entrega, pela categoria, pelo exemplo que tem dado em campo e no balneário, nomeadamente nesta mesma época, Luisão deveria ser preservado da fúria de alguns irresponsáveis de memória curta e parca lucidez.

Se há um ponto onde estou totalmente sintonizado com o Presidente Luís Filipe Vieira, e cada são vez menos, este será em torno da importância de manter a todo o custo Luisão no clube, porque ele é somente o melhor jogador do Benfica da actualidade e - a par de Fábio Coentrão - o que melhor interpreta a alma benfiquista.

O comportamento deste grupo de imbecis envergonha-me. O nosso capitão não merecia tamanha ingratidão.