terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Frases estúpidas do futebol - I - Não se pode criticar o jogador por rematar à baliza

Esta é clássica. Desde comentadores encartados, jornalistas a adeptos, é frequente ouvirmos isto como uma verdade universal. Que importa se o jogador tem 2 gajos isolados com uma baliza escancarada à frente? Qual o problema de rematar contra uma molhada de pernas, se o mais importante foi conseguido - rematou? 
 
Para estes fiéis do remate, não importa nada. A solução mais certa é rematar. Ponto final, parágrafo. Porque, na sua visão, eles acham que, se remata, pode marcar golo. E o golo é tudo, está bom de ver. Foi corajoso, foi rápido, demonstrou que não anda ali a brincar aos passes ridículos, armado em jogador do Barcelona - que, a propósito, dá muito sono ver a jogar. O que se quer é um jogador, especialmente se for atacante, que remate de todo o lado. Que procure o golo. Que se transcenda. Quantas vezes não ouvimos a análise detalhada e muito inteligente sobre determinado avançado: "é um jogador que remata à baliza", extraordinária percepção sensorial do comentador de serviço que procura desmantelar mitos. Se remata, é bom; se não remata, é pobrezinho. Não interessa muito se o remate sai invariavelmente por cima do estádio ou se o jogador nem sequer tem a percepção de quando deve rematar. Rematou, calem-se os críticos de uma vez por todos. Já o contrário - o atleta que faz por não rematar em situação pouco esclarecida, buscando outros caminhos para a baliza - é geralmente apelidado de frouxo, de fraquito, de um ser que tem pouco faro pelo golo - não serve, no fundo. 

"Este meco é bom jogador mas tem um problema: remata pouco à baliza", dizem-nos os especialistas, enquanto observam detalhadamente cada movimento do jogador. "Podia ser, podia, se rematasse mais vezes!", afirmam convictos os crentes no rematismo. "Mas como querem marcar golos se não rematam?", pergunta aos céus o comentador incrédulo, quase pedindo um poder divino e transcendental que ilumine o pobre do avançado ou do médio que parece andar a gozar com toda a gente, sempre em passes, em tabelas, à procura de uma via para a baliza que não o remate de qualquer lado.

Aí vai o atacante em boa posição para o remate! Faz um compasso de espera, pode marcar. "Remata, pá!", pede o relatador, "se não rematas, o que é que andas aí a fazer?". Depois o jogador, sentindo o público em alvoroço, começando já a levantar-se um assobio monstruoso, sente a pressão e remata. À trave! Uma miséria de remate. E acrescenta o comentador: "se era para isto, era melhor não rematar", pondo ponto final naquele drama. Logo aparecerão outros sábios do rematismo: "veja-se a posição do corpo, de barriga para cima - era lógico que o remate não daria golo". Uma tristeza. Uma vergonha. 

Vai Witsel pelo meio, entra na área e já estão milhares de cerebelos em fúria: "remata-me essa merda, pá, que coninhas", o estádio suspira, pede o remate, alguém do adversário lembra, no meio das bancadas, "este belga não tem jeito para o remate, podemos estar descansadinhos da silva", os relatadores vociferam, indignados, furiosos com tanto tempo perdido, tanta ocasião de remate que se desvanece. Até que... Witsel passa a bola. "O quê? O que é que estás a fazer? O que é que tu queres com isto?", e depois, quando já Joaquim Ritta preparava a sua brilhante exposição dos factos, lá se ouve do fundo da garganta: "olha, olha, é goooooooooooolo". Nolito rematou. O mundo ficou feliz.


20 comentários:

Éter disse...

O segundo parágrafo é a tromba chapada do Hulk. Mas mais bonito.

Constantino disse...

Ricardo,

Pecador me confesso. Pertenço à classe dos adeptos que, mal um jogador do SLB passa o meio campo com a bola controlada, começa a gritar e a esbracejar "chuta caralho...baliza pahh...fodasse querem entrar com a bola controlada dentro da baliza...". No fundo a culpa não é inteiramente minha, apenas sou o resultado de longos anos a ver o Profeta Isaias meter (ocasionalmente) umas bolas em Almada ou de 90 minutos a ver o king meter bolas na tribuna presidencial. Ahh esse louco jogo onde o lugar mais seguro do estadio era nos topos.
Mais a sério (volta bandalheira, estas perdoada) continuo com a esperança de ver o Cardozo marcar um golo do meio campo, se possivel logo na saida de bola (bem vinda de volta bandalheira), ate porque, cum catano, os videos de youtube dele na argentina eram verdadeiros hinos aos golos através de "pontapé do outro lado do oceano pacifico", de tal forma que na 1ª epoca dele no SLB, tive sempre o cuidado de fechar as persianas de casa durante os jogos do Glórias, não fosse "o diabo tece-las", que é como quem diz "o Cardozo fode-las". Não menosprezando o brilhante golo que colocas em rodapé, essa visita à equipa do "gajo que partiu tudo aqui em alvalade" (abraço pró futre) é por mim recordada pelo golo "idiota e mono-neurónico" do Cardozo, num remate lá de longe, mais precisamente, de onde a avó tem as couves plantadas.

Abraço.

La Palice disse...

Quando não tinha descoberto os streams ouvia os relatos da Antena 1 com os comentários do iluminado do Ritta (não fazia ideia que era com dois "t"... mariquices), a importância de rematar e de "imprimir velocidade ao jogo", de "ganhar a linha de fundo" e de outras palermices crónicas que até um leigo, desde que pouco influenciável, vê que não correspondem à realidade.

No entanto, aqui na praça, todos os comentadeiros e paineleiros pensam da mesma forma: rematar é o expoente máximo do futebol, não marcar golos. Prova disso é o contar das oportunidades como se fossem feijões, mesmo que uma seja um remate aos 40 metros para a bancada. Depois contam os feijões e decidem que a equipa que tiver mais feijões do seu lado é a que jogou melhor. Quando o número de "oportunidades de golo" não correspondem aos golos, falam que uma equipa "teve a sorte do jogo" e que "a bola é redonda". Anda um gajo a estudar e a adquirir qualificações para quê, se nem é preciso saber de futebol para dizer estas alarvidades?

Diego Armés disse...

Há um detalhe que falta nesta tua prosa agradável, perfumada com o futebol típico do Aimar - sempre em busca do homem que pode, de facto, fazer golo, sem dúvidas nem dificuldades. E esse detalhe tem origem na mais néscia das fontes (hoje digo que é ele, amanhã direi que é outro - chamemos-lhe "rotatividade do plantel"). Miguel Sousa Tavares. Esse mesmo. Eu li, com estes que hão-de comer à maneira platónica, antes que a terra os coma, aquilo que não posso verdadeiramente comer... Dizia eu que li MST aconselhar, assim, de caras, o treinador do Leixões, numa crónica d' A Bola: «o Leixões devia treinar os remates». Ipsis verbis. Não quero sobrepor-me a Rittas nem a Lobos, a Tadeias nem a Santos, mas parece-me que o homem tem razão. Também eu creio que é bem lembrado isso de as equioas treinarem os remates. Estamos sempre a aprender.

Constantino disse...

Diego,

Esse argumento do "devia treinar remates" é tão habitual no mst que até já serviu de arma de arremesso ao RAP naquelas picardias que animavam abola há uns anos. É essa para os avançados e a "deviam treinar mais os cruzamentos" para os laterais e extremos. Da minha parte apenas lhe posso responder "devias treinar mais a escrita"... afinal de contas o meu conselho vai ter tanto efeito como os dele, portanto...

Abraço.

Bcool973 disse...

Não se esqueçam que são vestutos seres que viram o grande Eusébio marcar golos fabulosos de todo o lado e mais algum e ele sempre disse que ficava no final dos treinos da equipa a treinar sozinho os remates à baliza.
Daí cresceu o mito que se um avançado treinasse muito o remate poderia evoluir à classe do Eusébio, marcando golos de qualquer lado.
Para os mais novos, como eu e o Constantino há a calorosa lembrança do Profeta que estragava 15 a 20 jogadas por jogo com remates inenarráveis, sem quaisquer condições, mas também os golos espectaculares que nos faziam esquecer a irritação que antes nos causara e perdoar-lhe pedindo que mais remates fizesse.
Não vou falar do golão do Abel Silva na final do Mundial em Riad, visto que ele nada fez no glorioso, mas para quem como eu viu os jogos dessa selecção através da montra duma loja de electrodomésticos perto da praça da renovação, enquanto gazetava a uns pares de aulas, esse golo foi inacreditável, não só pelo facto de ter sido marcado com o pé canhoto, que ao Abel apenas lhe servia para subir para o autocarro, como pela posição toda incorrecta no momento do remate.
Com os anos e face à cada vez menor qualidade dos avançados fui perdendo a esperança de ver alguém capaz de mandar uns balázios de meia-distância.
Mas com a vinda co pé canhão do Cardozo, apesar de estar escaldado quantos aos pé canhões que por aí desaguaram mas cuja pólvora estava seca, voltei a ter esperança de ver bajoladas como a que meteu no peruício quase da linha lateral.
Hoje já não peço remates a seguir ao círculo central, mas tenho saudades desses tempos do futebol romântico.

Bcool973 disse...

PS - o Postiga é uma merda

squadra rossa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
M. disse...

O Miguel Sousa Tavares, que acha cultiva aquele ar de solteirão de voz rouca, sem perceber que nós só conseguimos ver um bêbado chato com um discurso francamente desconexo, devia, como dizer, treinar mais a própria existência.
Irrita-me isso, da malta que quer é ver remates. E adoro o Cardozo, porque deve sempre quando rematar.
Epá, basicamente, tu e o Constantino escreveram logo tudo, não tenho mais nada a acrescentar. Tenho de estar mais atento e escrever primeiro que vocês. Que merda, temos mesmo de discordar na gastronomia.

Mr. Shankly disse...

Muito bem visto. Não há nada pior para uma equipa que um gajo que só quer rematar.
No primeiro ano de Benfica (e segundo também, vá) tínhamos um gajo que só sabia fazer duas coisas com a bola: rematar ou fazer assistências. Passe para o lado ou para trás não, antes perder a bola: Carlos Martins. Depois Jesus fê-lo ver a Luz, e o ano passado fez uma época bem simpática. Mas este ano foi dispensado. Mistérios.

Anónimo disse...

À Atenção do "Chuta-Chuta"...

Pedro disse...

Mr Shankly,

Antes de mais bom dia!

Só um reparo o Carlos Martins não foi dispensado, o rapaz viu que as chances de jogar de início são muito reduzidas, assim sendo ano de selecções pediu para sair para uma equipa mais modesta, isto de forma a poder jogar e ir ao Europeu, aposto com quem quiser que no próximo ano estará de volta!

Um abraço
Pedro

Mr. Shankly disse...

Pedro, para mim é igual. Ele pediu para sair e o Jesus deixou. É porque não contava com ele. A minha decisão teria sido outra.

DeVante disse...

Porque acham que o Chuta-chuta, mesmo não jogando um caralho, relegou o Nolito para o banco com o beneplácito dos adeptos?

Ricardo disse...

Shankly, também acho que podia ter sido de outra maneira - ter-nos-ia dado muito jeito, até porque, está mais do que visto, o Jesus não encontra ninguém dentro do plantel para substituir o Aimar. Há incoerências que são demasiado evidentes e que provam que, mais do que ter um fio condutor, o Jesus vai nas marés.

Devante, não acho que o César não tenha jogado um caralho, aceito que se critiquem os últimos jogos mas fez outros de grande qualidade - mesmo jogando numa ala, onde não é tão forte.

Mas esclarece-nos: por que razão foi Nolito relegado? E que beneplácito dos adeptos?

DeVante disse...

Só o Jesus saberá...já agora, gostaria que se desse esse "desconto" ao Gaitán, que também "não é ala"...

Mr. Shankly disse...

Ricardo, não sou tão crítico em relação ao Jesus como tu e normalmente dou-lhe o benefício da dúvida. Mas neste caso parece-me óbvio que o Martins faz falta, tanto para o lugar do Aimar como para jogar a 8 no 4-3-3. ou a interior no 4-4-2. Gosto do gajo, acho que é muito mais jogador hoje que há 3 anos, mas pronto. Acho que o Jesus contava muito com o Enzo para extremo, o que possibilitaria a utilização do Gaitan ou do Zanaki a 10.

De Vante, o Gaitan está a jogar numa posição que não é a dele, tal como o Bruno César. Certo. O facto de ele ter menos desconto não é pelo rendimento: é pela atitude. Eu sou incapaz de me chatear com o Emerson: não sabe mais, não vale a pena. Chateio-me com quem o contratou e com quem continua a achar que ele é e melhor opção. O Gaitan? Tem um talento imenso, quem o comprou fez o seu trabalho sem falhas. Mas o Gaitan às vezes parece que está a fazer um frete. No dia em que quiser, será um craque de nível mundial.

Diego Armés disse...

Que embrulhada que para aqui vai. Deixa-me cá organizar as ideias, a ver se não me perco. Portantos, a maneira como eu vejo a coisa é a seguinte:

1- é incompreensível, de facto, que Nolito não seja titular (mesmo que não sempre, mas pelo menos mais regularmente);

2- o Bruno César tem jogado vários caralhos, até, mesmo que deslocado da sua posição natural: defende, ataca, integra-se bem nas movimentações, tem bom passe e remata... Não vejo onde é que ele "não joga um caralho". Tem momento melhores e outros piore s- até o Aimar os tem;

3- não encontro "beneplácito dos adeptos" em sítio algum. Talvez eu seja uma pessoa distraída. Mas a sério que não encontro;

4- o Gaitán é um jogador preguiçoso, individualista, exibicionista e de amuos. Tem talento de sobra, mas personalidade muito escassa. É uma pena. Gosto muito dele e espero que seja bem vendido;

5- o Jesus é,d e facto, mais de maré do que de fio condutor. Isto quando não é mesmo contra as marés - a embiração com Nolito, a insistência em Roberto, a ostracização de Capdevilla, a ruptura com Nuno Gomes...

6- apesar de tudo, la nave va.

Hattori Hanzo disse...

Ricardo, não sei se o Jesus não acha nenhum substituto para o Aimar ou não quer encontrar. Eu no plantel vejo 3 que podem fazem fazer aquela posição: David Simão, Bruno César e Gaitan (embora este último seja polémico, sei que tu por exemplo o preferirias a avançado mais livre de apoio a um ponta-de-lança).

DeVante disse...

Não me admira que os jogadores do Benfica nunca saem por mais de 30M de Euros!

Parece que alguém anda a trocar os nomes dos jogadores, o Bruno César "defende, ataca, integra-se bem nas movimentações, tem bom passe e remata..."...fodas! "defende"???, "bom passe"??? Que chuta já sabemos, até porque tem essa alcunha, mas a defender e a integrar no ataque, enfim...

Sem o Bruno César na esquerda o Emerson até que sei-se bem...mas lá está, quem "amua" e "não defende" é o Gaitán...

O Benfica está onde está porque os jogadores que fazem a diferença e que realmente têm mercado são os mais criticados...