quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Um post que surpreende porque não prevê nada - ou prevê?

1) É provável que Luisão volte à equipa no próximo jogo, depois de ter estado ausente num ciclo de jogos difícil mas que a equipa, mesmo sem brilhantismo, superou bem, deixando, no entanto, cair o objectivo Taça de Portugal: Sporting (c); Marítimo (f); Otelul (c); Marítimo (f). Boas notícias para o Benfica, que se vê reforçado pelo seu líder e jogador fundamental na forma como se organiza toda o jogo a partir de trás. O erro de não ter assegurado um central de qualidade, que fosse a primeira alternativa à dupla titular, foi pago com a eliminação de uma competição que queríamos ganhar e com sustos desnecessários nos restantes jogos. Jardel esteve bem frente ao Sporting; em todos os outros, demonstrou não ter qualidade suficiente para ser jogador do Benfica. Comprar um central em Janeiro é claramente uma prioridade, se se quiser encarar o que resta da época com a necessária competitividade que as várias frentes exigirão. 

2) Emerson passou a estar nas bocas do mundo pela óbvia falta de categoria para representar o Benfica. Aqui, que se identificou o problema logo de início, essa discussão parece agora pouco interessante e acima de tudo nada produtiva. O que resta ao Benfica é assumir o erro e procurar corrigi-lo, indo ao mercado em busca de alguém que não só não prejudique a equipa - como o brasileiro - mas que lhe traga algo mais de que ela necessita: fulgor ofensivo pela faixa, imprevisibilidade, desequilíbrio. Ainda sobre Emerson, confesso a minha desilusão por ver que a prospecção de um clube como o nosso descobre "talentos" como o brasileiro para a titularidade. Alguém está a fazer o seu trabalho de forma deficiente - e com isso paga o Benfica. Pagamos nós.

3) A renovação de Maxi Pereira tornou-se numa novela cansativa e um bocadinho parola. É muito simples: se o uruguaio tem vontade em ficar no Benfica deve colocar um açaime no seu empresário e resolver, a seu gosto, as negociações; se não tem, pode sair. Nunca foi um grande jogador nem nunca o será - o que lhe valeu nos últimos 2 anos foi uma capacidade física extraordinária e um empolgamento ofensivo que trouxe alma ao jogo da equipa. Tecnicamente, é banal; defensivamente, tem erros que se acumulam e se acentuam esta época, em que parece estar de volta às exibições medíocres das primeiras duas épocas de águia ao peito. Gosto dele, claro, mas não me parece que tenhamos de endeusar um jogador que, além da qualidade assim-assim, põe tantos entraves à renovação de contrato. E, mesmo que fique no clube, espero que possa ter alguém que com ele lute pela titularidade. Pode vir já em Janeiro, para que se prepare a provável saída do uruguaio no final do ano. 

4) Por outro lado, Aimar. Não se sabe qual será o desfecho no final de época. Todos esperamos que renove e que nos permita vê-lo jogar por mais uns bons anos com a camisola gloriosa. No entanto, parece-me que todo o seu historial - futebolístico e humano - merece-nos a solidariedade da compreensão. Se Aimar quiser voltar à Argentina, só teremos de agradecer - estes 4 anos já ninguén nos tira. O que me preocupa é a excessiva dependência que a equipa tem do futebol do argentino. Culpa exclusivamente de Jesus, que insiste em não criar alternativas nem dar hipóteses aos que, no plantel, podem ser utilizados naquela posição - Bruno César, evidentemente, mas também David Simão. Não é muito avisado consumir todas as fichas em Aimar e depois, se ele sair, deixar a equipa sem ideias ou ter de mudar o modelo de jogo. E, já agora, mesmo ainda enquanto Pablito se mantém entre nós: na saída de bola, tem de vir atrás; não pode ficar tão distante dos lugares onde sabe construir e encontrar caminhos para o golo.
 
5) Bruno César não é ala, Gaitán não é ala, Matic não é trinco, Nolito merece muito mais tempo de utilização, Saviola está a ser desperdiçado - tudo evidências que o nosso treinador faz por, teimosamente, não entender e que originam perdas de forma, desmoralização de alguns jogadores, sentimento de injustiça e de que há uns mais preferidos do que outros - Jesus não sabe gerir um grupo de homens, do ponto de vista mental, e é por isso que, em vez de ser um treinador de sucesso continuado, será sempre um bipolar, entre a frustração e a glória. Espera-se agora que, vendo Bruno César de rastos (não é um ala, não é um ala), e tendo a sua aversão a colocar Nolito em campo (não se sabe bem porquê), Jesus não decida estragar outro jogador, Rodrigo, colocando-o encostado à faixa. É que tem sido notável a forma como Jesus tem esvaziado todo o talento que tem à sua disposição. Só falta ver David Simão a lateral-esquerdo ou Ruben Amorim a médio-esquerdo. Ah, espera...

6) O futebol praticado é confrangedor: não só pela falta de qualidade em termos puramente futebolísticos mas pela falta de solidariedade entre os jogadores. Na primeira parte do último jogo da Madeira, o Marítimo criou a única oportunidade clara de golo de que dispôs (que acabou, claro, com defesa de Artur) na sequência de um lance do nosso lado direito em que há um jogador que perde a bola (Rodrigo ou Cardozo), deixa-a para o lateral maritimista, com Maxi para 3 jogadores por essa faixa, e fica a gesticular, a passo, como se o que se estava a passar ali fosse algo em que não teria de participar. É um lance que resume bem as quebras de concentração e agressividade ao longo do jogo que esta equipa tem. Em bolas paradas, vêem-se dois ou três preocupados com os espaços a ocupar na área - Javi, sempre; Luisão, sempre; Garay, sempre -, com aqueles bracinhos esticados à meninos de jardim-escola, e outros perfeitamente alheados do lance, olhando para outro lado, mexendo nas meias, incapazes de ficar dentro do jogo durante o tempo que ele dura. Emerson, então, é de levar um adepto à loucura. Aqueles olhos perdidos, como alguém de 3 anos que foi deixado sozinho no meio de uma praça de touros, aqueles braços para baixo, o susto, o medo, o temor, já originaram 342 inícios de ataques cardíacos a jovens e idosos por esse Portugal profundo, sempre que a televisão decide focar o temeroso brasileiro. E isto torna-se ainda mais triste quando, um dia antes, tínhamos visto a melhor equipa de futebol do Mundo demonstrar que a vitória não é só consequência da qualidade superior dos seus atletas ou da visão táctica acima da média do seu treinador. O que aquela equipa tem, mais do que qualquer outra - e essa é também uma das razões por que tanto fascina -, é uma solidariedade e um espírito combativo que não têm paralelo nas restantes. A perda de bola não significa ir a passo para trás, sejas tu avançado ou médio ofensivo, trinco ou defesa-central. A perda tem de ser o momento imediatamente anterior a logo partirmos em busca da posse - verdade tipo lógica da batata mas que no Benfica não se vê. Aliás, o Benfica parece muitas vezes voltar aos anos 70 e 80: há uns que defendem, outros que atacam. E no meio, Aimar, tipo playmaker dessas décadas. O Jesus devia ver isso. Ou então o gajo lá de cima, aquele que está em constante "online".

7) Apesar de tudo isto, temos o quê? Oitavos da Champions, liderança do campeonato. Então tu - jovem, adulto ou idoso -, que sofres pelo Benfica, estás à espera de quê? Sexta-Feira, dia feliz de descompressão, podes ir ver o Benfica acabar com esta parca ração de futebol e golos e brindar-nos com uma noite de goleada, enquanto os artistas nos deliciam com futebol de eleição. É às 20:15, não te esqueças.

Nota sobre o concurso: afinal o anúncio dos vencedores só aparecerá amanhã. Isto porque ainda não existem. No meio de respostas erradas, más performances criativas e algumas coisinhas mais giras, vou ter de inventar um regulamento qualquer que permita encontrar os 3 felizardos. Não vai ser nada fácil. Amanhã, por volta da hora de almoço, que é a altura de ir comprar os bilhetes, já saberão as vossas sortes.

17 comentários:

Socio slb nº 218219 disse...

Ricardo: não te retirando razão em alguns pontos, gostei sobretudo do apelo final... abraço

pv disse...

Não posso ir na 6ªf mas já tratei de encontrar alguém que dê bom uso ao meu red pass e ao bilhete de oferta da troika.
É para ganhar, e ganhar bem! :)

O resto infelizmente é demasiado óbvio para ser contestado ou comentado...

Esimest Korda disse...

Clemente Rodríguez e Nicolas Colazo apontados ao Benfica

Pedro disse...

Ricardo,

Lá estarei novamente na sexta!

Viva o Benfica!

Abraço
Pedro

Arsène Lupin disse...

Boa análise.

Se bem que um pouco severa com o Jardel. Talvez ache isto porque as minhas expectativas não eram nada altas em relação a ele, mas acho que não comprometeu, o que já foi bem bom. Se devíamos ter uma alternativa melhor? Devíamos.

6ª feira é um óptimo dia para termos uma boa casa na Luz. Desilude-me ver sempre os mesmos. Os tempos estão difíceis, mas ainda assim acho que a nossa média de assistências devia ser bem melhor. A medida de um bilhete grátis com Redpass parece-me um bom incentivo.

Vamos a essa goleada... nem que seja uma goleada por 1-0, que dá na mesma os 3 pontos.

Manuel disse...

Um post de alguém que acusa outros de bipolaridade, quando é ele o melhor exemplo da doença

Toda esta verborreia, que lhe deve ter levado algum tempo a escrever, pode resumir-se ao seguinte:

O Jardel não é jogador para o Benfica, o Emerson não é jogador para o Benfica, Maxi é jogador banal e por isso também não é jogador para o Benfica. Jesus não é competente, não arranjou substituto para Aimar, não é bom condutor de homens, é bipolar pois só estraga jogadores. O futebol é uma lástima, os jogadores parecem esgazeados e ninguém vê nada.
Por fim, para não parecer mal, aconselha os adeptos a irem ao estádio.

Que tal uma consulta no psiquiatra?

M. disse...

Parece-me que os problemas em geral se vão manter, tirando Emerson, que poderá ter um substituto já no mercado de Inverno.
A concentração subirá ou descerá conforme nos apanharmos isolados em primeiro ou em segundo. A gravidade é essa: o Benfica tem um plantel fabuloso, mas teremos que esperar por um erro adversário para os jogadores começarem a acreditar "daquela" maneira, vencendo as desconcentrações nas bolas paradas e em vários momentos do jogo - que são (isto é fundamental) o acumular dos erros organizativos.
Assusta-me que o Benfica me pareça incapaz de virar um jogo (não um jogo tipo Paços em casa, mas um jogo em Braga ou na Madeira). Olhando para os adversários, também não vejo ninguém capaz de embalar futebolisticamente (já de outras maneiras, mais tortuosas e sobejamente conhecidas, há um candidato crónico), pelo que acho que este Campeonato será de um sofrimento constante, à espera que o do lado escorregue primeiro em vez de melhorarmos a tal ponto que nos dê a confiança que nos faça nunca escorregar.
Volto à discussão latente neste blog entre pessismistas e os outros: EU QUERO QUE O BENFICA GANHE. E quem acha que eu sou menos Benfiquista por temer o pior tem uma concepção errada de clubismo.
Um abraço

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Ricardo disse...

Abraço, Sócio.

É isso tudo, PV.

Abraço, Pedro.

Arsène, não é assunto de que se fale muito por aí mas é, de facto, um problema: temos pouca gente no Estádio. Acho que as pessoas não pensam muito nisso porque, ainda assim, somos o clube que leva mais adeptos aos jogos mas, tendo em conta a diferença quantitativa, deveríamos ter muito mais gente. No mínimo, 40.000/45.000 pessoas. No mínimo.

E, sim, uma goleada por 1-0 chega. Mas acho que era importante uma vitória mais folgada, com um futebol vistoso. Dá moral e chama mais gente ao Estádio.

Finalmente, Manuel. Passas os dias em comentários anónimos. Assim, é mais bonito. Vens todo janota, registadinho e discutes os assuntos. Sim, senhor. Orgulho em ti. És uma mais-valia clara para a blogosfera benfiquista.

M., a equipa não tem tido capacidade para recuperar de resultados adversos. Já não tinha o ano passado e mesmo no primeiro poucas foram as ocasiões - lembro-me de um jogo na Figueira da Foz, não sei se houve mais. Isso também demonstra alguma fragilidade mental que as equipas de Jesus têm. Acima de tudo, flutuação emocional: tanto estão em êxtase como em depressão. E, sim, uma grande equipa tem de ter essa capacidade de resposta a um momento mais difícil. Gostei de Manchester, este ano. E foi só.

Éter disse...

1- Acho que não deve ser fácil arranjar um central com muita qualidade que sabe que vem para cá aquecer o banco, porque a dupla Luisão/Garay é realmente muito boa. Além disso a conjuntura já não dá para grandes investidas. Falou-se muito no tal Dedé mas eu pergunto: faz sentido arrotar 5 ou 6 milhões por um gajo que só vai jogar na Taça da Liga? Não gosto muito do Jardel, mas ele desenrasca.

2- Para mim o Emerson veio para ser suplente de outro gajo qualquer que entretanto, e porque algo correu mal, não chegou a vir. Depois veio o Capdevila em cima do joelho mas o Jesus não conta com ele e o Emerson passou a titular de caras. É evidente que precisamos de um lateral esquerdo a sério.

3- Esse assunto já cheira pior que mal. Não sei o que pensar. Acho que o Maxi já era, boa viagem.

4- Concordo. Aimar está a tal distância do comum jogador que se não quiser renovar para voltar ao seu país só lhe posso mesmo agradecer o tempo que passou por cá.

5- Nolito entrou em grande e depois esfumou-se aos poucos. Hoje é uma pálida sombra do jogador do princípio da época e aqui há demérito de Jesus que não soube regar e acarinhar a plantinha. Depois veio o Bruno César marcar golos e mais golos e isso ia disfarçando o facto de não ser jogador de linha, algo que agora já não dá para disfarçar.

6- O que me preocupa no futebol do Benfica é que não acho a equipa capaz de dar um abanão no jogo quando tal é preciso. Mas quando digo um abanão é mesmo um abanão, do tipo de não deixar a outra equipa respirar durante pelo menos 10 minutos seguidos.

7- Lá estarei. Acertei na pergunta que dava o bilhete mas como já tenho declino e pagas-me em álcool.

M. disse...

Ricardo,
A estabilidade emocional é parte da inteligência. O coeficiente emocional é tão importante como o QI. O Porto tem um coeficiente emocional brutal (vejam o número de finais perdidas, a forma como entram a matar nos clássicos, etc), quase tão grande como o doping que fez agigantar Maniche e James Rodriguez, mas adiante.
O Benfica, não só pela sua massa associativa, vive na bipolaridade. E, para que se saiba, os bipolares andam a maior parte do tempo deprimidos (até se matam). E quando têm surtos de mania às vezes gastam as poupanças todas no casino. Depois há uns que pintam muito bem muitos quadros, mas esses são raros e eu nunca vi nenhum.
E é essa bipolaridade - e sobretudo a história prévia que o Benfica tem da mesma (agudizada por JJ) - que me assusta. Porque este Campeonato não se vai ganhar pelo efeito Mantorras.
E é que essa bipolaridade, ligada à nossa incapacidade de jogar bem, explica porque é que nós não massacramos adversários (com os tais 10 minutos seguidos sem que eles saiam do meio campo).
É isso que me assusta e muito. Era bom que a equipa ganhasse (primeiro que tudo) a jogar bem (a seguir ao primeiro que tudo, nunca antes) para que essa estabilidade aparecesse. Assim, continuamos a patinar em gelo fino.

(E o post do Diego Armés sobre o Cardozo? Que delicia.)

Ricardo disse...

Éter,

1 - Fácil não será, mas é por isso que existe um departamento entregue à prospecção. Se não há dinheiro para loucuras - embora elas aconteçam regularmente, sendo os milhões gastos num campeão do Mundo para ele andar a marcar golos em jogos contra a Pobreza e a tirar bolinhas dos sorteios da UEFA um exemplo do despesismo que grassa pelo clube -, contratem barato e bem. Conheçam a fundo os jogadores que compram, não se limitem a ver vídeos pelo youtube ou a ouvir umas palavras mais dóceis de um empresário amigo. É possível comprar um excelente central de futuro por 500.000 ou um milhão de euros. Um jogador que traga qualidade e talento por explorar, enquanto vai podendo afirmar-se sem pressões, ocupando os jogos em que a dupla titular não pode jogar junta. Há muitos e bons jogadores. Não precisamos de grandes investidas. O Dedé agrada-me muito. Claro que agora serámais caro. Mas nós temos um poder negocial (ou deveríamos ter), que são os empréstimos do Bastos e do Éder Luiz. Se o não aproveitamos, somos parvos. Está ali um central de grande categoria e grande futuro. E eu acho que um clube que quer lutar em várias frentes e quer estar de forma consecutiva e forte na Champions League tem de ter pelo menos 3 centrais de qualidade inegável. Ora, Miguel Vítor e especialmente Jardel não são o que pretendemos. E é perigoso contar com essa do "desenrasca" - percebo o que queres dizer, mas acho que não devíamos ter de arriscar desenrascas porque corremos o risco de ficar enrascados.

6 - Completamente. Esta equipa, mesmo quando precisa (como na Madeira) não sabe dar "15 (10, vá) minutos à Benfica". Faz tudo muito lento e previsível. Na Madeira, então, nem foi só isso: fez mesmo tudo quase sempre muito mal.

7 - Lá estaremos. Pago, claro. E a seguir pagas tu. E a seguir pago eu. E a seguir pagas tu. Não, claro que não. A água não se paga.

M., não tenho nada mais a dizer. Concordo com tudo o que escreveste.

(o post do Diego está isso mesmo: delicioso. Honra muito bem a memória de Nelson Rodrigues).

Bcool973 disse...

Concordo com quase tudo menos com essa afirmação que somos incapazes de reagir estando a perder contra adversários complicados. É certo que não ganhámos mas recuperámos nas Antas - 2 vezes, em Braga e em Manchester. Preocupa-me mais o tirar o pé do travão contra adversários mais fracos que ou nos causaram perdas de pontos (e eliminação) ou sustos valentes, em especial porque depois de tirar o pé já não conseguimos voltar a pôr prego a fundo. Atenção que não existem alternativas credíveis ao Cardozo e que a saída dele implica mudança da forma de atacar para algo em que não estamos rotinados, pelo que temo que em caso de lesão ou castigo do Cardozo (à semelhança do Javi e do Maxi, que mesmo estando nas lonas é infinitamente superior às alternativas, são quase insubstituíveis, visto que o Jesus não arranjou alternativas credíveis) acabe definitiva e prematuramente o sonho do campeonato como acabou o da taça.

Constantino disse...

Ricky (van wolfswinkel??),

1. Estas~paragens do Luisão por lesão a mim não me convencem. O tipo tem pinta de jogar até de algália a tiracolo por isso não há-de ser uma merdinha de 3 ou 4 milimetros a para-lo. Um gajo que tem os dentes todos traçados a arame farpado, de certeza que resolvia uma contracturazeca com meio metro de fio de guita ou um prego de cavilha. Ele parou porque o Jesus quis dar rotação ao plantel e mostrar ao Fulham que o Jardel é bem melhor que o Halliche.

2. Emerson não é mau lateral, ate porque para isso era necessário ser mesmo um lateral. O problema dele, para mim, é jogar numa área com pouco espaço. o rapaz olha para a direita, esta la o garay todo façanhudo e com pinta de cigano; olha para a esquerda esta la o placard electronico com merdas escritas a desconcentrar e o jesus aos berros com ele. Metam-no a 10, longe da linha e do Garay que ele de certeza que se solta mais.

3. No primeiro ano chamei mais nomes ao Maxi do que ao Luis Filipe (como esquecer aquela ala direita). Se o tipo não renova, 2012 pode ser o regresso ao passado.tenho pouca paciencia com consumidores de mate com a mania que são actores de novelas mexicanas.

4. Ha quem diga que Aimar é um dos jogadores mais inteligentes do mundo. Entretanto o messi veio dizer que o Pablito era o idolo dele. Neste precismo momento o argentino barcelonês mostrou que é bem capaz de ser ele o jogador mais inteligente do Mundo. Fossemos nós lagartos e todos os anos comemorariamos o aniversario do "querem ouvir...querem ouvir...querem ouvir... goooolooo". A mim o que mais me chateia no Aimar é que quando eu jogo à bola tento fazer exactamente o que ele faz e não consigo. O filho da mãe fá-lo com tanta facilidade...

5. Bruno Cesar não é ala, mas ao menos é esperto o suficiente para saber os seus limites. matic não é ala mas ainda não descobriu os seus limites. Perde bolas, não só porque abusa dos seus recursos tecnicos, mas tambem porque lá no cima do 1,97m dele o ar deve ser rarefeito e não o deixa pensar convenientemente. Entretanto o Nolito e o Saviola olha um para o outro e dizem: nosostros los pequeños é que lá sabiemos toda...

6. Ás vezes parece que os nossos jogadores se convencem que para serem considerados solidarios lhes basta dar uma camisola para leilão ou sangue para a medula. Contudo existem raras excepções: ninguem em Portugal é tão solidario como o Garay. Não fosse a solidariedade dele para com os erros do emerson e estariamos em muitos piores lençóis. Acima de tudo, parece-me que nas aulas de portugues que os nossos jogadores estrangeiros frequentam, a primeira coisa que lhes ensinam a dizer na lingua de Camões é: olha, vai lá tu que eu agora não posso. Que é mais ou menos o que todos os jogadores do SLB dizem ao Cardozo na hora de marcar: chuta tu que eu não posso... e ele chuta.

Abraço

Hattori Hanzo disse...

1 - Não acho que Jardel seja jogador para o Benfica (nunca o foi.. lembras-te de eu dizer no final do ano passado que deveria ser despachado?), mas admito que ele não tenha estado mal nos jogos em que substitui o Luisão e a eliminação contra o Brasil não foi por culpa (pelo menos exclusiva dele). Por outro lado penso que Miguel Vítor poderia ser o 3º central que poderia chegar, mas o "mestre" da táctica deve-o achar muito pequeno por isso anda-o a queimar como tapa-buracos nas laterais e é assim a 3ª escolha em tudo.
2 - Por mim não iria buscar alguém. É óbvio que Emerson não chega, mas se há um problema com este lado é exclusivo de Jesus e ele que o ressolva. Não é esbanjar dinheiro só porque ele faz birra por não querer alguns jogadores que lhe foram comprados.
3- Maxi parece-me um lateral bom, mas este ano está esgotado fisicamente e muito provavelmente psicologicamente devido à situação. É inadmissível como nunca se foi arranjar alguém para lhe fazer competição (se foi Jesus para variar nem sequer lhes deu oportunidades como Wass por exemplo). No 1º ano ele fez uma má temporada porque não jogou na sua posição, mas fez um aceitável 2º ano no clube. Apesar de isto duvido que fique e caso isso aconteça o Benfica já deveria se ter acautelado, algo que claro que não se fez.
4 - Quanto a Aimar sem tirar nem pôr.
5- Sobre Jesus acho que não preciso dizer mais nada. Esqueceste-te só de uma coisa: parece que também já anda a colocar Nelson Oliveira numa das alas(pelo menos no jogo-treino contra os júniores estava nessa posição). Mas isso parece ser habitual nele Em que posição acabou mesmo o ano passado a jogar Jara?
6- Ajuda é para meninos. Tem muito mais piada cada um estar na sua. É mais complicado e sabe melhor assim a vitória.
7- Claro que lá estarei, mas de facto é confrangedor as assistências que existem na Luz (e não só em Futebol)É só comparar por exemplo com o que se vê todos os fins-de-semana em Inglaterra (e não só na Premier).

apenasfutebol disse...

Pois...o Jesus é um labrego que diz "padrada" e é teimoso que nem um burro, e ainda, diz-se que é comissionista...mas só de me lembrar que Quique Flores passou por aqui há tão pouco tempo...e só de pensar que o Jesus poderá ir para Madrid (provável face à parceria entre LFV e o Atlético), juntando a incapacidade e incompetência de LFV em encontrar sucessor...até me arrepio todo!!

Manuel disse...

Ó Ricardo, aqui nunca comentei como anónimo. Faço-o por vezes em blogues andrades. E o que tens tu a ver com isso?