segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Ainda Leverkusen (após uma semana a chicotear-me pelo Jesus ter feito o que ando a escrever há 3 anos e meio)

- Sim, 3 anos e meio depois Jesus compreendeu o que deve fazer nos jogos de dificuldade média/elevada. Pena ter demorado tanto, mas mesmo os benfiquistas menos católicos não terão problemas em ter esperança na conversão do mister. Acreditemos, companheiros, acreditemos. Continua a ler o blogue, Jorginho, que só te (nos) faz bem.

- Matic numa posição mais favorável às suas características. (Ainda mais) luxo.

- Tendo em conta a forma como o Leverkusen sabe jogar, apostar no 442 suicida na Luz será isso mesmo: um convite à nossa própria morte. Manter um avançado apenas, com Gaitán nas suas costas. A peregrina ideia de que jogar com muitos avançados faz ganhar mais jogos e marcar mais golos devia dar pena de prisão. 

- Muito importante analisar o último lance do jogo por aquilo que ele revela do que deve ser a atitude competitiva de um jogador. Revejam a jogada e observem Melgarejo. Imaginem que o paraguaio tinha ficado parado como vários colegas seus. Fixem a imagem no momento em que entra o cabeceamento/assistência para a desmarcação do jogador do Leverkusen. A antecipação dos lances, a constante concentração competitiva e a crença de que se chegará à bola antes de ela entrar: tudo isto Melgarejo teve no último minuto do jogo. Com isso segurou a vantagem da equipa. Uma lição para apresentar no balneário antes dos jogos.

- Fantástico Artur. A diferença de um medíocre para um bom guarda-redes também está nisto: a resposta a um momento menos feliz. Em Leverkusen, Artur foi O REI. 

20 comentários:

hertz disse...

- Bem, como diz o ditado: mais vale tarde do que nunca. O JJ desta época está diferente para melhor, aliás, acho que desde que chegou ao Benfica tem vindo a evoluir e a melhorar. Esta época, montou um equipa competitiva e capaz de lutar por títulos após ter perdido 2 jogadores chave. Tem estado bem a gerir o plantel e a preparar a maior parte dos jogos.

- Matic tem estado enorme.

- Para a Luz o JJ vai montar uma equipa prudente pois ele próprio referiu o grande valor do Bayer.

- Também reparei nessa cena do Melgarejo. O jogador do Bayer fica isolado e os jogadores do Benfica reduziram a passada como que se conformando que a bola ia entrar mas lá surgiu o Melgarejo a alta velocidade com a convicção que iria tirar aquela bola. Vê-se bem que ele vem a correr e em momento algum abranda, ao contrário dos colegas que ficaram petrificados. Foi talvez a melhor exibição do Melgarejo coroada com aquele lance.

- Vejo aí algumas análises em alguns blogs a falar nas escorregadelas do Artur. Fdx. O homem faz uma exibição fantástica e é isso que preferem destacar? Foi um Rei. Sempre muito seguro, confiante e concentrado.

Pedro disse...

Ricardo, o que me tenho rido com alguns comentários por aqui todos contentes com a vitória na Alemanha, dando-te uma bicada, sem perceber que elogiar a vitória na Alemanha é reconhecer tudo o que tens dito por aqui como verdade. LOL

Ricardo disse...

Pedro, estive uma semana sem acesso a este fabuloso mundo. Hoje vim aqui ler os comentários e é de cagar o planeta a rir. É um facto: nem todos foram fornecidos com amor bastante. Sobre as células cinzentonas, só tenho pena que as não tenham distribuído por todos os meus homónimos.

pge disse...

Mas digam-me lá uma coisa o Benfica como é que jogou em Glasgow, que tanto se fartaram de malhar no JJ?

Ricardo disse...

Pge, dize-me: como jogou Benfica em Glasgow?

pge disse...

Assim de memória jogou com:
Matic, Enzo
Aimar
1 Ponta de lança.

Ricardo disse...

Obrigado. E assim estamos conversados.

pge disse...

Pois.

Ricardo Ricarte disse...

O Aimar jogou é verdade, mas na tactica do "peito aberto" como segundo avançado e não como numero 10, a tactica era a mesma e não como agora na Alemanha!!! Isto foi o que eu vi.....

Saudações.
CARREGA BENFICA, PARA CIMA DELES.

Nuno Pinho disse...

No ano passado, em Londres, frente ao Chelsea, o Jesus entregou o meio-campo ao Matic e Witsel e deixou o Aimar mais solto para organizar o jogo ofensivo. Jogou com dois médios-centro, linhas avançadas (Javi estava como central, mas em vários momentos do jogo ocupou a posição 6) e apenas um avançado (Cardozo).
Foi apenas uma variação da táctica apresentada em Leverkusen.
A opção de povoar o meio-campo ganha mais força em jogos de maior dificuldade, em parte porque o Aimar perdeu espaço na equipa. Julgo que era esse ponto a que um dos entrevistados deste blog (Marinho Neves?) se referia quando disse que o Aimar não jogaria se fosse treinado pelo José Mourinho.

pge disse...

Ó Ricardo Ricarte, mas em Glasgow jogámos de peito aberto ou o JJ teve medo? Porra decidam-se.

Anónimo disse...

Então mas o Melgarejo não era uma merda e uma invenção estúpida do JJ?

rui disse...

vamos despedir o jorge,ja temos treinador

Ricardo disse...

Vocês não aprendem nada, pois não? Vêm aqui diariamente, lêem umas merdas sempre com o vosso filtro de ódio e não percebem. Agradeçam a este blogue e aos seus escribas o que nós temos feito pelo Benfica. Uma vez na vossa vida. Ah para isso têm de perceber o que aqui é escrito? Pois, realmente é verdade. Então não venham. Vão à Tertúlia Benfiquista que lá é que é bom.

pge disse...

O futuro dirá o bem que andas aqui a fazer.
Percebo melhor o que tu aqui fazes do que aquilo que tu julgas. Não me pareces um gajo totalmente inconsciente e irresponsável.
Mas cuidado pra não morrermos todos sufocados na exigência.

Quanto á Tertulia, é lá contigo e eles não precisam, nem quereriam que eu os defendesse aqui.

Ricardo disse...

Não é o futuro que dirá, o passado e o presente já dizem tanta coisa. Eu não tenho culpa de que tu não os entendas.

Não sou um gajo totalmente inconsciente e irresponsável. Eu sou um gajo que quer mal ao Benfica, é isso que me move, pppppggggeeee.

Ricardo disse...

Quando puderes, ppppppppggggggeeeee, explica-me como jogou o Benfica em Glasgow. Um bocadinho de futebol nunca fez mal a ninguém.

Pedro disse...

Em Glasgow o SLB deixou de ir à procura da vitória. Tinha o jogo controlado e preferiu adormecer o jogo, ficar-se pelo empate do que ir à procura da vitória que estava ao alcance. Foi isso que sempre critiquei.

Jogar com apenas Cardozo ou Lima e depois com um Aimar e Gaitan não significa mudança alguma se Aimar ou Gaitan jogarem adiantados. A táctica é a mesma. A mudança táctica é Aimar ou Gaitan jogarem no meio campo como jogaram em Braga por exemplo. Os nomes são irrelevantes. O q importa é a posição que ocupam no campo.

pge disse...

Pois foi Pedro, decidiu adormecer o jogo. Se não decidisse era um vaidoso. Por coincidencia fomos os unicos a ir lá buscar pontos.

David Duarte disse...

Pontos não!! Um ponto. Se tivessem sido pontos (3 pontos como poderiam ter sido visto a qualidade de jogo apresentada pelo Celtic) estariamos nos oitavos da Champions.