quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O Pecado da Gula

É mais forte que Jorge Jesus: quando se sente por cima, num jogo ou num campeonato, não resiste a forçar em exagero a nota ofensiva. Será um caso reiterado de arrogância táctica. Há dois anos estava a ganhar ao FC Porto em casa quando Aimar se lesionou. Poderia ter dado consistência ao meio campo mas lançou Rodrigo e passou a ter dois avançados puros no eixo. Perdeu por 3-2. Já este ano, estava a ganhar por 3-1 ao Sporting para a Taça e até a ameaçar goleada. Jogava com três médios puros quando um se lesionou (Amorim). Não resistiu a lançar Cavaleiro e a voltar ao sistema de risco, de quatro atacantes, agravado com o facto de ter trocado o melhor gestor de posse de que dispõe por um jogador propenso à perda de bola. Sofreu dois golos e a eliminatória só foi salva no prolongamento. Em Barcelos, a situação repetiu-se.

Ponto prévio: foi pouco valorizada a exibição do Benfica ante o Gil Vicente. A equipa encarnada está num óptimo momento, os jogadores apresentam uma condição física invejável (ganharam quase todos os duelos num terreno impróprio) e, mesmo com todas as vicissitudes, o resultado normal teria sido uma vitória da equipa da Luz. Ou seja, mesmo tendo o melhor plantel, de longe, a verdade é que Jesus voltou a pôr o Benfica a jogar bem e transformou-o de novo no candidato principal ao título. Só não resistiu, mais uma vez, ao pecado da gula.

Líder da prova e com o FC Porto derrotado na mesma tarde, o Benfica estava por cima no jogo quando fez o primeiro golo, mesmo com menos um homem em campo. Uma leitura realista - que Jesus já teve noutros jogos - recomendava que entrasse Amorim (ou André Gomes, se contasse), reequilibrando a equipa. Não entrou, e foi uma questão de poucos minutos até Cardozo ser chamado. O mal não foi lançar Cardozo com o jogo empatado - opção natural e totalmente justificável -, o problema é que Cardozo ia entrar mesmo em vantagem no marcador (e um homem a menos). Numa equipa que devia baixar linhas, gerir posse e aproveitar espaço, seria o jogador errado na hora errada. A rábula do penálti prova que o paraguaio usufrui de um estatuto que mais ninguém tem no plantel e Jesus deveria ter assumido logo que há uma hierarquia, sem responsabilizar os jogadores por uma decisão que só a ele compete. Que Cardozo tenha atirado e falhado é normal, é futebol.


Carlos Daniel


5 comentários:

trindademind disse...

Vocês não dormem a pensar no JJ... "O mal não foi lançar Cardozo com o jogo empatado - opção natural e totalmente justificável -, o problema é que Cardozo ia entrar mesmo em vantagem no marcador (e um homem a menos)." Até quando o homem faz algo certo, vocês conseguem arranjar um ângulo para dizer mal.

Agora a sério, opiniões todos têm e as vossas são válidas como todas as outras, mas porque é que não debatem outros assuntos também? Porque é que não lutamos contra os poderes instalados no Norte?

Ricardo disse...

trindademind, quem não dorme a pensar noutro qualquer parece ser o meu caro. Veio aqui com toda a sede do mundo para criticar o que aqui fazemos e nem se apercebeu de que o texto não é nosso, é do Carlos Daniel. Um texto que eu corroboro a 100 por cento e que, aliás, vem na sequência da minha breve análise ao jogo num post que tem dois dias.

Debater o Benfica é a forma como vivemos o clube. Se quiser argumentar contra o texto, força; cá estaremos para, com todo o gosto, lhe respondermos ao que pudermos e soubermos. Se prefere dizer que queremos é "ângulos" para dizer mal, retiramo-nos da conversa porque não terá qualquer interesse.

Por que é que não lutamos contra os poderes instalados no Norte? Bem, logo à partida porque somos de um clube que está a ser desgovernado por vários adeptos de outros clubes, incluindo o Presidente actual que, perante a possibilidade de ver um corrupto do Apito Dourado como Presidente da Federação, o apoio inequivocamente (palavras do Presidente do Benfica). Ora, sendo assim, resta-nos defender o Benfica. Dos corruptos do Norte e dos corruptos do Sul - alguns deles enfiados dentro do nosso glorioso clube.

Abraço e... abra essa mente.

Bruno Andrade disse...

Cardozo já estava a aquecer e para entrar quando ainda estava 0-0. Jesus congelou a subtituição um pouco e esteve à conversa um pouco com Ruben Amorim mandando-o aquecer. A ideia era lançar Cardozo primeiro porque já tinha o aquecimento feito mas Amorim logo a seguir. O problema é que levou o golo do empate.

Kiddo! disse...

"Ora, sendo assim, resta-nos defender o Benfica. Dos corruptos do Norte e dos corruptos do Sul - alguns deles enfiados dentro do nosso glorioso clube."

Nem mais! Comecemos por arrumar a nossa casa e criemos as bases para o ataque final ao poder instalado no futebol português!
Não precisamos de um presidente que gosta tanto do Benfica como de outro clube qualquer que lhe possa proporcionar as condições necessárias ao seu enriquecimento!
Por acaso ele ontem esteve com a equipa em Penafiel?!

Cumps.

luis disse...

"A rábula do penálti prova que o paraguaio usufrui de um estatuto que mais ninguém tem no plantel e Jesus deveria ter assumido..."

Já li 7 vezes ;) e não é preciso acrescentar mais nada ;)

Comentário Nota 7, na escala de 1 a 7 ;)

B T T