quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Dá Deus nozes a um Jesus sem dentes

Sim, esqueçam. Dediquem-se a outras áreas da vida igualmente interessantes: plantem na vossa marquise de Massamá aquela buganvília que andam a namorar sempre que vão aos Domingos ao Continente; façam longas e saudáveis caminhadas pelo Cais Sodré e acabem na Tasca do Cid às 9 da manhã a comer torresmos e ovos cozidos; tenham filhos para alimentar o ego ou para esquecer a depressão; matem os filhos quando eles crescerem; pintem a casa com aquele salmão que a vossa Maria vos anda a pedir há mais de 10 anos; oiçam consecutivamente o extraordinário álbum “Linda Sónia”, do Nel Monteiro, que vos chama do palanque giratório daquele café em Trás-os-Montes onde vão embebedar-se nos Julhos quentes; vistam a tanga fio dental de leopardo que a sex shop de Odivelas teima em apresentar-vos todos os dias, no vosso caminho para o comboio; ponham um rímel e aquela sombra para os olhos que há tantos anos vocês anseiam por experimentar. O que quiserem. Mas esqueçam, por favor, o campeonato.

Bem sei que o poder da ilusão - ou o mero desconhecimento desse dom tão extraordinário que é a antecipação dos acontecimentos – é capaz de levantar ventos e tempestades tais que o adepto meio que fica inebriado pelo perfume de um jogar selvático, instintivo, vertiginoso e ofensivo. Sim, o Benfica tem momentos de sublime coragem e talento atacantes, puro deleite aos olhos, aos sentidos e ao coração. E, por esse facto, nos deixamos tão facilmente levar na onda empolgada da esperança sem razão. Mas pensem mais um bocadinho, leiam o que o nosso timoneiro diz com atenção e, depois de fazerem todas as contas, concluam: não vamos vencer o campeonato.

Para Jesus, o que verdadeiramente importa é o processo ofensivo. As questões defensivas, diz o nosso líder, são questões de somenos. Importante, fundamental mesmo!, é treinar os mecanismos que produzam futebol espectáculo e, caso a ampulheta do tempo e a inspiração do momento estejam connosco, golos. Mas só se os elementos decidirem juntar-se numa orgia festiva de futebol de ataque com finalizações acertadas. Caso contrário, paciência, ficará para outro dia. O risco, diz quem sabe – ou seja: o nosso guru -, é a forma como vê o futebol. Que importa sofrer 2 se se marcam 3? Ou que importa se se sofrem dois e só se marca um, se aquele perfume, aquela coragem, aquele vertiginoso jogar estiverem presentes? Nada, absolutamente nada.

Aprendamos com Jesus, porque é ele quem nos avisa: o 433 - que aqui neste tasco lançámos ainda a época ia em forma fetal e que ele tem sido forçado a usar, embora algo consternado - não é mudança nenhuma em relação ao 4132 da época passada. Razão? Aimar está mais avançado no terreno. Extraordinário pensamento. Não fosse o facto de Aimar ser indubitavelmente um médio e de não jogarmos agora de forma suicida com dois extremos e apenas um gajo no miolo, e a gente quase acreditava. Mas calma. Não julguem que Jesus, apesar de querer vender-nos a banha da cobra, estará convencido com esta mudança (que para ele não existe). Esperem pelo próximo jogo, que ele vos trará todo lampeiro aquela táctica boa com que ele decidiu iniciar o campeonato e com ela perder dois pontos logo de entrada.

É que a Jesus ninguém convence de nada. Temos um lateral de qualidade superior? Temos, mas não joga. Jesus crê na possibilidade de escolher os piores para assim provar que ele é que tem razão. E, se nada disso sair provado, há-de ter sido culpa de seu Pai, sempre tão irado e propício a fúrias divinas que mudam os destinos dos jogos. Temos um extremo puro no plantel? Temos, mas vai ser emprestado. Isto porque – e, uma vez mais, teremos de recorrer à sapiência do líder – “temos 3 extremos para um lugar”, expressão com que ainda hoje, 3 dias depois de a ter lido, me debato, sem compreender que espécie de pensamento subversivo será este. Temos um óptimo substituto de Aimar para o último terço dos jogos e uma alternativa de grande qualidade em certos jogos, até para gerir bem a condição física do mago? Temos, mas encostamo-lo a uma faixa, que é para tirar de lá aquele espanhol irritante que só por ter andado a marcar golos em catadupa não saiu mais cedo do onze. Temos um extremo que, faça chuva, sol, perca 300 bolas por jogo, não tenha o mínimo conceito de jogo colectivo, joga sempre? Temos, e por Jesus continuará porque – palavras do mestre - parece que lá para os segundo e terceiro terços do campeonato dele veremos coisas bonitas.

Façam como vos digo: dediquem o vosso tempo a outras áreas de diversão. Assim, tal qual está mentalmente o nosso técnico, por aquilo que diz, por aquilo que pensa, pelo que nos quer vender e pelas opções que faz e as que se antevêem, o Benfica não será campeão.

20 comentários:

Rui disse...

Infelizmente, receio bem que tenhas razão. Confesso que receava isto desde a contratação do homem, e a época passada foi o despertar para esse pavor, adormecido durante uma primeira época excepcional. Este início de época retirou qualquer dúvida.

A Jesus não lhe basta ser treinador da equipa campeã. Não lhe basta gerir os recursos postos à disposição e fazer essa coisa "simples" que é ganhar um campeonato. Não, isso é para os treinadores vulgares. Jesus tem que ir contra o senso comum. Tem de ganhá-lo com os jogadores que apenas o génio dele descobriu (os Kardecs, os Èder Luises, os Filipe Meneses e outros que tais).

Era previsível que pôr um analfabeto a treinador ia dar nisto. Lamentavelmente, dolorosamente, penosamente, receio que vás ter razão.

Anónimo disse...

eu acho o jesus um bocadinho estupido mas não a este nível.

acho que se ele não vai voltar a apostar no 442 suicida... pelo menos assim espero...

enfim...

PB disse...

Ricardo, quando o Jesus disse aquele disparate de que olha mais para a parte ofensiva, creio que nem ele pensa assim. Mas como tinha ganho por 3-1, achou que ao dizer aquilo iria fazer os adeptos felizes (e provalvemente foi uma alegria para a grnade maioria ter ouvido aquilo).

O que ele diz, acho que nem se aplica ao que ele faz.

Mas, sim. Tem defeitos, e a teimosia é o principal deles todos. Não engraçou com o Capdvilla, e vais ter de levar com o Emerson que nem uma bola sabe dominar. Não parece que tenha percebido a mais valia que o Nolito é. O espanhol ao contrário do Gaitan é um jogador de rendimento, e tem de jogar sempre. Gaitan, Saviola e Enzo têm de lutar pelo lugar vago no 11. Isto se ele não tivesse alguns dogmas.

E ele dizer q joga de forma igual é uma estupidez sem limites, de quem n quer admitir agora que teve de mudar pq estava errado. É claro q n joga. Eu, como te disse, dei-me ao trabalho de ver com atenção com o comando na mão os jogos, e não tem nada a ver. Com Witsel em campo, ele joga exactamente da forma como descrevi. Um trinco, um interior do lado dto, um dez, 2 extremos e 1 avançado.

Que é bem diferente de tirar de lá o interior e meter um avançado...

O que te digo é que cada x tenho menos duvidas que este é o melhor plantel de que me lembro do Benfica. Há ali potencial para ganhar os jogos todos em Portugal, e para só ter de sofrer no Porto e em Alvalade e eventualmente Braga.

Mas, mesmo esta tactica com o Witsel é desequilibrada defensivamente. A 3 m do intervalo com o Nacional, aconteceu uma jogada que eu tenho dito q vai fazer o Benfica ser castigado. Ataque pelo lado dto do NAcional, Javi sai à bola, Witsel n ocupa a posição 6, ficou um espaço à frente da defesa, onde o av do nacional recebeu, obrigando a que fosse o central a sair a ele. Depois o av deu no MAteus que apareceu em excelente situação, mas embrulhou-se com a bola e acabou a fazer falta sobre o Nolito.

Deixa jogar com Porto, Mu, etc e vais ver qts golos levas por desocupares aquela zona. É que qd o adversario ataca pela direita, ficas com o duplo pivot do Quique. Se atacar pela esquerda... é mais tranquilo.

Miccoli_30 disse...

Essa ideia não me saiu da cabeça durante o jogo com o Nacional...só com muita sorte, ou incompetência alheia, seremos campeões...

low desert puke disse...

Eu acho que voces andam a levar as coisas um bocado ao extremo. Nunca concordo com aqueles benfiquistas que sò demonstram certeza na vitòria e depois ficam incrédulos no fim da época, mas também nao acho bem esta certeza no falhanço.

Lembrem-se que ainda estamos em Agosto, logo a equipa irà melhorar. Em todos os aspectos: técnicos, fìsicos, tàcticos, mentais...Em Barcelos erràmos, pois a ganhar 2-0 a maioria dos meninos em campo resolveu vestir novamente aquela sobranceria que no inicio da época passada nos causou tantos dissabores. Mas a partir daì (e jà antes até) demonstràmos que este ano serà mais parecido com a primeira época de Jesus (ao nìvel do que se passarà no relvado e também em conquistas), do que com a época passada.
Chamem-lhe pressentimento, chamem-lhe conjectura mental (minha) favoràvel, chamem-lhe o que quiserem. Mas estamos melhores do que o ano passado e muito provavelmente também do que o ano antes. Sò temos de esperar um bocadinho...

Ricardo, essas criticas à preocupaçao defensiva do JJ, ou à ausencia dela demonstra que também tu padeces um pouco da falta de memòria. Nao foi esta equipa com este treinador que no ano passado esteve 20 ou mais jogos sem sofrer golos? Contra todo o tipo de adversàrios: desde o mais fraco da Liga (fechado e sò a pensar no contra-ataque) até adversàrios europeus (fechados ou abertos, mas com assinalàvel poderio ofensivo). Ora, ISTO com um gajo chamado Roberto na baliza. Com um Coentrao, bem sei, mas se Emerson der alguma casa temos sò o campeao europeu e mundial ali, sò à espera de atar as chuteiras e compor as caneleiras. Temos Garay que nao deve nada, NADA, a David Luiz - aliàs, viu-se bem que Luiz o ano passado andava com a cabeça em todo o sìtio menos no Benfica. Amorim jà està curado, sò tem de ganhar forma. Temos também um Javi em melhor forma do que no ano passado. E temos um Witsel que descai e lhe dà uma ajuda. E, porque nao, um Matic jovem e frio, que pelo que demonstrou dà muita segurança.

Acho que tudo é uma questao de confiança. No ano passado quando metemos na cabeça que havia que defender bem, fizemo-lo. Quando alcançàmos certos mecanismos que advém somente pela rotina de jogo e acrescentar de confiança nos processos, deixàmos de sofrer golos.
Sendo que este ano a equipa é melhor là atràs e mais equilibrada e com mais alternativas là à frente, nao percebo essa falta de confiança.

Jesus é cabeçudo? Corroboro. Mas nao queriam Witsel e Aimar ao mesmo tempo? Jà é o segundo jogo em que os mete.
Ganhamos jogos, marcamos golos, jogamos melhor do que o(s) adversàrio(s) directo na luta pelo campeonato, temos o plantel fechado enquanto outros andam às aranhas. Poucos ou nenhuns dos erros do inicio da época passada estao a ser repetidos. Tenham confiança. Apoiem. Critiquem quando o argumento é vàlido, senao deixem-se de pintelhos.

Anónimo disse...

es um autentico profeta da desgraça, mas pronto ja que fizeste a tua "analise" entao agora faz um favor a toda a gente e esquece tu o campeonato e nao escrevas mais nada,de agoirentos esta o benfica farto

Bruno Pereira disse...

Caro Ricardo e restantes companheiros benfiquistas,
devido ao seu post, decidi lançar um desafio a todos os benfiquistas, procurando saber de que lado da barricada está cada um, no que concerne a algumas questões persistentes:
1- Podemos ser campeões este ano?
2- JJesus é bom treinador para o SLBenfica?
3- Cardozo é um bom ponta de lança para o SLBenfica?

O desafio é de quem responder que sim à questão, mais tarde não critique pois acreditou nesse ponto. Quem achar que não, não festeje pois nunca acreditou.

Emitam a vossa opinião em:
http://orgulhosamentelampiao.blogspot.com/2011/08/lanco-desafio-todos-os-benfiquistas.html

Alguém tem coragem para aceitar o desafio?

low desert puke disse...

Eu. Um sim triplo.

John Billy #32 disse...

Ainda é um bocado cedo para tirar conclusões.
Mas também acho que há de voltar ao 442 suicida em certos jogos mais fáceis do campeonato (e o problema é que não há jogos fáceis!).
Mas também acho difícil o Jesus deixar o Witsel no banco.
Em relação ao Capdevilla, aí tenho que defender o Jesus. O espanhol mostrou estar muito longe de estar em condições físicas para jogar a titular. Mas se daqui umas semanas continuar o Emerson a titular, então podemos começar a ficar preocupados.
Em relação ao Nolito, não acho que seja um jogador tão bom como se fala por aí. É uma excelente alternativa mas não como titular. Tenho mais confiança no Bruno Cesar.

Bcool973 disse...

Eu tenho, 1-tenho muitas dúvidas, mas ainda não sei, pois o porco só está a sobreviver com penalties manhosos e o treinador deles também não me convence, por isso acho que há uma hipótese embora remota, 2-definitivamente não, jj é burro, tem mania, dificilmente admite erros e escolhe aleatoriamente vítimas para disciplinar e desmotivar, 3-os números falam por si, gostem ou não do estilo do homem, é produtivo, curiosamente não me lembro de criticarem o ísaias que fazia 15 remates por jogo para conseguir marcar um golo, bem sei que não era avançado mas era dos que mais bolas perdia com remates idiotas.
Quanto ao post original, concordo com quase tudo, mas como digo acho que neste momento o porco está fragilizado e o treinador deles é fraquinho, por isso acho, ou quero achar, que há uma hipótese.
Não compreendo:
-a sanha contra o Nolito
-o encostar do Bruno César à esquerda e do Gaitán à direita, quando estes são bons substitutos do Aimar
-a preferência do jardel ao miguel vítor
-a não utilização dos suplentes durante mais minutos nas partidas
-tendo o enzo e o urreta para extremo direito, devo concluir que quando manda um embora não vai jogar com extremo à direita
-não existência de substitutos à altura para maxi, javi, cardozo e não sei como se safará o miguel vítor sem ritmo de jogo porque o jardel é fraca alternativa
-a insistência em querer fazer épocas com 13 ou 14 jogadores de campo, condenando os outros a falta de ritmo e a jogarem partidas com 11 suplentes em campo
-o não apostar em portugueses para o plantel
-o não apostar em jovens, sim porque isto de ter promovido o crescimento de jogadores porque não tinha alternativa a eles não implica que aposte em jovens
-a lentidão que demonstra para reagir às mudanças do jogo, quem se esquece do jogo da taça no ano passado ?
-a incapacidade da equipa em gerir a posse de bola desgastando-se menos e sendo mortífera
-a necessidade de arranjar conflitos com jogadores para mostrar quem manda e ter destruído o núcleo do título
-depois de ter sido um gabarolas no ano passado, neste ano mostra-se um cagado jogando a medo contra equipas de merda, mostrando que não tem bom-senso e moderação

PORRA o Benfica tem que ser favorito contra trabzonspors, twentes, basels e oletuts, já para não falar em gil vicentes e nacionais

Efectivamente não acho que com a estrutura vigente possamos ganhar de forma continuada, só nos falhanços dos porcos (talvez este ano) e atenção ao choramingos que se aproveitar bem os reforços fica com um onze muito interessante embora tenha poucas alternativas para muitas posições

Diego Armés disse...

[Atrevo-me a comentar sem ter lido os comentários anteriores, ignorando o risco...]

Está tudo muito bem nesse raciocínio. Menos "aquele" detalhe. Até prova em contrário, o Emerson tem estado bem e o Capdevilla no seu único jogo foi muito fraquinho.

Centro de Jogo disse...

Hehe texto brutal!

Não jogará em 1.4.3.3 porque o Aimar não deixa Ricardo. É demasiado inteligente para ser comido na primeira linha de pressão ao mesmo tempo de Cardozo. Só o faz quando Percebe Nolito numa zona mais recuada, este com defende muito bem compensas essa lacuna na interior esquerda que o PB fala. O que dizes no texto tb já o referi no LE, JJ viu-se obrigado a jogar com Nolito por causa dos golos, sem eles, mesmo que somente há dois jogos, vai encostar! Gaitan é que não pode sair, ainda que não perceba porquê!

Afinal, tal como ambos dizíamos, Cardozo até se evidencia mais a jogar neste sistema :)

Abraço,

Jorge D.

Anónimo disse...

Off-topic:

E o ponta de lança que os Corruptos vão contratar para o lugar do Falcão é.... (drum role)


Bendtner!!!

O não convocado de uma equipa que levou 8-2 do United e que nos 6 anos que leva de Arsenal marcou o impressionante número de 22 (!!!) golos. Ah e só custa uns 10M€...

Marca mais que o Postiga.. Mas marca menos que o Luisão :P

Um abraço de Nottingham,

Nuno

Sérgio disse...

Tá tudo lá Ricardo!
Foi esse sentimento que me levou a escrever aquele texto logo a seguir ao jogo do Nacional.
Como muita gente concorda aqui, só seremos campeões se os outros facilitarem, e essa é uma percepção amarga de se ter logo à 3ª jornada.

Uma referência ao BCool973 que enumera a maior parte dos tiques de jesus que me causam urticária! Concordo em quase tudo.

Mentecapto da Silva disse...

Bêbado, outra vez?!
O que mudou foi o 4.1.3.2. para o 4.2.3.1., entendido?
Ou dizes que mudou de um 4.4.2 para um 4.3.3 (terminologia que deves adoptar) ou então não falas de subsistemas que não dominas.
Caso persistas em dizer que foi neste tasco que lançaste o 4.3.3. em detrimento do 4.1.3.2 vai soar a burrice.
Também se pode dar o caso de não quereres admitir que fui eu quem lançou no teu tasco o 4.2.3.1 com que o glorioso se tem apresentado actualmente, e com Cardozo (onde anda o Saviola?) como homem mais avançado.
Mas é preferível "malhar" em J.J. e dizer que assim não vamos a lado nenhum. Eu também acho que não vamos ser campeões mas por outros motivos que não forçosamente as opções tácticas do homem, outrora tão elogiado...

Anónimo disse...

Opinião deprimida de um deprimido!
Rapaz ainda acabas a matar os filhos quando eles crescerem!

jzz disse...

1 campeonato, 2 taças da liga, 2 presenças nos grupos da liga dos campeões, 1/4 final e meias finais da liga europa, golos e futebol de ataque À BENFICA!

È uma merda, este Jesus, só quer é atacar, que horror.

RUA!

Fernando Santos, volta!

Bruno Pereira disse...

Porque as opiniões diferentes podem dar azo e sustento a um argumento, gostava que quem concorde com o texto do Ricardo se contraponha a este:
http://orgulhosamentelampiao.blogspot.com/2011/09/justificacao-do-desafio-lancado.html

Abraço benfiquista!

pitons na boca disse...

Encontro muito poucas semelhanças entre este texto e a realidade. Além de que não me consigo rever numa visão tão derrotista à 3ª jornada, quando há melhorias evidentes em relação ao ano passado.
Está longe da perfeição, mas ainda mais longe está de ser tão má.
Nem vou debater muito o que está escrito, apenas temos maneiras muito diferentes de "ler" (como diria o Gabriel Alves) o jogo e em entende-lo.
Há tácticas que fazem sentido num jogo que já não farão noutro. Há demasiadas variáveis que mudam de jogo para jogo, seja para se falar de uma táctica (falar numa simples táctica para uma época inteira se torna simplista) ou para dizer que jogador A já devia ter jogado em detrimento de jogador B (performances nos treinos que nem toda a gente acompanha, só para dar um exemplo).
Variáveis essas que a maioria das pessoas não leva em linha de conta, seja por desconhecimento ou por outra razão qualquer - até embirração às vezes serve de razão.

No fundo espero que te enganes no teu prognóstico, e não é nada contra ti. :)

O Cabinda disse...

Apesar de demasiado pessimista, pode acontecer o predicto, de facto. E tambem ao ver o Nacional me lembrei disto. Quando o rolo compressor com nota artistica nao funciona, a equipa está perdida a deixar o tempo passar e a deixar para o esforço e categoria dos jogadores a solução do problema.
Se não fosse o Artur esta época seria igual à do ano passado. Muitos menos pontos no campeonato e a certeza de nao nos apurarmos para a LC.
Se não fosse esta contratação a custo zero esta época já era passado.
Podem argumentar que afinal o Artur é um jogador da equipa como qualquer outro. Não, não é. Ele é somente o ultimo reduto, não um espanta espiritos como o foi o grande Preud'Homme.