quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Umas notas do fim do mundo

- Se Roberto vale 8,5 milhões, quantos vale Artur? De facto, os abutres que andaram um ano inteiro a dizer que o Benfica não podia jogar com o espanhol só queriam mal ao clube. Bons, bons, são aqueles que, independentemente do valor dos jogadores, os defendem à exaustão só porque não querem criticar nada no Benfica, na sua Direcção ou especificamente no Presidente que apoiam. Esses é que são bons.

- Confirmam-se as ideias primeiras: Emerson dá para o campeonato nacional (exceptuando os jogos com os outros 3 de qualidade superior), nada mais do que isso. Fico é a pensar por que razão está um gajo muito melhor sentado no banco...

- Não há qualquer tipo de estratégia colectiva na forma como a equipa pressiona. Não raras vezes vemos, bem, os dois da frente em pressão sobre os centrais, direccionando a bola para as laterais, só que o resto da equipa, especialmente os extremos - e especialmente Gaitán -, não segue a pressão exercida pelos da frente. Resultado: os médios têm de subir mais do que deviam, abrem espaços entre eles e a defesa e os defesas, vendo jogadores soltos de marcação a bombear bolas para esse espaço, dividem-se entre subir o bloco ou recuar. Neste instante de dúvida, surgem golos. Já ocorreram dois e mais se adivinham.

- Jorge Jesus, por alguma razão que nos escapa, parece ter aversão em ter em campo simultaneamente Aimar e Witsel. Coisa estranha, já que, além de os dois serem jogadores que individualmente são dos melhores do Benfica, juntos criam uma dinâmica e consistência impossíveis de superar quando não jogam juntos e são ou substituídos por outros ou jogam em posições que não as deles - Witsel não é nem será nunca um 10.

- Gaitán terá de sair da equipa por uns tempos. É demasiadamente clara a falta de solidariedade colectiva. Nem que seja como forma de o ensinar esse valor tão nobre da humildade. O Jorge D., do Centro de Jogo, já o disse há uns tempos. Concordo totalmente.

- Cardozo pode perfeitamente funcionar num 433 como este. Disse-o antes e repito-o hoje. Quem viu a jogada do segundo golo e o excelente primeiro golo faça o favor de rever as notas que tinha sobre o paraguaio. Não tem técnica? Alguém me explique como é possível marcar aquele golo sem técnica. Não sabe jogar com os 3 jogadores de trás? Alguém me explique como é possível não saber jogar rápido em transição e fazer o que ele fez no segundo golo.

- Witsel no golo de Nolito. Um compêndio que devia ser lido aos muitos idiotas que proferem a frase mais estúpida dos manuais das imbecilidades futebolísticas: não se pode criticar o jogador por rematar à beira da baliza. Claro que pode. E deve, se o jogador tem uma solução mas fácil de fazer chegar a bola às redes. E ela ali estava: passe para Nolito, deixando o defesa e o guarda-redes fora do lance e o seu companheiro com a baliza aberta. A este gesto é que não se pode encontrar qualquer erro. Perfeito. De um jogador acima da média.

- O maior perigo para o Benfica nos dias que correm? Jorge Jesus. Ou antes: a incapacidade de Jesus para admitir os próprios erros e aprender com as boas soluções que se lhe apresentam. Por vezes, acidentalmente. E um treinador que põe o seu ego à frente dos interesses da equipa será sempre, por mais qualidade que tenha (e ele tem, muita), um treinador limitado.

- A eliminatória está muito longe de estar resolvida.

23 comentários:

Mentiroso disse...

Grande Ricardo, análise perfeita ao jogo de ontem.

low desert puke disse...

Exacto. Vendam o Cardozo. A "nova tàctica" é que é! E o Saviola a partir à frente de gajos jà com 80 minutos nas pernas e a chegar à bola depois deles.
Vendam o Tacuara. é agora ou nunca. Jà tem 27/28 anos portanto ou se faz negòcio ou fica ali a apodrecer à sombra da "nova tàctica". Foda-se.

O Gaitàn anda com tiques. Eu metia o Urreta e era jà em casa contra os holandeses.

Se avançarmos para a fase de grupos é bom que muito benfiquista agradeça ao Rei Artur. Nao o que achava que o Weah se atrapalhava com a bola. Este! O nosso.

FireHead disse...

Que saudades que eu tenho do Jorge Jesus da primeira época, antes do sucesso lhe ter fritado os miolos...

Ricardo disse...

Low, há um ponto de equilíbrio entre "vendam o Cardozo" e "Tacuara a titular indiscutível". Já o defendi antes: acho que o Benfica deve jogar neste 433, preferencialmente com o Saviola de início, embora o Cardozo deva ser opção para titular em certos jogos e, em todos, como opção de banco.

Concordo com a solução Urreta.

Firehead, a minha dúvida é se não terá sido o Ramires a resolver-lhe as incapacidades gritantes que tem em construir uma equipa equilibrada por ser um teimoso de primeira.

pitons na boca disse...

Subscrevo o post quase por inteiro e o comentário do low desert puke.

Cardozo vai mostrando porque não pode sair: simplesmente porque como ele não há.

Saviola está sem pique, parece preso de movimentos, desde há uns meses para cá. Que se passa? A técnica e a inteligência vão sempre estar lá, mas o físico convinha que ajudasse. E a falta que nos faz o completo Saviola...

Neste momento, se há tanta necessidade de sentarem o Cardozo, faz-me muito mais sentido um Rodrigo que o actual Saviola.

Rui disse...

Concordo perfeitamente na análise. Cardozo como sabes sou um acérrimo defensor dele, os pontas de lança não são para dar 10 toques de cabeça e 5 de calcanhar seguidos, são para mandar a bola lá para dentro, e isso ele faz como há muito tempo não se via na Luz, basta ver que desde Rui Águas não tínhamos um melhor marcador da Liga, como tivemos no ano de campeões com o Cardozo.

O Gaitán revela grande evolução, muita confiança, e realmente é pena que isso lhe tenha tirado o valor da solidariedade, e depois é como dizes, é ver o "velho" Aimar e o "lento" Cardozo a pressionarem na frente, o Nolito a tentar ajudar qq coisinha, e o Gaitan a dormir na forma. Banquinho e humildade só lhe faziam bem.

Saviola é uma sombra do jogador de outros tempos, qualquer defesa central lhe ganha ao sprint, e os seus dribles saiem sempre entramelados.

JJ revela realmente alguma limitação e vamos ver até que ponto não vai limitar este plantel, não se percebe realmente porque Aimar e Witsel não são compatíveis, a falta de elogios a Nolito ...

A titularidade de Emerson em relação a Capdevilla só posso depreender que advém do facto do espanhol practicamente não ter feito pré-época, nem no Benfica nem no Villareal.

low desert puke disse...

Concordo perfeitamente, Ricardo. E é isso que venho defendendo nesta caixa de comentàrios desde o jogo contra o Arsenal. Hà pessoal a babar-se com a "nova tàctica" e logo quiseram vender o Cardozo. O que eu defendo é isso mesmo, mante-lo no plantel. Se calhar nao como titular indiscutivel, mas em jogos como na Holanda e noutros a partir do banco, é ele que resolverà muitas questoes e nos darà muitos pontos a ganhar.

Primeiro queixam-se que somos um clube de passagem e que nao conseguimos manter os melhores anos a fio, de modo a ter um plantel compacto e com "mistica", mas depois ganhamos ao Arsenal sem as movimentaçoes atacantes de outrora e logo falam em "tàcticas revolucionàrias" e em desfazerem-se do gajo que desde o Rui Aguas ou o Magnusson mostra o que é marcar carradas de golos.

Mantenham a sobriedade minha gente.

Ricardo disse...

Pitons, concordo que o "pique" do Saviola não é o mesmo de há dois anos. De resto, está tudo lá. Ele não precisa de correr muito, precisa de correr bem e para os sítios certos. Ou mesmo andar, só. Ou até estar parado. Ele sabe estar parado de forma magistral. É a melhor solução, junto com Cardozo (dependendo dos jogos), para ser o avançado no 433. O Rodrigo tem de crescer. Acho que tem potencial e espero vê-lo paulatinamente integrado na equipa. Mas com calma.

Rui, o Capdevila treinou em Espanha, enquanto estava no Villarreal. Não sei se estará ainda a melhorar a forma física, espero que sim, porque de outra forma será incompreensível a opção do Richard Gere da Reboleira.

Low, concordo. Só acho mal que recomendes a sobriedade às pessoas. Isso não se recomenda nem ao pior inimigo.

Anónimo disse...

"Já o defendi antes: acho que o Benfica deve jogar neste 433, preferencialmente com o Saviola de início, embora o Cardozo deva ser opção para titular em certos jogos e, em todos, como opção de banco".

Já te corrigi antes (antes mesmo do início do campeonato): este Benfica joga/deve jogar em 4.2.3.1 e com Cardozo a titular.
Parece que não é só o J.J. que tem que pôr o ego de lado...

"Ele sabe estar parado de forma magistral".
Do melhor que li nos últimos tempos.
O endeusamento quen fazes a Saviola só tem paralelo com a diabolização ao Roberto.
Acabas de tu próprio dar a explicação da necessária titularidade de Cardozo: é o único que parado consegue ser útil à equipa.

Diego Armés disse...

Concordo com a generalidade do post (escrevi coisas semelhantes, ainda antes do jogo); discordo - e vamos andar nisto uns tempos, parece-me - da análise que fazes ao Emerson. Aliás, não a compreendo. Não ponho em causa que Capdevilla seja (ou possa ser) melhor; mas não concordo que ele seja assim tão limitado. Acho, antes, que a equipa está desequilibrada em campo. As laterais ressentiram-se da falta de alas puros - o Gaitán não se mexe; o Nolito jogo muito lá à frente. Se criticamos o Emerson, critiquemos também o Maxi, caramba. As falhas têm acontecido nos dois lados e, claramente, a equipa está esticada de uma maneira que tanto Maxi como Emerson não chegam para as encomendas todas.

Muito bem vista essa parte do fosso entre meio-campo e defesa quando os avançados pressionam (bem) e os extremos ficam perdidos ou reagem sem critério.

Gostava de ver o Urreta na direita (e, por favor, alguém me explique o que é aquilo chamado Enzo Pérez... é suposto ser futebolista?) e o Nelson Oliveira em cunha, no lugar de Cardozo - não para sentar o paraguaio, por quem tenho admiração e gratidão, mas antes para ver até onde pode chegar o miúdo na equipa principal. Eu acredito nele.

Ricardo disse...

Anónimo, arranja um nome e pode ser que tenhas tempo de antena.

Fica, no imediato, uma boa sensação: és conselheiro - aconselhas os outros a porem de lado o ego - ao mesmo tempo que és corrector - corriges e não só por uma vez!

Muito bem. Para alguém humilde, estás no bom caminho.

Ah, sim, o teu comentário é estúpido. Primeiro, porque não sabes ler - lês na minha opinião algo que nunca lá esteve - e depois porque não sabes ler - de uma frase humorística, descobres algo muito sério.

Arranja um nome. Qualquer um. Pode ser Mentecapto. Serve bem. Mentecapto da Silva.

Diego, estou a ver que sim, que vai ser discussão para uns bons tempos. Ainda bem. Concordo com a ideia que dás de a equipa estar desequilibrada. Sem dúvida, é verdade. Analisei apenas o lado individual do Emerson, mesmo tendo em conta a pouca ajuda que muitas vezes tem. O Maxi esteve mal. Não o critiquei porque me parece ser consequência de uma má forma e não características do próprio jogador.

Ao Emerson, acima de tudo, aponto a pouca inteligência e o mau critério quando tem a bola. Não defende mal, embora só funcione na vertical. Movimentos diagonais, seja a compensar no meio, seja, em posse, a integrar-se e a procurar desequilíbrios, não existem. Se o mandarem correr pelo corredor, é razoável. Não o mandem fazer mais nada. Por isso a minha ideia de o utilizar de vez em quando e só no campeonato português. Com jogadores mais talentosos, não há ali hipótese nenhuma. Faltam-lhe neurónios. Mas espero que ele prove a minha burrice extrema nos próximos jogos.

O Enzo é um jogador que precisa de assentar a poeira. Mas, sim, concordo contigo numa coisa: para ser futebolista é preciso mais. Pelo menos, aqui, nas europas, neste velho mundo. O problema é que alguém largou a bomba de que o Enzo era um interior estilo Ramires (não faço ideia onde foram buscar tal aberração). E então, de repente, as pessoas viram um gajo que tem muito mais vocação para ser ou avançado ou extremo. Como aqui foi dito logo que ele foi contratado, porque nós nestas coisas nunca nos enganamos (a não ser quando nos enganamos). Acho que devemos ter calma com ele, porque pode sair dali um bom reforço para ser uma excelente solução vinda do banco. Não queiram é Ramires no Enzo porque o Enzo, já se sabe, não é Ramires. E menos ainda Witsel. Enzo é Enzo e Urreta, que já tínhamos no plantel, devia ter sido a razão pela qual não devíamos ter gasto 5 milhões no Enzo. Mas isso já será chover no molhado.

E Saviola, Diego? Fora dos teus planos?

Diego Armés disse...

Gosto do teu optimismo quanto ao Enzo e espero, sinceramente, que aqui o burro seja eu (e, quanto ao Emerson, sejas tu o burro, para dar empate). Mas vejo ali um ar de craque que me irrita profundamente. É uma espécie de Quaresma mas com menos talento, digo eu.

Saviola não pode nunca ficar fora das minhas contas. Até me ficava mal dizer uma coisa dessas. Mas sou obrigado a concluir que ele anda mesmo em baixo e que perante a (boa) concorrência em forma - de Cardozo, sobretudo; mas também das alternativas que parecem apresentar-se, com Rodrigo, Oliveira e Mora - ele só terá hipóteses se for mais do que simplesmente magistral a estar quieto. A quantidade de bolas e lances que perde é assustadora. O homem anda em baixo, física e psicologicamente, parece-me, há ali falta de moral. Precisa daquele entusiasmo que ele sabe ter quando é ano de Mundial. Em suma, ou melhora substancialmente e aumenta o rendimento, ou não tem lugar. Eu sei que parece blasfémia dizer-se isto do Saviola, mas não vejo outra hipótese. E se os nomes não jogam no casa de Capdevilla, também não devem jogar no caso de Xavier Pedro.

Alguém, por falar nisso, tocou no assunto "Nolito e os elogios". Não discordo de Jesus na necessidade de "apurar" o espanhol e, nesse sentido, concordo que não se disfaça em elogios pelo extremo. Mas incomoda-me que haja dualidade de critérios. Com Witsel, JJ baba-se autenticamente. Com Artur só falta agradecer-lhe com ouro, incenso e mirra. Com Nolito, diz sempre que é pouco. Parece-me arriscado e não é assim que se gere um balneário (digo eu, que percebo tanto disso quanto de relojoaria).

Na verdade, dou comigo a chegar a um estado assustador em que vejo no Jorge Jesus a pessoa capaz de fazer esta equipa funcionar ao máximo, por um lado; e a pessoa capaz de destruir essa mesma equipa, por outro. E já não sei se não percebo pêva de bola ou se simplesmente Jorge Jesus é demasiado complexo para os meus princípios de coerência.

Mentecapto da Silva disse...

Ui, que mau vinho...
És um bêbado, mas tentarei fazer de ti um bêbado corrigível.Estarei, por isso, sempre disponível para apontar os erros grotescos em que sistematicamente incorres.

P.S. Já arranjei um nome, arranja tu agora um cérebro. Quando o encontrares, conserva-o em formol, pois está visto que com álcool não resulta.

Hattori Hanzo disse...

Concordo em parte contigo... Mais do que tudo Jesus parece não acertar em substituições. Só este ano já vai em dois jogos seguidos em que as trocas que ele fez sairam furadas. E em qualquer um dos jogos deu para perceber que isto iria acontecer. Conocordo na questão de Gaitan... aliás se te lembras eu já o ano passado falava para me venderem ele. Por muita qualidade que tenha (e de facto ele tem para dar e vender) um jogador assim nunca irá longe. E não o comparem ao Dimaria: este chegou mais novo e nunca o vi tão displicente como Gaitan, os grandes problemas em Dimaria eram a má escolha da sua última acção invariavelmente. Quanto a Emerson concordo contigo. Já quanto a Saviola e Enzo não. Saviola por muito inteligente que continue a jogar é demasiado lento neste momento para poder jogar a titular no clube. Por último Enzo do que eu vejo acho que nos poderá ser útil (não é nisto que discordo contigo), mas é tudo menos extremo. Continuo a ver nele características para um jogador mais central e não como agarrado às linhas, um pouco como vejo também o Gaitan aliás. Daí dizer que o plante continua desiquilibrado: só vejo dois extremos puros (Nolito e Urreta, que não está inscrito para as Competições Europeias sequer), e muitos (demasiados) jogadores para o centro do terreno.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Concordo com quase tudo (algumas reservas quanto a determinadas escrituras tácticas mas ya, tranquilo), principalmente com o que está escrito em relação ao Emerson.

O homem é muito fraquinho... Parece um tronco, é rijo, tem dificuldades de posicionamento, não faz um passe em condições.

Espero que o Capdevila apareça mais cedo ou mais tarde, porque senão vai ser uma época penosa.

Neste jogo, o Maxi esteve muito mal. Se temos o Ruben em condições...

Ricardo disse...

Diego, o Saviola rende muito mais se for titular. Pode ser estigma de estrela, aceito, mas é uma verdade. Com isto quero dizer que o Xavier deverá ser titular em todos os jogos? Claro que não. Até porque precisa de levar nas orelhas de vez em quando. O que me parece é que o Coelho é o gajo mais apto para o 433 que o Jesus vai desprezar toda a época. E, como vai desprezar, o Xavier vai jogar sempre. E o Cardozo também, quase sempre. O Saviola é tão bom. Sim, perde duelos físicos e "piques". Mas, foda-se, a forma como ele abre a equipa a novos espaços, o que faz a equipa jogar, acho que vale muito mais do que o que faz perder. E já que falamos em bolas perdidas, duas coisas: perde muito menos bolas do que o Gaitán, mas mesmo muito menos e, segundo, em zonas passíveis de serem perdidas.

O Enzo parece-me melhor do que isso. Mas fiquei com a pulga atrás da orelha com essa de dar ares de craque. A confirmar...

Os dois últimos parágrafos roubaste-mos do cérebro e usaste as tuas mãos. Tudo certo. É tudo isso.

Já agora: o álbum está a correr bem?

Ricardo disse...

Mentecapto da Silva, obrigado. Por usares o teu verdadeiro nome e pelos elogios. Não mereço tanto.

Hanzo, concordo com a venda do Gaitán por valores astronómicos. O que ali está tem de ser aproveitado. Só que convém que, enquanto não o está a ser, a equipa não saia desaproveitada. É só isso. E testar o man a segundo avançado não seria nada má ideia.

Urreta não fazer parte dos planos, enfim, nem sei bem o que diga. Olha, digo: Gogol.

Edson, por favor, não ligues às escrituras tácticas. São poemas visuais. Se pudesse, seriam iluminuras.

Emerson... pois, também acho. Mas teremos de esperar mais um bocadinho. Digo eu.

Miguel A. disse...

Ricardo, acho que é isso: o nosso maior problema vai ser JJ - isto se continuar assim, porque ainda tenho esperança que alguém lhe espete, a tempo, dois bananos no cérebro. Essa teimosia custou-nos o que custou na época passada, e quando fomos campeões também nos deu alguns amargos de boca.

Gostava de ver Witsel e Aimar mais vezes na mesma equipa. Gaitán tem desiludido, Artur tem sido excelente. A defesa ainda precisa de mais entrosamento, porque temos lá qualidade - mas não sei o que se terá passado com o Maxi, esteve mal. Acredito que ainda não estará em forma. Que tal o Nelson Oliveira? Acho que pode ser uma boa ajuda para o nosso ataque.

Sim, a eliminatória não está resolvida, o Twente sabe jogar à bola (quase foram campeões da Holanda na época passada, é bom lembrar isso). Vamos ter de jogar bem melhor para os eliminarmos na Luz, e sobretudo não darmos tantas abébias na defesa, eles têm bons avançados.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Não percebo o que faz uma publicidade do clube da fruta neste Blog!!!!! :( Era só isto!!

PS: fiz um printscreen para que não restem dúvidas!!!

Ricardo disse...

Anónimo, se tivesses a mesma abnegação para discutires o Benfica, ganhavas mais com isso.

Foda-se, que há gajos muito estúpidos.

Miguel, o Nelson Oliveira acho que poderá ter o seu espaço no plantel - especialmente agora que o Jara parece estar de saída. Cardozo, Saviola, Mora e Rodrigo. Acho que o Nelson poderá ter oportunidades. Mas se as não tiver, acho preferível emprestá-lo para que jogue regularmente. Nesta fase, é muito importante não estar parado. O mesmo serve para Rodrigo. Talvez passe por escolher entre eles um para ficar e outro para rodar. Ou então emprestar Mora e ficar com os dois jovens como soluções aos titulares. 5 avançados é que não faz grande sentido. Até porque se prevê que o Benfica possa jogar muitas vezes com apenas um elemento na frente. Além disso, tanto Nolito como Gaitán podem jogar a segundo avançado num esquema com 2 avançados na frente.

Abraço.

Diego Armés disse...

Tenho estado aqui a pensar... epá, eu não posso esbanjar as minhas teorias técnico-tácticas brilhantes nestas caixas de comentários. Tenho um blogue para alimentar.

O disco está pronto. E amanhã vemo-nos no Estádio da Luz.

Pedro Almeida disse...

O Urreta não conta, o JJ não gosta dele, ponto final (parece que o vão meter na nossa nova filial espanhola, o granada).
E espero estar muito enganado, mas parece-me que o JJ também não vai muito à bola com o Capdevila, não deve gostar do desodorizante que ele usa...se for assim, é mais um para queimar.

sotilmae disse...

Caraças, o que me custa pensar que anda o Braga a promover jogadores para serem os salvadores da pátria dos outros. Temos um Artur que foi promovido a Rei, para os Benfiquistas. Pois, para vossa informação, ele já era Rei em Braga, mas os críticos diziam que não era gajo para o Benfica. Agora que mudou de vermelho para encarnado, os óculos já vêm diferente. Tudo bem, que seja pelo bem do homem que um gajo que merece. Mas agora, não se esqueçam de o 'crucificar' ao primeiro lance menos conseguido, como os teve em Braga. E assim se faz a diferença, que dizem que é da exigência e eu digo que é da burrice que acompanha as multidões mente-captas. Não são todos, é certo. Vejo por aqui opiniões sensatas e que percebe alguma coisa de futebol (não me dou a esse luxo, apenas mando uns 'bitaites' e poucas vezes).

Claro que não podia deixar de dizer que espero que o Jesus cumpra as promessas dos últimos sinais e se 'estrele' com os seus seguidores e encha de razões quem o critica, com propriedade. O homem já irrita até um santo, e até quem é da concorrência... quando se fala de futebol e não de clubite.