sábado, 25 de janeiro de 2014

Deve ter sido o Calabote

Pedro Proença tinha razão quando dizia que o futebol português não merecia os árbitros que tinha. O futebol português é a nojeira que é muito por culpa dos árbitros. Muito por culpa de gente que se vendeu por uma quantia ou que aceitou o pagamento em géneros alimentícios, documentados em escutas telefónicas às quais todos temos acesso. Resumindo, o futebol português é a imundice que é graças a gente como o senhor Proença. E graças ao próprio Proença também.

O que se passou nestas três jornadas da Taça da Carica são ilustrativas disso mesmo. No grupo onde coabitavam Sporting e Porto, assistiu-se a tudo aquilo que é o Tugão. Hoje, o Porto atrasou propositadamente o início do seu jogo de modo a obter a vantagem de poder gerir o encontro enquanto sabia do que o Sporting ia fazendo. Como não bastou jogar com o relógio, teve de ser marcado um penalty por uma suposta falta que, a existir, começa claramente fora da área. E sem nos esquecermos que no Porto x Penafiel, com o resultado em 1x0 aos 60 minutos de jogo, e já sabendo que o Sporting tinha goleado o Marítimo por 3x0 no dia anterior, se parou o jogo por causa da chuva. A mesma chuva que pára os jogos do Porto contra o Penafiel ou contra o Setúbal, não pára os jogos do Benfica contra o Olympiakos ou contra o Rio Ave. Basicamente, um árbitro achou por bem parar um jogo porque a chuva estava a impedir o Porto de marcar golos que se sabia perfeitamente que iriam ser necessários para o desempate na última jornada do grupo.

Isto é o futebol português.

15 comentários:

Anónimo disse...

A lei que diz que a falta se marca no local onde comeca a infracao já nao está em vigor. ao contrário da lei diz que se a bola nao rola, o jogo nao pode prosseguir. essa continua em vigor.

Anónimo disse...

É isso tudo.
100% de acordo.

Nuno Pinho disse...

Em caso de puxões, não interessa quando a falta começa, mas sim quando termina. Efectivamente, a suposta falta do jogador do Marítimo termina no momento em que o Ghilas se solta do puxão. Digo suposta porque o jogador de azul continuou a disputar o lance. Aqui entra a difícil avaliação sobre o "intensómetro", expressão roubada ao presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, que defende mais o Benfica do que a nossa própria direcção…
O segundo momento do lance começa quando o Ghilas entra na grande área, perde a posição, e, já em desequilíbrio, pontapeia o jogador do Marítimo. O fiscal de linha não teve dúvidas. Eles não costumam ter sempre que se trata de amparar os de azul. Por sua vez, os de azul também não primam pelo equilíbrio sempre que pisam a grande área adversária. É a força do hábito.

Paulo Jorge disse...

Não é onde começa a falta que interessa, é onde acaba; é penalti.

Conde de Vimioso disse...


Não nos queixemos porque o maior responsável é aquele que dirigindo o de longe maior Clube do rectângulo mantém desde sempre um silêncio sepulcral à excepção de alguns arrotos por congestão.

Esperava alguém que um daqueles que ajudou a medrar e consolidar este sistema corrupto algum dia poderia ser o seu coveiro ????

Só aqueles que passam por esta vida a ver passar os comboios é que alegam que não pode fazer nada como se as suspeitas provadas com o estrondo desse camuflado apito dourado não tivesse dado provas para que alguém de mãos limpas não o tivesse esfarelado.

Não, porque o que vimos foi os do costume, com os quais ele continua a pactuar, amassarem o negro farelo enquanto os Benfiquistas continuam a comer esta negra broa.

E o que fazem alguns Benfiquistas distraídos com os sonhos, a formação e outras derivas servidas ocasionalmente a preceito ????

Continuam à espera de Godot na esperança de um dia morder a cenoura.

JNF disse...

Se as faltas se marcassem onde acabam, era começar a arrastar os adversários que entram na área para fora dela e só largá-los quando estivessem fora da área. Assim não haveria penalties.

Já agora, mostrem lá essa lei.

Conde de Vimioso disse...


Off topic


http://eddglorioso.blogspot.pt/

Pedro disse...

JNF, a lei alterou. Agora marca-se a falta onde ela acaba e este é um exemplo perfeito disse: o jogador do clube corrupto foi agarrado fora da área mas só foi largado dentro da mesma. É penalty.

O exemplo que dás é engraçado, admito, mas a lei deve ter em conta, penso eu, o castigo mais severo mas sim, é um argumento interessante.

Anónimo disse...

JNF - Pagina 112 "Agarrar um adversario"
http://www.apaf.pt/ficheiros/tecnica/8ba94122-2bb0-4f8d-8e2b-d5a6329c50ba.pdf
"
Se um defensor começa a agarrar um atacante fora da área de grande
penalidade e prossegue a sua ação para o interior da área, o árbitro deve
conceder um pontapé de grande penalidade.
"
Conheçam as regras antes de criticar...e que tal lembrar os penalties roubados ao maritimo no jogo contra o Sporting?... voçes sao benfiquistas ou anti portistas?

Conde de Vimioso disse...


Na maior parte das vezes o penalty depende do INTENSSSONMETRO ((usando este termo feliz do Bruinhinho, gosto)) que vai na cabeça do apitadeiro e este não deixa de ser muito assim pese a arbitragem do homem do talho não ter sido mas aquele quem era o ""corajoso"" que ao minuto 94 não marcava o rebolanço daquele toucinho ????

Mas para mim isto é de somenos pois a cereja no topo do bolo foi o corrupto morrer com o veneno que há 30 anos anda a panfletar.



ATF disse...

Eu nao entro nessa guerra. O Sporting andou a semana.toda a dizer que ia golear. Goleou? Parece que nao. O porto ganhou? Parece que sim. O Sporting chora? Deixai-o chorar, como.tambem chorou na taca deportugal contra nós. Eu ca prefiro ganhar a um corrupto do que a um chorao. Da mais pica.

luis disse...

Isso sim, o calabote…
A musica do calabote e os tic´s, tac´s dos relógios. Hoje após tomar um “Chalanix 94” fui saborear um café na presença de uns leões já batidos pela idade. Entrei e disse,
-O trabalho da ultima jornada, para obterem mais um golo, foi completado com a não inclusão do comandante deles;)…33 aninhos estragava o desempate pela média de idades. Mas para controle da situação, avisei-os que já andavam 2 minutos e meio adiantados. Para comporem o ramalhete, o cospe cospe do josué estava em campo para o penalti da aflição. Lembrar que em coimbra o que falhou, foi a escolha para marcar “o tal jeitinho” dum apito. Está mal... tanto os azulinhos como verdinhos até podiam ser eliminados os 2. Mas aceitando a competição da taça da liga, custa um bocadinho observar que a arbitragem minada pelo poder da federação, assobia para o lado e faz alianças com ligaduras desintoxicando a falta de isenção.
«O poder da “mão invisível” que se renova nesta falta de cultura desportiva.»
Digo isto, porque tocou ao spoting, o que vem também tocando há muito tempo ao Benfica(com o tic tac mal contado do calabote), e nem era necessário crescer 10 vezes todos estes últimos 14 anos. Sistematicamente as eleições são dominadas pela união das influências e as partidas da “taça da carica” até foram transmitidas por outra canalização, na 4 ou na de 24 horas de tv…
O domínio não vai lá com as conversas e uniões com burros, citações bombásticas ou difamações de máfias…a “confiança” está no bater da porta, pela Verdade desportiva!
Por este caminho, é o factor negócio que impera como moderno e o mais importante para chafurdar. Anda-se a endividar com profissionalismo, a falta de competência perante a isenção e a moral desportiva. Até ver, teve que ser o passarinho do presidente do spoting a ir direito à questão. Indirectamente e com humor, respondeu ao pinto corrupto que tentava lavar o banho do último clássico, apitado por um “árbitro a dias” nascido neste sistema auxiliar. E depois não está a ir na conversa… está a ir à luta seja com adelinos, pintos ou nandinhos que querem aculturar o Guimarães como fizeram com o braguinha do sócio do nosso 33º presimente , ambos “salvadores” do endividamento.
Este ano de 2014 o espumante rebentou com estrondo para a formação. Conjuntamente, as sd´s vão “transpirar a politica” do mesmo passarinho, que não deixando de ser passarinho novo, fez o clube que preside apostar na formação com exemplos práticos, ainda na época balnear da temporada passada;)
Na valorização dos Milhões, constou que no onze tripeiro (também) estavam 278 Milhões no clássico…assim mais ou menos como o nosso invejável caminho de 470 Milhões de passivos consolidados;). Analisando que nas eleições contra o juiz agora amigo, o peito aberto para o endividamento esteve sempre presente nas declarações do 33º e a sua maioria;) 1…2…esquerdo, direito, vira agulha…formação. Para lembrar que antes da pré época de Janeiro com a viagem às tartarugas ”made in Benfica”, andavam a pedir para os burros falarem de arbitragens;) bem na primeira parte do jogo na luz contra o roberto 8.5, a culpa da falta de confiança e da falta futebol directo para cima do galinheiro, foi do tempo. Tic , Tac…tic, tac… o filho da puta dum arbitro espanhol e lá foi o sonho de ter o Matic a jogar com o Bernardo Astérix Silva, e “outro sonho” pelo regresso a outra final da segunda Divisão da Europa ;)… e ganhar !!!

…sonhos endividados, B T T

Anónimo disse...

olha vai-te lixar. o árbitro do jogo com o olympiakos só não parou o jogo porque é um incompetente de primeira. eu estava no estádio e aquilo deixou de ser futebol, pura e simplesmente. preferia que interrompessem o jogo a estar a assistir aquilo

Mike Portugal disse...

Vocês que são do SLB e estão atentos a estas coisas, há uma situação que gostaria que alguem me esclarecesse, se souber.

O vosso jogador João Cancelo jogou na 4ª feira passada pela equipa B e foi expulso. Pelas regras do futebol, qualquer jogador que veja vermelho direto não pode jogar o jogo oficial seguinte. Ora, João Cancelo entrou aos 70m de jogo no último fim-de-semana, no jogo da Taça da Liga.

Isto é permitido?

Anónimo disse...

Vá lá que ainda existem alguns benfiquistas nao facciosos, que sabem ver futebol!!!