quinta-feira, 29 de março de 2012

Do benfiquismo de rulote

Dois textos de dois companheiros - um do Diego; outro do M. - que comigo professam o benfiquismo de rulote que são bons tratados sobre o que é isto de rulotar benfiquisticamente. Antes e depois dos jogos.

Sábado voltaremos à carga, companheiros. Faça frio, chuva, neve, trovões, com luas fabulosas como a de ontem ou ainda sob o sol escaldante. Sempre pelo Benfica.

6 comentários:

João disse...

Para mim, o ponto positivo da noite de 3ª feira, é o facto de se mentalizarem (ou pelo menos deviam!) que o que interessa é o campeonato.

De resto:

- acho que o Benfica até teve relativamente bem, não fez uma grande exibição mas foi melhor que o Chelsea.

- É de certa forma sintomático que os 2 melhores dos "Blues" tenham sido os dois ex-Gloriosos.

- Mais uma "grande lição" do jj na arte de fazer substituições e estragar a equipa..

- Mais uma "grande lição" de como não se gerir uma equipa. O Aimar sábado não pode jogar mas foi, "muito bem", poupado. Enfim...

- Como (apesar de serem dois lagartos) dois jornalistas disseram na SIC Noticias, o jj tem dois grandes defeitos, o ser excessivamente teimoso, e o ser demasiado vaidoso. A sua arrogância de se achar um táctico 6 estrelas, faz com que teime que faz de qualquer cepo um jogador de alto nível, e impede-o de ver e reconhecer os erros que comete. O emerson é só mais um caso, mas bastante gritante, demasiado até. É o nosso "cavalo de tróia", mas ao contrário. Foi bom ver um nosso ex-jogador, inadvertidamente (ou quiça num acesso de Benfiquismo, lol), falar do lado "fraco" do Benfica. Até acho que ele foi benevolente com o emerson...

PS: Não me lembro de muitos jogadores, em toda a história do Benfica, principalmente nos anos 90 e 00, que sejam piores que o Emerson. De verdade.

PS1:Porque é que as claques não levam tarjas gigantes para o estádio a questionar as opções do JJ? Especialmente o Emerson. Não podem? Ou então que entoem cânticos com conteúdos desse género. Até pode ser antes do jogo, para que durante não sejam acusados de desestabilizar. Alguma coisa terá de ser feito, este "jogador" não pode continuar a usar este manto sagrado.

PS2: No meio disto tudo, até tenho pena do homem, o coitado não tem culpa que o ponham a jogar, e até deve ser uma excelente pessoa, e ninguém merece ser tão enxovalhado mas já que a "Besta" insiste nele........

Pedro disse...

Ricardo,

Sábado vou com mais tempo, devo conseguir ir beber um caneco com vocês, por volta de que horas estás lá? É que pessoalmente só te conheço mesmo a ti, pelo que tens de me apresentar à rapaziada!

Abraço a todos!
Pedro

Armando disse...

Os dois "mais" do João parecem-me conclusões. Estarei enganado? Mais - este é meu - há nelas uma boa dose de fatalismo, os "mais" como inevitabilidades.

Ok, a malta tira conclusões e depois? Voltamos para a próxima? Bem, nada tenho contra as rulotes - como diria o outro, já fui muito feliz nessas coisas - mas acho melhor um peditório para a construção do muro das lamentações benfiquistas.

Hesito entre o vicioso ou a estupidez militante para me definir. É que para mim as conclusões derivam do causal, não se produzem porque sim ou porque não. Estão a ver porquê a dúvida?

Correndo o risco de ser superficial, concluo que temos um treinador que, desde 1 de Agosto de 2010, conduz a nossa equipa de derrota em derrota e nada, só umas queixinhas de circunstância. Que as derrotas correspondam a vitórias do inimigo, que se lixe, são coisas da sorte e do azar, é um jogo não é?

Só uso palavrões quando não encontro substituto para as emoções. Portanto, não me fodam com conversa de chacha! Indignem-se e mexam-se! Pensem, porra! Dou uma ajuda: PORQUÊ?

E desculpem, a dúvida acima não existe sem razão.

Ricardo disse...

Pedro, normalmente nos fins-de-semana vamos por volta das 4 ou 5.

Mas envia-me um email que eu mando-te o meu número. Depois combinamos.

Abraço.

Armando disse...

Proponho três definições para estes últimos 20 meses do futebol do Benfica: a) a perversa – a minha - não há coincidências; b) a ingénua, sim é tudo coincidência; c) a da competência ou a falta dela. Escolham, conforme a sensibilidade estomacal.

Ainda não perceberam que a grande coligação tem como plano A dois objetivos: o primeiro é que o Benfica fique em terceiro, em qualquer cenário e o segundo, que um dos parceiros da aliança Porto e Braga seja campeão?

Ainda não perceberam que existe uma aliança entre Porto e Braga, fora e, se necessário, dentro do campo? E é minha convicção que pela lógica dos acordos brácara-portistas, o Braga não ganhará ao Porto se este precisar dos pontos para ser campeão. O Braga campeão, plano B, dependerá da generosidade da força principal da aliança, das circunstâncias “políticas” do momento, desde que garanta o Benfica em terceiro. Se o plano fosse meu, o Braga teria como objetivo o Braga campeão. Estão a ver? Mais importante que o título, na atual conjuntura, é o Braga ficar na frente do Benfica – e campeão… - o facto criaria condições de instabilidade interna, no futebol e na estrutura, de consequências imprevisíveis, provavelmente durante anos, dando cabo do trabalho de reorganização que tem sido feito e a que “só” falta visão estratégica, isto é, cultura benfiquista e inteligência funcional. Pouca coisa.

Que diabo, o “futebol” português move ao Benfica uma guerra sem quartel e sem olhar a meios e nós ainda ajudámos, comandados por um fanfarrão, incompetente, no mínimo?

Que tal como teoria da conspiração? Demasiado delirante? Claro que o Braga campeão, aparentemente, daria cabo da minha teoria, só aparentemente. É preciso perceber o médio prazo e não subestimar a inteligência alheia, talvez de António Salvador. Não existe outra escolha para o Benfica que não seja ser campeão nacional, deixemo-nos de fugas para ilusões europeias. Por enquanto, pelo menos. A nossa liga, quem será campeão, vai jogar-se nas duas próximas jornadas e fazer dois jogos “perfeitos”, no momento, talvez.

Armando disse...

Desculpem:"se o plano fosse meu teria como objetivo o Braga campeão."