quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Os cinco problemas do Benfica Europeu

1 - O dinheiro conta. Não há outra lei ou verdade no futebol dos dias de hoje que não seja a do dinheiro. É muito bonito dizer que ganhámos duas Taças dos Campeões Europeus, que somos o clube com mais sócios no mundo, que temos 33 campeonatos e uma águia que desce desde o terceiro anel até ao símbolo do clube em todos os jogos em casa. Nada disso dá dinheiro e muito dificilmente se constroem grandes equipas sem dinheiro. Por isso é que clubes como Zenit, sem história, sem passado, que jogam num campeonato para lá de periférico e num país inseguro e frio conseguem construir grandes planteis, com muita qualidade. E com muito dinheiro, não só se recheiam as contas bancárias dos jogadores como também se constroem grandes projectos desportivos. Uma vez mais, o Zenit (como o PSG ou o Manchester City) são excelentes exemplos disso. Por isso, como é que podemos criticar jogadores como Garay, Javi ou Witsel por terem trocado o Benfica por um clube qualquer com dinheiro?

2 - Qualidade do plantel. Este é o pior plantel do Benfica desde 2010/2011. Não temos um guarda-redes de topo, como na época passada. Jardel é um susto de jogador, sem a mais pequena ponta de qualidade para ser titular num Benfica que se queira "europeu". Almeida é de uma banalidade inigualável. Samaris, Cristante ou quem quiserem não têm ritmo nem cadência para segurar um meio-campo. Talisca, apesar de qualidade, não tem [ainda] o conhecimento essencial do futebol europeu que permita triunfar no imediato nas provas europeias. Lima, Derley, ou qualquer outro avançado no plantel, não têm golo, killer instinct ou qualidade para serem uma referência numa equipa que ambicione mais do que ser relegada para a Liga Europa. Sem jogadores de qualidade é mais difícil que aconteça um "milagre". E este é o espelho real do Benfica. Na Europa "não dá", já vimos. No campeonato nacional "vai dando", ainda que com as dificuldades que se conhecem (triunfos tão suados contra Boavista, Moreirense e Estoril) e com a sorte de os rivais directos se terem reforçado mal (caso do Sporting, cujos centrais são anedóticos) ou de terem uma mistura de dona Urraca com Maria Luís Albuquerque como treinador (caso do Porto).

3 - Incapacidade do treinador. Mas a falta de qualidade dos jogadores não explica tudo. Esta é a 5ª época de Jorge Jesus na Liga dos Campeões. Em 4 anos, passou por uma vez aos oitavos e foi relegado por três ocasiões para a Liga Europa. E ao longo desses anos dispôs de planteis de qualidade mais que suficiente para se apurar para a fase seguinte da competição. Os mesmos Garay, Javi e Witsel que há duas semanas pareciam de um nível estratosférico no Zenit também disputaram a Liga dos Campeões pelo Benfica, tendo passado a fase de grupos por apenas uma vez. E quem diz estes diz Cardozo, Matic, Aimar, Coentrão, etc. Se com ovos de grande qualidade Jesus só conseguiu fazer uma omolete por uma ocasião, não será agora com ovos de qualidade duvidosa que a fará. Acresce a isto o facto de o homem que se auto-intitula de "mestre da táctica" não conseguir perceber, ao fim de 5 anos, que subpovoar o meio-campo em jogos da Liga dos Campeões e jogar bem aberto como costuma fazer contra o Belenenses, o Setúbal ou o Nacional não dá bom resultado. Falta sagacidade. Falta, também a ele, qualidade.

4 - A dor de cabeça nos jogos fora. Jogar fora na Liga dos Campeões é um pesadelo. A derrota de hoje, mais que o resultado, espelha bem a falta de qualidade de jogo e a incapacidade de ter bola, de fazer três passes seguidos e de conquistar o meio-campo nos jogos fora (muito por culpa do subpovoamento abordado no ponto acima). É marca registada de Jesus. E não raras vezes dá mau resultado. Leverkusen é só mais um episódio triste, tal como Paris no ano passado, Gelsenkirchen há uns anos, Tel-Aviv há já algum tempo também. Os jogadores já entram em campo com medo. Gostaria de saber se algum jogador entra com confiança e crença de que pode ganhar o jogo.

5 - A importância do campeonato nacional. Esta é uma falsa questão, um falso problema. Dizer que temos de concentrar as atenções no campeonato em detrimento das provas europeias é uma tontice. No início de Outubro não há espaço para fadiga ou cansaço psicológico. O plantel tem mais de onze jogadores e é possível ir fazendo uma rotação pontual sem grandes oscilações de qualidade. Esta é uma desculpa esfarrapada para tentar justificar um possível falhanço nas provas europeias. Ou acham que as outras equipas que nos ganham na Liga dos Campeões abdicam de uma boa prestação nos seus campeonatos? Claro que não. Se pensam que deveríamos abdicar da Champions só para concentrar atenções nas provas internas, recomendo que escrevam uma carta à Direcção sugerindo a desistência das provas europeias.

13 comentários:

VC disse...

Parabéns pela reflexão. Concordo com a tese deste post. Lá diz o povo que quem não tem cão caça com gato. O Benfica tem um caçador que para além de falta de qualidade é burro ou cego. Eu diria até que o inverso seria mais sério. Ou seja vai tudo dar ao mesmo: a uma incapacidade tática que até faz aflição. Desde 2011 que o Benfica está a afastar-se mim.

Jotapê disse...

Guarda redes, defesa central, defesa esquerdo, trinco e avançado centro.

Sao estes os 5 problemas do Benfica europeu. E do nacional, que vai sendo disfarçado pelas questões dos rivais que já realçaste.

So uma questão: porque é que o responsavel numero 1 do clube passa sempre entre os pingos da chuva?

joão carlos disse...

2- a malta gosta é de gajos que corram muitos esse é que são bons agora gajos que marcam golos não servem para nada. o Samaris até acho que pode vir a ser um grande jogador mas pode é não ser ali onde tem jogado isto é mais uma teimosia, arrogância, do treinador que tem a mania que só ele é que sabe.

3-a única duvida que me resta é se essa incapacidade é por burrice ou por arrogância, ou as duas, são uns banhos tácticos muito caros.

Anónimo disse...

Só acrescentaria que JJ sempre demonstrou que não tem experiência para jogar na Europa ao mais alto nivel.
Falta-lhe tudo na Europa embora desde que chegou ao SLB já tenha aprendido algo. Mas há um defeito que continua a manter. Resolve mudar tudo para dar uma de "intelectual" e baralha os jogadores que têm outras rotinas na cabeça e se perdem nas novidades. Mais uma vez isso ficou provado.
Além do mais tambem tem que tentar perceber de psicologia pois quando um treinador fala que o objectivo que tem é ser BI-Campeão está a defender-se de criticas se na Europa correr mal, mas também está a dizer aos jogadores que não vale a pena aplicarem-se nas competições para além do campeonato.
E se os sócios decidirem que sendo assim não vale a pena comparecer nos jogos que não sejam do caampeonato? Perderemos as receitas da Champions? A Administração tem que ter uma conversa com JJ chamando-lhe a atenção de que está a criar prejuizo e desmotivação no SLB.

MARQUÊS DA PRAIA E MONFORTE

pmm disse...

Exelente post JNF no qual concordo com muita coisa.
No entanto parece-me muito mais um problema de ou motivação, ou de forma, não sei pois isto aconteceu no ano passado em Paris e aí jogamos com Garay, Matic, etc.
A equipa joga muito pouco e se em Portugal como disseste dá e sobra na Champions já não.
A qualidade é menor é verdade mas como disse isto não tem só a ver com a qualidade pois repito no ano passado em Paris com o PSG aconteceu a mesma coisa (não fomos goleados porque eles não quizeram) e depois fizemos a epoca que se lembram.
Já agora há ano e meio (sim não foi há 5 ou 6 anos) ganhamos naquele estádio a um Bayer também muito forte com 7 jogadores desta equipa e outros como o Schrulle do Chelsea e vejam a equipa que jogou com Arur, Jardel, Andre Gomes, até Urreta, dá que pensar

Bobe disse...

Nem mais, JNF... Nem mais.

A questão é que estas prestações na Champions são depois sempre esquecidas pelos adeptos com o rebuçado Liga Europa, infelizmente.

o JJ é o Vítor Oliveira da Europa: http://www.desportoglobal.com/Conversa/benfica-na-champions/

Guilherme disse...

Concordo com os pontos 1 e 2, mas o ponto 3 e os restantes sao, na minha opiniao, indefensaveis.
Incapacidade do treinador? Se comete erros, sem duvida. Mas o Benfica nao encontra melhor ninguém que ele em termos de treino e qualidade de processos, nem em Portugal, nem no estrangeiro. Nem Marco Silva, nem Rui Vitoria, nem Pedro Martins. O unico seria o Vitor Pereira, e duvido que algum Benfiquista o queira e que ele sequer aceitasse. Treinadores estrangeiros? Mas quem é que quer vir para Portugal? O Roberto Mancini, esse fantastico "treinador" (e nao falemos de resultados, mas sim do que as equipas jogam)?

Quanto às campanhas da Champions (e mesmo campeonato), a unica em que ele poderia ter feito melhor foi em 2010/11, curiosamente quanto teve um péssimo plantel, e em 12/13, mas mesmo assim foi à final onde foi melhor que o Chelsea e so por manifesto azar nao ganhou a final. No ano passado teve o azar do jogo contra o Olympiacos em casa ter-se disputado nas condiçoes em que se disputou, senao tinha passado à frente sem espinhas.

Ha depois um grande problema, o maior, que o JNF reconhece implicitamente nos pontos 1 e 2: os Benfiquistas nao têm noçao da diferença entre o nivel do futebol portugues e o de uma liga alemã por exemplo, e acreditam que pelo que fazem em Portugal os jogadores são todos o top dos tops. Aquilo que aconteceu em 13/14 foi simplesmente atipico: beneficiamos de Tottenham e Juve terem treinadores medianos (sim, o Conte é mediano, apesar dos italianos o acharem um deus), porque em condicoes normais mesmo com aquela equipa teriamos sido eliminados. E mesmo assim, o nivel de 13/14 é simplesmente demasiado alto para a realidade desportiva e economica portuguesa, independentemente da historia do Benfica, e do que os nossos rivais façam no mercado.

Como é que com a nossa economia neste estado, podemos suportar o nivel de transferencias e salarios de clubes como o Leverkusen, o Tottenham, a Juve, que estao nas maiores economias europeias. So em direitos televisivos, o Leverkusen recebe 25 milhoes limpos sem ter que criar a sua propria TV. E isto na Alemanha, em que os euros que a TV rende sao baixos comparando com as outras grandes ligas europeias. O Leverkusen que apesar do pouco brilho historico, é hoje em dia uma equipa superior ao Benfica, com melhores jogadores e um bom treinador, ponto final. A mesma que por acaso venceu o Borussia Dortmund do Klopp, que deve estar no top5 mundial dos melhores treinadores o mês passado.

Depois temos o duplo problema do mau planeamento desportivo e da vontade dos jogadores com qualidade em virem para Portugal: por cada erro feito com um Eliseu que podia ter sido comprado a custo zero, temos depois as multiplas negociacoes falhadas cujos detalhes nunca sabemos (independetemente do que os jornais possam inventar), porque nao podemos oferecer o que os jogadores querem: especulando, Karnezis e Romero por exemplo.
Mas claro, esta é a minha opiniao. Em Maio, como sempre, faremos as contas.

Grande abraço!

Bruno Gonçalves disse...

Esta será a época em que JJ mostrará o seu real valor...
Para começar, mostrou a sua "habilidade" na (re)construção do plantel, tão rico e equilibrado que até se dá ao luxo de fazer "rodagem" à 2ª jornada da champions (só o jardel é que não roda... xissaaaa é a nova teimosia de estimação).

Rafael Ortega disse...

Se Jorge Jesus tem muito mérito nas conquistas internas, tem muita culpa nos sucessivos falhanços na Liga dos Campeões.

A táctica de dois médios contra o mundo dá maus resultados 4 épocas seguidas, e já estamos na 5ª e o massacre continua.

O homem continua na dele. Só prova que é burro.

Anónimo disse...

Jogámos a primeira parte com 3 medios centro e estávamos a levar 2 ao intervalo. Não é por aí.

Anónimo disse...

o ponto 3 é um absurdo total. samaris? precisa de tempo, pois claro.

JNF disse...

Não jogámos com 3 médios coisa nenhuma. Talisca jogou uma vez mais no ataque e não "no meio" de Enzo e Cristante.

Sozinho, é óbvio que nem Samaris nem Cristante conseguem segurar um meio-campo num jogo destes. Nem sei onde está a dúvida. Absurdo? Só certos comentários.

Anónimo disse...

A questão não está no desgaste actual, mas sim no futuro. Este Benfica só terá hipóteses de revalidar o título de campeão nacional, poupando-se de algumas competições. O discurso oficial pode ser o que quiserem, e para nós adeptos sonhar é fácil, mas a realidade esbarra quando acordamos. Já agora:

''Sem jogar na Europa, o Valência terá de trabalhar mt mal para não terminar entre os 4 primeiros''

- Estas são palavras recentes de Simeone, mas tb posso dar o exemplo do SCP. do Liverpool no ano passado ou o do Braga que quase nos''roubava'' o anterior campeonato ganho por nós....

Carlos Figueiredo