quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O talento em retalhos


O problema maior de fazer análises resultadistas é que geralmente os que as fazem andam sempre equivocados – quando ganham, é tudo uma maravilha, não se pode criticar nada, quem critica é abutre – e, claro, surpreendidos – quando perdem, é tudo uma merda, a equipa é horrível e não há futuro. De uma vez por todas: a análise a priori é muito mais interessante e legítima que a que apenas documenta factos. Deixem-nos – escribas deste blogue - com as nossas previsões do apocalipse ou visões de miríficas paisagens futuras, se assim acharmos convenientes. E venham discutir futebol.

Neste sentido, o jogo de ontem era, mais do que uma mera hipótese, bastante previsível. O Benfica, se fosse um jogador no FM, seria daqueles que nos deixaria meia-hora a tentar perceber se o devíamos comprar ou não, tais as incongruências dos valores em que é muito bom e muito mau. O Benfica tem uma qualidade individual que pede, grita, exaspera por uma organização colectiva de excelência. E, no entanto, o que se vê é um grupo de jogadores que mistura grandes méritos com deficiências amadoras: 

- a pressão é deficiente e quase nunca orientada: sai um jogador (o mais avançado) ao central adversário, às vezes vai outro (se for Aimar, se for outro qualquer, não vai) procurar pressionar o lateral e depois há um vazio de 20 metros em que não há ninguém e a equipa afunda-se no terreno. Se a pressão não é colectiva e organizada, não vale a pena desperdiçar dois jogadores nesse momento e será preferível que também eles baixem e compactem mais atrás.

- nenhuma equipa consegue exercer pressão estruturada se 3 ou 4 dos 10 não levarem o movimento colectivo a sério. E isto acontece no Benfica demasiadas vezes. Há jogadores (Gaitán desde sempre, Bruno César, muito, Cardozo mais vezes do que devia) que pura e simplesmente andam a passo, à espera que a equipa recupere a bola para correrem – isto nem nos iniciados é permitido!

- a forma como um jogador encara o jogo, no sentido competitivo, é crucial. Observe-se Luisão, o seu esgar, a sua postura em campo, a constante preocupação em estar disponível para um desequilíbrio adversário. Pernas flectidas, mãos em equilíbrio, olhar atento – uma desatenção de um colega e lá está ele, pronto a socorrer e a recuperar a posse. Agora observe-se Gaitán, mesmo nas vezes em que vem apoiar o lateral – corpo mortiço, braços caídos, olhar difuso – qualquer movimento adversário mais rápido deixa-o pregado ao chão, sem tempo de reacção e feito o desequilíbrio. Esta diferença competitiva entre Luisão e Gaitán (e são apenas exemplos, embora os mais evidentes) não pode acontecer na mesma equipa. Porque, tacticamente, gera problemas óbvios, mas também porque vai criando frustração nos que trabalham exemplarmente e tudo dão desde que entram até que saem. Ontem, Luisão, mal acabou o jogo, dirigiu-se para os balneários, pior que uma barata. Como eu o compreendo. Mas aqui a culpa é de quem permite que jogadores passem meses a fio sem um pingo de dinâmica competitiva – a equipa técnica, naturalmente.

- as bolas paradas: há coisas que não lembram a uma equipa de Distrital, menos, claro, a uma equipa de topo como o Benfica. Já viram a forma como defendemos os cantos? Fica um gajo em cima da linha da área e a equipa reza para que a bola seja bombeada. Quando não é e o canto acaba por ser marcado curto, o adversário faz invariavelmente um 2 para 1 porque não há nenhum jogador do Benfica preparado para ir cobrir o segundo jogador. Este posicionamento é patético e gera situações perigosas vezes sem conta. Isto não é de hoje, é de há muito tempo a esta parte. Nos cantos ofensivos, não criamos perigo, sendo que uma boa percentagem é desperdiçada por pontapés sem energia para o primeiro poste, onde estão dois ou três adversários.

- A questão da mentalidade e da maturidade psicológica: ontem não tivemos no banco o nosso treinador porque ele andou em histerismos no último jogo sem necessidade. Com isso, ficámos com um zombie no banco e perdemos aquela energia que, quando as coisas estão mal, ao menos agita e deixa os jogadores em alerta. Culpa do treinador, claro, mas da falta de uma atitude mais reflectida, ponderada e inteligente sobre os acontecimentos. Veja-se Aimar e a forma como fala com os árbitros, depois de as faltas serem marcadas. Ontem levou amarelo, continuou, arriscou levar o vermelho e continuava em discussões estéreis. Nisto, Aimar falha e desde sempre. Depois vem Garay, já o jogo estava no intervalo, e continua e leva amarelo. Falta quem explique e aconselhe jogadores e treinador. Falta que a estrutura seja potenciada ao máximo e não que nos autoflagelemos por entretenimento e diversão. 

Em termos de abordagem ao jogo, nem sei que diga. Uma equipa que consegue sufocar o adversário por 30 minutos e depois abandona completamente o jogo e passa a navegar com o vento de trás e um gin-tónico na mão, não merce ganhar. Parece que agora o que está na moda é dizer "estavam a pensa rno próximo jogo", o que não deixa de ser um conceito curioso - assim, o Benfica está constantemente a jogar sem estar a jogar: contra o Olhanense, estava a pensar no Basileia, contra o Basileia estava a pensar no Braga. E que tal pensarem em marcar dois ou três golos e depois pensarem em marcar o quarto?

- As mudanças na equipa: vou pronunciar-me pouco sobre questões tácticas, porque já toda a gente sabe as minhas ideias. Mas não posso deixar de dizer que a substituição do Miguel Vítor pelo Luís Martins foi ridícula – e consequência de ter deixado um campeão do Mundo a ver o jogo sentado no sofá de casa. Como mau foi ter partido, mais ainda, a equipa, com a saída do Aimar e a entrada de Cardozo. Era altura para retirar Rodrigo, meter Cardozo, retirar Aimar, meter Amorim (subia Witsel, reforçando o miolo, que era onde estávamos a perder fulgor) e meter o Nolito pelo Gaitán, que estava cansado há duas horas. Não é que isto assim resultasse de certeza absoluta mas seria mais fácil dar certo do que aquelas ideias estapafúrdias de Raúl José (de Jesus?). 

- As individualidades: Artur, Luisão e Garay (um erro parvo, no entanto) são excelentes. E é por isso talvez que as pessoas achem que defendemos bem. O que é esquecido é que uma equipa não é necessariamente boa a defender por ter bons centrais e guarda-redes. O Benfica tem problemas nas alas – na esquerda, tem um jogador medíocre; na direita, tem um jogador que parece estar a querer voltar aos tempos de mediocridade (renovem com ele, caralho, não queremos de volta o Mini Pereira) -, tem um 6 que o não é e tem dois alas que não querem saber do apoio aos laterais. Defender bem? Claro que não. 

O golo do Basileia resulta de dois erros individuais claros (Maxi e Matic) mas também da deficiente forma como a equipa estava posicionada em campo. Martins esteve bem, dentro do possível (por mim, entre ele e Emerson, prefiro o puto), Maxi muito dado aos movimentos ofensivos mas, defensivamente, foi uma nulidade completa. Matic não é 6 – enquanto jogar nessa posição, esperem perdas de bola em zonas perigosas, lentidão de processos, afunilamento na zona central. Metam-no a 8 e irão descobrir um excelente jogador. Gaitán tentou (aleluia!), mas, como disse atrás, de forma deficiente – não basta estar lá a defender, é preciso estar em atitude competitiva e isso ele não tem (nem terá?). Bruno César fez o pior jogo de que há memória, mas ele não tem culpa que o metam nas alas. Witsel certinho, mas apagado, Aimar quase sempre bem, embora tenha de rever a forma como arrisca em demasia quando a equipa está balanceada no ataque – algumas perdas de bola são inadmissíveis. Rodrigo fez um golão, tentou muito mas nem sempre bem – é importante que o espanhol continue a ser visto como uma alternativa em vários jogos e não uma certeza absoluta. Tem qualidade, claro, mas também tem deficiências óbvias. 


O jogo de Braga vai ser muito difícil. Mas isso já todos sabíamos. Ou não. Os que não sabiam ficaram, desde ontem, a saber. 


42 comentários:

anauel disse...

O jogo contra o Braga vai ser muito difícil. Pois vai. Porque já só vão estar a pensar no jogo contra o Sporting...

Esta coisa de andarem constantemente a jogar com serviços mínimos (já são para aí uns 4 ou 5 jogos consecutivos nisto) já mete nojo. E pega-se. Vejam-se as bancadas. Até já o terceiro anel está em serviços mínimos... Mete dó. Um tipo lembra-se daquele último jogo antes da paragem do campeonato (contra a Académica?; já nem me lembro...; o dos 15 minutos de cantoria, pronto!) e depois vê o jogo de ontem e só quer é chorar... Não façam nada que não é preciso... Dass!

Belo texto, já agora.

Benfica sempre!

João Duarte disse...

Para mim, o jogador de futebol é, por definição, um puto atrasado mental (há excepções) q funciona com estimulos muito primários. Vejam como o Mourinho trata os jogadores.

O Gaitan tem 23 anos uma pipa de massa no banco e o auto-empresário-JJ-convencimento de que é um craque.

Não é. E assim está em vias de se tornar um tipo mais mediocre do que o Quaresma.

Solução? Clássica. Ameaça mordida entre os dentes pelo Pietra e chuveiro com o Luisão, JAvi e Garay. No fim, conversa amigavel e suave com JJ e Director Desportivo.

Se não houver ninguem que o faça, eu não sou um tipo grande (tb não é para destruir), mas estou cheio de vontade de assentar umas galhetas naquele cabrão.

lawrence disse...

Esta época vai ser qualquer coisa entre a primeira e a segunda do JJ.
Que sumo vai sair, não faço a mínima!
Agora que os erros básicos são mais que os aceitáveis a um treinador mesmo que teimoso, lá isso são!

Rui disse...

A análise é bem feita e identifica aspectos que merecem correcção, em minha opinião. No entanto eu acho que o grande problema é o da atitude mental com que se encara o jogo. Este Benfica parece-me demasiado calculista e entra demasiado cedo em regime de poupança, para além de me parecer que alguns jogadores estão mesmo em má forma física - em Aveiro, Bruno César aí aos 15 minutos já parecia estoirado.

Braga vai ser um jogo muito importante - semelhante ao do Tranzonspor, Twente ou Manchester. Quero ver a atitude aí. Não que goste do que se tem passado, é o 8 face ao 80 das épocas anteriores, em que nunca se parava e o ano passado viu-se que chegámos a Março e a equipa começou a estoirar por todo o lado e, como é óbvio, nem 8 nem 80.

Sobre as questões mais específicas que referes, começo pelo Maxi. Maxi é um defesa mediano com uma atitude enorme. Nunca foi particularmente bom a defender e tem-nos custado alguns golos. Eu gosto da atitude do Maxi, mas precisamos de um defesa direito melhor ou, pelo menos, de uma alternativa decente.

Sobre Capdevilla, a estúpida substituição de ontem de Luis Martins diz tudo. Aquela amostra de central adquirida ao Olhanense nem vai jogar na fase de grupos e foi esse o argumento imbecil para deixar o Cap de fora! Inaceitável!

Aimar e o 10. Se não joga Aimar, não temos 10. A táctica parece ser essa, vá-se lá saber porquê, ou melhor, sabe-se, é o génio do treinador!

Acredito que em Braga vai ser diferente e vamos ganhar pela primeira vez em 3 anos. Como disse, em outros jogos desta importância, este ano, a equipa respondeu muito bem. É isso que espero novamente.

Constantino disse...

Caro Ricardo,

Não entendo as tuas criticas. Temos estado a jogar 15 minutos de alto nivel, por jogo e tu criticas? Querem lá ver que ao SLB se deve pedir que faça 30 minutos de alto nivel e 60 de bom nivel, em vez de 15 a bombar e 85 a olhar para a bancada?

A continuares assim, não vais fazer amigos... e depois admiras-te que o SLB não te mande mails...

Agora a sério: quando os últimos 10 minutos do jogo de ontem foram passados com a bola a ser trocada pelos centrais e redes suiços, com a equipa do SLB à espera à entrada do nosso meio campo.... é porque algo não está bem... a questão é saber se o problema é técnico, tactico, fisico, mental ou se alguém se esqueceu que clube esta a representar...

Abraço.

Pedro disse...

Como sabes discordo da ideia q temos estado a jogar mal e com desleixo após conseguirmos vantagem no marcador. Não concordo mesmo.

Mas ontem não jogámos nada. Népias. E não jogámos pq ao contrário dos outros jogos, não tivemos bola e ao não ter bola não podemos fazer o jogo controlado que tão bem temos feito este ano. E tivemos q andar atrás da bola e, pior q tudo, estoiramos cedo. E é isso q me incomoda. Uma equipa q tem tido uma rotação de plantel como é q estoira aos 60 minutos? Isso é muito preocupante.

A subs do Luis Martins diz tudo. Tudo mesmo e mais uma vez a teimosia inaceitável do treinador pode deitar tudo a perder. Eu conheço muito bem o SLB e já vejo futebol à muitos anos mas não quero ser demasiado pessimista mas, aquele final de jogo, foi mau demais para os jogos que aí se avizinham.

Ou o SLB puxa dos galões, veste o fato de macaco e os jogadores se enchem de brio e conquistamos uma concludente vitória em Braga ou temo o pior...fica o aviso.

Mentecapto da Silva disse...

Perante uma exibição medíocre como a de ontem, difícil é falhar a análise crítica (e tu falhaste pouco, bêbado) pois casa onde há pão todos ralham e todos têm razão.

Em todo o caso...
"Martins esteve bem, dentro do possível (por mim, entre ele e Emerson, prefiro o puto)". Importaste de repetir?!
Eu entre o Emerson e o puto prefiro putas. A análise (positiva) que todos fazem ao Martins (jogador a rever e, sobretudo, a rodar) faz-me lembrar os tempos da faculdade e os alunos vindos das ex-colónias: mostravam muito pouco mas, como eram dos Palop's, levavam sempre com um 10. Não me fodam.

"Metam-no (Matic) a 8 e irão descobrir um excelente jogador." Dass...nem oito nem 80, deve andar aí entre os 40.

"Tem qualidade, claro, mas também tem deficiências óbvias". Espera lá, o Matic é um excelente jogador, o Rodrigo tem deficiências óbvias...Que deficiências são essas?!

"Artur, Luisão e Garay (um erro parvo, no entanto) são excelentes".
Artur foi um achado precioso; Garay (5 milhões) foi uma pechincha, não achas?

Ricardo disse...

És rapaz para ter muita razão, João Duarte.

Lawrence, faço a mesma pergunta todos os dias: "isto vai dar 09/10 ou 10/11?". Não sei, mas continuo preocupado. Os erros, esses, persistem.

Rui, discordo. Este Benfica não apaga por calculismo, apaga por incapacidade de manter os níveis competitivos em alta durante um jogo. Há displicência, arrogância, distracção.

Quanto ao 10 e Aimar, é tudo isso. Por alguma razão estranha, Bruno César não é tido pela equipa técnica como uma solução a Aimar. Não tenho grandes esperanças na vitória em Braga, sinceramente.

Constantino, o pior é que esses gajos que detestam que se critique quando a equipa ganha são os mesmos que depois arrasam a equipa de forma injusta quando ela perde ou empata. Os resultadistas são seres muito estranhos. Abraço.

Pedro, o jogo de ontem foi a sequência natural dos jogos anteriores (Aveiro e na Luz com o Olhanense). A diferença foi que o Basileia é melhor equipa.

Mentecapto, registozinho. Depois falamos.

M. disse...

Ricardo, vai um abraço solidário desde uma paragem entre voos na Malásia (em que o wifi me permite entretinimento) e que serve para compensar as varias leituras que aqui faço onde me limito a concordar e não o escrevo nos comentários. Sinteticamente dois problemas: o estrutural,que parte do Vieira e seus associados e que se acentua com a carta branca a joker mais imprevisivel do que o do Heath Ledger (o Dark Knight é um grande filme e uma referencia cultural no meio de um comentário sobre o Glorioso foi sempre o meu passaporte para aceitação na blogosfera), JJ himself. Muito pode ser dito e escrito,não tenho assim tanto tempo no aeroporto. O segundo,é o problema tactico. Este 442 é bizarro,dado que parece haver uma regra que impede qualquer - repito,qualquer - ajuda de um ala ao seu lateral ou no meio e Aimar parece-me muito longe da posição 10. Não transportada e, pior, leva-nos de volta a Quique Flores e ao seu eyeliner. Aimar não é um 9,5 nem sequer um 9,9. Esta lá,na camisola. E de vier a gestão com pinças (isto são as saudades de casa),que se coloque César ou Witsel, um rapaz tacticamente tão bem comportado que me emociona. Braga vai ser, em bom português - como aqui se escreve, o caralho. É bom que a rapaziada de esmere.

Sérgio disse...

Pois, tá toda a gente com a pulga atrás da orelha: 09/10 ou 10/11???

A questão do Luisão é muito importante, talvez a mais importante. Metade da equipa é séria, profissional e está cheia de vontade de ganhar; esses não merecem assobios, nem compreendem quando os ouvem. A outra metade, ou não quer, ou não pode, ou não percebe...mas está a minar esse espírito, essa dinâmica que tem aparecido a espaços, essencialmente no início dos jogos.

Quanto ao Aimar - é sempre o melhor. Sempre. E não entendo que se tire o melhor quando se quer partir para cima deles. Aliás, num jogo como o de ontem, não entendo que se retire unidades ao miolo, porque esse é o único espaço físico que temos de dominar, tudo o resto aparece por acréscimo.

Rui disse...

Ricardo,

Não posso dizer que não tenhas razão sobre a incapacidade de manter o nível competitivo - prefiro dizer que "the jury is still out". Como escrevi, nos jogos duros, e se quiseres inclui o do estádio do ladrão, a equipa foi capaz de o fazer.
Nos dois anos anteriores, a equipa era capaz de andar a correr à maluca o tempo todo. Grande parte dos tipos que corriam à maluca, sempre à procura do próximo golo, estão na equipa, ainda. É por isso tenho dúvidas sobre que parte é incapacidade, que parte é resposta não totalmente conseguida a uma necessidade de ser mais pragmático.

Braga será um bom teste para ver onde consegue esta equipa chegar.

Ricardo disse...

M., abraço também para a Malásia e para ti. Estás longe mas continuas certeiro.

Concordo com tudo o que dizes. E acho que as duas razões estão ligadas - o demasiado poder que o Jesus tem no Benfica favorece-lhe os devaneios, potencia-lhe as teimosias e não o força a uma clarividência que devia ter. Com este futebol, entre o fantástico e o apático (mudando entre os dois várias vezes ao longo do jogo), nenhuma equipa pode ter sucesso sustentado e consecutivo.

De forma simples: Aimar é um 10, Bruno César é um 10 e, sim Witsel, apesar de não ser a melhor posição para as suas características, pode, pontualmente, jogar aí para segurarmos o meio-campo, como ontem, por exemplo. Tudo o resto é inventar estupidamente.

Sérgio, só entendo a saída do Aimar numa perspectiva de refrescar o meio-campo e de poupança, em caso de o resultado estar feito. Ontem entendê-lo-ia se tivesse entrado o Amorim e passado o Witsel ou o César para o meio. Como foi, foi degradante.

Rui, mais ajudas: se a equipa já foi capaz de manter níveis de concentração altos em alguns jogos - e foi - e noutros, especialmente em casa, os perde, é na questão mental que está o problema.

Não concordo muito com a ideia de uma equipa desgastada fisicamente. Aliás, não concordo nada. Há casos específicos, claro - o mais gritante o Gaitán, que parece mesmo ser um flor de estufa -, mas na generalidade a equipa tem bons indíces físicos. Foda-se, nem podia ser de outra forma! Estamos a 3 de Novembro! A rotatividade não tem sido má. Falta é fazer perceber aos lambões que por lá andam (lambões física e tacticamente) que no Benfica não se pode correr só mais ou menos ou vir a passo enquanto os outros dão tudo. Depois os conceitos tácticos são mais complexos, mas para isso é que lá está o mestre da táctica. Ou não será tanto assim?

Rui disse...

Ricardo,

Estamos de acordo que a questão é mental. Agora falta saber se é defeito se é feitio, isto é, se o fazem porque a ordem é para conter, ou se o fazem por displiscência ou arrogância até. Se for a primeira, que eu prefiro, apesar de tudo, penso que Braga mostrará o Benfica ao mais alto nível que vimos este ano.

Sobre a forma física, para além do Gaitán, parece-me que o Bruno César não está bem. Como alguém disse, o tipo deve ter corrido mais nestes 3 meses do que no Brasileirão inteiro!

Braga dará respostas, espero eu, claras em relação a tudo isto. Veremos.

SLBruno disse...

Em relação aos cantos, vou deixar a mesma opinão que deixei num outro "canto" benfiquista:
Cantos à Benfica...
"Bola ao primeiro poste e muito baixinha...
Já alguém na equipa reparou que o Katsouranis já não joga no Benfica? E que depois da sua saída o único que ainda tentava aparecer ao primeiro poste era o David Luis que por acaso também já não joga no Benfica?
Cada canto a nosso favor é sabido por antecipação que não vai dar em nada!"
Mas depois d'este post lembrei-me de outra coisa... Poque não fazem como os putos nos iniciados? Um levanta a bola e outro dá um chutão para o meio da área? Já que ninguém consegue colocar a bola para além do primeiro poste...
Parabéns pelo excelente blog ;)

Pedro disse...

Custa-me que teimes num mau jogo contra o Olhanense. E a diferença desse jogo para o de ontem é brutal...e tão óbvia...tivessemos jogado como contra o Olhanense e esta hora esta conversa era totalmente diferente pois tinhamos a vitória, os tais 4 milhões e o apuramento. Adiante...

PS: Ali na sondagem do lado não falta uma hípotese mais optimista?

aNNóNNimo disse...

João Duarte

Quando escreves:

"... e chuveiro com o Luisão, JAvi e Garay."

só me lembrei que o querias pôr a 'apanhar sabonetes', eh eh eh!

Logo imaginei o puto a aparecer-me na Luz, com o cabelinho pintado de amarelo, armado em ...

H...H...Herman, seus 'maldizentes'!

SLB4EVER disse...

@Pedro
Olha que este jogo pareceu tirado a papel químico do jogo com o Olhanense. Tivesse a penalidade sido assinalada e apostava que o resultado até seria igual, ou não... A grande diferença aqui é que o Basel é indiscutivelmente uma equipa bastante superior á do Olhanense.

LDP disse...

Hoje dou-te toda a razao, Ricardo.

Mas (e eu sou o primeiro a fustigar-me por falar tanto nisto), se nao se marcam penalties como o do cruzamento do Maxi entao é melhor abolir o conceito de penalty de todo o futebol.
Poderiamos ter chegado ao intervao a ganhar por 2-0 e a cançao jà seria outra. Ou nao. Nunca o saberemos.
Mas ou anulam-nos golos limpos ou nao se marcam penalties limpos e depois é ver adeptos, digamos "incautos", a exagerar nas culpas sobre empates ou vitòrias à rasca quando pelo menos metade destes ultimos jogos poderiamos ter acabado por ganhar com 2 ou mais golos de diferença.

abraço a todos.

SLB4EVER disse...

Saindo das linha existe uma situação que gostava de confirmar, é mesmo verdade que o JJ assistiu ao jogo em um hotel?
Sendo isto verdade fico muito desiludido, algo de muito errado vai naquela cabeça, mas o que é isto um copycat barato e decrépito do Mourinho?
Fico com a sensação que o mesmo 'pisa' tudo e todos a seu belo prazer e ao mesmo tempo tem o LFV sempre pronto a permitir isto e a colaborar nos seus devaneios e manias de grandeza. A relação deste com o Rui Costa parece ser a situação mais evidente, ou a 'novela' Cap.
Não sei mas depois do jogo de ontem e com outros factores á mistura a minha imaginação levou-me a um cenário que espero ser totalmente absurdo e que como tal ñ vou partilhar.

@João Duarte
LOL Podes crer, o 'puto' precisa mesmo de um aperto, acho que nem devia se permitir ir para a seleção neste momento, não vai jogar e ele não precisa de férias precisa é de trabalhar o físico e a atitude competituva, carregar uns baldes de massa ia-lhe fazer bem, o raio do puto parece que no tempo livre brinca com barbies...

Tentando ser positivo pelo menos os equívocos do treinador e jogadores ainda não nos custaram nenhum dos objectivos, como tal neste momento os PROFISSIONAIS já devem ter bem identificado o que existe a corrigir e a trabalhar, deixa de haver desculpa plausível para cair nos mesmos erros ou ter surpresas desagradáveis devido aos mesmos, hoje a ilusão deixou de existir , a realidade é o que é e vale o que vale e é por aqui que o trabalho terá de ser feito, não assente em lirismos ou ideias pouco claras e muito importante com todos a remar para o mesmo lado.

E pluribus unum

Mr. Shankly disse...

Brilhante análise. Concordo com tudo.

Hattori Hanzo disse...

Tantas vezes o cantâro vai à fonte que acaba por se partir. Sempre ouvi dizer e regra geral acontece... como foi ontem. De resto concordo contigo em quase tudo as substituições foram todas elas muito más (com a excepção da última, mas que deveria ter sido muito mais cedo... e mesmo assim tiraria o Bruno César). Neste momento o Benfica é Aimardependente e isso é muito mau. Rodrigo é verdade que marcou um grande golo e atirou ao poste no 1º minuto, mas ainda não me convenceu... tal como Garay, que é bom, mas não é tão bom assim e para o preço que pagámos (ou que não recebemos inserido no negócio Coentrão). O miúdo embora não tenha comprometido parece-me fraquito (preferia Mário Rui, que despachámos e assinou contracto com o Parma). Matic nunca será trinco, e não percebo porque o catedrático não dá hipóteses ao Ruben naquela posição quando Javi não está ou não pode. Continuo a dizer: demasiados jogadores para o meio e tentativas de adaptações depois dão nisto. Ele que não se lembre é em Janeiro de pedir jogadores para as alas... eu fazia-lhe o manguito. É que tens Urreta que foi dispensado (eu já nem falo em Yartey que está a dar frutos na Suiça, mas não serve ... não pagámos muito dinheiro por ele).

Pedro disse...

SLB4EVER, contra o Olhanense tiveste sempre posse de bola e controlo do jogo. O Olhanense foi duas vezes à baliza, mal passou do nosso meio campo. Tinhas bola, e isso fez/faz toda a diferença. Ontem não. Pelo contrário. Não só não tinhas bola como foste incapaz de ir à procura de a recuperar. Foi totalmente diferente. Foram jogos incomparáveis!!!!

Ricardo disse...

Rui, o Bruno César é um jogador para jogar no miolo, em combinações curtas, a transportar o jogo, em passes de ruptura. Não é para as alas e para correrias contínuas. Pode ser mais agressivo sem bola - deve ser mais agressivo sem bola! - mas convém identificar-lhe as virtudes e não potenciar-lhe os defeitos.

Não está mal pensado, SLBruno. O Gaitán e o César precisam disso, claramente. o Aimar é quem marca melhor os cantos. Deixem-se de paneleirices de meter um destro na esquerda e um esquerdio na direita e metam o mago a marcar tudo. E, já agora, um canto não tem de ser sempre bombear bolas para a área. Pode ter outras cambiantes.

Pedro, teimo porque é a minha opinião - e, pelos vistos, não é única. Nenhum jogo é igual mas esses foram de facto muito parecidos, o que faz sentido visto que acabam por ser a sequência um do outro.

Querias mais alternativasna sondagem? Acho que estão lá algumas pornograficamente positivas!

LDP, claro que sim, se o penálti tivesse sido marcado muito provavelmente teríamos ganho o jogo. Mas essa é outra discussão. O que eu acho é que o Benfica não pode ficar refém dos erros de arbitragem. Se não marcam, paciência, temos de continuar a jogar. É que se vais estar à espera disso, é melhor esqueceres o campeonato.

SLB4EVER, isso já é entrar em teorias sem fundamento.

Hanzo, também não percebo a razão pela qual o Jesus não mete o Amorim a 6. Quanto ao Martins, discordo: acho que, pelo menos, tem potencial. Outras conclusões só se o vir jogar mais vezes.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
SLB4EVER disse...

Pedro não é assim tão incomparável repara:
-Ambos os jogos podiam ter ficado resolvidos na 1ª parte, assim como em ambos se sofreu um golo no 2º tempo
-Em ambos a equipa desligou por volta do meio da 1ª parte e embora fosse mantendo um aparente controlo do jogo até ao intervalo na 2ª parte deixou de jogar ligado, produzindo poucas oportunidades e permitindo mais jogadas de perigo ao adversário
- Nos dois jogos a equipa acabou a jogar num 442 clássico sem 10 refletindo-se num futebol desgarrado e sem grande qualidade
- Prejudicados pela arbitragem em ambos, com influencia no resultado
A grande diferença foi a qualidade de jogo entre o Basileia e o Olhanense e e ainda bem que ela é assim tão óbvia.

Ricardo deixei de fora a verdadeira teoria da conspiração, acho que dizer que o Cap não conta para o JJ devido ao seu ego e uma guerrinha de poder não deve andar assim tão longe da verdade assim como ter suspeitas que a relação deste com o R.Costa já azedou á muito tempo, pelo menos certas decisões internas do clube e algumas piadas nos media assim o indiciam.
Em relação aos cantos acho que independentemente de quem os marca é quase sempre da mesma maneira e regra geral são mal marcados.

Hattori Hanzo a situação de ter ou não Aimar vem-se arrastando desde sempre e é das coisas que tb mais confusão me faz, acho que se está aqui a criar um falso problema, tendo no plantel B.César, Gaitan e D.Simão e mesmo o Witsel continua a não se criar rotinas para alguém o substituir e sempre que este não joga isso serve desculpa para se jogar sem um 10 que faça a equipa jogar e ligue o futebol. É minha opinião que faz mais falta um 10 'Maestro' que ande sempre perto de onde a bola anda e faça a equipa jogar do que um 10 que funcione mais como 2º avançado.
Em relação a entradas é mesmo de fazer um manguito excepção feita a um central mas isto só despachando o Jardel, saindo o Cap tb alguem para a esquerda, de resto nem quero ouvir falar em mais dinheiro gasto, até vou mais longe se se portar mal(o JJ) e houver uma boa proposta vendia o Gaitán em Janeiro. Tb não sei pq ñ usa o Amorim na sua posição e acho que nunca vamos saber. Enfim são um grande número de decisões contrárias ao bom senso que nunca vamos perceber.

Bcool973 disse...

Apetece-me ir contra a corrente. Acho que ontem é capaz de ter sido positivo para o Jesus cair na realidade e não voltar a fazer figuras de urso que o façam exppulsar, para evitar termos zombies, como lhe chamas, no banco.
Mais ainda, acho que o Vieira lhe vai tocar a lambada por ter visto a grana a fugir no meio dos dedos e o Jesus vai deixar-se de músicas e focar-se nos treinos. Agora há coisas que o Jesus não muda nem Deus venha a terra, para ele, só para ele, o Matic é a alternativa ao Javi, o Cap não entra nas contas e portanto não vale a pena tentar mudar coisas que são imutáveis. Como disse vou contra a corrente - o Bruno césar não tem características para ser um 10, não tem visão periférica, pode ser um 8, se o instruirem a defender, pode ser um segundo avançado, mas nunca será um bom 10. Para o Jesus será um médio ala que joga cortando para o meio. O Gaitán ontem mostrou um comprometimento com a equipa que não vi em outros jogos. Quando teve do lado do puto, preocupou-se em vir atrás e ajudá-lo, visto que o puto andava completamente à nora, não acompanhava a linha de fora de jogo, estava sempre adiantado, fechava para o meio, mesmo quando a bola estava do seu lado dando km de espaço à shakira, e penso que foi por essa forma de defender, em especial porque nem o bruno césar quando estava à esquerda, nem o matic vinham ajudar a fechar, obrigando o Garay a estar sempre atento e penso que foi por isso que o Jesus se lembrou de meter o Miguel vitor pois terá pensado, ok ficamos sem flanco, mas pelo menos tapo a shakira e é verdade, porque tirando o amarelo, nunca mais se a viu. fodeu-se e fodemo-nos nós que os suiços marcaram logo ainda nem o miguel vitor tinha ocupado a posição dele. Acho que estás a ser injusto com o Maxi. O Maxi teve 2 semanas mal arremedadas de férias, não fez pré-época e obviamente que se vai ressentir o desempenho dele este ano, porque sendo um médio de base, é mais ofensivo do que defensivo e naturalmente com a garra dele quer levar a equipa sempre para a frente, como tem menos frescura física, haverá mais buracos atrás, mas é para isso que quer os alas e avançados têm que pressionar, quer o central e o trinco têm que compensar, se os primeiros não fazem e 1 dos dois de trás falha a probabilidade de sofrer um golo é enorme.
Pessoalmente acho que o Jesus vai trabalhar bem a equipa psicologicamente e acho que esta vai reagir já em Braga, fica desde já a minha previsão de vitória independentemente dos problemas que acho que desde o início de época não têm solução, não há alternativas ao maxi, ao javi, ao cardozo (pois sempre que é preciso jogo aéreo, sem o cardozo não existe nada). Da esquerda da defesa acho melhor nem falar, pois o emerson é mau, o puto não conhece os movimentos da equipa e o Cap, que é feito dele ? ao contrário do pessoal, acho que o Gaitán daria um bom substituto para o Aimar. Não entendo a embirração do Jesus com o Nolito, e fui tão criticado por ter dito isto no início da época. O Bruno césar, com quase 10 meses de temporada vai progressivamente cair de forma e não está habituado aos pesados relvados europeus, pelo que acho que o nolito deveria ter mais chances.
Duas notas sobre os nossos dois próximos adversários, aos lagartos vasou-lhes um pouco do balão, não só pela derrota, mas parece que a lesão do petit deles é grave. Os mini-tripeiros, que estão com dificuldades para se apurarem num grupo onde anda uma equipa da segunda divisão inglesa (líder do grupo) marcaram 3 golos de canto e têm 2 jogadores de que gosto, o alan continua a ser um grande jogador e o fran mérida que eu não conhecia parece-me ser um bom jogador, mas é óbvio que não é um jogo contra uns cepos eslovenos que o qualifica, porém pareceu-me ser bom jogador.

Bcool973 disse...

Ricardo, Sérgio e demais escribas deste tasco, gostava que olhassem ao relatório e contas da SLB SAD e nos dessem os vossos comentários, pois pela minha parte fiquei bastante assustado com o panorama lá descrito, independentemente do tom rosa (vermelho) com que a mensagem aos accionistas está escrita. Para dar um lamiré, gostaria dos vossos comentários ao facto de o empréstimo do keirrison ter custado mais de 1.000.000 euros, de o cap ter recebido um prémio de assinatura de 2.500.000 euros e estar na bancada e de a equipa ter um passivo bancário de mais de 240.000.000 euros e de que cerca de 100.000.000 milhões dos nossos activos são intangíveis e consequentemente dependentes da capacidade de o Benfica vender os seus jogadores, tendo em conta a implementação das regras de fair-play da FIFA se calhar temos que entender que esta estratégia de equipa vendedora vai sofrer um rombo no futuro. Mas para mim o mais grave é a quase ausência de capitais próprios tendo em conta que o capital social é de 115.000.000 euros. É certo que podes argumentar que desde que os resultados operacionais sejam positivos pode-se dar a volta, o problema é que os custos de financiamento não estão em trajectória descendente, pelo contrário. A nível operacional excluindo transacções de atletas, houve um aumento de custos com o pessoal para cerca de 42 milhões de euros, mais de 50 % dos custos operacionais e os proveitos operacionais só se equilibraram porque houve um aumento significativo dos prémios da uefa.
será que faz sentido ter 71 atletas na folha de salários ?
São algumas questões que não estando ligadas às exibições são importantes para o futuro da sociedade e consequentemente do Benfica

Ricardo disse...

Bcool, em relação ao posicionamento de vários jogadores, já conheces a minha opinião. Seria chover no molhado.

Importa-me, no entanto, ressalvar o nome de um jogador que referenciaste e que, na minha opinião, seria uma excelente contratação: Fran Merida. Tem jogado pouco no Braga, o que seria benéfico para nós, na altura de comprar, embora- já se sabe - os gajos como Benfica gostem de esticar a corda. É um jogador com um potencial monstruoso.

Quanto às contas, já abordámos aqui algumas, poucas, vezes, o que é a nossa ideia: estamos a ser mal geridos. Mas confesso que não posso fazer uma análise especializada porque não tenho formação para tal. Um dos escribas, o Americano, é um craque na matéria, mas há muito que aqui não escreve - essa era uma, entre muitas, das razões por que o convidámos, só que ele escolheu dedicar-se ao silêncio. Pode ser que um dia volte e possa aceitar esse teu repto. Daqui o envio também: Americano, vá lá, pá, escreve qualquer coisa sobre o assunto. O povo pede e exige.

Agora essa do empréstimo ao Keirrison e dos milhões ao Capdevila, a ser verdade... é apocalíptico!

Bcool973 disse...

As cedências de atletas referem-se às receitas provenientes de empréstimos temporários a outros clubes ou SAD’s de jogadores cujos direitos desportivos pertencem à Benfica SAD, que no presente exercício referem-se essencialmente às cedências dos atletas Éder Luis, Yebda, Rodrigo Moreno e Freddy Adu. - Valor 684.720

Os custos com empréstimos de jogadores referem-se aos custos incorridos com a cedência temporária do atleta Sálvio, os quais foram consideravelmente inferiores aos verificados na época transacta com o empréstimo do atleta Keirrison. 2010/2011 - 260.000, 2009/2010 - 1.095.508

Fonte: RELATÓRIO & CONTAS
2010/2011
DE 1 DE JULHO DE 2010 A 30 DE JUNHO DE 2011 - Sport Lisboa e Benfica - Futebol SAD

SLB4EVER disse...

Bcool mas o irónico é que depois da entrada do M.Vítor a Shakira foi dançar para o Maxi e foi desse lado que sofremos o golo, só lá para o final é que voltou para a esquerda!
Quanto á posição 10 eu na minha loucura acho que o jogador mais talhado para a posição e para por a equipa a jogar á bola e ligar sectores é o D.Simão, mas reconheço potencial e qualidades tb no Gaitán, B.César e até Witsel, cada um ao seu estilo mas capazes de fazer a posição, existem treinos para desenvolver a visão periférica, 6 mesitos e quase que até vê pelo do traseiro :)

Quanto á situação financeira e mesmo sendo alguém sem formação na matéria acho assustadora a situação de ter tantos jogadores vinculados ao clube, em especial devido ao panorama económico mundial e com a incerteza que paira no ar. É certo que havendo um crash vai tudo abaixo, ñ apenas o SLB, mas isto ñ serve de conforto.
Mesmo se existisse uma equipa B continuam a ser jogadores a mais na folha salarial e é muito provável que muitos do que não estão no clube continuem a receber uma percentagem do salário do SLB. Verdade que nos últimos anos tem-se feito umas boas vendas mas continua-se a comprar mais jogadores do que se vendem/dispensam e o nº continua a aumentar de ano para ano.
Penso que mais do que 50 é um exagero e que vai tornar-se insustentável para as contas do clube, se a maior parte destes jogadores(empréstimos) fossem da formação ainda se podia compreender, o problema é que a maior parte não é e por muitos pagou-se bem e vai ser complicado ter o retorno.
Compreendo a política de comprar jogadores para formar e vender por bons preços mas não se pode estar a comprar 15 jogadores por ano á espera que daí 1 ou 2 sejam retorno certo e depois se perca dinheiro com os restantes.

Pelos ultimos discursos fico com a ideia que o LFV está pelo menos a ter consciência da situação mas fico apreensivo, vamos ver se se começa apostar na cantera do clube a sério ou não. Não aproveitar valores como o D.Simão e N.Oliveira será um sinal óbvio que não.

Bcool973 disse...

Uma correcção é necessária, a questão do Cap obtive a informação por outra fonte, visto que o negócio não foi feito antes de 30-06-2011, mas a minha fonte é bastante bem informada e para o próximo relatório logo veremos se esse valor está discriminado.

Bcool973 disse...

SLB4EVER só mais um dado face ao que disseste sobre o LFV: "O aumento verificado na rubrica plantel de futebol no montante de 49.750.505 euros respeita essencialmente às aquisições de direitos desportivos e económicos de atletas, os quais incluem as importâncias dispendidas a favor da entidade cedente, encargos com prémios de assinatura pagos aos atletas, eventuais taxas federativas e demais encargos com serviços de intermediários, assim como os efeitos da actualização financeira. As principais aquisições respeitam essencialmente aos direitos dos atletas Franco Jara, Oblak, Gaitán, Roberto, Jardel, Élvis, Carole, Fernandez, Matic, André Almeida, Leonardo da Silva (Leo Kanu), Derlis Gonzalez, Enzo Perez, Bruno César, Wass, Rodrigo Mora, Artur Moraes, Manuel Duran (Nolito), Melgarejo e Nuno Coelho. O valor inclui ainda os investimentos adicionais referentes aos atletas Fábio Coentrão e Roderick."

Ulrich Haberland disse...

Sem dúvida Ricardo, há muito que me pergunto que "pressão" é esta que a equipa faz... Parece-me que o JJ mantém um sistema com 2º avançado (este ano normalmente Aimar), em detrimento do 4-3-3, para poder pressionar os defesas centrais na saída de bola do adversário com 2 jogadores (para além do querer aproveitar o espaço entre linhas quando ataca), mas o facto é que a restante equipa não acompanha o movimento, resultando disso apenas o enorme cansaço do Aimar (normalmente o mais esforçado na pressão) inutilizando-se assim essa "pressão" e nada ganhando a equipa com essa ideia de jogo.
A esta questão se junta a pouca disponibilidade dos alas/interiores ajudarem os laterais, a natural dificuldade do Maxi recuperar a posição depois de ir lá à frente centrar (é quase sempre ele a fazê-lo) e a dificuldade do Witsel, ainda, na coordenação de movimentos com o Javi no meio campo quando a equipa defende. Neste conjunto de factores, me parece, estarem os problemas defensivos da equipa.
Ahhh, esquecia-me, last but not least, juntemos também a mediocridade do Emerson!

Outra questão que não compreendo é a completa ineficácia, por incompetência da equipa, na marcação dos cantos. Não se vê trabalho nenhum nesse aspecto. Urgente trabalhar isso!

O Aimar deve jogar a 10, ponto final (e o Benfica sem ele em campo passa do excelente para o bom pequeno).

Quanto ao adormecimento da equipa após os 20/30 min de jogo, parece-me que resulta da evolução do JJ que percebeu que o 80 de 2009/2010 não é exequível numa equipa com a carga de jogos por época como o SLB tem, e passa agora pela fase do 8. Só para a próxima época chegará ao 40. É um processo de amadurecimento do treinador e da equipa.

Apesar de todos os defeitos do JJ (andas a embandeirar em arco outra vez JJ!....) gosto do homem e acho que deve ficar muitos e bons anos por cá.

DeVante disse...

É um case study este comportamento benfiquista de menosprezar over and over again os seus jogadores mais valiosos...Era Di Maria, agora é Gaitán...olha, deve ser porque não defende um caralho que o Ferguson o quer...

O Gaitán é hoje a nossa maior esperança em facturar milhões numa venda...mas é também o principal dispensável...no mínimo estranho!

SLB4EVER disse...

Devante não é menosprezar o jogador, mas sim reconhecendo-se qualidades ser exigente e trabalhar a sua evolução, quanto mais ele evoluir mais dinheiro entra e melhores resultados desportivos para equipa ñ concordas? Não é a permitir-se tudo á vedeta que ela vai evoluir, nem isso é bom para os restantes jogadores, quer dizer o Nolito anda a ser enxovalhado pelo treinador a torto e a direito e este faz o que lhe apeteçe e ninguém lhe diz nada?
Que se contrate mas é o Tyson ou o Kimbo para manter os meninos em sentido! :D

SLB4EVER disse...

Lí um comentário no GeraçãoBenfica que contém uma passagem imperdível das ideias de uma referencia, um verdadeiro mestre do futebol. Aproveito para partilhar aqui devido ao seu grande interesse.

'Red Sniper disse...

Caro PJSimões !

Apesar de concordar com muito do que escreveu e não ter a mesma opinião sobre algumas passagens, gostaria de recordar algumas considerações do "velho mago" que um dia disse que sem ele jamais o Glorioso voltaria a ser campeão europeu,e que tem muito a ver com os tais esquemas de jogo e a velha questão de sofrer mais ou menos golos.
Estou a referir-me naturalmente ao Sr.Bella Gutman...
E disse um dia o velho senhor ...

«passa, repassa e chuta» é indispensável para chegar ao golo. - Só isso? - Marca e desmarca. Se a bola não é nossa, marca; se a bola é nossa, desmarca. Este é o princípio, o princípio fundamental. - Cada equipa precisa de ter um sistema próprio, adaptado às características dos seus jogadores. E assim como um alfaiate não faz o mesmo feitio de fato para um corcunda ou para um homem normal, do mesmo modo um treinador de futebol não pode dar a todas as equipas que treina o mesmo figurino de jogo. Numa equipa, não chega, apenas, classe. Há necessidade também de espírito de luta. Não pode haver boas equipas sem espírito de luta. - Sempre me interessou mais que o ataque fizesse mais golos do que obrigar a defesa a não os sofrer. Não me desgosta nada que o adversário marque três ou quatro golos desde que a minha equipa marque quatro ou cinco... - Primeiro, marcar golos; depois tentar não os sofrer. Eis a filosofia do meu futebol. - As equipas orientadas por mim não costumam jogar à defesa. Os bons resultados conseguem-se jogando ao ataque. Quanto muito, tolero que se defenda o resultado se este for favorável e se cifrar na diferença mínima nos últimos dez ou quinze minutos do encontro. Mas só nessa hipótese.
- Sou um técnico que não se aproveita dos jogadores. Quando perdemos perco eu, quando ganhamos ganham eles. É muito mais lindo assim.


Não entenda este comentário como uma critica, mas sim como uma pequena achega, para que percebamos todos, que no futebol já não há nada para inventar, quanto muito tentar moldar ao treinador de qualidade, as caracteristicas de um bom psicólogo e condutor de homens,o que não sendo de todo impossível, cada vez se torna mais dificil de encontrar ... '


Qd insisto acerca da importancia de escolher a tactica certa para o plantel não não espero que concordem sem mais nem menos, agora leiam bem as palavras desse senhor e tirem as vossas conclusões. É tb de assinalar a mentalidade na vitória e na derrota e comparem as diferenças com o discurso que o JJ teve depois do jogo com o Olhanense. Admiram-se que a equipa estranhamente perca atitude e motivação? Eu nem tanto assim...

Diogo disse...

Ricardo, excelente análise, nada mais a acrescentar.
Pegando nas palavras do Ulrich, também me parece que o Aimar estará a jogar mais como 2º avançado do que 10 o que prejudica o jogador e a equipa. Como todos sabemos o JJ é teimoso e o 442 ainda não saiu da cabeça dele, como tal deixo aqui um 11 para a reflexão.
Artur
Maxi
Luisão
Garay
Emerson (preferia o Cap)
Javi
Witsel
Aimar
Nolito
Gaitan/B César/Rodrigo/Saviola/Cardozo/Nélson

Táctica de 2009/2010 com alas que apoiam mais os laterais, pelo menos o esquerdo e lá na frente, dependendo do adversário, 1 fixo e um móvel ou 2 móveis, sendo que com a segunda opção poderiamos jogar em tabelinhas e desmarcações à semelhança do barça.
É apenas uma ideia de mais um treinador de bancada.

Abraço e bom fim de semana

Ricardo disse...

Há, de facto, um case study no Benfica bastante preocupante: aquele que formata alguns adeptos a acharem que defender o clube é não ter sentido crítico para os problemas. Mas esse nem com anos e anos de formação vamos conseguir abolir.

SLB4EVER, é conhecido esse excelente discurso do Guttmann. Lê-lo e confrontá-lo com a atitude de Jesus em relação às suas ideias e comportamento em defesa do grupo, é como do dia para a noite cerrada.

Diogo, aqui defende-se há ano e meio que a única forma de jogar em 442 no Benfica é precisamente essa: um dos jogadores das alas do meio-campo ser um interior e outro mais vertical, sendo que os dois terão de conhecer profundamente os processos defensivos. Um meio-campo com Javi, Witsel (direita), Nolito (esquerda), Aimar é o meio-campo correcto se se quiser jogar em 442 e aproveitar a qualidade dos vários avançados que temos. Nesse sistema, jogadores como Gaitán e Bruno César seriam óptimas opções como avançados móveis, especialmente o argentino que - é crença nossa desde que chegou - é talhado para essa posição. Mas Jesus não pensa assim, nem sequer tenta. O que ainda é mais ridículo tendo em conta que há dois anos ganhou o campeonato a jogar assim. Acho que é cada vez mais evidente que, apesar da qualidade que tem, houve muitos acasos felizes no sucesso do primeiro ano. Ninguém pode ter sucesso continuado quando se mantém tão inflexível em entender os sinais da equipa. O ano passado foi disso prova evidente. E este ano caminhamos no mesmo sentido. Com uma diferença: temos Artur. Mudem-no pelo Roberto e fica quase papel químico. Com este futebol, esqueçam, dediquem-se à pesca ou aos matraquilhos.

SLB4EVER disse...

Ricardo, é mesmo, para uma noite cerrada e nebulosa! Se fosse o Vieira gravava isto e fazia o JJ ouvir este discurso todas as noite enquanto dormia té ficar bem interiorizado. LOL

Quanto ao 442, há dois anos nas alas o Di e o Ramires foram fundamentais para a coisa funcionar bem, não os revejo em Nolito e Witsel, no plantel por mais que puxe pela imaginação não dá, não temos nenhum queniano e o Di mais o Coentrão resultou numa dinámica na esquerda que não estou a ver ser repetida, mas á coisas que não o podem ser e há que andar para frente e evoluir face ás novas circusnstancias (jogadores), era velocidade, pulmão e rapidez de processos que não existe no plantel actual. Há que jogar com os trunfos que se tem e é verdade que temos um conjunto de excelentes jogadores agora não se pode é pedir que estes sejam outros atletas e façam coisas que as suas capacidades técnicas, fisiológicas e raciocínio ñ permitam fazer com a qualidade que outros fazem. Não quero com isto dizer no entanto que essas escolhas para o 442 não fossem as melhores olhando para o plantel actual.
Para o 433 ou 4231 temos plantel para fazer duas boas equipas, é jogando nestes sistemas que acredito que a equipa pode desenvolver todo o seu potencial e jogar para ganhar ao Barça/Real/Bayern (ok não custa sonhar). Atenção que não estou a falar do 4231 que na realidade é um 442 disfarçado ;).
Em 442 acho que é um exercício de extrema dificuldade para qualquer treinador montar tão pouco como uma boa equipa, quanto mais querer ombrear com as mais fortes e ter alternativas, atendendo ao plantel claro. Até o Mourinho tinha um esgotamento, mas óbvio que ele nunca ia escolher tal sistema.
Convém referir que a jogar em casa com equipas mais modestas e com os jogadores em bom momento de forma se pode jogar em 442 losango ou no 4132, mas para isto tb convém que se mantenha a equipa sempre subida a jogar no meio campo adversário e num bloco coeso, não é por se estar a ganhar que se deve passar a olhar para os outros a jogar e ao mesmo tempo se tem a defesa recuada e entre esta e o meio campo e o ataque se deixe todo o espaço que o campo permita, é meio caminho para se ter surpresas desagradáveis.

Bcool973 disse...

Já vi que aqui só se discute o sistema táctico da equipa, o empenho e condição física dos jogadores e o comportamento do jesus em termos de liderança e escalonamento da equipa. è certo que o post é sobre isso, mas o futuro da equipa, da sociedade e do clube não se resume aos jogos e o facto de os trabalhadores terem aumentado de 137 em 2010 para 167 em 2011, destacando-se o aumento do número de jogadores na folha de 61 para 71 um factor que leva ao aumento dos custos fixos que em caso de não participação na liga dos campeões leva aos crónicos prejuízos, independentemente das grandes vendas, até pelo que o dinheiro para contratar, renovar e pagar salários acaba por deitar abaixo quase todas as receitas. Em termos de gestão é fundamental mudar o paradigma, ou se opta por uma equipa B para onde podem evoluir os juniores menos talentosos mas com algum potencial, bem como alguns jovens com mais potencial contratados no estrangeiro mas que necessitam de períodos de adaptação.A equipa B implicará que muitos destes jovens serão muito menos onerosos que os estrangeiros e ao fim de 1 ou 2 épocas deverão ter capacidade para se impôr na primeira liga ou abandonar o clube.Numa equipa B que treine com a equipa A, será mais fácil que os jogadores jovens aprendam com os melhores e mesmo assim possam ter ritmo competitivo, entrando numa equipa A com menos atletas do que os 27 actuais. Aliás entre equipa A e B não se justificaria mais do que 45 atletas, podendo a sociedade ter mais 5 ou 10 atletas emprestados a equipas da primeira liga ou de outras ligas equiparadas. Seja como fôr, estaríamos a falar da diminuição de 15 a 20 atletas. A capacidade de adquirir bons reforços no futuro dependerá da capacidade da sociedade equilibrar a sua exploração.

Bcool973 disse...

Independentemente da credibilização junto da banca obtida por Vilarinho e Vieira, os últimos anos, com a acumulação de prejuízos sucessivos está a levar o Benfica, neste caso a SAD, para a beira da insolvência. Face aos actuais resultados a SAD precisa de aumentar o seu capital social, ou seja nova emissão de acções, ou incorporação de outras sociedades nas quais o Clube seja detentor, ficando estas à semelhança da Benfica Estádio na posse integral da SAD, diminuindo cada vez mais o património do Clube. Alternativamente, a solução passará pela inversão da actual política de investimento na equipa, o que se consubstancia pela venda dos activos que facilmente se podem transformar em liquidez, os passes dos jogadores - os candidatos mais óbvios são gaitán, cardozo, rodrigo, witsel, nolito e bruno césar (não sei quantos vão sair, mas o Benfica necessitará de realizar 50 milhões de euros). Além disso, a continuidade de alguns jogadores com maior peso na folha salarial será equacionada e neste caso temos - Aimar, Saviola, agora Cardozo e Luisão. No ano passado o Benfica realizou 14 milhões nas competições da UEFA e este ano chegando aos quartos as receitas rondariam ps 20 milhões de euros, a diferença não é muito significativa e em termos de bilheteira o número de jogos para fazer receita é claramente menor que no ano passado, a menos que aconteça um descalabro e voltemos à Liga Europa. Dito isto, a conquista da liga e a passagem aos oitavos e depois aos quartos na Liga dos campeões são imprescindíveis para que o desinvestimento não seja brutal. Sinceramente fiquei muito apreensivo com a leitura do Relatório e Contas, porque a austeridade vai ter que chegar ao Benfica na próxima época, senão já mesmo em Janeiro. Eu preocupam-me os jogos, mas mais que isso, em criar condições para ganhar numa base constante e isso é algo que não vejo, nem em termos de gestão desportiva da SAD, nem do treinador. Como diz o Ricardo, não é uma questão de criticar por criticar, mas sim querer que o Benfica melhore e se há coisa que já todos devíamos ter aprendido é que não é por ignorarmos os problemas que eles desaparecem ou se resolvem por si, é identicando-os e atacando-os de frente.

SLB4EVER disse...

Bcool, essa tb é uma discussão bastante pertinente e importante, tenho todo o interesse em saber mais e reflectir!

Talvez o Ricardo coloque um post acerca disso um dia destes, era porreiro!