domingo, 28 de julho de 2013

60 anos de Presidentes do Benfica - o sucesso desportivo.

Joaquim Ferreira Bogalho (15/3/52 - 30/3/57)

5 anos como Presidente - 4 títulos (2 Campeonatos Nacionais e 2 Taças de Portugal)

Percentagem de sucesso (títulos a dividir por anos de Presidência) na Taça de Portugal: 0,4.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,4.

Percentagem de sucesso no total: 0,8.



Maurício Vieira de Brito (30/3/57 - 31/3/62)

5 anos como Presidente - 6 títulos (3 Campeonatos Nacionais, 2 Taças de Portugal, 1 Taça dos Clubes Campeões Europeus)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,4.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,6.
Percentagem de sucesso na Taça dos Clubes Campeões Europeus: 0,2.

Percentagem de sucesso no total: 1,2.


António Carlos Cabral Fezas Vital (31/3/62 - 26/3/64)

2 anos como Presidente - 3 títulos (1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal, 1 Taça dos Clubes Campeões Europeus)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,5.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,5.
Percentagem de sucesso na Taça dos Clubes Campeões Europeus: 0,5.

Percentagem de sucesso no total: 1,5.


Adolfo Vieira de Brito (26/3/64 - 28/5/65 ; 3/767 - 12/4/68)

2 anos como Presidente - 3 títulos (2 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,5
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 1.

Percentagem de sucesso no total: 1,5.


António Catarino Duarte (08/05/1965 – 17/06/1966)

1 ano como Presidente - 1 título (1 Campeonato Nacional)

Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 1.

Percentagem de sucesso no total: 1.


José Ferreira Queimado (17/06/1966 - 03/07/1967 ; 26/05/1977 - 29/05/1981)

4 anos como Presidente - 3 títulos (2 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,33.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,67.

Percentagem de sucesso no total: 0,75.


Duarte António Borges Coutinho (12/4/69 - 26/5/77)

8 anos como Presidente - 10 títulos (7 Campeonatos Nacionais, 3 Taças de Portugal)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,375.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,875.

Percentagem de sucesso no total: 1,25.


Fernando Martins (29/5/81 - 3/3/87)

6 anos como Presidente - 7 títulos (4 Campeonatos Nacionais, 3 Taças de Portugal)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,5.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,67.

Percentagem de sucesso no total: 1,17


João Maria dos Santos Júnior (27/3/87 - 24/4/92)

5 anos como Presidente - 4 títulos (3 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,25.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,75.

Percentagem de sucesso no total: 0,8


Jorge Artur Rego de Brito (24/4/92 - 7/1/94)

1,7 anos como Presidente - 1 título (1 Taça de Portugal)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,58.

Percentagem de sucesso no total: 0,58.


Manuel Damásio Soares Garcia (7/1/94 - 31/10/97)

3,7 anos como Presidente - 2 títulos (1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal)

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,27.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,27.

Percentagem de sucesso no total: 0,54.


João de Araújo Vale e Azevedo (31/10/97 - 28/10/2000)

3 anos como Presidente - 0 títulos.

Percentagem de sucesso no total. 0.


Manuel Lino Rodrigues Vilarinho (28/10/2000 - 31/10/2003)

3 anos como Presidente - 0 títulos.

Percentagem de sucesso no total: 0.


Luís Filipe Ferreira Vieira (31/10/2003 - 28/07/2013)

10 anos como Presidente - 3 títulos (2 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal).

Percentagem de sucesso na Taça de Portugal: 0,1.
Percentagem de sucesso no Campeonato Nacional: 0,2.

Percentagem de sucesso no total: 0,3.

13 comentários:

Anónimo disse...

Olha lá vem ele com a ladainha dos presidentes. Mudas o disco mas tocas o mesmo!

Rafael Ortega disse...

Que confusão que para aí vai.

A percentagem de sucesso de uma competição não pode ser somada à de outra, senão chega-se ao ridículo de um dos casos em que houve sucesso acima dos 100% (se fala em percentagem não pode por 0,x. não faz sentido).

Para calcular a percentagem de sucesso tem que pegar no número de títulos conquistados, dividir pelo número de títulos disputados, e multiplicar por 100.

Conde de Vimioso disse...


Realmente tenho que concluir que afinal é duvidoso considerar alguns que por aqui andam como Benfiquistas porque para defenderem um idolo com pés de barro até o passado, brilhante, do Clube contestam.

Como costumo dizer, nos dias de hoje, a palavra que mais ofende certas mentes é a ...VERDADE.

Anónimo disse...

Ó Ricardo mas que 31 tu foste arranjar!

A policia do benfiquinha já está aí a disparar!

Os numeros revelam os confrangedores e pobres resultados de Vieira.

Vale e Azevedo foi 3 temporadas desportivas e 9 títulos!

Vieira vai para o 11º ano como Presidente, e acumula 2 temporadas como Director Desportivo 2 Campeonatos e 1 T Portugal.

E temos e devemos comparar o tempo relativo, de um e outro.

Assim, o "carro vassoura" dos Presidentes do Benfica vacila entre Vilarinho (3 anos o títulos), Vale e Azevedo (3 anos 0 títulos), e Vieira 10 anos a caminho do 11º e 2 Campeonatos e 1 T Portugal.

A Policia do benfiquinha é useira e vezeira em apontar a década de 90 como a pior decada desportiva do Benfica, será?

Vamos a numeros, década de 90, 5 Presidentes (João Santos, Brito, Damásio e Vale), e com instabilidade directiva conquistou em 10 temporadas (90/91 a 99/00): 2 Campeonatos (1991 e 1994), 2 T Portugal (1993 e 1996).

Seculo XXI, com estabilidade directiva Vilarinho Presidente 3 temporadas, Vieira no 10º ano (com 2 temporadas Director Desportiva), e o que conquistou o Benfica em 13 temporadas (00/01 a 12/13): 2 Campeonatos (2005 e 2010), e 1 T Portugal (2004). Mas não só, 2 temporadas sem UEFA (2002, 2003 facto inédito), o 6º lugar (o pior de sempre na história do Benfica), 2 X 3º e 2 X 4º!

Ricardo os Vieiristas perante estes factos será que irão responder que Vieira já ganhou o título de melhor Presidente da História do Benfica? Ou os registos foram manipulados como a transferencia do Roberto/Pizzi e trapalhadas&Companhia?

João Tomaz disse...

Rafael Ortega, apesar do erro na nomenclatura, percebe-se perfeitamente que o post se refere à médias de títulos por época de mandato que, por acaso, vai de encontro a um dos principais argumentos de defensores das presidências do LFV, que é a tendência. Foi sempre a descer a partir do Borges Coutinho até ao zero em seis anos de dois mandatos, um do Vale e Azevedo, outro do Vilarinho.

É aceitável que se relativize cada presidência, achando, por exemplo, que dois campeonatos entre 1981 e 1987 é mais fraco que dois campeonatos entre 2003 e 2013. Não estou a dizer que é, mas penso que se percebe o que quero dizer.

Ricardo disse...

Rafael Ortega, não me parece complexo de entender.

Anónimo (00:14), os factos são inegáveis mas para os apoiantes de Vieira os factos são meras calúnias da realidade. A verdade foi comprada por alguém para dizer mal desta excelente administração.

Só mesmo tu, Tomaz, para encontrar forma de, num post destes, encontrares duas razões de defesa da Direcção. Não te esqueças de que a internet veio manter registos. E o teu é confrangedor neste aspecto. Cá estaremos para os relembrar.

aalto disse...

com percentagens, dados absolutos, comparações relativas...o que é que isso interessa se é a multiplicar por 100 ou por 1000? NADA

os mandatos de LFV são uma tragédia desportiva (pelo menos) e ponto! o meu filho de 5 anos já sabe isso, porque não é preciso álgebra, geometria ou ciências ocultas para perceber o óbvio:

NÃO GANHAMOS UMA MERDA! PONTO

e não voltaremos a ganhar este ano, com este plantel esquizofrénico, sorvedouro de milhões, sem um minímo de racionalidade.

todos os dias venho a este blog para me recordar que vale a pena resistir no benfiquismo, e todos os dias ao ler os comentários, saio daqui com a mesma sensação...estão por todo o lado! 87% deles é muita gente Ricardo

Anónimo disse...

Pois, temos um plantel esquizofrénico, sorvedouro de milhões, sem um mínimo de racionalidade, que ano passado só chegou à final da Liga Europa e fez uma pontuação no campeonato que dava para ganhar a maioria dos últimos campeonatos, ganhos pelo super-FCP...

Agora existem duas coisas que são obvias mas que os anti e os pro nunca vão atingir:
1) O LFV, teve muita coisa boa, mas como tudo, penso que o ciclo dele já deveria ter acabado e já deveria ter sido substituído, pois não me parece que defenda o SLB convenientemente...
2) Com a "estrutura" que o FCP têm (como se viu na vergonha de ontem), nem com a equipa do Barcelona o SLB conseguia ser campeão...

Alex

mitul disse...

anonimo das 10.17 do dia 29/7, se o Benfica tivesse ganho fosse o que fosse na epoca passada, teria sido apesar do Vieira e nao gracas ao mesmo.

Anónimo disse...

João Tomaz, mas que leitura enviesada é essa?

Desde Borges Coutinho sempre a descer? Sim Borges Coutinho foi o ultimo a conquistar o TriCampeonato.

Mas Fernando Martins, foi o ultimo a conquistar o BiCampeonato (1983 e 1984), assim como foi o ultimo a fazer a "dobradinha" com Mortimore (1987).

João Santos em 5 anos ganha 4 Campeonatos, 1 T Portugal e atinge 2 Finais da Taça dos Campeoes.

E sempre descer? Actualmente? Sim, sempre a descer perigosamente para o abismo

João Tomaz, factos?

Década de 90 com 4 Presidentes e com a instabilidade reinante, em 10 temporadas: 2 Campeonatos e 2 T Portugal.

Seculo XXI, Vilarinho 3 anos, Vieira 10 temporadas (acumulou 2 épocas Director Desportivo com M Vilarinho), e com a estabilidade directiva que se respira, em 13 temporadas : 2 Campeonatos e 1 T Portugal.

João Tomaz, os factos estão aí, e pergunto-lhe, qual o período desportivo mais negro do Benfica?

Década de 90, como alguns querem fazer crer!

Ou:

Seculo XXI com estabilidade directiva, e o actual Presidente a caminhar para o 11º ano no cargo?

João Tomaz, não será abusivo comparar neste seculo os títulos e troféus ganhos pelos lagartos, versus os conquistados pelo Benfica?

Vamos contá-los Século XXI:

Benfica, 2 Campeonatos, 1 T Portugal, 1 Supertaça, 4 T Liga e Final L Europa. TOTAIS: 8 títulos e troféus.

Sporting 1 Campeonato, 3 T Portugal, 4 Supertaças, e Final da UEFA. TOTAIS 8 títulos e troféus.

João Tomaz, pergunta final, estarão os lagartos muito mal, ou estaremos nós muito bem?

aalto disse...

não...não ganhou nada!
e o milagre não era ter ganho alguma coisa, o milagre foi ter chegado ao final da época vivo.

mas chegou
-chegou à penúltima jornada de um campeonato "bipolarizado" para ser envergonhado pelo rival
- chegou à final da taça, para proporcionar o espetáculo de evidência futebolistíca que protagonizou Cardozo, ao apontar (mal através de um colega) o dedo ao um treinador sem legendas
- chegou à final da Liga Europa (onde tem chegado clubes como SC Braga, Fulham ou Bilbao, para só citar as últimas 4 épocas) e uma vez mais o catedrático mostras à evidência que não tem a miníma ideia de interpretação dos momentos competitivos, e de planeamento da época/calendário/plantel

é isto...mas fica ligado, esta época temos mais do mesmo, num estádio perto de si...

tenho uma ideia para a adidas, no que diz respeito ao SLB em vez do slogan "ALL IN" deviam escrever..."87% IN"

Anónimo disse...

»É aceitável que se relativize cada presidência, achando, por exemplo, que dois campeonatos entre 1981 e 1987 é mais fraco que dois campeonatos entre 2003 e 2013. Não estou a dizer que é, mas penso que se percebe o que quero dizer»

(João Tomaz 2:41)

João Tomaz, entre 1981 e 1987, decorreram 7 temporadas desportivas, e o Benfica não ganhou apenas 2 Campeonatos (acredito que foi uma omissão involuntaria da sua parte), mas ganhou sim 4 Campeonatos (1981, 1983, 1984 e 1987).

No período entre 2003 e 2013, decorreram 11 temporadas desportivas (coincidentemente com este Presidente LFV), o Benfica ganhou 2 Campeonatos (2005, 2010), será melhor "relativizar" conquistas/períodos temporais.

E em ambos os períodos, vamos comparar Taças de Portugal? Então vamos lá:

Entre 1981 e 1987 (as tais 7 temporadas, ganhamos 5 T Portugal (1981, 1983, 1985, 1986 e 1987).

No outro período entre 2003 e 2003 (10 + 1 temporada desportiva Presidente LFV), ganhamos 1 T Portugal (2004).

João Tomaz não será comparar o incomparavel?

Bandarilheiro Mor disse...

Que tristeza, na ânsia de defender a todo custo o querido líder (LFV) preferem mistificar do que interpretar a realidade. Onde isto chegou, até dá impressão que estamos na Coreia do Norte.