sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Crónicas sobre um suplente - I - o dia antes do jogo

Na noite anterior ao jogo, o suplente encontra-se em casa, de robe, a assistir à novela da noite. Pede à mulher

filha, traz-me aí um martini

e a mulher, compreensivelmente preocupada, responde

mas, querido, amanhã tens jogo.

O suplente limpa as cinzas que o cigarro deixou em cima do sofá, dá uma passa e diz, com ar melancólico, expirando fumo

não faz mal, meu amor, amanhã é para a ressaca no banco.

Triste, a esposa resigna. Prepara a bebida ao suplente e traz-lha embrulhada num beijo, com uma frase

para mim serás sempre o meu titular. 

Três martinis, duas cenas de sexo escaldante e 4 zangas entre irmãos que afinal são amantes depois, ao suplente sobem-lhe uns calores pelo peito quando observa a esposa de pantufas com dois ursos nos pés e uma camisa de noite que faz adivinhar metade de uma mama.

Filha, vamos para o quarto, aqui está muito frio.


A esposa, visivelmente concentrada na teia de amores e desamores do televisor, prefere o chuto para canto


Mas não podes, querido. Amanhã tens jogo. Sabes lá se o Jesus não te põe a jogar, nem que seja 5 minutos.


Estamos na paz dos anjos, amor. Aquele gajo de tão mau que é nunca se lesiona.


E foi mais ou menos assim, com avanços e recuos, problematizações estratégicas, novos assuntos que surgiram no momento e alguma condescendência feminina que, após o fim da novela - e só depois -, o suplente e a sua mais-que-tudo acabaram a ter sexo alcoolizado no dia antes do grande jogo.


A meio da noite, a mulher acordou assustada: Goooooooooooooooooooooooooolo, gritava o suplente. 

Filho, filho, estás a sonhar.

E o suplente acenava para o armário, atirava beijos, metia o candeeiro da cómoda dentro da camisola, corria o quarto em desvarios à Eusébio e saltava para cima da roupa, com os braços no ar.

Acorda, querido, é um sonho, não foi golo.

Entre cuecas e meias, camisolas e t-shirts, leggings, gorros, pijamas e uma camisola oficial de campeão do mundo, a cabeça do suplente surgiu, já acordado e em prantos.

Tens a certeza de que não foi golo, amor? O fiscal de linha não levantou a bandeirola.

Não foi, filho. Estavas em fora-de-realidade.

5 comentários:

JC disse...

Ahahahahahahahah!!! Muito bom!

João Duarte disse...

Nota de rodapé: Já vi o "suplente" ao almoço em dia de jogo. Obviamente não estava convocado e percebi a razão: a mulher do gajo é uma bomba do caraças.

Normal de depois de passar os 30's, o suplente não queira dividir quarto com o Maxi em estágio e prefira ficar em casa. Ou é isso, ou é inveja do JJ que tem q aturar uma matrona suburbana.

Claramente o caso Capdevilla é casa de saias.

Alguem arranja uma amante decente ao JJ para podermos ter lateral esq até ao fim do campeonato?

André Santos disse...

Mas olha que amanhã ao titular até vão mostrar o 5º amarelo para não jogar com os corruptos. Caso não tenham reparado, Xistra poupou um único amarelo a um jogador nosso no jogo passado. Esse jogador era o titular e parece que lhe estavam a reservar o cartão para amanhã. Para alguns, até benfiquistas será uma felicidade. Para mim será a segunda vez, após David Luís na esquerda no Dragão, que vou recear o macaco albino. Realmente não falta currículo ao suplente mas se até com o Santa Clara a noite foi complicada...

PR disse...

ai é o Cap? Pensava que era o Djaló

Hugo disse...

O texto está excelente Ricardo!

Aquela parte do "para mim serás sempre o meu titular" dá um ar amoroso à história...perfeito!

Estamos de acordo quanto à real valia de Emerson mas não quanto a Cap...

Na minha humilde opinião, os jogos com Santa Clara e Marítimo foram prova de que o espanhol tem muita experiência e currículo mas, actualmente, dá-me a ideia que a idade já lhe pesa fisicamente...

No entanto, nada como um jogo a sério para tirarmos a prova dos nove. Se fosse contra o Porto e corresse bem, melhor...

Mas o JJ é teimoso...Só se o árbitro ajudar...