sábado, 18 de fevereiro de 2012

Estamos Xistrados

Na Federação Portuguesa de Futebol, liderada por uma nova equipa de excelsos defensores da verdade desportiva - equipa essa que mereceu da parte do Benfica um "apoio inequívoco" -, promove-se a manutenção de um certo romantismo do passado. 

Ainda há lugar ao lirismo e à preservação das tradições seculares - as conversas de bastidores, as tricas, as zangas, os telefonemas obscuros, as ligações suspeitas, as idas à Madalena receber notáveis conselhos matrimoniais do pintinho das bufas, os pagamentos a árbitros, as dádivas solidárias e generosas de belíssimas viagens ao Brasil, as acções sob o jugo do homem do robe (de quem também somos muito amigos) fazem parte de uma herança rica e fundamental na historiografia do futebol português. Importa, por isso, mantê-los e, se possível, aumentar a teia de influências numa perspectiva universal - caramba, somos todos gente de bem, amemos o próximo como a nós mesmos.

Digamos assim: Fernando Gomes pulou da cadeira da Liga no Porto, de onde saiu abdicando do cargo para que fora eleito por gente que em nele acreditou (como nós acreditámos e voltámos a acreditar agora), para a cadeira da Federação em Lisboa mas a essência, o âmago da ideologia, mantém-se: por um futebol limpo de quaisquer impurezas. 

Isto diz-nos o próprio Gomes - que nunca foi ouvido em escutas e muito menos foi sabido que era responsável pelos pagamentos e outras oferendas a dignos representantes da Lei deste país, para além de essa execrável ignomínia lançada por gente de parcos recursos ao nível da sensibilidade e formação moral que dava conta de ser Gomes apenas e só um fantoche nas mãos do senhor do robe (de quem somos, ressalve-se, muito amigos) - e dizem-nos outros agentes da luta pela verdade desportiva, incluindo o nosso Presidente que, com o seu "inequívoco apoio", garante aos benfiquistas que - tenhamos todos calma e muita paciência - há obra a ser feita, agora é esperar para ver.

E, de facto, não podia ter sido mais clarificador da obra que se encontra em marcha esta última nomeação para o jogo de Guimarães. Foi quase de lágrimas nos olhos que assisti ao nome do árbitro do encontro de Segunda-Feira, de tal forma ele me emociona só de pensar nas exibições de grande monta que este juiz efectua, ano a ano, jogo a jogo, sempre de uma imparcialidade e uma ausência de anti-benfiquismo - fossem todos como ele e este futebol já teria uma cara mais limpa, acreditem no que vos digo. 

Temos de ser justos: não concordámos com o apoio do nosso líder, duvidámos das intenções deste ex-administrador da Sad do Porto, criticámo-lo, explicámos as nossas discordâncias e expusemos novos pontos de vista mas, chegados aqui, a este momento em que nos apercebemos de que as tradições ainda são o que eram e que está chegado o instante que já é uma das atracções do ano futebolístico - o chamado «Xistrema ataca em força em jogo de crucial importância, não vão estes gajos ganhar mesmo isto» - não só nos curvamos perante a defesa intransigente do Benfica por parte do nosso grande Presidente como até estamos dispostos a aceitar as novas ordens vindas das crónicas do jornal do clube e até de gente que há uns tempos dizia raios e coriscos de uns e outros e que hoje parece ler na Olivedesportos e seu tiranito a bíblia do que deve ser palavra, ordem e lei. 

Carlos Xistra é, acima de tudo, um entertainer, um bom rapazola, um espertalhaço. Traz emoção ao campeonato, adora o equilíbrio de forças, aquela contenda rasgadinha até mesmo ao finalzinho da última jornada - é, no fundo, um romântico daqueles que já quase não existem. Mas isto se for o Benfica a ir na frente. Se for outro clube - e não vamos agora estar aqui a nomear clubes e a criar teorias da conspiração, afinal sabemos perfeitamente que o futebol lusitano está limpo de toda essa miséria que o atormentou no passado -, Xistra gosta é de resolver logo as coisas para que, enfim, compreendamos, as equipas portuguesas se deixem de fitas e cansaços desnecessários e possam ir às finais e meias-finais europeias. 

Quem não se lembra desse acto profundamente altruísta de Xistra no ano passado, em que, toldado pela nobre ideia de resolver as contas do campeonato e assim poder devolver à Liga Europa Benfica, Porto e Braga em excelentes condições de a disputarem até ao fim - o que acabou por ser feito, com notável mérito -, Carlos fez uma das suas mais brilhantes actuações, atingindo a euforia e o generalizado regozijo quando decide expulsar Javi Garcia por este ter sido empurrado por Alan. Bravo, Carlitos, bravo! A multidão empolgou-se, finalmente um árbitro com princípios e valores acima de quaisquer suspeitas. O futebol português orgulhosamente agradeceu. 

E ainda hoje há quem peça encarecidamente a Fernando Gomes que, mais dia menos dia, Xistra volte a arbitrar o Benfica, especialmente agora, dizem, que o campeonato parece estar muito monótono. É altura de agitar as águas, dizem vozes obscuras em telefonemas parecidos com outros que também existem, toda a gente pôde ouvi-los, toda a gente pôde saber que os ouviu e que eles são de facto reais mas que os juizes têm de fingir que não sabem nem nunca ouviram falar em tais coisas. Um pouco como o marido que, em vez de ir ao quarto, prefere levantar o som da televisão para que o gajo que está na cama a comer-lhe a mulher não se chateie e ainda o venha sovar a ele - isto tudo num ambiente de verdade desportiva, esclareça-se de vez para que não haja enganos.

E então Gomes, nosso querido amigo, antigo pagador de oferendas e dádivas mil, hoje vassalo do outro nosso grande amigo que, diz o jornal do Benfica, é uma personagem que não oferece qualquer espaço para dúvidas - um empresário de valia, que apenas quer investir e garantir lucro e nada, mas nada mesmo, juro-vos, para além disso -, tratou do assunto, levantando-se muito enérgico da cadeira, depois de ter fugido da outra: "ponha-se Xistra no jogo do Benfica!", "Este é jogo para Xistra!", "Xistra, amigo, apita com alma!", e várias outras frases que, em catadupa, foi fazendo, registando até a notável inspiração num caderninho que mantinha sempre no bolso do casaco, para estes momentos em que a vida o iluminava e o amparava no seu leito de transcendência. 

Estamos Xistrados.





10 comentários:

Bcool973 disse...

Se jogarmos o que sabemos, não há xistra que lhes valha ... Não viste que o super-porco sousa nada pôde ? Temos que estar a 100 %. O jogo foi na quarta, só jogamos na segunda, nem o cansaço da Champions é desculpa.
Se jogar com Cardozo e Saviola à frente apoiado por Nolito, Aimar, Witsel e Javi, temos equipa para mostrar o porquê da liderança.
O problema que vejo é que Saviola deve ser suplente e deve jogar Gaitán, ou então sai o Witsel ou o Aimar se jogar o Saviola.

Pedro disse...

Muito bem Ricardo!

Concordo que não podia ser pior árbitro num jogo com este risco, esperamos que os nossos bravos jogadores consigam a resposta que todos nós queremos, golos e mais golos...

Abraço
Pedro

Danilo Oliveira disse...

Lembro-me também de um Vitória SC vs SL Benfica de 08/09... até karaté houve... ah, e uma expulsao merecidissima do Reyes..

LDP disse...

bcool, nao me parece que saia o Aimar. Sabendo Jesus que nao joga contra o Zenit nao terà o problema da sobrecarga de jogos.
Javi nao joga também, por isso o equilibrio do meio campo tem de ser suportado por Wtsel a meias com Matic.
Possivelmente entrarà Bruno César para o apoio a Cardozo e Saviola e Nolito ficarà no banco para funcionar como trunfo na segunda parte se a coisa estiver complicada.
Quando Saviola joga Gitan tem sempre mais espaço no ataque pois o Coelho arrasta muito os defesas e abre buracos. Gaitan tem os problemas que tem ao nivel da atitude em campo mas sempre me pareceu um jogador mais solto se hà Saviola em campo.

Quanto ao Xistra, concordo absolutamente quando dizes que basta jogar o que sabemos, mas o poder do apito e é muito forte e o mais perigoso de tudo é que as coisas sao feitas cada vez mais à descarada como diz o Ricardo. Eles sabem que a cada jogo que passa antes do clàssico é uma oportunidade perdida para diminuir a diferença pontual. Nao havendo vergonha e escrupulo em minar o caminho do Benfica, também sabem que nenhuma equipa em Portugal nos pode roubar pontos. Portanto hà que desesperadamente meter todas as cartas na mesa antes que seja tarde de mais.

Nao querendo dar uma de sportinguista, é com muita apreensao que vejo esta nomeaçao e começo jà a preparar-me psicologicamente para enfrentar a tristeza e a revolta com a perda de pontos em Guimaraes. Infelizmente é um cenàrio mais do que provàvel.

Abraço a todos.

João Duarte disse...

Fónix ganda foto!!

Descrição detalhada please!!!

eupensopelaminhacabeçaeusoulivre disse...

O Benfica tem um plantel capaz de voltar a vencer em Guimarães... com ou sem Xistras...

Chamo a esta cena ATITUDE CORAGEM!

eupensopelaminhacabeçaeusoulivre disse...

"Vamos lavar os nossos equipamentos com suor" disse o treinador da Zambia... foda-se é de homem caralho!!!!!! É ou não é?
Quero este gajo a treinar o Benfica daqui a algum tempo!

Uma mentalidade BRUTAL!

Ricardo disse...

Bcool, o Sousa não conseguiu num jogo na Luz; fora, é mais fácil.

Parece-me que há muita desvalorização por parte dos benfiquistas do que pode um árbitro fazer para nos foder um jogo. Não é preciso muito: basta um penálti inexistente a favor do Vitória, dois ou três fora-de-jogo mal tirados, faltinhas sempre para o mesmo lado e, de repente, estás metido na segunda parte a precisar de virar o jogo. Uma expulsão, amarelos em catadupa, penaáltis perdoados, tanta coisa que pode ser feita.

Dito isto, claro que confio no que a equipa pode produzir. A Champions é uma desculpa não pelos dias de descansco (5 dias chegam e sobram para recuperar os jogadores), mas pelo tipo de jogo que foi. Haverá mazelas. Convém resolver logo, se possível antes do Xistra se lembrar de inclinar a coisa.

Não vamos ter Rodrigo nem Javi - o que faz mossa. Jogaria com a habitual defesa e depois um meio-campo com Matic a pivot, Witsel a 8, Aimar a 10, Nolito à esquerda, Gaitán na direita e Cardozo na frente. Não tendo Rodrigo, acho que faz sentido voltar ao 433. Este 442 muito ofensivo não serve para todos os jogos e já se viu que a equipa tem dificuldade em construir quando joga assim. 433 de posse de bola, dinâmica forte entre os médios e os alas, jogo interior e entradas do Maxi para criar o caos. O Vitória defende pessimamente, se aparecermos cok velocidade e combinações de primeira ficam perdidos.

Vai ser difícil. Mas, se estivermos no nosso normal, limpamos o jogo, mesmo contra Xistra y sus muchachos.

É isso, Pedro. Abraço.

Danilo, são tantos os jogos em que este artista de variedades mostrou ao que vinha, que já nem vale a pena....

Infelizmente, concordo com tudo o que dizes, LDP. Este jogo vai ser complicado. Está previsto um roubo descomunal. E comecem a pensar no árbitro de Coimbra, que também vai ser um dos clássicos de circo.

João, não sei que jogo é, para além de ser obviamente um Benfica-Sporting - com pesquisa, chegar-se-ia lá, mas agora não me apetece.

O que me fascina na foto, para além da beleza do salto do Eusébio, de ainda podermos ver a bola (que vai aninhar-se na baliza, de certeza), do grande Damas e da subserviência idiossincrática das feições dos jogadores do Sporting, o que me fascina mesmo é o Estádio. É uma loucura, um coliseu romano, um assombro. Três aneis de gente a sofrer pelo Benfica, sentados, em pé, nas escadas, não há mais um centímetro deixado vago. Vivi isto quando era puto, emociona-me. Há um Benfica que ficou preso aqui que já não volta.

Ricardo disse...

eupenso, coragem notável, trabalho, esforço, sacrifício. Se isso existir, nem Xistras nem merda nenhuma parará o nosso destino.

benfiquista a serio disse...

bem rematado este seu texto caro ricardo. o xistra é um dos mais perigosos inimigos. sempre que apita o nosso glorioso prejudica-nos. para coimbra quase que aposto que a encomenda vai recair no soares dias e na catedral com o porto será o «nosso querido consócio benfiquista que sempre que pode prejudica-nos de seu nome proença» . agora é preciso incutir nos jogadores a importância das próximas 4 vitorias (guimarães, academica, porto e zenit). vencendo estes 4 jogos seremos campeões e fazeremos um brilharete na champions. agora os jogadores e equipa tecnica terão de dar 1000% de garra, querer e ambição para que não haja nenhum precalço pois as armadilhas irão ser muitas e perigosas.