sábado, 4 de fevereiro de 2012

O alucinado caso de Luís Fialho





Esta pequena novela à portuguesa começa em 2008, mais precisamente no dia 8 de Abril de 2008. A blogosfera benfiquista enlutava com mais um título ganho pelo Porto como quase sempre são os títulos ganhos pelo Porto: competência aliada ao favoritismo sistémico. Levantavam-se uns, outros choravam o azar, criticavam-se os árbitros, anunciavam-se novas medidas, despediam-se treinadores, escolhiam-se jogadores, enfim, o panorama normal e caótico do mundo dos blogues. Houve, no entanto, quem decidisse organizar detalhada e muito acertadamente toda uma resenha de acontecimentos sobre o futebol português para assim ficarmos todos a par das movimentações mais clandestinas que, por debaixo da realidade visível, iam acontecendo. E é aqui que chegamos ao nosso protagonista, de seu nome Luís Fialho.

Luís Fialho fez um trabalho notável - escreveu um tratado sobre as razões que levaram o Porto, de 88 a 2008, a um sucesso desportivo assinalável, não se coibindo, porém, de, entre elogios, expor de forma magistral toda a teia de ilegalidades, corrupções, obtusos compadrios, negócios obscuros, estranhas alianças, enfim, fez um raio-x perfeito do que foi (e é) o modus operandi do clube vergado a uma seita comandada pelo cacique e fanático Pinto da Costa.

Chamou-lhe, muito poeticamente, "Vinte anos de mentira de A a Z". E o povo agradeceu. Afinal, estavam ali enumerados todos os pecadilhos, pecados e pecadões que toda a gente via, de que toda a gente falava, de que toda a gente se queixava mas que ninguém tinha organizado de forma decente e burocrática. Fialho fê-lo, com a conduta e espírito de missão que compete aos resistentes, aos que querem que o Bem vença o Mal, que o derrote pela dignidade e pela honra, pelos princípios verdadeiramente morais. O povo, naturalmente, reagiu a preceito: elogiou o protagonista, falou sobre o caso, promoveu o assunto, que "sim, senhor, está muito bem dito!", que "já faltava uma enciclopédia da corrupção como esta", que "finalmente temos um escriba que, além de tácticas e notícias de jornais, faz serviço público", que "este sim, é o tal, o prometido, o Haile Selassie dos blogues do Benfica!". 

Foram, até à data, 288 comentários numa compreensível torrente de indignação e reserva dos valores mais altos, de uma exposição dos males e dos podres que levaram Luís Fialho ao justo patamar dos eternos. Dia após dia, semana após semana, ano após ano continuou Fialho a brindar-nos com escritos decentes, dignos e lúcidos, por vezes aproximando-se da actual direcção, outras, por convicções profundas, afastando-se em nome daquilo que sempre defendeu: a análise justa, imparcial, inteligente, independente, autónoma. Fialho concordou, Fialho discordou, Fialho abanou a cabeça, levantou o queixo, pôs-se a pensar mas nunca cometeu o erro do facilitismo. E é isso que faz de Fialho um herói para todos nós.

Recuperemos, a propósito de um tema recorrente e muito actual - a Olivedesportos e os direitos televisivos -, o que escreveu Luís Fialho sobre os irmãos Oliveira nesse notável texto de que falámos atrás. Sobre a letra "O", que, na sua extraordinária prosa, vem a seguir ao "N" de "Norte" e antes do "Q" de "Quinhentinhos", Fialho discorre assim:

«O de OLIVEIRAS – Juntamente com o irmão António, Joaquim Oliveira foi elemento determinante na consolidação do poder portista. Ainda hoje o clube da Luz tem as suas transmissões televisivas extremamente sub-avaliadas, face à popularidade e audiências de que desfruta. Faz-me alguma confusão Joaquim Oliveira ser accionista de referência da SAD benfiquista, e ninguém se preocupar muito com isso.
Já o irmão António (o do caso Paula, dos carimbos falsificados no caso N’Dinga, e das polémicas do Coreia-Japão), ex jogador e treinador do clube portista, protagonizou em 1992 um episódio curioso e revelador. Treinava o Gil Vicente e na primeira volta, nas Antas, fez entrar um tal de Remko Boere a um minuto do fim com o resultado em branco. Esse jogador, que quase nunca havia jogado na equipa, nesse minuto apenas fez um penálti caricato e recebeu ordem de expulsão. O F.C.Porto venceu 1-0. Na segunda volta, em Barcelos, com o F.C.Porto já campeão, o Gil venceu por 2-1 e salvou-se da descida à segunda divisão. Tudo em família portanto…»

Penso que estamos todos de acordo. Não há nada no excerto com o qual discordemos, está tudo ali, certíssimo, clarividente, nítido. Por mais que pensemos em encontrar alguma ponta solta no discurso de Luís Fialho deparamo-nos outra e outra vez com o muro da impossibilidade argumentativa. Fialho escreve, bem, sobre os Oliveira e detectou-lhes as estranhas movimentações que exercem no futebol lusitano. Mais uma vez, temos de assumir: Luís Fialho consegue atingir notas altíssimas, impossíveis aos comuns mortais de algum dia sequer sonhar em chegar perto. Ajoelhemos os corpos sob a notável inspiração literária e analítica de Fialho e, como não?, aceitemos o nosso destino de meros observadores do divino.

Mas esta história não acaba aqui. É que, numa estranha e curiosa mudança de direcção, o nosso herói fez-se vilão. Não sabemos, não temos dados, desconhecemos, a razão pela qual Fialho terá ingerido cogumelos estragados. Há indícios de uma perturbante alucinação, os médicos estudam ainda o caso, os especialistas confrontam ideias - ocupam-se disso ainda hoje, e já estão nisto há demasiados dias -, mas ninguém sabe ao certo o que terá ocorrido na zona específica do cérebro. Houve, inclusivamente, uma velhota que informou o Governo de que tem ideia - não sabe ao certo, mas acha que - de ter visto Fialho apaixonar-se por um lindíssimo cogumelo vermelho às pintinhas brancas e de, num acto de luxúria porém de clara irreflexão, o ter abocanhado com a fome e gula de 3 milénios de humanidade. Como estará hoje Luís Fialho é uma incógnita que só daqui a estafados exames e anos e anos de pesquisa científica poderemos saber. No entanto, deixamos já aqui a nossa indignação sobre a forma como o assunto tem sido tratado pelos bloggers benfiquistas. Acusarem Fialho, o nosso prometido, o nosso líder espiritual, moral e até mesmo higiénico, de ter escrito esta nojeira:

«O que está em causa na animosidade dos benfiquistas para com a Olivedesportos não é pois uma questão económica (aí, trata-se, sem dúvida, de um parceiro negocial poderoso), mas antes a colagem (não sei se inteiramente justa) que fazem daquela empresa ao Sistema que vigorou no Futebol português durante décadas, e que tanto nos penalizou.
Não conheço os bastidores do Futebol ao ponto de ter uma opinião inteiramente fundamentada sobre o assunto. Mas do que me é dado a ver, não me parece que tenha sido a Olivedesportos, nem Joaquim Oliveira, a ordenar ou a instigar Olegário Benquerença (...) sempre me pareceu que o objectivo de Joaquim Oliveira no Futebol era tao somente o comum a qualquer homem de negócios: ganhar dinheiro. Como tal, vejo-o, até prova em contrário, da mesma forma que a qualquer outro interlocutor. Apresentando a melhor proposta, e ninguém me comprovando devidamente a sua ligação ao "Sistema", nada teria - enquanto sócio do Benfica - a opor ao negócio...»

a mim causa-me asco. 


12 comentários:

Pedro disse...

Não posso....a sério? Quem escreveu essa prosa a favor do oliveiredo é o LF do Vedeta????

A sério????

Infelizmente não foi o primeiro a deixar-se "influenciar"...

eupensopelaminhacabeçaeusoulivre disse...

Esta merda está toda minada... para os incautos e seguidistas isto é mel puro... é como disse preparem-se para merda da grossa no que respeita aos direitos televisivos... vamos ver nos próximos tempos coisas parecidas com Amorim e aproximações improváveis e por aí fora...

Não sou contra LFV, sou contra a porcaria... o mundo precisa de ar puro mesmo que isso implique "perder dinheiro"... aliás dinheiro é merda por principio esotérico...

nunomaf disse...

Estou pasmado...

Manuel Oliveira disse...

Subscrevo integralmente com a crítica ao LF.
Vendeu-se?

JNF disse...

Eu estou como o Pedro. Nem sei se consigo acreditar nisto que acabei de ler, vindo de quem vem.

Pedro disse...

Amigos,

Mais um incrédulo aqui!

Abraço
Pedro

MasterGroove disse...

Qualquer dia ainda ouvimos dizer, que o Oliveira faz um favor ao Benfica em aceitar renovar!!!!

Ulrich Haberland disse...

O texto do LF em questão é "lambe botas".

Dando de barato que todos percebemos que renovar com eles é "vender principios" e que não concordamos com isso.

Passemos então à parte da argumentação "então e o dinheiro?".

Pergunto, quanto dinheiro perdemos nós durante estes anos de contrato com o oliveiredo? Consegue alguém contabilizar?

Quantos campeonatos (receitas), quantas champions (receitas), quanta publicidade, quantas vendas de jogadores, quantas receitas de bilheteira, quantas quotas de sócio (quantos titulos, quanto prestigio, quantas alegrias)???

Acho que o saldo é extremamente negativo.

Por outro lado, numa altura em que o crac passa dificuldades, quer desportivas quer financeiras, vamos ser nós (mais uma vez) a fornecer-lhes o balão de oxigénio que precisam para sobreviver ao renovar por mais uns quantos milhões e eles verem cair mais uns quantos milhões na conta (à nossa conta)??? E assegurar com isso a sobrevivencia do "sistema" mais uns quantos anos??? (Genial presidente, genial!)
Esse factor dá-me a volta às tripas sinceramente. Imaginar sermos nós a salvar aqueles m!&"!/. Isso, mais que tudo o resto, dá-me asco!!!


Eu quero é matar o cancro, não alimentá-lo.

Ricardo disse...

O João Oliveira comentou. O João Oliveira não compreendeu nada do que leu. O João Oliveira é estúpido e gosta de insultar os outros. O João Oliveira, como bom cão de guarda, veio defender o dono. O João Oliveira acabou de ser censurado.

Viriato de Viseu disse...

Mas que grande postadela !!!!!!!!!

LF disse...

Caríssimos,

Em primeiro lugar acho que não mereço a importância que me estão a dar.
Em segundo garanto-vos que escrevo, a cada momento, aquilo que me vai na alma (que, como o mundo não é imutável, também poderá por vezes diferir, sobretudo tratando-se de vários anos depois), e nunca fiz, nem faço, fretes a ninguém, até porque não ganho um cêntimo do Benfica, nem de ninguém ligado directa ou indirectamente ao futebol, ou à televisão.
Em terceiro, não conheço pessoalmente, nem o Joaquim Oliveira, nem ninguém de relevo na Sport Tv (ah, apertei a mão uma vez ao Bessa Tavares).
Em quarto, garanto-vos que a Sport Tv tem muitos, mas mesmo muitos, jornalistas e funcionários tão benfiquistas como nós.
Em quinto, relembro que o post de 2008 foi de...2008, e de então para cá, muito sinceramente, nunca me foi possível comprovar devidamente a influência que eu então suspeitava que a Olivedesportos pudesse ter no Sistema, nomeadamente na questão das arbitragens. António Oliveira já lá não está, e, como digo no artigo do jornal, fui ganhando a convicção que Joaquim Oliveira anda no futebol para ganhar "o seu" (que não é pouco), e não o vejo muito interessado em mais nada do que dinheiro. Posso estar enganado, mas é esta a ideia que tenho neste momento (se alguém me provar o contrário...)
Lembro também as circunstâncias em que o contrato actual foi assinado, às quais a Olivedesportos era alheia. Apenas aproveitou, como qualquer outro no seu lugar o faria.
Por último, quero também recordar que a Olivedesportos é a única operadora no mercado em condições de pagar um valor elevado pelas transmissões do Benfica. A Benfica Tv é um argumento negocial, mas as receitas por uma e outra via não se comparam.
Se para proteger o futuro do Benfica for necessário esquecer alguma coisa do passado, creio que devemos estar dispostos a fazer esse exercício. Até porque, como diz o povo, amigos amigos, negócios à parte. E aqui, é de um negócio que se trata. De um negócio de importância vital.

Cumprimentos

Luís Fialho

MasterGroove disse...

"Em quarto, garanto-vos que a Sport Tv tem muitos, mas mesmo muitos, jornalistas e funcionários tão benfiquistas como nós."

LF, verdade sim senhor! e há centenas de exemplos, mas deixo só este: ver vídeo aqui