sexta-feira, 31 de maio de 2013

Balanço 2012-13 parte 3


Se ontem não publiquei qualquer texto relativamente ao balanço da época que agora findou, foi porque chegaram ao meu conhecimento alguns factos que me fizeram reflectir profundamente. Dado não serem de momento pertinentes, a análise prosseguirá sem que os traga à colação.

No que respeita ao ataque, Jorge Jesus viu satisfeitos os seus pedidos por parte da Administração da SAD, saindo Saviola, Jara, Nelson Oliveira, Rodrigo Mora, não tendo sido apenas encontrada colocação para Kardec. Adicionalmente, Lima, pedido de Jesus chegou ao Benfica.

Altura de novo acto de contrição, não percebi a contratação e achei-a desajustada. Mais uma vez se revelou uma boa contratação, visto ter sido Lima um dos melhores do ano, apesar das falhas em jogos cruciais, como o caso do jogo com o Estoril, com o Chelsea, ou mesmo com o Guimarães. A minha dúvida é se essas falhas foram devido a acusar a pressão, ou se foram devido ao excessivo desgaste que a temporada teve.

O que é certo é que Lima acrescentou muito ao Benfica nas suas movimentações atacantes e também com golos. É um jogador que se mostra, que dá linhas de passe, que arrasta defesas e também é um concretizador nato, sendo uma boa alternativa a Cardozo caso o Benfica jogue só com um avançado ou o complemento ideal para ele quando o Benfica joga com dois avançados. De Lima o momento que retenho como o mais brilhante foi a concretização com um remate de primeira no golo ao Sporting depois do brilhante trabalho de Gaitán. Para mim o golo do campeonato, porque mais do que um trabalho individual, mostrou um trabalho colectivo perfeito servido pela excelência das execuções individuais.

Com a fulgurante época de Lima notou-se o desaparecimento de Rodrigo que uma após outra desperdiçou oportunidades mostrando uma estagnação em termos evolutivos. Cardozo foi mais do mesmo, golos, penalties e uma capacidade excepcional para jogar como referência, seja pelo chão, seja pelo ar.

Com esta descrição, sim eu sei que não falei nos múltiplos frangos do Artur que custaram maus resultados em momentos decisivos, em especial no desastroso final de época e não falei porque não houve qualquer trabalho neste campo relevante, visto a saída de Eduardo ser perfeitamente normal, como também o foi a contratação de Paulo Lopes, pretendi acima de tudo mostrar como a construção do plantel teve influência decisiva nos resultados finais. Mas não foi só a elaboração de um plantel desequilibrado.

No Jamor tivémos mais do que já se tinha passado na Alemanha na pré-época, uma equipa em auto-gestão, com um treinador ausente e alguns jogadores a terem atitudes pouco admissíveis numa equipa profissional. Se na Alemanha, envergonhámos a imagem do Benfica a nível internacional, no Jamor fizémos o mesmo a nível nacional. E nisso o grande responsável, mesmo mais que Jesus, foi o Director do Futebol, ou que raio de cargo ele ocupa, o homem de nome Carraça.

Carraça não é benfiquista, não conhece os valores da casa, mas podia ao menos ser um profissional competente. Não o é. Já havia sido demitido do Benfica há uns anos por causa dessa mesma falta de competência e esta época voltou a mostrar que não pode ocupar aquele cargo. Era ele o chefe de comitiva na Alemanha que permitiu aquele abardinamento colectivo. Pior que isso, não teve capacidade de resolução do problema no imediato, deixando que para a imprensa internacional o Benfica passasse uma imagem de equipa violenta e sem qualquer respeito pelos árbitros.

A consequência desse comportamento incompetente ? O capitão apanhou uma suspensão de dois meses e os árbitros durante as competições europeias na dúvida decidiram sempre contra o Benfica. Não que isso tenha tido influência no desempenho desportivo quer na Champions quer na Europa League, mas que condicionou certos jogos isso foi uma realidade.

O episódio no Jamor então foi aviltante. Desrespeitou-se o Presidente da República, o Guimarães e o próprio público, mostrando uma falta de fair-play que envergonharia os fundadores do clube e só não envergonha o presidente e o treinador, porque nenhum deles sabe o que isso é. Se algum soubesse, teria dado dois berros e posto aquela tropa fandanga em sentido. Não bastou perder-se um jogo estupidamente, um jogador no final do jogo andar de dedo em riste ao treinador acusando-o de culpado, isto depois de outro já o ter feito anteriormente, ainda se assistiu à debandada dos jogadores antes da consagração do Guimarães. Mas o que esperar duma estrutura que na hora da derrota apaga as luzes e liga os sprinklers ?

A pergunta que fica é o que faz lá este senhor senão impõe respeito à comitiva ? Sim porque em termos funcionais faz muito pouco, além de se incompatibilizar com jogadores vindos das camadas jovens ou com os adeptos que seguem a equipa e que já sofrem pelo Benfica há muitos anos, ainda antes dele prejudicar o Benfica nos seus tempos de presidente do sindicato dos jogadores. Uma fraca figura aceite por Jesus por ser mesmo isso, alguém que não o contradiz, não lhe impõe regras, mas antes funciona segundo as regras do treinador. O mundo ao contrário, diriam os Xutos.

Jesus para mim falhou e falhou redondamente. Deixou de fazer a rotação dos jogadores quando se aproximou no fim da época, mostrando efectivamente em quem confiava, mais uma vez um restrito lote de jogadores. Depois, quando os jogadores em quem confiava não podiam mais ou eram castigados, lançava às feras jogadores sem ritmo, na expectativa que eles resolvessem o que os desgastados não o fizeram. Por isso é fácil de apontar o dedo a Aimar, Carlos Martins, Jardel, por desempenhos menos conseguidos ou erros individuais.

Mas pior que isso, Jesus falhou no jogo Taça porque perante um equipa muito mais fraca, em que os jogadores não tinham grande experiência de jogos decisivos e de primeira divisão, quis controlar o jogo, quando vencia por 1-0. E assim perdeu tudo na época. Além disso, Jesus mostrou-se ser demasiado emocional, pois não é aceitável que um líder se ajoelhe perante o infortúnio ou que comece a chorar. Que exemplo passa ele para os jogadores ? Falhou ainda quando permite que os jogadores contestem as decisões dele. O jogo da segunda mão das meias finais da Taça já deve ter sido esquecido por todos, mas foi aí que começou a ver-se a rotura entre ele e alguns dos jogadores.

Posto isto o que fazer ? Jesus deveria sair. LFV que disse ser Jesus o seu treinador, deveria sair com ele e nem sequer se candidatar a novas eleições, pois já são muitos os anos e os erros somados sem qualquer demonstração de correcção do caminho. Hoje aposta-se nisto, não dá, amanhã aposta-se naquilo. Se não der, a seguir aposta-se noutra coisa qualquer. E o Porto soma campeonatos, 8 em 10 anos, e taças e conquistas europeias. E o Benfica ? Em 10 anos, 2 campeonatos, 1 Taça de Portugal, 1 Supertaça e 4 Taças da Liga.

Sim, hoje em dia o Benfica a nível europeu tem um desempenho que não tinha antes de Jesus. Mas qual foi o treinador que teve 4 anos no Benfica, com o maior nível de investimento da história ? Hoje já não vamos comprar jogadores com um saco de caramelos e se alguns perdemos para o Porto é porque negocialmente continuamos a falhar, mas não é de admirar quando temos na nossa prospecção senhores para quem o Porto é uma religião.

O que vai acontecer ? Jorge Jesus vai ficar, Carraça deve sair (já vai tarde) e Vieira continuará no seu rumo. Atacando quem o critica, mas não resolvendo certos problemas. Pelo contrário, o Benfica hoje depende de Jesus como poucos clubes dependem dum treinador. Não, o problema não é a questão de Jesus ser um Manager como Alex Ferguson, o problema é Jesus ser muito mais que isso, no que ao futebol profissional diz respeito, Jesus é o Benfica e o Benfica é Jesus. Só falta Jesus ter mais poder que DSO, que felizmente ainda pode impôr aqui ou ali , algumas restrições e limitações aos desvarios.

Essa é a forma de Vieira resolver os problemas, deita dinheiro para cima deles e delega as competências quase exclusivamente numa pessoa. E depois ? Como não há estrutura, não há responsabilização. A responsabilização só chega quando a pessoa é despedida e isso só acontece depois de muitos insucessos. Sim, mesmo que Jesus não continue a ganhar, vai continuar como treinador, visto que já tentam criar o paralelo com Ferguson. Jesus valoriza jogadores, o futebol é atractivo, o desempenho nas competições europeias é muito bom, mas títulos que é bom, tá quieto.

O Porto está a iniciar um novo ciclo. Saíram 2 jogadores nucleares do centro do terreno, a zona nevrálgica do modelo de jogo do Porto, e fala-se que poderá sair um terceiro e Lucho está cada vez com menos rotação para o modelo de jogo existente. Tentando precaver essa situação, o Porto foi buscar jogadores com potencial. Mas há sempre o risco de não se adaptarem, ou mesmo que o façam, dificilmente atingirão os níveis de desempenho dos que saíram. Se o Porto teve dificuldades em ser campeão e só o foi por demérito exclusivo do Benfica, para o próximo ano, as hipóteses do Benfica ser campeão aumentaram exponencialmente.

Cabe a quem decide, resolver as questões de transferências antecipadamente, de preferência nos primeiros dias de Julho, para que a pré-época seja prepara com a maioria dos jogadores que disputarão o campeonato. Situações como as do ano passado limitarão significativamente as nossas possibilidades e servirão de desculpa para mais um início titubeante. As principais contratações do Benfica já estarão acertadas. Mais uma vez Jesus preocupou-se essencialmente com avançados e médios ofensivos. Esperemos para ver se as lacunas há muito identificadas não obrigarão Jesus a "inventar" jogadores como ele disse que não o quereria fazer.

8 comentários:

Anónimo disse...

patriarca disse:


Em termos desportivos o balanço geral e Final da época que findou foi extremamente NEGATIVO, com a convicção de que em determinada altura podíamos ter ganho tudo, veio a DESILUSÃO e não se ganhou nada. Afinal tivemos um final de época à Jorge Jesus, tudo se promete, tudo corre razoavelmente bem até final, tudo na melhor e no final GANHA O PORCO.
Isto é que é triste, é preocupante e adverso para as gerações vindouras e actuais, como é óbvio. Perder assim campeonatos só no Benfica e com este treinador, que duvido que nos dois anos próximos faça algo de relevo, já que no Benfica NADA FEZ, ganhou um campeonato com uma Equipa de sonho deixada pelo seu antecessor e não foi feita por ele, porque todas aqueles em que ELE mete o bedelho não ganham nada e as provas aí estão.

Bandarilheiro Mor disse...

Excelente!!!!

Schwarz disse...

Gostei do texto, mesmo não concordando na totalidade. Contém várias reflexões interessantes, mesmo para quem não tem uma posição definida quanto à questão da Presidência. Mas há aqui uma parte que me parece algo contraditória:

"Posto isto o que fazer ? Jesus deveria sair. LFV que disse ser Jesus o seu treinador, deveria sair com ele e nem sequer se candidatar a novas eleições, pois já são muitos os anos e os erros somados sem qualquer demonstração de correcção do caminho. Hoje aposta-se nisto, não dá, amanhã aposta-se naquilo. Se não der, a seguir aposta-se noutra coisa qualquer."

Criticam-se as mudanças de rumo de LFV, mas caem em cima do presidente quando este decide manter a aposta no projecto que definiu. De resto, espero que não levem a mal a minha intervenção. Como disse, não tenho posição definida sobre LFV. O seu legado tem tantos erros como aspectos positivos.
Saudações benfiquistas!

Anónimo disse...

Há muito tempo que não lia tanta asneira junta. Ainda bem que não pescas nada dentro do clube e limitas os teus dislates à internet.

Anónimo disse...

"Não termos ganho nada não significa que tudo está mal."(Luís Filipe Vieira)

Concordo, Vieira. No Benfica, a única coisa que está mal és tu!

Pedro Almeida disse...

Uma coisa que eu não consigo encaixar de maneira nenhuma é o salário do JJ.
Como se pode pagar 4 milhões de salário base a um treinador que nada ganha?
Faz lembrar a tal gestora do BANIF que ganhou 1 milhão o ano passado e entretanto o banco faliu.
Sou contra a renovação, mas a existir, ao menos ofereciam 1 milhão de sálario base e se vencer o campeonato dava-se mais 2 milhões e mais 1 milhão pela taça, algo assim.

Só para comparação parece que o Vitor Pereira ganhava à volta de 400 mil, o Leonardo Jardim vai ganhar 350 mil.
O Rafa Benitez que tem imensos títulos internacionais vai ganhar 3.5 milhões no Napoles.
Enfim, não tem explicação possível.

ps: fala-se muito da arrogância do JJ, é natural que um gajo da Amadora que se veja a ganhar 4 milhões por ano se ache a última coca-cola do deserto, mas aí a culpa nem será tanto dele.

Luis disse...

Aparentemente Jesus vai ficar e mandar mais que nunca no futebol... Para o ano não tem justificações possíveis (este ano mandou as bocas do adaptar jogadores e isso, o que me levou a pensar que alguém mandou no plantel mais do que ele)
Vamos ver se é outro Fernando Santos ou se cilindramos tudo

SLB4EVER disse...

@Pedro Almeida
Completamente de acordo, saber que o LFV vai renovar inequivocamente com o seu treinador já me faz doer o coração saber que vai fcar a ganhar o mesmo e ainda com mais poder quase me faz entrar em paragem cardiaca.
Se o JJ estivesse assim tão empenhado no projecto Benfica e acredita mesmo nele aceitava baixar o salario base, ganhando o mesmo ou até mais se cumprisse os objectivos, assim para ele todas as épocas são perfeitas e excelentes aconteça o que acontecer, lágrimas de crocodilo não dizem nada. E era uma boa maneira de muitos poderem restaurar alguma ainda que pouca fosse, confiança e respeito perdidas pela criatura.