segunda-feira, 11 de agosto de 2014

A 5ª



Ponto prévio: Para um clube da nossa dimensão não pode ser aceitável termos somado ontem apenas a 5ª Supertaça Cândido de Oliveira. Vamos lá aumentar esse palmarés.

Do jogo de ontem, mais um com contornos épicos, sobram boas notas de análise, a destacar:

            Enzo: Sr. Presidente, já deu para entender o porquê de, desportivamente falando, ser imprescindível manter o nosso “cavallino rampante”? Enquanto o Argentino teve pulmões (1ª parte) o nosso domínio foi avassalador. Enquanto manteve as pernas (2ª parte) fomos melhores. Depois do motor deste Ferrari ter rendido a alma ao criador (prolongamento) fomos quase banais e em nada superiores ao adversário. Enzo é a cola mágica que agarra toda a equipa num bloco coeso. Ataca, defende, pressiona, assiste, remata. Enzo é… Enzo.

            Talisca: Confesso que foi para mim uma surpresa a titularidade do Brasileiro no jogo de ontem. Vinha rotulado de 10, mas a pré-época deu a entender que JJ via em Talisca a principal alternativa a uma eventual saída de Enzo. O jogo de ontem mostrou um Talisca muito mais assertivo no jogo. Pisando zonas mais próximas do que, presumivelmente, ocupava na sua anterior equipa, o Brasileiro demonstrou uma boa dinâmica e boa capacidade para desempenhar o papel que antes era atribuído a Rodrigo. Parece-me ser mais por aqui e não tanto pela posição 8 que pode passar o melhor futuro de Talisca neste Benfica. Falhou na concretização e nalgumas tomadas de decisão, quer no timing quer na decisão em si. Mas não deixam de ser excelentes indicadores de um jovem que está a dar os seus primeiros passos na Europa.

            Jardel: O mesmo de sempre, quer no positivo, quer no negativo. Esforçado e com uma grande capacidade de entrega ao jogo, não deixa de ser um jogador limitado no plano táctico e técnico. Comete demasiados erros de posicionamento e ainda mais aflitivos erros no passe, compensado essas falhas com uma luta até ao limite. Não sendo um prodígio, parece-me o melhor parceiro para Luisão neste momento, embora gostasse de perceber quanto pode valer Lisandro ao lado do Girafa ou, na pior das hipóteses, seria aconselhável a chegada de um central capaz de assumir a titularidade do Benfica. Para o nível interno, Jardel vai chegando, mas não creio que se possa esperar o mesmo num nível de Liga dos Campeões.

            Artur: Do inferno ao céu em três defesas. O guardião Brasileiro foi o herói de ontem, é justo reconhece-lo, mas não é menos justo dizer que esteve a centímetros, por mais de uma vez, de ser o vilão. Sem embargo dos penaltis que defendeu, durante os 120 minutos de jogo, Artur explicou, mais uma vez, a razão de ser imperiosa a chegada de um GR capaz de assumir a titularidade. Tecnicamente nunca foi o prodígio, mas tem capacidade para ser regular, o problema de Artur é mesmo psicológico. É aflitivo ver a forma como um Artur desconfiado de si próprio se faz a cada lance e é tão fácil ver Artur desconfiado de si. Creio que o Benfica precisa de um novo GR e Artur precisa de um novo clube onde possa expurgar a sombra do insucesso que lhe paira na cabeça a cada lance em que intervém. Obrigado Artur, mas mais não.

No global foi uma boa exibição, especialmente no primeiro tempo, ainda que a finalização tenha sido confrangedora. Criamos muitas e boas oportunidades de golo, mas um num jogo de campeonato tanto erro na finalização tinha-nos valido um empate e a consequente perda de 2 pontos. 120 minutos frente a um adversário que havia jogado na passada quinta-feira sem marcar qualquer golo, não é trágico, mas é preocupante, ainda que, normalmente, a capacidade de finalização das equipas de JJ seja sempre elevada ao longo das épocas.

O jogo de ontem reforça-me ainda a convicção de que, mesmo com Gaitan e Enzo, temos um bom 11 para o nível interno, mas um 11 sofrível para a Liga dos Campeões. Mas há que ter sempre presente uma questão: Não se ganham campeonatos com 11.

13 comentários:

Laranja disse...

Concordo com tudo, menos em relação a Jardel, os seus erros são apenas técnicos, muitos dos seus passes não vão ao destino, mas tanto taticamente (no posicionamento e na decisão) como fisicamente confio no Jardel, penso até que a cada ano que passa está mais jogador. Não vai ser por ele que não seremos campeões... GR é para ontem... Artur é demasiado mau para titular

José Moreira disse...

Discordamos ;)

Acho que Jardel é um central que se deixa atraír em demasia pelas referências individuais e descobre demasiado a marcação à zona. Mas numa coisa estamos de acordo, podemos ser campeões com Jardel como central. Acho é que para um nível superior, a coisa complica-se... e muito.

abraço

Hélder disse...

Eu também vou pelo Laranja.

Acho que o Jardel é cumpre muito bem táticamente. Ainda por cima é um jogador que cresceu mesmo não saindo do banco e jogando na B.

Em termos táticos acho que percebe o lugar que tem de ocupar, controla bem a largura e a profundidade e enquanto estiver lá o Luisão ele vai sempre dar nas vistas.

Quanto a termos um 11 sofrivel para a champions, também discordo. Para os quartos-de-final sim, mas para passar de grupo, e se não nos calhar um grupo de "tubarões" acho que temos 11 acima da média.

saudações

José Moreira disse...

Hélder

Em relação ao 11 sofrivel, falo do que há, ou seja, um 11 que inclui Artur (por muito que JJ diga querer outro, ainda não o há) e um 11 que inclui um Eliseu longe da melhor forma física. Ontem foi bem evidente em determinados lances a incapacidade para explodir. A mente queria, mas as pernas não correspondiam. Há ainda a considerar a questão do segundo avançado que, seja Talisca ou outro, será sempre ocupada por um jogador sem o andamento da alta roda europeia.

Saudações

André Silva MF disse...

Concordo, na generalidade, com o que dizem sobre o jogo. A minha visão sobre o encontro de ontem:

Enzo: Sem dúvida a peça chave deste Benfica. Corre, joga e faz jogar, não há muitos como ele, é a ignição da equipa. Luisão e Enzo, cada um no seu sector, são as referências do colectivo, eles decidem os posicionamentos da linha defensiva e da linha média. Infelizmente estou em querer que foi o último jogo pelo Benfica. Muito difícil de substituir!

Talisca: Tem qualidade mas precisa de tempo, muito tempo e paciência. Não se pode colocar sobre os seus ombros a responsabilidade de ser o próximo craque do Benfica, necessita de ser protegido da máquina mediática. Neste inicio de época, na opinião dos adeptos e da imprensa, ou joga bem e é um craque, ou joga mal e é igual ao Luis Felipe, deve ser protegido. Na minha opinião é um reforço para ter minutos, ser útil e na próxima época teremos jogador.

Jardel: O melhor elogio que se pode fazer é que não é por ele que o Benfica deixa de ser candidato ao título.

Artur: Explicou ontem porque não pode ser o GR do Benfica.

Gaitán e Salvio: Eles e Enzo estão alguns níveis acima dos restantes. Se nenhum destes sair (o que duvido) e entrar um GR, um 6, e eventualmente um avançado, o SLB é o grande candidato ao título.

Eliseu: Esta fora de forma, mas cumpriu bem o seu papel. Aguardaremos pela sua evolução.

Ruben Amorim: É uma pena as lesões que tem recorrentemente, percebe o que a equipa quer dele a cada momento, como sempre muito útil em qualquer plantel.

Bebé: Tem características físicas excelentes mas sua forma de jogar tem muito de Djaló. Aquele cruzamento para trás da baliza não é a excepção, é a regra. Se for uma aposta para extremo não tenho duvidas que será um flop, se jogar na frente com metros para correr pode resultar mas nunca será um craque. Para jogar na linha, na minha opinião, é inferior a Candeias.

Felipe Augusto: Uma pena que vá para o Valência, na minha opinião é um jogador com um potencial incrível e o Benfica devia ter apostado nele, este sim um verdadeiro 8.

Jorge Jesus: À sua imagem, brilhante tacticamente, um desastre na comunicação, sobretudo antes do jogo com a polémica da aposta na formação. Parece ter uns novos fetiches ao estilo Cortez/Emerson, agora temos Jara.

Pedro Martins: Um dos treinadores mais desvalorizados do nosso campeonato contudo o trabalho feito no Marítimo parece-me de grande qualidade, se tiver tão bom jogadores como os que Nuno Espírito Santo teve fará bem melhor.


Os meus cumprimentos.

Anónimo disse...

nem uma referência ao facto do Artur ter saído da linha de baliza antes do remate do jogador do Rio Ave, em pelo menos 1 dos penaltis que defendeu?
e a verdade desportiva?

José Moreira disse...

Anónimo

Sim, é verdade, deu um passo à frente, como quase todos os gr dão em quase todos os penaltis que tentam defender. Percebendo a referencia que faz, relembro que o questionado aqui na altura do jogo com o Sevilha foram os 3 passos que Beto deu em frente, não 1 como faz sempre.

Anónimo disse...

acho que a regra é que não se pode dar passo nenhum, pelo que me regozijo pela admissão da injustiça desportiva no resultado do jogo de ontem devido a um erro de arbitragem. é que revela carácter!

José Moreira disse...

Naturalmente que a regra não admite nenhum, da mesma forma que não admite (numa grande penalidade cobrada por livre directo) que qualquer jogador entre na área antes da bola ser batida, ainda que em todas isso aconteça.

Anónimo disse...

pronto, josé.
fica assim com mais uma causa de verdade desportiva para a sua gloriosa instituição pugnar por.
depois das escutas com presidentes de clubes a escolher árbitros e dos contratos de jogadores obviamente falsos/fraudulentos, os benfiquistas poderão insurgir-se agora contra essa vergonha que é "os jogadores que entram na àrea antes da marcação da grande penalidade" e que tantos títulos lhes roubou nos últimos 30 anos.

José Moreira disse...

O que você quer que eu diga sobre o Benfica é o que eu nunca disse sobre qualquer clube:

Jogou mais, jogou melhor, mas só ganhou por causa do arbitro.

Esqueça. Não direi sobre este jogo, nem disse sobre outro. Nunca desculpei os insucessos do Benfica com as arbitragens em primeiro plano. Optei sempre por analisar primeiro o que podiamos e deviamos ter feito de melhor e só depois poderiamos falar de algo que não depende da competência do clube e de quem o dirige.

É ainda muito raro, só em casos demasiado evidentes como o do Beto, é que me vê falar do arbitro de cada jogo. Mas se tiver de o fazer em prejuizo próprio (contra o Benfica) faço, sem qualquer tipo de problema.

Mas não queira, porque não vai conseguir (já muitos o tentaram), fazer com que diga o que você quer ;)

Anónimo disse...

combinado josé. admito que a provocação era o meu motivo principal pois tb acho que a vitória foi justa para o seu clube.
e para que não fique muito aborrecido comigo, digo-lhe já que este é o único blog benfiquista que visito, em parte pelas razões que o José enunciou.
1 bem haja pelo seu fair-play

José Moreira disse...

Sem problema. Não fiquei aborrecido, acredite. Primeiro porque este tipo de provocações fazem parte e alimentam o futebol. Fosse a rivalidade toda a assim. E depois, porque já é coisa a que estou habituado por viver no meio de gente portista.

Forte abraço.