segunda-feira, 18 de junho de 2012

Futebol sem bola

Com decepção, tenho ouvido Pedro Ribeiro comentar os jogos do Euro. Não sei muito bem se foi ele que mudou ou se fui eu, mas houve um tempo em que não desgostava dos seus comentários aos jogos ingleses na Sport TV. Hoje noto que a questão central da minha admiração passava pelas horas e dias em que os jogos davam: geralmente de manhã ou início da tarde, aos Sábados e Domingos, horas que estão cientificamente patenteadas como veículos progressivos de uma cura de ressaca. Pode ser que a cabeça me latejasse em demasia, pode ser, e que tudo me parecesse de uma qualidade que não tinha.

Ontem foi quase insuportável ter de ouvir tanto disparate. Desde as infinitas loas a Ronaldo passando pelo desprezo a vários outros jogadores, foi um bocadinho repugnante. No golo da Holanda, no entanto, não se abordou o jogador Ronaldo, vá lá saber-se porquê. E no golo de Portugal, o primeiro, demorou-se algum tempo a compreender o passe fantástico de João Pereira. E mesmo quando se lhe reconheceu a mestria, foi com frases descabidas pelo meio, tanto que na segunda parte, quando o jovem Pereira avançou destemido pela área holandesa, surgiu a pérola: "bem, se ele assiste e marca neste jogo é o fim do mundo!".

Ora bem, João Pereira é um jogador medíocre - penso que é consensual. Mas é-o, acima de tudo, por não saber defender. A atacar, tem qualidades que extravasam em muito a média geral do campeonato português e até - imagine-se - de alguns chamados génios e fenómenos da natureza. Aquele passe, por exemplo, não é raro em João Pereira - e aquele passe demonstra muitas coisas. 

Coisas que Ronaldo, nosso líder, herói e capitão, raramente faz. Quantas vezes vimos Cristiano rasgar uma defesa com um passe daqueles? É que por mais que se treine e se crie uma máquina de jogar (e Ronaldo é uma máquina incrível), há lados do cérebro, da imaginação e da visão espacial que o madeirense não tem. Há coisas que não se treinam. Se se treinassem, Ronaldo seria uma besta extraordinária, o melhor de todos os tempos. Assim, é um jogador fabuloso, por aquilo que une características físicas e técnicas. Mas não mentais. E é por isso que Iniesta é o melhor de todos os tempos.

Mas a histeria de Ribeiro em relação a uns e o desprezo por outros, no caso do jogo de Portugal, não se aceitando, compreende-se. Falava o coração, além de outras coisas. Já o abordado no jogo da Espanha não deixa grandes dúvidas sobre a incompreensão que persiste sobre o Barcelona e sua forma de jogar. O lance era este: Piqué entra no meio-campo, avança uns metros, tem Xavi à direita, Iniesta em frente e Silva bem aberto junto à linha lateral. Toda a equipa da Espanha se condensava em poucos metros, excluindo Silva que abria o espaço e criava uma falsa ideia de passe óbvio. Ribeiro exalta-se: "já devia ter passado!". Mas Piquet não passou. Manteve-se no jogo interior, a bola rodou entre vários jogadores no meio e acabou numa jogada qualquer de que já nem sequer me lembro bem. Mas o mal estava feito. 

Piquet não "devia ter passado" coisa nenhuma. Não devia porque não era a melhor opção - passando, deixava Silva entregue a si próprio, sem apoios nem possibilidade de progressão -, e muito menos devia só porque era o gajo que estava sozinho. Mas o maior problema disto tudo é vermos um comentador - a quem já ouvi enormes elogios ao Barcelona (como não?) - dizer isto e não entender que afinal o que ele gosta no jogo da equipa catalã não é aquilo que a distingue de todas as outras. E isso, não sendo raro (quase todos os que comentam o demonstram), é bastante triste.

13 comentários:

Pedro disse...

Ricardo, João Pereira é tudo menos um jogador medíocre e é com muito agrado que o vejo sair do clube dos viscondes e desejo-lhe muitas felicidades em Espanha. Não é um Fábio Coentrão, claro que não mas está longe de ser medíocre. Adorava tê-lo no SLB. Isso diz tudo.

Sobre o Ribeiro, concordo ctg. É muito bom profissional de rádio, gosto muito de o ouvir mas em termos de futebol, como já lhe disse várias vezes, odeio o politicamente correcto dele em que raramente elogia o SLB e rasga-se em elogios a tudo o que é verde e azul. Dá-me asco. Cai na boçalidade de todos os outros, diz coisas banais que todos dizem mas tb, se assim não fosse, se calhar não comentava.

Mike Portugal disse...

Epa, estavas a falar tão bem do João Pereira (concordo com tudo) e borraste a pintura quando dizes "E é por isso que Iniesta é o melhor de todos os tempos".
É que nem sequer consideras o Messi e sim o Iniesta, o que significa que precisas urgentemente de encontrar um candidato que faça concorrência a LFV para poderes ficar mais descansado e calmo mentalmente. LOL

Quanto ao Pedro Ribeiro, como não vi o jogo da Espanha não posso falar, mas devias dar um desconto ao rapaz. Afinal é mais facil ver espaços onde eles existem (o tal lance em que ele estava mesmo com espaço), do que ver espaço onde ele AINDA não existe.

F1 disse...

Concordo em pleno com o que dizes e a esse post só juntava um a elogiar a falta de humildade e enorme arrogância de um treinador que fez apenas 1 jogo de jeito neste Europeu, que perdeu 1, que esteve em vias de empatar outros depois de estar a ganhar 2-0 e finalmente um jogo de jeito, utilizando apenas 15 jogadores dos mais de 20 que levou, nos 3 jogos.

Temos um seleccionador que se enche nas vitórias e espera os elogios, não sabe aceitar criticas negativas e ainda por cima já se percebeu que não se sabe relacionar nem com os jogadores, nem com os adeptos.

Vagusi disse...

JPeireira p/ além de defender mal e ser temperamental não é nenhum prodígio nos cruzamentos e, o único lateral de categoria que não sabe cruzar chama-se Miguel.
Quanto ao Pedro Ribeiro, Foda-se, "acardito" que ele não seja o mais indicado, mas esses exemplos é mesmo de quem não dá a mínima.

O Bandido disse...

O Pedro Ribeiro só tem uma coisa boa, é ser do Benfica, de resto é um daqueles indivíduos secos secos que se acham mestres da comunicação, lambe botas do tutano e tentam ser mestres de verdades bacocas, tambêm não percebo os elogios "lambotistas" ao Ronaldo, e o caga na total ao J. Pereira... Mas lá está, é o querer ser engraçadinho, mas fica-se pelo seco..

Mentecapto da Silva disse...

Deve ser o mesmo gajo que no Polónia - R. Checa disse que os adeptos (maioritariamente polacos) estavam a gritar pelo...Rosicky (ainda por cima lesionado). Alguns segundos depois entra o Grosiki a substituir o Polanski. Grande filme, Pedro!!


E o que me dizes do "1-5-5 J.J." da Holanda? Mal sabíamos nós que este sistema ainda nos ia dar uma alegria...

JNF disse...

Discordo. Ele faz os comentários de uma forma descontraída e que contrasta, a meu ver, com a monotonia dos senhores da SIC, que só dizem disparates atrás de disparates e os da RTP, muito analistas, muito formais, mas com pouco conteúdo. Por acaso gosto.

Por outro lado, ainda antes de toda a gente reconhecer o devido valor a Iniesta, já o Pedro Ribeiro, na SportTV o elogiava, ainda no início da sua carreira.

Mr. Shankly disse...

Estou com o JNF. Acho-lhe graça e gosto precisamente por falar de forma descontraída, ao contrário dos doutores em futebol, com as suas basculações, pressão alta, transição defensiva, primeira fase do processo atacante, etc.

O Iniesta é genial, dá gosto vê-lo jogar. Mas o Messi e o Ronaldo são de outra galáxia.

Ricardo disse...

Pedro, no cômputo geral, acho-o um defesa medíocre. Precisamente porque... não sabe defender.

Mike, é a minha opinião.

Mentecapto, cinema de grande qualidade, esse.

Não sei que te diga sobre a Holanda. É um crime ter tanto talento e tão pouca (nenhuma?) organização. Ao pé daquilo, o Jesus é um mestre do equilíbrio e consistência.

JNF, discordas de uma coisa que não está escrita. Eu também gosto da forma como ele relata os jogos - fiz referência a isso no início do texto. Outra coisa é dizer disparates (na minha opinião, claro). Um gajo pode ser porreiro, dar cor e alma ao relato, mas convém não dizer coisas absurdas como algumas que ele foi dizendo. No fundo, o texto tem a decepção de não haver um gajo que claramente se destaque na qualidade do relato e no conhecimento com que aborda o mesmo. Era mais isso.

Shankly, discordo. Acho o Iniesta superior ao Ronaldo, naquilo que o jogo tem de imponderável e sobrenatural - só ao alcance de muito poucos, onde, para mim, não entra o português. Já o Messi é, enfim, Messi. Aqui opto pelo Andrés porque é o jogador que mais gosto de ver jogar futebol no planeta.

rui disse...

Eu pensei que era so eu,afinal á mais,Estou inteiramente de acordo com o comentario de O Bandido. O P.Ribeiro é um toto,sem graca nem piada nenhuma, é um paozinho sem sal mas que tem a mania que percebe alguma coisa disto, anda sempre com os Uis,e os deliciosos na boca eu nao o suporto pronto..ja disse.Nem a ele e muito sinceramente alguem costuma ouvir o Carlos Daniel da rtp que supostamente tb é benfiquistA?Credo santo nome,o gajo é mau demais...é um freitas lobo wanna bee

Vasco disse...

O Iniesta e o Pirlo são os melhores médios q vi jogar. Zidane não conta pois, esse sim, é de outra galáxia.
CR7 é golos. Futebol vive de golos.
A meu ver CR7 receberá com justiça o prémio de melhor jogador FIFA

Pedro disse...

Ricardo...não te estou a percebe. E Pablito????

Mr. Shankly disse...

O Iniesta dá-me prazer ver jogar, claro. Mas se vamos pelo prazer apenas, escolho o Zidane ou o Maradona.
Nem acho que o Iniesta seja o melhor da actualidade, quanto mais o melhor de sempre. Apesar de ser um dos meus jogadores favoritos.