terça-feira, 25 de dezembro de 2012

20 razões para um sportinguismo diferente

O clube liderado por betos cristãos que acham que a Páscoa é em Dezembro tem sido gerido por autênticos representantes do verdadeiro sportinguismo. O Sporting, não há de facto dúvidas, é mesmo um clube diferente. Vejamos o perfil destes baluartes da integridade e honradez: 


1. Paulo Pereira Cristóvão, o prestidigitador:

«O ex-vice presidente do Sporting, Paulo Pereira Cristóvão, foi acusado, na passada sexta-feira, de sete crimes pelo Ministério Público (MP), no âmbito do chamado "caso Cardinal", anunciou esta terça-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGD) no site oficial.

A acusação foi deduzida na sequência de um inquérito promovido pela 9.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, com investigação a cargo da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária (PJ), e envolve, além de Paulo Pereira Cristóvão, um sócio gerente de uma sociedade comercial que não é identificado.

O ex-vice presidente leonino é acusado de um crime de burla qualificada, um crime de branqueamento de capitais (ambos em coautoria), um crime de devassa por meio de informática, dois crimes de peculato, um crime de acesso ilegítimo qualificado e um crime de denúncia caluniosa qualificada.» 


2. Paulo Pereira Cristóvão, o espião dos árbitros:

«Paulo Pereira Cristóvão teria uma rede de espionagem de árbitros. Segundo o "Correio da Manhã", o vice-presidente do Sporting usava as suas empresas para espiar a vida privada dos árbitros e fazer chantagem com situações de vida familiar que iam sendo encontradas.

O diário avança mesmo com a possibilidade de existência de escutas ilegais pelas empresas de Cristóvão a árbitros de futebol, que serviriam como base para ameaças, constituindo "dossiês explosivos" sobre os homens do apito.

A edição desta sexta-feira do jornal refere ainda as ligações do Sporting com as empresas de espionagem de Paulo Pereira Cristóvão, com suspeitas de pagamentos pelo clube por serviços prestados»


3. Paulo Pereira Cristóvão, o espião dos adversários:
  
«Paulo Pereira Cristóvão terá tentado espiar o Benfica e o FC Porto. O antigo dirigente do Sporting, agora acusado pelo ministério Público, queria instalar câmaras de vigilância nos centros de estágio dos clubes rivais.»


4. Paulo Pereira Cristóvão, o espião da vida pessoal dos treinadores do Sporting:

«Paulo Pereira Cristóvão está ligado à saída de Domingos Paciência do cargo de treinador do Sporting, em fevereiro último. O vice-presidente, agora suspenso do clube leonino, revelava vontade de por de parte o técnico, e terá engendrado um esquema no sentido de o conseguir.»


5. Paulo Pereira Cristóvão, o espião da vida pessoal dos jogadores do Sporting:
  
«O Ministério Público diz que o presidente do Sporting, Godinho Lopes, autorizou a contratação de uma empresa para espiar os jogadores do clube. Mas a investigação da Judiciária ressalva que Godinho Lopes não sabia que essa empresa pertencia a Paulo Pereira Cristóvão.»

«Na acusação ao ex-vice-presidente do Sporting, Paulo Pereira Cristóvão, a procuradora do Departamento de Investigação e Acção Penal diz expressamente que o presidente do clube, Luís Godinho Lopes, conheceu e autorizou a contratação de uma empresa que vigiasse a “vida pessoal e social dos jogadores de futebol”.»


6. Paulo Pereira Cristóvão, o incendiário:

«Paulo Pereira Cristovão lamentou as condições dadas pelo Benfica aos adeptos do Sporting, considerando que foram "pré-históricas"."Estavam duas pessoas em cada lugar", afirmou.

"No Sporting há muito tempo que passámos a pré-história", frisou.

Questionado sobre se o Sporting vai tomar mais alguma posição disse: "Estou aqui para denunciar esta situção. Quanto ao resto o tempo o dirá. Temos um presidente e um Conselho diretivo..."

Paulo Pereira Cristovão garantiu que o Sporting só "devolveu 24 bilhetes, 12 para a tribuna e 12 para o camarote presidencial".»


7. Paulo Pereira Cristóvão, o burlão do próprio clube:

«Pereira Cristóvão é acusado pelo Ministério Público de ter burlado o Sporting em 57 mil euros e de se ter apropriado ilicitamente de 4640 euros do clube.»  


8. Paulo Pereira Cristóvão, o viciador de eleições:


«Houve irregularidades gravíssimas nas ultimas eleições, provocadas provavelmente por alguém que agora poderá ter de prestar provas à justiça por outros motivos.»


9. Godinho Lopes, o outro Paulo Pereira Cristóvão:

«Menezes Rodrigues, do Conselho Directivo do Sporting, afirmou segunda-feira que a detenção de Godinho Lopes, vice-presidente dos «leões» para o património que foi detido pela PJ, por suspeita de corrupção com o alojamento de navios, durante a Expo 98.»

«O empresário Luís Godinho Lopes, detido na segunda-feira pela Polícia Judiciária por alegada prática de crimes de corrupção, demitiu-se de todos os cargos que ocupava no Sporting, nomeadamente os de vice-presidente do clube e da "holding" leonina e presidente da EJA (Estádio José Alvalade), sociedade responsável pela construção do novo Estádio de Alvalade.

A decisão, discutida nesta terça-feira numa reunião dos órgãos sociais do Sporting, foi tomada por iniciativa do próprio Godinho Lopes "para minimizar repercussões negativas no clube e para mostrar à opinião pública que ele não precisa de se refugiar atrás da instituição do Sporting para se proteger, na sua defesa", explicou o presidente do Conselho Directivo do clube, António Dias da Cunha, à saída da reunião.

A notícia da prisão de Godinho Lopes foi um choque para o Sporting, dado o papel de destaque que o responsável vinha desempenhando no arranque para uma fase decisiva na vida do clube, com a construção do Estádio Alvalade XXI. "Uma pessoa com a qualidade do engenheiro Godinho Lopes não é substituível", afirmou Dias da Cunha, sublinhando estar "profundamente convicto na sua inocência".

O presidente do Sporting garantiu, no entanto, que "os projectos vão continuar" sem atrasos, já que "o dia-a-dia da EJA está assegurado". O dirigente sublinhou que o clube tem "pessoas e estruturas para ultrapassar a situação". Para tal, vai ser convocado um Conselho Leonino na próxima terça-feira para encontrar soluções. "O Sporting continua", concluiu Dias da Cunha.

Luís Godinho Lopes foi detido pela PJ por suspeita de corrupção, participação económica em negócio e administração danosa dos alojamentos em navios-hotel durante a Expo 98.»


10. Godinho Lopes, bajulador de corruptos:
 
«Fragilizado? Eu não tive três treinadores na mesma época. Uma pessoa a quem reconheço competência, qualidade e que é um excelente dirigente, falo de Jorge Nuno Pinto da Costa, teve três treinadores e sentiu-se fragilizado? Há quantos anos lá está e quantos campeonatos ganhou depois disso? Vamos ser pragmáticos e pensar que há vida depois da vida e que eu não estou aqui para me defender, mas para defender o Sporting.»


11. Artur Baptista da Silva, o impostor:

«Apresentou-se como coordenador de um centro de estudos das Nações Unidas e foi entrevistado por jornais, rádios e televisões portuguesas, propondo a renegociação da dívida. Mas o dito observatório não existe e ninguém na ONU conhece o suposto «economista» Artur Baptista da Silva, que poderá ser um impostor.

A conclusão é da SIC, televisão 'enganada' por Baptista da Silva, à semelhança do Expresso e da TSF, entre outros órgãos que deram grande destaque às declarações do suposto especialista das Nações Unidas. A televisão de Carnaxide afirma que o português foi condenado nos anos 80 por uma burla milionária a uma empresa. O canal contactou ainda várias fontes na ONU, que afirmaram desconhecer tal nome e que apontaram a inexistência do suposto observatório liderado pelo 'académico'.

Baptista da Silva tinha feito manchetes ao defender que Portugal estaria «de joelhos dentro de seis meses» se não renegociasse 41% da dívida, declarando ser essa a opinião institucional das Nações Unidas. Ainda na sexta-feira, o suposto economista tinha sido um dos convidados do Expresso da Meia-Noite, na SIC Notícias.

Não há nos sites da ONU qualquer referência ao nome de Baptista da Silva, nem o dito centro de estudos para a Europa do Sul aparece mencionado. Surgem também dúvidas sobre o currículo académico do português, que diz ser doutorado por uma universidade norte-americana e mestre por uma universidade belga.

Esta noite, a TSF publicou um esclarecimento a admitir dúvidas sobre a identidade e credenciais de Baptista da Silva. À rádio, o próprio manteve a sua versão dos factos mas não soube fazer prova de que seria funcionário da ONU. A TSF retirou do seu site todos os conteúdos relacionados com o possível impostor.» 


12. Jorge Gonçalves, o «empresário»:

«O empresário luso-angolano Jorge Gonçalves, que ficou conhecido no final da década de 80 por ter presidido ao Sporting Clube de Portugal, foi detido em Luanda pela Polícia Económica.
"Ele foi detido quinta-feira da semana passada. Houve uma negligência da parte dele e, por isso, foi detido para averiguações", afirmou à Lusa Fernando Varela, que está a dirigir a empresa de Jorge Gonçalves durante a sua ausência.

Fernando Varela escusou-se a especificar a "negligência" que originou a detenção, mas declarou-se confiante em que o empresário poderá ser libertado nos próximos dias.

Jorge Gonçalves tem uma empresa de despachante oficial em Luanda, onde refez a sua vida depois de ter saído de Portugal na sequência de vários processos judiciais que lhe foram movidos, relacionados com dívidas em atraso.

Estes processos acabaram, no entanto, por ser arquivados, o que lhe permitia deslocar-se a Portugal.

O empresário, que possui dupla nacionalidade, tornou-se conhecido em finais da década de 80, altura em que foi presidente do Sporting, cargo em que foi substituído por Sousa Cintra.»


13. Miguel Sousa Cintra, o «inside trading».

«O empresário Miguel Sousa Cintra foi hoje condenado a uma pena de prisão suspensa de três anos, por abuso de informação privilegiada ("inside trading"), naquela que é a primeira condenação em Portugal com este fundamento.
O Tribunal criminal da comarca de Lisboa condenou ainda o arguido a uma pena de 120 dias de multa, à taxa diária de 295 euros.

A suspensão da pena de prisão fica sujeita à entrega de 499 mil euros, a distribuir por quatro instituições com fins humanitários.

A advogada de defesa afirmou à saída da leitura da sentença que vai interpor recurso da decisão. Miguel Sousa Cintra escusou-se a prestar declarações à saída do tribunal.

A juíza justificou a decisão com a "gravidade do ilícito, movido pelo lucro".

"Dado o elevado grau de ilícitude dos factos e o elevado valor auferido, parece necessária uma censura muito firme", considerou a magistrada do terceiro juízo do tribunal criminal de Lisboa durante a leitura da sentença.

Segundo a juíza, ficou provado que Miguel Sousa Cintra sabia, desde Julho de 1996, do interesse do pai, José Sousa Cintra, em vender as acções da Vidago e da intenção da Jerónimo Martins de lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre as mesmas acções.

O tribunal considerou como provado que com base nessa informação confidencial, que só seria tornada pública a 11 de Novembro de 1996, o arguido comprou 379.976 acções da Vidago a um preço que oscilou entre os 9,37 e os 11,47 euros, tendo depois vendido a 21,4 euros, pelo que realizou mais-valias brutas de 3,9 milhões de euros.»


14. Luís Duque e Rui Meireles, os «esquecidos»:

«Luís Duque e Rui Meireles, antigo responsável pelo departamento financeiro do clube "leonino", foram condenados a dois anos de prisão por evasão fiscal, com suspensão por quatro anos e três meses. O tribunal considerou provado que os quatro arguidos "desoneraram-se da responsabilidade" de pagamento de impostos no prémio de assinatura pago a João Vieira Pinto, no valor de 4,2 milhões de euros, no âmbito da contratação pelo Sporting, no verão de 2000.»

15. Santana Lopes, o jogador:

«A Procuradoria-Geral da República (PGR) decidiu hoje abrir um inquérito ao processo do Casino Lisboa, na sequência de uma notícia avançada pelo semanário “Expresso”, segundo a qual o Governo de Santana Lopes mudou a Lei do Jogo a pedido da Estoril-Sol. De acordo com notícia avançada pela TSF, a PGR pretende clarificar a posse do edifício do casino.»


16. Miguel Relvas, o doutor:

«Pelo menos na freguesia das Antas, em Esposende, Relvas já era doutor em 2003, como se pode ver na fotografia. Não consta que o então Secretário de Estado da Administração Local se tenha queixado ou pedido a substituição da placa por lapso na atribuição de título. Por isso, e porque acredito na honestidade intelectual do senhor ministro, para mim era "doutor" e pronto, assunto arrumado. Já para os lados do Algarve, em Lagoa, o "doutor" teve nova aparição, corria o ano de 2004 quando se deu o milagre. Seria tudo muito engraçado não fosse a pseudo-licenciatura de Miguel Relvas na Universidade Lusófona ter sido concluída apenas em 2007. Ou seja, quatro anos após as placas terem sido descerradas. Mistério.»


17. José Maria Ricciardi, o conversador:


«No quadro das averiguações ao caso Monte Branco, a Polícia Judiciária "tropeçou" em conversas telefónicas que envolveram José Maria Ricciardi, do BESI, e o ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas. 


O "Público" escreve que no quadro das averiguações ao caso Monte Branco, a Polícia Judiciária "tropeçou" em conversas telefónicas que envolveram o ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, e assessores financeiros nas privatizações da EDP e da REN. Um dos contactos versou sobre a decisão do Ministério das Finanças de entregar, por ajuste directo, à norte-americana Perella Weinberg, a consultoria financeira das duas operações, decisão que gerou polémica. Outro tema abordado prende-se com a proposta alemã que disputou a final com a chinesa.

O Ministério Público tem na sua posse gravações de conversas entre Miguel Relvas e José Maria Ricciardi, do BESI (Banco Espírito Santo Investimento), escutado, entre Setembro de 2011 e Fevereiro deste ano, no quadro da recolha de informações (e não de recolha de provas) para ajudar a "desmantelar" o caso Monte Branco.»

  

18. Salema Garção, o hostil:



«A confusão instalou-se, esta tarde, em Lisboa entre adeptos do Alético de Madrid e do Sporting Clube de Portugal. Em causa podem estar as declarações de Salema Garção que segundo a mulher de Simão Sabrosa "incitaram à violência". Também outras vozes já criticam o dirigente do Sporting acusando-o de ter transformado o jogo com o Atlético Madrid numa guerra.

Simão Sabrosa voltou hoje a Alvalade num clima nunca antes visto. Talvez por causa das declarações que fez antes do apuramento para os oitavos quando disse: “Não simpatizam comigo em Alvalade, por isso é-me indiferente o adversário”.
Confirmou o ditado que diz:“muda-se os tempos, muda-se as vontades”, uma vez que em 1999 o discurso de Simão Sabrosa foi outro quando consolou os adeptos afirmando: “Devo tudo ao meu querido Sporting. Sou profissional, mas se fosse para Portugal era para o Sporting”.
E voltou. Só que para o Benfica – o que causou uma guerra institucional com os leões -,  e hoje a Alvalade num dia de violência, reiterando o ódio de estimação dos sportinguistas pelo internacional português, que tem um litígio com o clube desde que deixou o Barcelona rumo ao Benfica, em 2001.
Como se esse desagrado não bastasse anteontem Salema Garção, team manager do Sporting, pediu aos adeptos para criarem um ambiente hostil ao Atlético de Madrid e a Simão. “Simão deve ser recebido num ambiente extremamente difícil, tal como a equipa do Atlético de Madrid”, referiu à margem da apresentação do livro de Filipe Soares Franco.
Por causa dessas declarações a mulher de Simão, Filipa Sabrosa, arrasou hoje o dirigente do Sporting no jornal 24horas garantindo que “Salema Garção incitou à violência”.»





19. Eduardo Catroga, o prendado:

«No seu depoimento ao tribunal, Eduardo Catroga afirmou que ao longo dos 40 anos em que exerceu funções de responsabilidade na área de gestão empresarial sempre recebeu prendas.

"Era uma prática usual sobretudo no Natal, e de vez em quando na Páscoa, oferecer e receber algumas prendas de fornecedores, clientes e bancos", referiu, acrescentando que, "malcriadamente", nunca agradeceu uma prenda, porque considerava isso um ato normal.

Questionado pelo advogado de José Penedos sobre o tipo de prendas que recebia, Catroga disse que se tratavam de artigos de consumo e decorativos, desde livros, caixas de vinhos, peças de prata e de cerâmica, cabazes de Natal e às vezes produtos das próprias empresas.

Apesar de admitir que quando era ministro das Finanças, a sala da sua residência ficava cheia de "montinhos de prendas", e após ter saído do Governo, "as prendas já cabiam debaixo da árvore de Natal", Catroga disse que nunca interpretou isso como uma tentativa de condicionamento.

"Duvido que alguém se deixasse influenciar na autonomia das suas decisões por uma salva de prata", afirmou o ex-ministro, adiantando que, nos últimos anos, devido à expressão mediática de muitos casos, "as grandes organizações começaram a regulamentar o valor das prendas que as pessoas podem receber para evitar interpretações abusivas".

Além de Eduardo Catroga, o ex-presidente da REN arrolou como testemunhas o ex-presidente da República Jorge Sampaio, o antigo secretário de Estado do Tesouro de José Sócrates Carlos Costa Pina e a sua antiga secretária pessoal, que já foram ouvidos em tribunal.

José Penedos foi acusado de dois crimes de corrupção e dois de participação económica em negócio, por casos que envolvem também o seu filho, Paulo Penedos, e negócios com o empresário da sucata Manuel Godinho, o principal arguido no caso.»


20. Fernando Ulrich, o sodomita:

«O país aguenta mais austeridade?... Ai aguenta, aguenta»





Tudo gente fina, como se impõe a um clube beto e cristão que acha que no Natal deve reunir os atletas à volta da mesa e imitar a "Última Ceia". Proponho que os substituam por estes 12 apóstolos. Os valores verdadeiros e diferentes do sportinguismo estarão assim assegurado para as novas gerações.

6 comentários:

jcnaguiar disse...

Indesmentivelmente são pessoas que tem estado ligados ao clube nos ultimos 15 anos, na mesma altura em que foi criada a SAD, e são esses mesmo 15 anos que os verdadeiros sportinguistas, aqueles que sofrem o clube e que mesmo em tempos de crise como os 18 de jejum ou agora.. tem estado lá sempre, tem reclamado, tem sido 15 anos de pura agonia, ligados aos piores exemplos possiveis que nos envergonham...esta corja tomou de assalto o clube como se de uma monarquia se tratasse e aos poucos tem-se vindo a tentar mudar a mentalidade e começar a ter sangue novo no clube, mas não somos púdicos nem hipócritas... Infelizmente qualquer clube están ligado a esse tipo de acusação pois em 3 Milhoes que somos no Mundo, é normal que haja pessoas tortas.. o mesmo que voces no meio de 6 Milhões, que tb ja tiveram exemplos de pessoas ligadas a branqueamentos e burlas, ou até mesmo o actual presidente que desde que está como presidente do clube aumentou considerávelmente a sua fortuna e ja é dos mais ricos no país. Mas pronto.. nao te recrimino o post.. infelizmente temos estado ligados a esse tipo de pessoas

Anónimo disse...

Suponho que quando digas "Os valores verdadeiros e diferentes do sportinguismo estará assim assegurado para as novas gerações" queiras dizer "um bando de trafulhas bem posicionados garante que o Sporting não vá à falência porque pode sempre muito bem buscar dinheiro ao bolso dos portugueses a qualquer altura".

B Cool disse...

Esqueceste-te do Croqueteiro-mor amigo do banesto e das barragens alentejanas

Minha Chama disse...

Excelente artigo. Gosto deste «best of sbording».

Se fosse possível arranjar com uma músicazita... Era a prenda perfeita para este Natal.

Anónimo disse...

Cuidado com o preconceito religioso. Sou benfiquista e sou cristão, e não é bonito etiquetar uma pessoa por causa das suas crenças religiosas...

Ricardo disse...

Anónimo, o único preconceito é o teu. No texto não há qualquer preconceito. Religioso ou de qualquer outra qualidade.