sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Sport TV


A propósito do post anterior, olhemos para o que é a Sport TV:

"A Sport TV produz os canais premium de desporto relevantes para o mercado Português, sendo uma das melhores ofertas do seu género a nível internacional."

A oferta inclui da Sport TV:
- a Liga Portuguesa de Futebol
- a Liga Espanhoça de Futebol - La Liga
- a Liga Inglesa de Futebol - Premiership
- a Liga Alemã de Futebol - Bundesliga
- a Liga Italiana de Futebol
- a Liga Francesa de Futebol
- outras ligas europeias e mundiais
- a Liga dos Campeões da UEFA
- a UEFA Europa League
- Fórmula 1
- Moto GP
- competições de ténis ATP e WTA
- competição de basquetebol NBA

"A Sport TV produz 6 canais para o mercado Português (Sport TV 1, 2, 3 e 4, Sport TV Liga Inglesa e Sport TV Golf), sendo que todos se encontram disponíveis em versões SD e HD. A Sport TV produz ainda 3 canais internacionais incluindo principalmente as competições desportivas Portuguesas (Sport TV África 1 e 2, e a Sport TV Américas).

A Sportinveste Multimédia explora direitos desportivos multimédia para plataformas móveis e de internet.

A PPTV detém em exclusivo os direitos de transmissão televisiva da grande maioria dos clubes de futebol Portugueses até ao final da época desportiva 2017 / 2018.

A ZON tem o prazer de anunciar também que a Sport TV assinou um acordo com a PPTV – Publicidade de Portugal e Televisão, S.A., para a renovação do contrato para a transmissão televisiva das partidas de futebol das Ligas Portuguesas por mais 3 anos, até final da época desportiva 2015 / 2016, com um modelo de remuneração destes direitos de transmissão alinhado com o nível de receitas geradas pela Sport TV.



"A unificação da gestão destas operações e respetivos direitos de distribuição, permitirá também uma maior divulgação internacional dos conteúdos desportivos Portugueses. Conforme ocorre atualmente, os canais produzidos pela Sport TV estarão disponíveis para todos os distribuidores do mercado Português, sob condições não discriminatórias, proporcionando aos clientes conteúdos desportivos em direto na TV e incrementando a distribuição em plataformas online tais como computadores, tablets e smartphones. Este acordo não inviabiliza que a ZON e a PT distribuam outros canais desportivos nas suas plataformas."- in  Comunicado da Zon Multimédia sobre o acordo com a PT relativamente à Sport TV.

A verdade é que a relação entre a Zon e a PT no que diz respeito à Sport TV nunca foi cortada apesar de o tribunal em tempo oportuno ter obrigado à separação dos negócios o que originou a criação da Zon e da PT Multimédia.

Passados 10 anos, voltamos à actividade monopolista em força, actividade essa que tem sido sancionada pela Ana que come de quem tem muito, visto ter permitido que a Zon absorvesse vários operadores de distribuição de comunicações e televisão por cabo pequena dimensão num claro processo de concentração e diminuição de concorrência. Além da Ana que come, também a desautoridade da concorrência tem fechado os olhos a este atentado.

Para quem não sabe, a Zon que ficou com exclusivo dos conteúdos premium da antiga TV Cabo, cobrava aos pequenos operadores valores incomportáveis o que os conduziu a quase todos a uma precária situação financeira. Apesar das multas devido a práticas anti-concorrenciais, que obviamente além de economicamente irrelevantes para a Zon, nunca foram pagas porque os seus advogados obviamente que conseguiram que o pagamento ficasse perdido em processos judiciais de contestação às multas, esta prosseguiu a sua estratégia de limpeza de mercado, sendo que dos múltiplos operadores de âmbito regional penso que apenas a Cabo Visão ainda se aguenta.

A grande questão é que a Zon cobrava um valor pelo acesso aos conteúdos premium, que implicava que para os operadores poderem diluir esse custo nos seus assinantes precisavam de ter centenas de milhar de assinantes. Obviamente que operadores regionais, tipo Bragatel, ou os outros de Leiria, não tinham uma quota de mercado assim tão grande que lhes permitisse reflectir esses custos nos assinantes e continuarem a ser competitivos para concorrerem com os gigantes Zon e PT.

Ao fim ao cabo os prejudicados são os do costume, os empreendedores que querem quebrar este mono/oligopólios protegidos pela classe política e os consumidores, pois primeiro são eliminados os concorrentes e depois, ou os consumidores aceitam o que lhes oferecem, ou então não têm mais alternativa. Prejudicado será também o Benfica e qualquer outro clube que tenha a veleidade de pensar em gerir os seus direitos de televisão.

O polvo político/empresarial já combinou as condições, a distribuição e obviamente o enchimento dos bolsos de quem permite que neste cantinho à beira-mar plantado meia-dúzia de sanguessugas continuem a espoliar os portugueses através de negócios manhosos. O dr. equivalências e sr. do charuto em roupão podem dormir descansados, mais que não seja, pois até certos poderes que deveriam ser impolutos e cegos, sabem bem a quem devem vassalagem.

11 comentários:

Fenómeno disse...

Parabéns BCool pelo post. É, de facto, um caso grave de oligopólio mas, já se sabe, defender os consumidores (como poderia ter acontecido no caso da televisão terrestre), tá quieto.

B Cool disse...

Nem vou falar da TDT tal o conflito de interesses que existia entre um dos principais operadores de cabo, que curiosamente se fartou de telefonar a vender cabo depois de transmitir jogos do europeu com muito má qualidade para quem preferiu a televisão terrestre.

Aliás basta comparar a merda que é o serviço TDT em Portugal, cobertura, qualidade de sinal e diversidade de canais, com o resto da europa para perceber a enorme negociata que o anterior governo patrocinou em prejuízo dos do costume, sempre com o acordo da ana que come e da desautoridade da concorrência.

Manuel Humberto disse...

BCool, obrigado pela resposta. Perguntei porque não fazia ideia que a MEO teria uma parcela tão grande de consumidores. Iria então dizer uma coisa que não sei se faz sentido mas é esta: os consumidores são apenas uma das parcelas. A mais importante - concordo contigo, mas na perspectiva dos clubes é normal que a concepção seja outra. Não sei se a MEO é uma empresa grande ou pequena, se é somente distribuidora de conteúdos de televisivos, se também os produz, ou se está integrada nalguma coisa / grupo maior: qual a capacidade da MEO em reinvestir no futebol PT ou nos clubes? Com um mercado tão grande de consumidores se calhar nem é tão pequena quanto isso mas (imagino) não deve comparar-se à da ZON ou Portugal Telecom ou Pt Multimédia ou lá como chamar-se.

O monopólio relaciona-se com (também) com isto: prejudica o consumidor mas permite que os clubes recebam mais dinheiro da contra-parte, quando esse dinheiro para Benfica, Sporting e FCP são como ainda disseste há dias talvez a maior fonte de rendimento que têm - dinheiro de televisão. É um bocadinho ilusório ficar o SLB dependente da boa-vontade dos seus adeptos / associados em subscrever um produto de TV quando ela por si não garante uma receita igual à do 'outro' e ao fim do dia na perspectiva do clube e não na tua ou na minha como consumidores é quase-só isso o que interessa: quem paga mais.

O exemplo da SKY: ninguém pode com o Murdoch e o seu império. Mas de que tamanho seria o rombo nas receitas da Premier League caso o monopólio não existisse? Diferença do dia para a noite, quando tal como em Portugal são as receitas de televisão quase-só responsáveis pelo financiamento de 80% dos clubes. Todos, exceptuando os 2 (no máximo 3) que gozam de uma marca mundial.

M disse...

aqui ninguem espolia ninguém, o tuga tem é a espinha torta!

quantos dos leitores que por aqui fazem visitas diárias e te dão inequívoca razão mas depois gostam de ter o cuzinho quente no sofá a fazer zapping entre a Bundesliga, a NBA e outra merda qq exclusiva?

houvesse boicote em massa e as coisas mudavam....assim...

lamento e muito ter deixado de seguir a NBA, o MOTOGP, formula 1, ragueby internacional ou ate mesmo desportos norte-americanos e outros que tal mas olha, leio mais livros e vejo mais filmes

B Cool disse...

@M
A questão passa um bocado por aí. Não digo sequer que seja espinha torta, apenas que a Sport tv dá conteúdos tão diversificados, Mundiais e Europeus de Atletismo, Troféu das 6 Nações (que saudades do 5 nações nas tardes da 2), e todo um conjunto de atractivos que muitos não passam sem eles. A Benfica tv, por muito que tenha adquirido o Brasileirão e os jogos dos campeonatos grego e americano ainda é um produto com pouco valor, em especial para os 25-30 mil espectadores habituais dos jogos, que em tempos de bonança seriam 35-40.000 que vão ao estádio regularmente, pois a Benfica tv só terá os jogos em casa. é certo que há os milhares de benfiquistas por esse país fora que não podem ir ao estádio da luz numa base regular e seriam os potenciais consumidores além de hotelaria e restauração, mas não sei até que ponto neste contexto económico um projecto de televisão paga tenha sucesso. eu pessoalmente, opto pelos streams ou pelo café.

B Cool disse...

@Manuel Humberto
Antes existia a TvCabo. Por ser um monopólio, o tribunal ordenou que a PT abdicasse desse negócio e a zon foi criada com toda a clientela da tv cabo.

A PT começou a desenvolver o seu próprio conceito, no início era o Sapo e posteriormente evoluíu para a Meo e hoje em dia a PT/Meo é o grande concorrente da Zon (tvcabo) tendo os assinantes de televisão que atrás apresentei. A estratégia inicial era de atacar os clientes da Zon, tanto mais qe ficaram com as bases de dados de clientes, mas ao longo do tempo perceberam que o mercado ainda poderia crescer, ou seja, ambos os operadores aumentarem significativamente a sua base de clientes.

A PT concorre no mercado das comunicações móveis com a Vodafone (antiga Telecel) que nunca teve um produto muito competitivo em termos de solução Triple Play (TV, Net e Telefone) e com a Optimus (da Sonae). Há algum tempo, a Zon tentou diversificar para o ramo das comunicações móveis, mas tendo em conta os 3 gigantes instalados (apesar de a Sonae ser claramente o menor dos 3), nunca conseguiu grande expressão, nem nas comunicações móveis nem nas fixas.

Actualmente fala-se da fusão da Zon com a Sonae, o que aliaria os pontos fortes da Sonae - comunicações móveis, com os pontos fortes da Zon - soluções cabo, por forma a serem um player à altura da PT.

a questão essencial neste negócio é que nunca deixou de haver ligação entre a PT e a Zon via homem do roupão, pois se uma participava na sport tv a outra participava na sportinveste multimédia.

Os recentes maus resultados da sport tv, pois os conteúdos premium são os que mais têm sido abandonados, apesar do crescimento do cabo, e as necessidades financeiras, pois era uma empresa totalmente descapitalizada, bem como a recente ameaça do MPA em comprar os direitos da Liga espanhola e o projecto do Benfica, punham em causa uma futura viabilidade económica da sport tv o que originaria perdas para todos, senão directa, pelo menos indirectamente.

assim, e no melhor interesse de todos, optaram por partilhar o bolo evitando comprar futuras guerras

B Cool disse...

Um monopólio nunca será benéfico para os clubes. Se é verdade que os clubes se têm financiado nas tvs, e especialmente têm recebido adiantado valores para cobrirem a má gestão, a verdade é que andaram muitos anos a receber valores inferiores ao seu potencial.

as dívidas e dificuldades da sport tv têm a ver com a megalomania da sua gestão que a fazem comprar todos os direitos e mais alguns de quase todas as modalidades desportivas por forma a impedirem que surja um qualquer concorrente e estejam a pagar valores por negócios que em portugal não se justificam, exemplos - rugby, golf, nfl, alguns campeonatos, etc.

Mas mais, a sport tv tem gerido muito mal o conteúdo liga portuguesa em termos de comercialização no estrangeiro. O nosso campeonato é muito pouco valorizado quando comparado com o italiano, o alemão ou o francês e se fores ver o sucesso das equipas portuguesas nas competições europeias não é muito distinto desses campeonatos.

Mais, o campeonato português tem revelado verdadeiras vedetas no panorama internacional, nomeadamente sul-americanas. No entanto, nos grandes mercados do oriente, japão, coreia, china, pouco ou nada chega. Na américa do sul, chega mais ao brasil devido ao brasileiros que passam pela selecção, mas também é uma liga com pouca divulgação em toda a américa, existindo apenas algumas estações, maioritariamente de cariz regional, que acompanham o futebol português.

E faço este ponto para contrabalançar a questão da sky, a sky faz a maioria dos seus rendimentos na exportação da premiership e é por isso que os valores são tão díspares dos portugueses.

Mais, o que assegura valores elevados é muitas vezes a questão da negociação centralizada dos direitos, ou seja, ser um só a vender, sendo que os mecanismos de repartição podem ou não ser os mais justos. Em espanha existe uma grande polémica por causa de o barça e o real terem valores muito superiores aos outros clubes mas um qualquer saragoça recebe na boa mais de 20 milhões de euros.

Manuel Humberto disse...

BCool, percebi muito pouco. Julgava que a MEO era uma 'coisa' relativamente nova que fazia concorrência à mais antiga, TVCabo, e que sendo mais antiga teria nascido dalgum ramo de negócio da PT. Tudo isso é muito confuso. Mas talvez não altere o sentido em: uma coisa é olharmos para isto na perspectiva dos consumidores e outra pelos olhos dos clubes. Quem paga mais? Nesse sentido a opção dos dirigentes do Benfica - não sei se por irresponsabilidade ou outra coisa - não foi (talvez) a que deveria ter sido na defesa dos melhores interesses do SLB. Não presumo que o presidente do SLB esteja preocupado com a saúde dos consumidores: dá-de existir mais além do que vemos, até porque nada impediria o SLB de receber a maior quantia daquele que pode pagar mais - ZON / SportTV, e de outras formas bater-se por qualquer coisa que achasse de direito. Nesta situação fica a meio caminho entre as duas coisas e não vê nenhum dos seus direitos salvaguardado.

B Cool disse...

@Manuel Humberto
"Julgava que a MEO era uma 'coisa' relativamente nova que fazia concorrência à mais antiga, TVCabo, e que sendo mais antiga teria nascido dalgum ramo de negócio da PT."

Antes só havia PT e a Tvcabo era da PT. Por ordem judicial separou-se o negócio do cabo - TVcabo do provedor de internet PT. A PT apostou inicialmente apenas no ADSL - Sapo, e depois criou o seu próprio negócio de cabo - Meo que concorre com a Zon (antiga Tvcabo).

O Benfica recebeu a proposta da Olivedesportos/PPTV para renovar o contrato. A PPTV por sua vez vendia/vende à Sport tv os jogos e esta vende aos operadores de cabo - Zon, PT/Meo e Cabovisão.

A questão é que a Sport tv que foi constituída inicialmente entre a RTP - meios técnicos e know-how e PT - operador de cabo, foi numa primeira fase vendida parcialmente à Sportinvest que comprou a percentagem da RTP. com a cisão entre a PT e a Tvcabo, que era a empresa da PT que detinha a Sport tv, os accionistas passaram a ser a Tvcabo e a sportinvest, enquanto que a PT ficou com a sportinvest multimédia, pois foi quem ficou com a exploração dos conteúdos para a internet. Posteriormente a Tvcabo passou a chamar-se Zon. E agora o negócio é o descrito no post.

B Cool disse...

A questão, é que para a generalidade dos sócios e adeptos do Benfica a Olivedesportos é o braço armado do polvo e enquanto o Benfica tiver o contrato com eles, nunca se conseguirá destruir o sistema que mina o futebol português.

Outra questão importante é se o Benfica conseguirá rentabilizar ou não a exploração dos seus 15 jogos em casa da equipa principal e 21 da equipa b para o campeonato.

A terceira questão é que a Benfica tv não passa na Zon, pelo que caso passe a ser um canal pago e existam benfiquistas que actualmente tenham zon, terão que mudar para a Meo, a menos que acabe a luta entre o Benfica e a Zon. Como alguém disse atrás, não sei se há contrato ou não de exclusividade da Benfica tv com a Meo.

O Porto tem um contrato com a Olivedesportos qque indexa o contrato deles ao nosso (80%).

No fim de contas, saber o que é defender os interesses do Benfica é algo complicado e está dependente da perspectiva com que encares as realidades associadas ao futebol português. Há quem defenda que é o máximo de dinheiro pelos direitos de transmissão e há quem defenda que é o corte com a Olivedesportos.

Anónimo disse...

@Manuel Humberto
"Julgava que a MEO era uma 'coisa' relativamente nova que fazia concorrência à mais antiga, TVCabo, e que sendo mais antiga teria nascido dalgum ramo de negócio da PT."
Tal como referido anteriormente noutro post ou comentário a "coisa" relativamente nova é o seviço de tv com mais clientes em Portugal ultrapassando em 5 anos uma empresa estabelecida em monopólio durante 15 anos anteriores... e em muito devido ao factor do Benfica tv. A Benfica tv não é exclusiva do MEO, mas tendo em conta os 2 big players do mercado apenas existe no MEO.
Acho que a frase final do comment anterior resume bem este processo: No fim de contas, saber o que é defender os interesses do Benfica é algo complicado e está dependente da perspectiva com que encares as realidades associadas ao futebol português. Há quem defenda que é o máximo de dinheiro pelos direitos de transmissão e há quem defenda que é o corte com a Olivedesportos.