segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O Bom Jesus e o Mau Jesus parte 2


Devo desde já começar por dizer que ao contrário da generalidade dos benfiquistas não estava confiante. Não gostei das declarações de Jesus que elevavam o Sporting ao nosso patamar, algo que verdadeiramente não é verdade. Mais, depois de 5 a 10 minutos, o Sporting começou a pressionar os nossos jogadores que jogando muito afastados deixavam André Gomes perdido perante 2, 3 e mesmo 4 adversários. Vários jogadores com excessos de individualismo e outros a acusarem a pressão. O 4-4-2 suicida estava a levar o Sporting a controlar o jogo e a sair em rápidos contra-ataques em especial do lado direito da nossa defesa onde Capel explorava as subidas de Maxi e Wolfswinkel antecipava-se a Jardel constantemente.

Curiosamente, foi Garay que falhou no golo do Sporting por entrar a medo. Nem imaginam os nomes que chamei ao Jesus ao intervalo, não por estarmos a perder com o Sporting, mas por estarmos a perder com uma equipa mediana que repetia a estratégia da época passada. O Mau Jesus em todo o seu esplendor, tal foi a pobreza da primeira parte onde apenas Lima e Cardozo com remates de fora da área e Cardozo de cabeça ameaçaram as redes do Sporting.

Mas, e tiro novamente aqui o meu chapéu, o Bom Jesus apareceu ao intervalo. Lima começou a recuar e a dar linhas de passe aos médios equilibrando a luta a meio-campo, John libertou-se da pressão e caíu em cima de Dier, mas acima de tudo a intensidade colocada em jogo começava a levar os jogadores do Sporting à beira da exaustão. Rinaudo o pronto-socorro leonino deixava de conseguir apagar todos os fogos, Capel e Carrillo morreram fisicamente, Elias e Pranjic foram engolidos e Cardozo mostrou que os centrais do Sporting sem a protecção do meio-campo não têm capacidade de o parar. O empate foi não só merecido mas acima de tudo já expectável, pelo jogador que preferiu ir para o Sporting ao Benfica.

O 1-2 não aparecia apesar do intenso domínio e num lance de contra-ataque tudo poderia ter mudado quando o Insúa acertou no poste. Seria uma punição demasiado injusta para tanto domínio. Entretanto, o desastrado Salvio que praticamente só teve 2 lances ao seu nível em todo o jogo remata para golo e Boularous decide acabar definitivamente com as hipóteses do Sporting. Se empatados com 11 apenas o desacerto benfiquista impediu a chegada ao triunfo muito mais cedo, com o penalty do Cardozo e com menos 1 em campo, o Sporting rendeu-se e tirando umas entradas a destempo resignou-se à superioridade e veria o Tacuara a marcar mais um, é certo que à tabela, a calar mais uma vez o gang do assobio. Podem dizer que se atrapalhou contra o Barcelona no último minuto, mas eu não duvido, que vamos sentir muita falta quando se for embora. Além de ter sido o único jogador que tentou pôr o jogo no chão na primeira parte, oferecendo linhas e procurando tabelar, é um verdadeiro bombardeiro que obrigou o Rojo a marcar pelo Benfica e massacrou os centrais.

Parabéns Jesus, apesar da má entrada e preparação do jogo, gostei de como a equipa veio para a segunda parte. Além do mais somámos mais três pontos e continuamos com o campeonato em aberto. A terminar, destaco a "fina ironia" do Presidente a referir que o Benfica não tem por hábito jogar com 2 guarda-redes, bem como a indirecta enviada ao Godinho.

28 comentários:

hertz disse...

Pelo o que o JJ disse na flashinterview, aquela 1ª parte ficou aquém do que ele pretendia da equipa que era entrar bem e mandar no jogo. Realmente, os jogadores do Benfica pareceram um bocado intimidados e com "medo" de ir para cima do Sporting.
A conversa ao intervalo e alguns ajustes, permitiram ao Benfica fazer uma 2ª parte onde dominou completamente.
Cardozo mais uma vez a resolver (como é que ainda há gente que o assobia, insulta e o quer fora do Benfica?) e repor justiça ao resultado.
Apesar de todos os defeitos, gostei da atitude do Benfica perante este derby. Respondeu com silêncio às palavras que vinham da direcção do Sporting, e que pretendiam incendiar os ânimos, dizendo apenas que no final do jogo falava. Pois falou e falou bem. Também gostei da dos 2 GRs. É bom que aquela roubalheira lá no Norte não passe em claro.

João Duarte disse...

nota importantissima em relação ao Cardozo, correu a mesma distância que o Capel.

Parado, dizem.

Águia Eterna disse...

cARO bENFIQUISTA Hertz, estou farto de dizer que no fóculporco, os treinadores e jogadores são meros FIGURANTES.
aquele capel do zmerding tem tanto de bom extremo como de SIMULADOR. Sempre a mandar-se para a PISCINA. O filho da puta havia de ficar sem cabeça pois tem a MENTALIDADE DOS CORRUPTOS.

BENFICA, SEMPREEEEEEE.. O MAIOR E O MELHORRRRRRRRRRRRRRRR.

João disse...

Não acho que a postura do presidente tenha sido especialmente feliz. O Porto, com arbitragens normais e com os penaltis devidamente assinalados dos últimos jogos a esta hora já ia a 3 ou 4 pontos e isso aconteceu em 3 jogos consecutivos. Esta situação merece uma intervenção mais firme do que mandar umas bocas. Onde é que já vimos este filme nas últimas décadas? é uma situação a exigir medidas mais drásticas.

João disse...

Acho que o presidente ou alguém do Benfica devia atacar de modo mais firme as arbitragens que têm mantido o porto no topo da tabela. Contando com o jogo da taça foram 3 jogos seguidos em que ficou um penalti por marcar ao porto. Isto é uma VERGONHA, e não é mandando umas indirectas que se mete esta gente na ordem.

Nuno Pinho disse...

Poderá questionar-se um problema de atitude que o Jesus não terá gostado - a equipa entrou "com demasiado respeito", mas o treinador é sempre um alvo fácil. O que correu pior na primeira parte foi a ausência de meio-campo do Benfica. Os jogadores do SCP a pressionarem em zonas altas e a compensarem bem. Futebol jogado pouco, mas em garra há pouco a apontar. A questão era saber se o dano seria ou não irreparável para a segunda parte, porque nenhuma equipa aguenta aquele ritmo por muito tempo. É imaturidade de quem está a fazer o jogo do campeonato, claro!
Ia comentar algo dentro desta linha:
"Lima começou a recuar e a dar linhas de passe aos médios equilibrando a luta a meio-campo". Este foi para mim o principal segredo da vitória. É certo que deixou de poder estar na frente para tentar o remate à entrada da área, como tanto gosta, mas a buscar jogo foi letal. Deixou a equipa do SCP num desvario táctico. O resto foi o Ola John a espalhar o talento que conhecíamos da eliminatória frente ao Twente, o Salvio a aparecer em jogo e o Cardozo a manter-se letal dentro da área. Vitória muito saborosa com Olés a inundarem os ouvidos daqueles que abriram uma excepção à greve - Obrigado pela consideração!



Três pontos:

- O presidente fez bem em mandar a boca dos dois guarda-redes porque cai mal no FCP (Alex Sandro) e SCP (felizmente, o penalti só adiou um golo certo)

- O Máxi está a precisar de férias e merece-as.

- Não se pode esperar que o André Gomes faça o mesmo que o Witsel. O miúdo respondeu muito bem, mas a falta de poder de choque impede-o de se impor no meio-campo com maior autoridade. Está no caminho certo, mas não exageremos. Valeu-nos em sorte ter do outro lado uma equipa que tem tantos pontos como jogos.

Count Zaccone disse...

Acho que neste caso não podes culpar o JJ porque este esquema táctico baseia-se no jogo do 2º avançado e na compactação da equipa, algo que no início da 1ª parte falhou. Se reparares bem, a partir do golo do Sporting o Benfica começou a jogar num espaço mais curto e o Lima a descer mais. Isto junto com o estoiro dos 3 "avançados" do Sporting fizeram o resultado.

Germano Bettencourt disse...

Onde se podem ver as distancias percorridas por cada jogador. Qual o Site?

Jogamos hoje?

Nuno V. P.de Melo Ferreira disse...

E eu também lhe dou parabéns, e por dois motivos: num único ' post ' consegue diminuir duas coisas que não se diminuem: as vitórias do Benfica, e o direito à manifestação que tanto apregoa. :-))) Felizmente, está tudo gravado. E o que é mais, muito mais, o BENFICA ganhou. Um bem haja ao BENFICA, onde este e outros comentários serão publicados. Lá por ser JC, não queira que ofereçamos os pregos. Um bem haja, uma vez mais. :-)

Nuno V. P.de Melo Ferreira disse...

Voltei a ' gostar ', apesar de não gostar. Quem pode, afinal, comentar no face?

B Cool disse...

@Nuno Fereira,
Não foi o JC, fui mesmo eu e hoje fartei-me.

Fartei-me porque quem como você defende o direito à manifestação, esqueceu-se de um princípio básico, o respeito pela diferença de opinião, sem que daí perdesse o respeito.

Foi acintoso, desagradável e ando farto com muitos comentários, injúrias, ameaças e processos de intenção.

E foram vários os comentários acintosos, qual spam. Se algum dos membros o desbanir, está no seu direito, pelo que sugiro que apele a eles. Se não gosta, porque não lê o que gosta ? Porque lê o que não gosta ? E pior que isso, quem é que quer converter ? Nós damos a nossa opinião. Só por curiosidade, nesses comentários que invoca, algum deles tem alguma opinião sobre o que foi o jogo ? Quem gostou ou não gostou ? Quais os méritos ou os deméritos, com o que concorda ou não e porquê ?

Para adjectivações bacocas não tenho paciência.

B Cool disse...

@Nuno Ferreira,
E mesmo assim publiquei um comentário seu onde nada diz sobre o jogo, mais um ... Não concorda com a opinião, tudo bem, mas tem alguma ou é só escreve parvoíces ?

B Cool disse...

@Count
Tem mais a ver com a pressão acusada por alguns jogadores na primeira parte - Melga, Ola, etc.
Quanto ao que chamas compactação acho que não era essa a ideia, acho que era mesmo o 4-4-2 clássico, explorando as alas e tendo 2 avançados contra 2 defesas em que os avançados tinha um jogo aéreo superior aos defesas. Pelo menos foi com a ideia que fiquei.

B Cool disse...

@Nuno Pinho,
As responsabilidades na preparação do jogo é pelo que respondi ao Count e pelas declarações em pré-jogo.
Quanto ao resto concordo com muito do que dizes, mas não gostei do Salvio e acho que o Ola só se libertou na segunda parte, embora tenha pecado por muitas perdas por individualismos.
Acho que o Cardozo jogou muito bem na primeira parte e o Lima muito bem na segunda.

B Cool disse...

@João,
é uma evolução quanto ao silêncio da época passada e mostra que estamos atentos. Os árbitros erram, é um dado. O grave é estarem a errar sempre no mesmo sentido.

B Cool disse...

@João Duarte,
Nem mais.

B Cool disse...

@hertz,
Não ouvi as declarações do jesus, só as do vieira.
O mérito da mudança de sistema é do JJ, mas o demérito da entrada com a táctica suicida de deixar o andré sozinho numa auto-estrada no meio também é dele, bem como as subidas exageradas do Maxi e o muito espaço nas suas costas.
Quanto ao mais concordo com o que escreveu.

Nuno V. P.de Melo Ferreira disse...

Ouve as declarações do Vercauteren, B.

Nuno V. P.de Melo Ferreira disse...

Vou-lhe ensinar uma coisa: nunca, mas nunca , publiquei aqui ' anónimo '. O que o senhor está a dizer, é apenas e só uma desonestidade. . SERÁ revelada. Be cool, ' man

moleculasdeamor disse...

Jogo muito intenso e cheio de emoções!

David Duarte disse...

BCool,

Vitoria mais que esperada. Pode ser arrogância minha mas durante o jogo todo tinha a sensação que bastava o Benfica marcar um para o Sporting ir-se abaixo : mais pelo estado psicologico em que eles se encontram que pela qualidade do jogo do Benfica. Penso mesmo que em termos gerais o jogo foi fraquinho.

Vamos à analise. A tactica... os mesmos buracos continuam a existir. Jà critiquei vàrios jogadores do Benfica esta época, mas nunca o Matic e hoje o André Gomes. Isto porque o Benfica este ano é um Benfica que quando perde a bola tem dois jogadores para ocupar... 35 metros!! Nestas condições o Matic tem estado muito bem e o André Gomes ontem, com alguns erros pequenos, esteve bastante bem.

Este meio-campo "despovoado" mete em evidência as dificuldades que os nossos laterais têm em defender, tanto o Melgarejo (mesmo se melhorou ao longo desta primeira metade da época) como o Maxi. As compensações pelas suas subidas não se fazem automaticamente como se faziam com jogadores da qualidade de Witsel, Javi ou Ramirez. Sofremos muito nas laterais com Maxi e Melgarejo muitas vezes sozinhos no um contra um.

De resto, notou-se que faltava alguém para pensar o jogo. Quando o Benfica tinha a bola na defesa, os defesas ou lançavam longas bolas, ou então passavam invariavelmente para a esquerda, metendo em jogo o Ola John que ontem não esteve muito bem, mas que tem qualidade.

Por outras palavras, a realidade é que o verdadeiro teste à qualidade do Benfica serà contra o Porto. O Sporting é verdadeiramente fraco, muuuuuito fraco. Tem alguns jogadores de qualidade mas o jogo é algo de verdadeiramente sofrivel. Claro que é excelente ganhar em Alvalade... nem que eles estivessem nas distritais. Contudo não nos iludamos com a nossa equipa. Existe muita coisa que não està bem e que vai passando porque este Benfica, mesmo sem estar a cem porcento, é muito superior às outras 14 equipas da Liga...

BENFICA SEMPRE disse...

Para mim, o "ontem Vi-te no Estádio da Luz" é um dos melhores blog's benfiquistas, que debate os acontecimentos e os probelmas do nosso Clube com inteligencia, pragmatismo e, acima de tudo... Benfiquismo! Parabéns ao Ricardo, ao BCool e aos outros que contribuem para os conteúdos que sao aqui apresentados!
Agora... vejam bem o que se passa em "blog's" do outro lado da 2a circular...

http://sportingatmorrer.blogspot.de/2012/12/sporting-porcos-de-carnide-em.html

Como é possivel serem tao "primários"! Parece que nao aprendem! Acho que o ódio ao Benfica deve constar na Acta da Fundacao desse "clube", só pode! É triste ter de conviver com pessoas deste calibre, enfim...

Continuem com o vosso BOM TRABALHO na defesa do Glorioso!

Saudacoes Benfiquistas!

JotaPê disse...

Como há sempre a cereja no topo do bolo, quando estou a seguir ontem o "Dia Seguinte", deparo-me com o siflítico do guilherme aguiar a acenar com um livro na mão.

E qual era o livro? Uma análise de um tal domingos amaral, suposto benfiquista, que escreveu porque é que o clube corrupto ganha mais do que o Benfica. Nem queria acreditar naquela merda mas, após uma breve pesquisa, percebi que era verdade (http://domingosamaral.com/55842.html)

Filhos da puta destes a dar constantes louvores aos corruptos, depois queixam-se.

Com adeptos destes...

Miguel A. disse...

BCool,

Parabéns pelo post, concordo com quase tudo.

Foi uma excelente e muito importante vitória, numa sequência de jogos decisivos que vamos ter, mas a primeira parte, com excepção dos últimos 15 minutos, foi muito má. Contra o Porto ou mesmo contra o Braga, uma primeira parte assim seria fatal.

Não gosto de dizer isto, porque se trata de um dos jogadores do Benfica que mais admiro, mas o Maxi ontem esteve péssimo, e não é de agora, há alguns jogos que o seu rendimento tem caído muito, parece totalmente desconcentrado e abre um corredor do lado direito para os adversários fazerem o que querem. O Melga também não esteve bem. Lima, Cardozo, Matic e Gomes para mim foram os melhores, mas não esquecer Artur, Garay e Ola.

Contra o Porto vai ser preciso jogar muito, muito mais para vencer, e é fundamental vencer esse jogo.

Não gostei nada das declarações do LFV e do tom em que as fez. Para mim, são deselegantes. Um presidente do Benfica, na hora da vitória ou da derrota - mas sobretudo na hora da vitória - não tem que usar ironias grosseiras à semelhança de outros presidentes, de outros clubes. Tem de mostrar que está acima deles, e isso faz-se de um modo bem diferente.

De resto, parabéns à equipa, que soube acreditar e dar a volta a um resultado negativo em casa de um rival histórico. Nos clássicos nunca há vencedores antecipados, seja qual for o momento que as duas equipas atravessam, e ontem isso confirmou-se.

PS : Ontem vi, pela segunda vez, um programa na RTPN onde intervêm o Carlos Daniel e o nosso antigo central Hélder - peço desculpa mas não me lembro do nome do programa. Gostei muito de ouvir o Hélder, e pergunto-me se na estrutura do Benfica não haverá lugar para um homem inteligente como ele e que sente o Benfica como muito poucos.

Cumprimentos.

GBC disse...

Tenho uma opinião contrária da primeira parte. Na primeira parte, como na segunda, o Benfica esteve sempre por cima, porque é mais equipa. O Sporting não controlou nada - não o fez uma vez do primeiro ao último minuto. Houve simplesmente muita entrega (paga mais tarde) e um empolgamento individual que permitiu ir aguentando o jogo. O Sporting não merecia chegar ao intervalo a ganhar porque nunca controlou, e muito menos dominou, o jogo. Nem sempre se pode defender bem, nem sempre é a atacar bem que se marca. O golo do Wolfswinkel é simplesmente fruto disso (e fruto do Sporting ter, ainda assim, individualidades com qualidades que lhe permitem sempre sonhar ganhar).

Pelo contrário, foi o Benfica que chegou mais vezes, e com alguma diferença, às zonas da entrada de área adversário. Trocou a bola aí. Faltava que a vontade do Sporting não chegasse para bater o cansaço acumulado e a falta de organização. Faltava sobretudo que o Benfica, enquanto equipa mais forte, o consumasse em campo. Pode ter demorado, mas deu logo para perceber que tal aconteceria.

Foi uma equipa inteligente, matreira. Sobretudo: superior. Em tudo.

Também não concordo que tenham tido problemas defensivos - o Sporting, em sua casa, chegou muito poucas vezes em boas condições à sua zona ofensiva. Um dos lances deu golo, já o referi - acontece.

Existe efectivamente um bom Jesus e um mau Jesus - constatação óbvia, claro. Há também um bom Mourinho e um mau Mourinho. Há até um bom Guardiola e um mau Guardiola (com bastante esforço). Há também um bom Vítor Pereira e um mau Vítor Pereira (penso). A questão é que o bom Jesus se sobrepõe, e de que maneira, ao mau Jesus. As suas qualidades têm uma importância (bem) maior que os seus defeitos - defeitos que muito têm, qualidades que poucos têm (os treinadores que Sporting e Benfica tiveram no século XXI mostram-no).

Aquele André, sem um bom Jesus, jogaria muito pior que o André do Sporting (sei que é preciso bastante, mas ainda assim). Ou melhor: aos Andrés.

A "fina ironia" é claramente ironia, certo?

Saiu a sorte grande ao Benfica quando, ao acaso, Vieira escolheu Jesus. Seria bom que o método de escolha e o «trabalho realizado» se voltassem a ter de repetir: a história diz-nos que as probabilidades de correr muito mal seriam muito superiores às de correr bem - Jesus.

David Duarte disse...

GBC, compreendo os difrentes argumentos que apresenta, mas não posso concordar com isto "Saiu a sorte grande ao Benfica quando, ao acaso, Vieira escolheu Jesus." Não posso concordar porque não vejo o que ele conseguiu para mercer tal elogio.

Quando se fala do Jesus tenho o sentimento que quem o elogia toma a atitude daquele cientista que sendo tão analitico, tão analitico decidiu examinar um elefante à lupa. Resultado : nunca conseguiu ver o elefante no seu todo. Que quero eu dizer com isto? Que o todo do Jesus é um titulo de campeão nacional e três Taças da Liga. Como então afirmar que saiu a sorte grande ao Benfica?

Pergunto-lhe de modo a poder desenvolver os seus argumentos e a ajudar-me a compreender... é que começo-me a sentir mal por pertencer a uma minoria que vendo no Jesus um treinador mediano, não encontra razões que justifiquem a empatia que a generalidade dos adeptos sentem para com o Jesus que com tanto (que outros nem em sonhos tiveram) conseguiu tão pouco.

Talvez me consiga explicar jà que não me parece ser daqueles radicais que dizem que o Jesus é o melhor treinador na historia do Benfica. Radicais e ignorantes da historia do proprio clube jà que comparar o que o Jesus conseguiu com outros como Bella Guttmann, Eriksson ou mesmo Toni (sim sim!) é não saber o que é o Benfica.

GBC disse...

David Duarte,

É verdade que muitas vezes o Benfica tem morrido na praia, no que a ser campeão diz respeito. Mas, como diz outro sportinguista, para morrer na praia é preciso chegar à praia. Há poucos treinadores (que conheça, claro) capazes de fazer o Benfica chegar até ao areal. Haverão muito poucos capazes de ir além e chegar ao mar.

Jesus é por exemplo (bastante) inferior a André Vilas-Boas: logo, não foi com lógica campeão nesse ano. Não vale a pena dizer que não foi campeão esse ano - quantos o seriam?

Vieira conseguiu a sorte grande quando escolheu Jesus. Isto não significa que Jesus seja bastante bom (que é) nem que seja brilhante. Significa que a probabilidade de Vieira escolher um treinador pelo menos tão bom (ou tão pouco mau: veja-o como quiser) quanto Jesus é muito baixa. É-o pelas suas escolhas anteriores.

Ideologicamente e futebolisticamente, poder-se-á discutir as qualidades e os defeitos de Jesus. Contrapor as suas virtudes com aquilo em que é menos bom. Dizer que, no geral, podia ser melhor. E que teria sido muito possível levar o Benfica mais longe nestes 4 anos. É isso, hoje, pouco pertinente. De forma mais clara: a saída de Jesus implicará quase seguramente que se deixe de avistar a praia. Não porque Jesus seja brilhante (têm passado por Portugal melhores), mas porque em Portugal têm passado tantos e tantos piores (vários deles, escolhidos, por vezes consecutivamente, por quem escolheria o próximo).

É por isso que, por exemplo, também sairía a sorte grande a Godinho Lopes se contratasse Carlos Carvalhal. José Peseiro, num outro plano (a sorte seria maior). E é por isso também que RSP não deveria ter sido demitid do Sporting CP.

A gestão dos jogadores que tem à sua disposição, de Jesus, tem sido boa. Melhor que a da maioria dos treinadores que conheço. E incomparavelmente melhor que a escolha desses mesmos jogadores - se não é a Rui Costa e a António Carraça que cabe (se é, fazem o seu trabalho muito mas muito pior que Jesus), era a eles que faria sentido caber. Não é essa a função de Jesus. É só a de gerir os jogadores que tem e torná-los uma boa equipa.

Quem dirige não o perceberá jamais; razão perfeitamente suficiente para os benfiquistas rezarem pela manutenção de Jesus. Não se mantendo, implicará uma nova escolha - e a escolha será de quem trabalha com o treinador e dirige o clube que possui a equipa de futebol orientada por si. Má, portanto; é isso que se conclui das decisões que tomaram até aqui (uns e outros).

Por último, uma nota: não se preocupe em ser de uma pequena maioria. Revela, ainda que não o conheça (e que conheça pouco das suas ideias), muito de interessante. A maioria é sobrevalorizada. E, por norma, anda a reboque de pequenas coisas. É por isso que os nomes das pessoas que compõem as maiorias vão mudando, mas o que é fundamental evoluir pouco muda. É assim no Mundo, no País. É assim no Benfica e no Sporting. Não é assim no Porto, porque a sua maioria é diferente - e o seu poder de decisão também. Veremos quando sair PdC. Possivelmente, as coisas até continuarão parecidas: lidam há demasiado tempo com competência no futebol (com outros aspectos também, certamente...) para não a reconhecerem em novas pessoas. Seriam demasiado idiotas (mas não ficaria escandalizado de surpresa).

Portanto: a minoria é difícil. Não é por isso boa; mas é por isso melhor que uma maioria igualmente má. E é por isso melhor que aquilo que a maioria acha dela.

Bicadas disse...

David Duarte,

Queria rebater alguns pontos do seu raciocínio, naturalmente em termos retóricos, nada pessoais.

Diz que JJ teve o que outros nem sonharam. É possível. Também relativiza os resultados de JJ face aos de Guttmann, Eriksson e Toni. Também tem alguma razão.

Do meu ponto de vista falta o contexto. Caracterizar o contexto de modo exaustivo é impossível, mas não o podemos alienar da análise. Vou resumir o contexto a Benfica e Porto.

Todos os treinadores que mencionou orientaram o Benfica quando este ocupava uma posição de algum (ou total) domínio do futebol português - com Guttman domínio total, Eriksson líder desafiado, Toni líder recém ultrapassado.

Todos estes treinadores foram contestados, por vezes por motivos diametralmente opostos, mas também por alguns "traços" comuns.

Não tenho presente a época de Guttmann "in loco", mas nos restantes recordo-me bem das críticas a um alegado excesso de fleuma de Eriksson, por contraponto à tacanhez agora apontada a JJ - as perspectivas dos adeptos variam, mas dentro de certo padrão. Basicamente deseja-se o que não se tem, mesmo que já o tenhamos tido no passado e na altura não o quiséssemos mais. Por outro lado as acusações de obstinação nunca mudam: Eriksson queria que Paneira fosse o melhor jogador da europa a jogar lateral direito - teimoso, Trapatoni jogava só com um ponta de lança - teimoso... JJ joga com 2 - teimoso.

Enfim, os treinadores que mencionou ganharam muito mais que JJ, mas tinham muito mais condições para ganhar - o Benfica era um clube vencedor, embora com Eriksson e Toni estivesse numa trajectória de declínio. Por outro lado o Porto ainda se encontrava num patamar inferior ou igual ao do Benfica.

Diz que JJ teve o que outros não sonharam e percebo a que se refere, perceba também que JJ nem sonha ter o que Guttmann, Eriksson e Toni tiveram.

Para mim é claro que nos últimos 4 anos foi travada a trajectória que o Porto estava a seguir relativamente ao Benfica. Sim, é verdade que continuaram a ganhar, mas não com a mesma clareza.

Não centrando a coisa em JJ, a minha opinião é de que ele está no nível máximo a que um clube como o Benfica pode aceder neste momento. Como diz o GBC, se formos escolher outro a probabilidade de escolher pior é muito maior do que a de escolher melhor.

Cumprimentos