segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

20 anos de equívocos

«Trata-se de uma investigação sobre Inocêncio Calabote, o árbitro que foi recebido pelo presidente do Benfica em sua casa na véspera de um jogo. Não, desculpem. Enganei-me. É o árbitro a quem o Benfica pagou uma viagem ao Brasil, assim é que é. Peço desculpa, voltei a equivocar-me. O livro é sobre um árbitro que terá recebido quinhentinhos de um vice-presidente do Benfica. Perdão, ainda não é isto. É um árbitro ao qual o presidente do Benfica mandou oferecer fruta para dormir, conforme comprovado por uma escuta. Apre! Não acerto. Bom, parece que se trata de um árbitro ao qual o Benfica não ofereceu nada e que, em troca, terá beneficiado o clube a ponto de fazer com que o Porto ganhasse o campeonato. Enfim, um daqueles escândalos que nem 50 anos de silêncio conseguem apagar. Mas, reconheça-se, um escândalo que se mantém actual: um árbitro que acabou castigado pela justiça desportiva num ano em que o campeonato foi ganho pelo Porto. Realmente, soa-me a familiar.», Ricardo Araújo Pereira


Não é difícil gerar uma estrutura forte. Basta contratar os melhores. Competência e benfiquismo. Dois valores que elevariam o Benfica a um patamar estrutural que há 20 anos não tem por estar inundado de incompetentes e não-benfiquistas.

3 comentários:

Vozes Encarnadas disse...

Tão simples, tão simples....

e na equipa dos gatos está lá outro

Tiago disse...

101% de acordo!

moleculasdeamor disse...

Onde é que o RAP escreveu esta pérola?