segunda-feira, 29 de abril de 2013

A exigência

Não sei como era o Benfica antes dos anos 90. Oiço histórias, relatos vários mas nada que se aproxime a ter vivido esses tempos. Por isso acontece-me, antes mais do que agora, deixar de reconhecer no clube e nos adeptos aquilo que sempre me disseram que o clube era. Falo da exigência.
É o nosso grande handicap para o nosso rival, mas é, acima de tudo, o nosso grande inimigo no caminho para nos reencontrarmos com a nossa identidade.

Só a falta de exigência permitiu perpetuar, em recorde de longevidade, um presidente tão pouco ganhador. É um exemplo claro que agora pouco interessa, foi recentemente reeleito e por isso está lá bem.
Falo do treinador. Com um campeonato ganho conquistou 3 anos de apoio do adepto, distraído a culpar árbitros (sim, eles têm a sua culpa!). Um campeonato apenas - a não ser que me venham com as taças da liga – e a crítica deixou de ser tolerável.

Ah e tal, mas o JJ está melhor, cala mas é essa boca! - Dizem vocês.
Pois está, e porquê?

Como me dizia o Ricardo ainda este Sábado, o JJ é melhor quando tem que provar algo (Primeiro ano e ano de renovação). E aqui reside uma culpa muito nossa, ao elevar ao Olimpo um catedrático do egocentrismo e da bazófia. Se ele podia ter sido mais profissional? Claro que sim, mas cabia ao adepto manter a pressão.

Nesta recta final está a acontecer outra vez. Foi no jogo com o Sporting que ficou claro para mim que a equipa do Benfica não tem o futebol que se diz ter. Uma coisa é merecer ganhar o campeonato pelo que se faz em 30 jogos – que acho que merecemos – outra coisa é ser-se inequivocamente melhor que os rivais em jogos de confronto directo.
 Mas os adeptos comportam-se como se o fossemos, afectando, parece-me, a própria equipa. A carreira europeia também não está a ser o que pretendemos fazer dela. Sem querer tirar mérito, não me lembro de o Benfica alguma vez ter tanto sorte em tantos jogos consecutivos numa competição como este ano na Liga Europa. Pensem nisso…
Estamos a embebedar-nos numa sublime superioridade futebolística que não é mais do que vinho da casa, e é talvez por isso que é necessário apostar tanto contra o marítimo, porque não há confiança contra o porto; e bem!
 O jogo com o Fenerbahçe foi muito mau: perdemos uma oportunidade de já estar praticamente na final (isso é que era a verdadeira poupança!) num jogo em que perdemos 1-0 e ainda temos que admitir que tivemos sorte. Muita!
O culpado? O treinador. Aimar é um inacreditável erro de gestão a partir do momento em que entra a titular neste jogo, e a maluqueira de fazer uma época sem uma real alternativa a Enzo e Matic só serve (serviu) para nos enfraquecer.

Agora não me interpretem mal. Exigir não é destruir. Eu quero que JJ continue na próxima época. Mas que seja melhor, sempre melhor. Já a partir de hoje!!

15 comentários:

nuper disse...

É em nome dessa exigência que acho que o JJ só deve continuar caso seja Campeão pois não admito que o glorioso renove com um treinador que ganhe 1 campeonato em 4.

Benfiquista Tripeiro disse...

Acho que não é altura para ter estas conversas. Qual é o objectivo de vir com este paleio num momento crucial? No fim fala-se.

Neste momento, é apoiar a todo o custo. O resto é treta.

Benfiquista Tripeiro disse...

Mas eu digo-te como era o Benfica dos anos 90. Uma autêntica merda. A partir de 95 era um pesadelo ver os jogos daquela equipa.

Zim N. disse...

Todos nós sabemos porque não ganhámos o campeonato nos anos seguintes ao título! Só não vê quem não quer.
As vitórias moralizam, sejam de que maneira for. Os corruptos lá iam ganhando e o Benfica sendo puxado para baixo. E ficar a oito pontos de distancia em 4 ou 5 jogos logo no inicio do campeonato ou ver em 3 jornadas já perto do final ser forçado a perder pontos quando se tem 5 pontos de avanço..é desmoralizador enquanto os corruptos se moralizam e jogam sem pressão, e sempre com o "extintor" em caso de emergência. Concordo contigo que falta sempre aquilo que eles dizem de "estofo" mas também adianto que o "estofo" se ganha com a confiança das vitórias. Isso o sistema não deixa. Como é possível o Benfica com o campeonato que fez em 2010 só ter confirmado o título na última jornada, e em luta com o Braga? Ou até com o campeonato que tem feito, sem derrotas e só 4 empates, e que empates!!! Se fossem outros, já tinham sido campeões!
Com o Quique, bem me lembro do frango do Quim, que impediu que a liderança isolada, e também o quanto fomos prejudicados nesse jogo. O Benfica até jogava bem, faltava-lhe muita coisa. Consistência. Mas se tem ganho embalava. Tem sido assim desde que me lembro. Benfica na liderança nunca, senão são eles que desmoralizam, como aconteceu nos anos em que não foram campeões. Até se borram todos.
Também só me lembro + - de 93 para cá, e estas equipas do JJ são talvez as melhores. Mas mesmo aquelas dos El Hadrioui, Taument, Clovis, JM Pinto,Ronaldo, Harkness, também foram muito prejudicadas. Golos anulados sem razão aparente...! Era à descarada. Mas a desculpa é que a equipa era fraca! Os adeptos fazem a exigência. Estas manifestações públicas a maioria deles nunca as viveram. Eles percebem.

Anónimo disse...

Eu lembro-me do Benfica exigente de antes dos anos 90. É parecido com este. Lutava pelo título todos os anos e ia às meias finais de uma competição europeia 2 vezes em 3 anos. Por acaso, nem o Benfica exigente de antes dos anos 90 conseguia sempre isso. Também me lembro do Benfica da segunda metade dos anos noventa e início dos 2000. Lembro-me dos terceiros lugares, e do sexto, da eliminação europeia com o Halmstads, de épocas inteiras sem títulos, em que uma taça da liga teria sabido mesmo bem.

hugo disse...

Fonix pá!
Num dos dias mais importantes do Glorioso dos últimos anos o tema desta thread nem dia de ser tocado.
Hoje só pode haver uma direção, um caminho e esse é o que irá trazer 3 pontos da Madeira.
Tudo o resto é acessório e bem que pode esperar mais uns dias...

Rogério disse...

ATÊNÇÃO QUE O BENFICA DE 90 ATÉ 94 TEVE GRANDES EQUIPAS,TEMOS FEITOS COMO POR EXEMPLO FINAL DA CHAMPEONS EM 90 COM O AC MILAN, ESPETAMOS 3 BATATAS AO ARSENAL EM LONDRES 91/92 E DEMOS 6 AOS LAGARTOS EM PLENA PRAÇA DE ALVALADE, NO ANO 93/94 FOMOS CAMPEÕES E CHEGAMOS AS MEIAS FINAIS DA TAÇA DAS TAÇAS E NESSA ALTURA TINHAMOS J.PINTO, KULKOV, YURAN, SCHWARDZ, ISAIAS, R.COSTA, V.PANEIRA, ABEL XAVIER, VALDO, MOZER ENFIM MUITOS BONS JOGADORES, QUEM DESTRUIO ESSA EQUIPA FABULOSA FOI O ARTUR JORGE"TRIPEIRO" JUNTAMENTE COM O MANUEL DAMÁSIO NO ANO 95 E FOI A PARTIR DAI QUE OS CORRUPTOS NUNCA MAIS PARARAM DE MAMAR COM FRUTA

Um simpatizante disse...

Se estás assim à 2ª. feira, calculo como estejas no próximo fim de semana!
Tu és benfiquista?
DUVIDO
Força BENFICA

Sérgio disse...

Mas o JJ passa os jogos a mandar beijinhos aos jogadores, e a dizer que está tudo bem?
Não! Passa os jogos a dar-lhes na cabeça em qualquer erro que cometam, sempre a corrigir.
Apoiar também é isso: gritar "lá para dentro" para os gajos se orientarem!
Não percebem?
Estamos todos com uma nervoseira de morte; mas uns agarram-se à santa, só querem "apoiar", gritando aos quatro ventos que somos os maiores...

Já há umas semanas que entrámos nesta loucura de jogos que vão definir tudo. Vacilámos com o sporting, mas tivemos sorte; vacilámos com os turcos mas tivemos sorte...
Orientem-se, vocês e eles, que eu quero fazer a dobradinha e ganhar a euroliga!!!!

JC disse...

Como te compreendo, Sérgio.

B Cool disse...

Grande Sérgio, um post que se impunha ... As verdades custam muito a ser ditas.

A exigência era tão grande que se despediam treinadores campeões porque os adeptos não gostavam do futebol da equipa, esse era o nível de exigência, ou seja não bastava ser campeão.

Quanto ao jogo da Turquia, acho que é necessário estar lá para perceber o ambiente e como jogadores sem experiência sentem esses ambientes.

Aimar jogou porque era necessário que alguém com experiência aguentasse o meio-campo, pois já tinhas o André Gomes em campo. E Aimar não falhou, jogou e fez jogar e só com ele em campo a equipa jogou verdadeiramente melhor que o Fenerbahçe. A saída de Aimar lançou o Fenerbahçe para cima do Benfica.

A maior crítica a fazer a JJ é não lhe ter dado tempo de jogo ao Aimar e ao Martins e ver-se obrigado a lançá-los em jogos decisivos (e também o Jardel que, apesar de ter feito uma primeira metade da época a jogar constantemente, desde Fevereiro que praticamente não jogava).

Benfiquista atento disse...

... " A exigência era tão grande que se despediam treinadores campeões porque os adeptos não gostavam do futebol da equipa, esse era o nível de exigência, ou seja não bastava ser campeão." ...

Excepção feita ao Toni na época 93/94, não me recordo de outro treinador que tenha sido despedido depois de ter sido um brilhante campeão nacional e atingido as meias-finais da Taça dos Vencedores das Taças.

Gato de Rua disse...

Acabei de ler um texto sublime e digno de Benfiquista.O meu caro tirou-me "palavras da boca".Sofremos desse mal há muito tempo,não só desta época.E como referiu numa linha do texto, "pensem nisso"

B Cool disse...

Benfiquista atento já ouviste falar em Mortimore ?

MC disse...

Bcool!

Já ! e daí?

Saiu pelo próprio pé, porque o Dr.Borges Coutinho não estava nem de perto nem de longe desagradado com o trabalho desenvolvido, mas aquela perda do campeonato 7 em igualdade de pontos com os corruptos e sem uma única derrota pesou um bocado ...