terça-feira, 16 de abril de 2013

E... O BENFICA ESTÁ NO JAMOR!

Neste dia feliz - estamos no Jamor, caralho! -, não posso deixar de dizer que estar no estádio a assistir à nossa passagem a uma final 8 anos depois da última com aquele deserto humano é uma coisa um bocadinho triste. Eu sei que os bilhetes não tinham os preços adequados à situação - Vieira, e as promessas, pá? as promessas? -, sei que a malta sabia que o Benfica ia passar à final, sei que está tudo a guardar-se para outros jogos, mas, meus caros, esta fraca cultura de estádio que há em Portugal tem de acabar. Pelo menos no nosso clube. Hoje nem os "do costume" estiveram todos. E isto nada tem que ver com questões financeiras. Há muita malta que PODE e NÃO VAI - deviam fazer um esforço e demonstrar respeito por aqueles que NÃO PODEM e muitas vezes VÃO. Fica a ideia. 

No resto, acho completamente incompreensível ver Matic, Enzo e Salvio durante 90 minutos - Jesus não leu o meu texto da manhã e quando não lê já se sabe que volta aos velhos hábitos. Má gestão, Mister. Espero que não venha aí lesão de um dos 3 FUNDAMENTAIS para os objectivos da época. Também seria interessante perceber o que é que faz um Pablo Aimar a entrar aos 87 minutos de um jogo como este. O homem tem tanto futebol para dar e podia servir claramente de alternativa aos jogadores mais desgastados - pelo menos em certos jogos e em certas alturas desses jogos. Tocou 4 vezes na bola e um gajo fica com sede, fome, ressaca, tudo. Que craque. 

Os mais cépticos estavam à espera deste momento para começarem a deixar crescer a bigodaça. Aí está ele: estamos no Jamor. Quero pelo menos meio-estádio de bigode à anos 80. Não me venham com as namoradas - elas que deixem crescer o buço também. 

12 comentários:

pv disse...

O que mais me irritou foi mesmo o Aimar entrar já no final...
Aqueles 5 minutos foram lindos... pena terem sido só 5...

Rusty Ryan disse...

Sou um dos habituais a que te referes, mas não fui. E muitos desses habituais, os tais 30 e tal mil, também não foram. Razões? Podem ser várias, não sei. Eu não fui porque, admito, sabia que o Benfica não ia falhar e que estaria no Jamor. E ser um jogo destes nestas circunstâncias contra o Paços de Ferreira, preferi dar o meu cartão a um amigo. É criticável? Claro que sim. Malta que pode ir e não vai, não tem desculpa.

Mas, Domingo a Luz tem de estar cheia. Não podemos falhar. Temos de massacrar o Sporting, custe o que custar.

Saudações.

mnlopes disse...

Sim, há muita malta que pode e não vai. Principalmente quem vive em Lisboa e arredores, que com meia dúzia de cêntimos conseguem-se deslocar ao estádio. Já para não falar daqueles que têm a possibilidade de ir a pé. Outra coisa que me faz muita confusão são as fraquíssimas assistências nas nossas principais modalidades de pavilhão, pelas mesmas razões.

Quanto ao jogo, penso que a ideia de JJ era entrar e campo com os jogadores principais de maneira a garantirem rapidamente a ida à final, marcando cedo pelo menos dois golos. Depois, sim, tirar os fundamentais/mais cansados e controlar o jogo. O problema é que equipa entrou em jogo algo displicente e desinspirada. Como tal, o resultado nunca esteve 100% garantido. Lembro-me, por exemplo, de uma entrada do Enzo já com o resultado em 1-1 e podia ter dado em penalty contra nós.

Pedro disse...

Boa tarde Ricardo,

Como bem dizes "e as promessas"...

Vejam bem a tabela de bilheteira para o Fenerbahce...

Abraço
Pedro

Anónimo disse...

Se falas da meia final e te queixas dos precos, vai ver os bilhetes para a final, aqui na holanda o mais barato que arranjei foram 380 euros e acho que tenho de levar os binoculos! Mas nao faz mal tudo pelo Glorioso!

B. disse...

Responde mas é ao mail do Médio!!!!

Ricardo disse...

Tá fêto, B..

SLBfan disse...

Não concordo com a "má gestão", acho que os 90 minutos servem para manter o ritmo competitivo, o próximo jogo é só no Domingo.
Concordo na parte do Aimar, é quase criminoso.
No futebol como em tudo na vida há competência e incompetência, não há vitórias garantidas. Jesus, como quase sempre, foi muito competente. Tenho apenas um receio, este foi um jogo de baixa intensidade, e a seguir a um jogo de baixa intensidade, um jogo de alta intensidade torna-se mais dificil...

Bruno Pereira disse...

Porque é importante analisar agora que tudo está em aberto, porque depois todos terão uma opinião baseada nos resultados, aqui fica a minha análise para quem a quiser ler.
Abraço,
Bruno Pereira

Anónimo disse...

Caro Ricardo,

Totalmente de acordo no primeiro parágrafo. Eu também me senti desconfortável ao pensar que estavamos a garantir uma final e nem 20.000 tínhamos em casa. Nao há crise que justifique, lamento. Já nem sei se teremos a Luz cheia domingo e quinta.

Segundo parágrafo em desacordo. O JJ tinha de jogar com os melhores. Primeiro, porque nada estava garantido e tínhamos muito a perder. Segundo, porque medeiam muitos dias entre Newcastle-upon-Tyne e o scp. A equipa não pode parar quase duas semanas, não agora, com o ritmo diabólico que tem. Pérola do desacordo: o Aimar já foi chão que deu uvas, ainda dava uns toques quando tinha por perto o enorme Saviola. Agora, é uma sombra do passado que deve ser rapidamente esquecida. Lembro-me bem quem deu o campeonato de 2012 aos andrades, Proença e Aimar, em Olhão, ao fazer-se expulsar. Não me esqueço. Longa vida a Cardozo, esse sim, uma máquina de marcar golos.

Abraço
Pedro B.

João Jordão disse...

Essa do pouco público tem resposta fácil. Eu, que vivo a 200 km do estádio (raramente posso ir ver os jogos), e quando vou ver os preços por curiosidade, borro-me todo. É inacreditável e inconcebível aqueles preços pornográficos para qualquer que seja o jogo do Benfica. Em tempos de crise é inconcebível alguém dar tanto dinheiro para ver um jogo de futebol.

pv disse...

Acerca da gestão da equipa, ler este pequeno texto, com o que qual se pode, ou não, concordar:
http://lateral-esquerdo.blogspot.be/2013/04/jesus-gerir-condicao-fisica-contra-o.html