terça-feira, 9 de abril de 2013

Algumas considerações sobre estes tempos de ilusões

1. Não está a ser um campeonato bom, está a ser um campeonato fabuloso. 21 vitórias e 4 empates em 25 jogos é um registo de uma qualidade praticamente insuperável. Mérito a quem o tem: Jorge Jesus e os jogadores. Após duas épocas a cometer erros básicos de gestão dos recursos que tinha à sua mercê, o técnico emendou a mão e começou a usar o cérebro para mais do que apenas pensar em tácticas e exercícios para os treinos. Com isso, ganhou verdadeiramente um plantel (e não um grupo de 12 ou 13 jogadores, como nas épocas anteriores), soube "inventar" o que parecia, aos olhos humanos, praticamente impossível e potenciou a real possibilidade de uma época de sonho. 

2. Outro que vem melhorando a sua performance é Luís Filipe Vieira. Ainda falta muito para ser um verdadeiro Presidente do Sport Lisboa e Benfica - desde logo, porque apoia inequivocamente escumalha corrupta ligada ao Apito Dourado -, mas tem tido a virtude de, em vez de cavalgar o excelente momento da equipa em torno do seu ego (como fez o ano passado, com os resultados conhecidos), andar calado. E, como todos sabemos, um Vieira calado significa um Benfica mais preparado. Que continue em silêncio até Maio. Seria muito bom sinal.

3. Há, no entanto, um dilema. Dos grandes. Aquela que pode ser uma das melhores épocas de sempre da História do Benfica (nunca conseguimos vencer Campeonato, Taça e uma competição europeia no mesmo ano) pode também acabar por se revelar uma das mais decepcionantes de sempre da História do Benfica. Sim, estamos neste exacto ponto: ou luxo ou lixo. E, se é verdade que a ilusão que temos neste momento já ninguém no-la tira, não deixa de ser uma óbvia realidade que, se não ganharmos nada, a queda será tremenda. E se há ainda dificuldades:

Campeonato - o principal objectivo está, ao contrário do que leio, oiço e vejo por aí, bem distante de estar resolvido. Basta lembrar que, se o Benfica perde pontos num dos próximos 3 jogos (Sporting em casa, Marítimo fora, Estoril em casa) e o Porto ganha os seus jogos, chegaremos ao Dragão a não poder perder o jogo - um cenário que, como já falámos aqui algumas vezes, nos não interessa nadinha. O Benfica tem de chegar ao Dragão a poder perder - e se lá chegar a poder perder, a probabilidade de o ganhar aumenta consideravelmente, porque perde a pressão, o medo e sobretudo o trauma que ainda existe sempre que nos deslocamos ao Porto. Portanto, estamos a um empate de estragarmos tudo. E a 3 vitórias (nos próximos 3 jogos) de sermos campeões. Porque, mesmo que vamos perder ao Porto, um Benfica a jogar em casa contra o Moreirense na última jornada, com maior ou menor dificuldade será sempre campeão. 

Taça de Portugal - é o troféu mais provável, no momento. A final, não estando garantida, está bem encaminhada e o adversário no Jamor, apesar de ter méritos, é bastante acessível. Passaram 9 anos desde que o Benfica ganhou a sua última Taça e 8 desde a última final - perdida por falta de profissionalismo. É muito tempo para um clube que domina claramente o histórico desta competição.

Liga Europa - Depois de ultrapassada a fase em que devia ter havido prioridades (e, de certa forma, houve, embora não tão evidentes), agora, como diz e bem o Jesus, é meter a carne no assador. Ninguém pode estar perto de uma meia-final de uma competição europeia e simplesmente abdicar da prova. É isso que o Benfica fará. Importante, no entanto, lembrar que ainda estamos nos quartos-de-final e que o jogo na Luz (3-1) teve alguns momentos de sorte que ajudaram ao resultado final. O Newcastle tem valor, precisa da competição para atenuar dores internas e pode ganhar-nos um jogo num dia sim. Ir para Inglaterra a pensar no adversário das meias-finais pode custar-nos o sonho. Fundamental marcar um golo e arrumar mentalmente o adversário. Depois, caso passemos os ingleses, tudo pode acontecer. Qualquer um dos que chegue às meias (incluindo o Chelsea) pode ser eliminado pelo Benfica. Por mim, se lá chegarmos, não me importava nada de encontrar o Basileia.

13 comentários:

Steven Pires disse...

Excelente ponto de vista!
quero continuar a acreditar k no fim da época vou dizer: k LUXO.

GNR disse...

Campeonato: Nenhum dos adversários que temos pela frente é melhor que nós. Mais, tirando o FCP, todos os outros são muito inferiores, colectivamente e individualmente. Para mais, desses 4 jogos, 3 são em casa. A chave está no jogo da Madeira, ainda por cima jogado, esperemos, entre as meias finais da liga europa.

Liga Europa: Neste momento, nenhum, incluindo o Chelsea e assusta. O meu receu, como já escrevi, é a 1/2 final coincidir com o jogo da Madeira.

Taça: para ganhar, com humildade.

PS. O nome do presidente está mal escrito. Aqui é conhecido por ventoinha...

M disse...

bom post! lúcido acima de tudo.

aprecio a parte da epoca fabulosa, sou da mesma opinião, sendo esta muito inesperada face à razia no meio campo que sofremos no inico de epoca e face ao facto de não termos feito investidas ao mercado em função das mesmas e de outros desiquilibrios no plantel.

Competencia será a palavra chave. De todos. houve uma enorme mudança face aos 2/3 anos anteriores e isso deve ser salientado...e eu exigo competencia no meu Benfica, algo que tem faltado, porque se perder e ganhar faz parte do jogo (e nao ha equipas infaliveis), ser competente tem como consequencia direta ganhar mais do que perder.

isto leva à questão do luxo e do lixo, que nao partilho...luxo sim, lixo nao...será terrivel perder, mas se quisermos acreditar que a competencia chegou para ficar, estas sao as fundações para vencer sistematicamente que temos de bem consolidar.

com as devidas diferenças, dou exemplo sem comparaçao, o Ferguson levou tempo ate entrar em velocidade de cruzeiro de vitorias..espero que me faça entender, não comparo o JJ com o Ferguson.

abraço

eagle01 disse...

O post é bom, é um desabafo pessoal com palavras sentidas, mas tem alguns aspectos que precisam de correcção. Um deles, por ser uma ideia muito divulgada, é que JJ esta época corrigiu alguns erros na gestão dos jogadores, pois que nas duas épocas anteriores para ele só existiam 12/13 jogadores.

Esta é uma ideia errada e que produz conclusões também erradas. Jogadores que JJ deu hipóteses há 2 anos, quando chegamos às meias finais da Liga Europa: Roderick, Nuno Gomes, Moreira, Jardel, Júlio César, Luís Filipe, etc (lembrar jogos com Portimonense e Naval, para a Superliga e Braga para a Liga Europa). No ano passado, tivemos o Nélson Oliveira (em particular na Taça da Liga) que tal como Saviola foram "não titulares" muito utilizados para descanso de Cardozo e Rodrigo, tivemos Matic a substituir uma vez ou duas o Javi, tivemos o Eduardo a substituir Artur Moraes na Taça de Portugal (por azar deu um frango na Madeira), etc. Estamos pois a falar de um conjunto de 16/17 jogadores que eram chamados com alguma regularidade, à equipa principal.

Esses tais 4/5 não titulares de luxo jogaram mais minutos ou menos minutos do que este ano? Alguém fez as contas? Julgo que não ...

Assim como falar de erros de gestão física para fazer de conta que não se sabe porque fomos eliminados da meia final da Taça de Portugal há 2 anos, ou como o FCP ganhou 9 pontos de avanço nas primeiras 4 jornadas dessa época (ganhamos a Taça da Liga e fomos à meia final da Liga Europa, eliminados na sequência do desastre da Taça de Portugal, que deixou marcas fortes), ou para fazer de conta que não se sabe porque perdemos 5 pontos antes do jogo com o FCP na época passada ou porque fomos eliminados nos quartos de final da Champions frente ao Chelsea (vencedor da prova), é algo que me parece masoquista.

Uma coisa é querermos ganhar sempre. Outra bem diferente é aceitar que o adversário nos seja pontualmente, superior. Agora aceitar que os árbitros errem, sempre os mesmos, sempre da mesma maneira, e depois falamos de gestão fisica (e mal, ainda por cima)isso parece-me de fracos...

claudio s. disse...

Pés no chão e cabeça no lugar.

O estádio cheio contra Sporting e Estoril vai ser fundamental.

Pedro disse...

Boa tarde Ricardo,

E não haja dúvidas que nós faremos a nossa parte sempre ao lado dos nossos...como sempre e para sempre...

Aquele abraço
Pedro

Xavier disse...

Com o Olegário no Basileia - tottenham quer-me parecer que temos AVB nas meias...

Mr. Shankly disse...

Estou de acordo com tudo. Passei a época toda calmíssimo e agora estou uma pilha. Podem faltar 11 jogos, mas, desses, 8 são de nível máximo de dificuldade. É preciso calma e levar as coisas jogo a jogo, até porque penso que o cansaço vai ser cada vez menos um adversário.
No campeonato, curiosamente, bastam 11 pontos para ser campeão. Mas vamos ter que sofre<r muito para os ganharmos.

Nuno Pinho disse...

Post lúcido.
A parte amarga é ler esta estatística: "21 vitórias e 4 empates em 25 jogos" e perceber que num desses jogos(já excluo uma outra decisão discutível frente ao Braga), em Coimbra, houve "Xistrada"...
Falta pouco para termos esta merecida alegria. É apoiar a equipa nos próximos dois jogos que isto não tem como escapar.
http://i.imgur.com/RjrpBft.jpg

Count Zaccone disse...

Apesar de estar em pulgas com as nossas hipóteses, o que mais me entusiasma é o futebol que estamos a praticar. Tem muita maturidade, segurança e humildade.

Penso que no campeonato o pior será o jogo da Madeira, mas pelo menos o FCP também irá jogar lá (Nacional).

Miguel A. disse...

Ricardo, só pessoas com mentes um bocado para o delirantes é que acham que o Campeonato está ganho. Não está, por várias razões: os adversários que teremos de enfrentar também jogam, também precisam de pontos, e a história ensinou-nos que só com muito sofrimento, abnegação e entreajuda conseguimos conquistar campeonatos. Acho que antes de jogarmos com o Porto temos três jogos de grau de dificuldade muito elevado, qualquer um dos três. Aquilo que me anima e dá esperança é ver que a equipa e o treinador estão conscientes disso mesmo. Acho que neste momento, antes e depois de qualquer um desses jogos, os jogadores e o treinador deverão continuar a ter o mesmo discurso que têm tido até agora: realismo, pés bem assentes na terra, e muito respeito por qualquer adversário, seja ele qual for. Isto também inclui o Presidente, que até ao momento tem estado muito bem e faço votos para que assim continue. Precisamos de um só discurso, comum a todos.

Difícil dizer o que poderemos ou não ganhar. Pode parecer um lugar-comum, mas de facto é irmos jogo a jogo, esperando que não haja lesões e poucos ou nenhuns jogadores castigados.

O jogo em Inglaterra vai ser muito difícil. É a única competição que o Newcastle pode ganhar, e que lhes pode salvar a época. Basta ver as declarações dos jogadores deles para percebermos que estão muito longe de atirar a toalha ao chão. Vai ser um jogo de grande desgaste, seja qual for o resultado, mas tenho muita esperança numa exibição personalizada e de grande carácter do Benfica, que nos dê a passagem à meia-final. O importante é mesmo passar, por isso nem me passa pela cabeça pensar em possíveis adversários na meia-final.

Gostávamos todos de ir para dentro das quatro linhas e ajudarmos a equipa a meter a bola na baliza... não havia ninguém que nos parasse :-) Mas infelizmente não pode ser, temos de continuar deste lado a fazer o nosso papel, a sofrer a bem sofrer, mas também a acreditar.

Abraço.

rui disse...

Eu nem sequer dou a vitoria no jamor como Quase garantida...calhou nos aquele que eu menos queria que calhase,o guimaraes é um clube com uma fome enorme de 1 titulo e apesar de claro,ter uma equipa inferior,isto naquele momento naquele jogo pode nao significar nada.

E a liga Europa nao entendo esta confiança toda, ainda nem as meias finais chegamos,e ainda podemos ter pela frente equipas como o Tottenham que é das mais cotadas actualmente na Europa,o campeao europeu em titulo,e uns turcos que sao sempre perigosisimos,por isso sinceramente nao vejo razoes nenhumas para andar euforico,Contente e expectante sim..euforico nao

Bicadas de Aguia disse...

E no fim quer-se festejar. Todos os benfiquistas, até aqueles que me chamam de adepto deste benfiquinha...
Bons tempos seriam outros claro....