sexta-feira, 1 de julho de 2016

Era bom que trocássemos umas ideias sobre o assunto




1. O resultadismo é uma doença nacional. Uma praga que se alastra por todo o treinador de bancada, jornalista, profissional mister, dirigente, etc e coiso. A análise geral que tem sido feita às prestações de Ronaldo podia servir de resumo perfeito desta doença: quando marcou dois golos contra a Hungria, foi considerado extraordinário e foi logo proclamado que "está de volta o grande Cristiano"; nos restantes 4 jogos, como não marcou golos e falhou alguns, passou a ser "uma vergonha um jogador desta qualidade não ajudar a Seleccao". Ora, eu digo que ontem o nosso herói fez o seu melhor jogo. Estou, aliás, positivamente surpreendido por ver este novo Ronaldo: muito mais dentro do jogo colectivo, a permitir-se ser mais solidário, a potenciar melhor as qualidades dos colegas. Já não procura ser sempre, em cada lance, o protagonista final: percebeu que pode ganhar mais se abrir no colega; pode primeiro fixar 2 adversários para criar o espaço onde outro possa entrar; porque é ele o chamariz, pode servir de engodo; pode vir combinar atrás, dar respiração à equipa. Está numa fase da carreira em que, perdendo o rasgo das alas e diagonais, pode tornar-se num segundo avançado de excelência. Se continuar assim, proporei a Vieira que o contrate para fazer dupla com Jonas.

2. Porque é um portento físico,  Renato leva tudo à frente: adversários, bola, árbitro, relvado, oxigénio, até a inteligência. Decide mal, pessimamente. De vez em quando, surpreende e faz algo que nos deixa com esperança de que os seus 18 anos lhe permitam vir a entender o jogo e a elevar o seu futebol a um patamar que não seja apenas o físico, mas logo na jogada a seguir nos mostra que está programado para aquilo e não mais do que aquilo. Eu confesso: estou longe de achar Renato um óptimo jogador. É evidente que tem qualidades e características que agradam e vão permitir-lhe andar algum tempo na ribalta, mas não mais do que isso. Carrega, transporta, varre, marra, invade, força, combate, mas não pensa, logo não joga. Se eu disser que o Ronaldo ontem fez um jogo muito melhor do que o jogo do Renato provavelmente chamam-me louco.

3. Sonhamos e ainda bem. Queremos é ir passando e depois logo se vê. Pragmaticamente, não jogamos nada. Pragmaticamente, temos tido sorte (ela também existe, mais ainda num jogo com todas estas variáveis). Pragmaticamente, quando apanharmos uma equipa com qualidade individual e colectiva acima da média (a Croácia chegava perto disso e por isso foi-nos claramente superior), voltamos para a nossa Baixa da Banheira. Mas isso é o que é provável. No entanto, o Engenheiro que tem fé também tem grande fezada. Um país que consegue produzir um delírio como Fátima claro que pode ganhar um Euro sem ganhar um jogo.

4. 3 minutos. É este o tempo de jogo que tem o mais criativo dos 23 jogadores que foram a França. Numa equipa que joga com anemia, aos soluços, emperrada,  a pedir licença ao pé direito para levantar o pé esquerdo, que não encontra soluções para entrar no espaço do adversário, que roda a bola em carrossel pelas linhas e pelos centrais, abdicar de Rafa é uma heresia só entendível pela religiosidade sacrificial de Fernando Santos que, para cumprir o seu grande objectivo - ganhar o Euro sem ganhar um jogo -, não pode meter em campo um tipo que mais cedo ou mais tarde criaria uma situação de golo e de consequente vitória, destruindo assim todo um trabalho de meses.

5. Em não sei quantos livres marcados por Cristiano Ronaldo neste Europeu, o único que causou perigo foi marcado por Raphael Guerreiro para a cabeça de Pepe.

6. Na semana passada, 9 em 10 jornalistas diziam Renato SanCHEZ. Hoje já só 7,5 jornalistas em 10 dizem Renato SanCHEZ. Sigamos o cherne, meus amores. No final do Euro, só pode ficar o Nuno Luz a dizer Renato SanCHEZ.

7. O título desta crónica anti-patriótica é do Mário de Carvalho.

19 comentários:

Manuel Teixeira disse...

Se há algo que não podem apontar ao Renato no jogo de ontem é a falta de discernimento! Quase todas as acções foram positivas. Leu muito bem o jogo e foi o único médio da selecção que ofereceu verticalidade. A inteligência futebolística do João Mário é acima da média, mas neste europeu tem sido banal.

RG disse...

Manuel,

A partir do momento que FS acha que JM é extremo, seja na esquerda ou na direita, e não saiba ( como JJ sabe ) como retirar o melhor do rapaz, ele será banal! E o mesmo se passa com a ida de Renato ou de André para a linha....

Também continuo sem perceber a não inclusão do Rafa....

Diogo disse...

Boa analise a Renato e on seu jogo. Que Ancelotti lhe mostre todas as outras nuances do futebol de um medio que se pede/espera/imagina possa ser uma mescla de Davids/Pogba/Vieira. É preciso ter esperança que um jovem futebolista de 18 anos ainda pode aprender umas coisas...

Rafa nunca terá lugar nos esquemas gregos de FS e na sua mentalidade fechadinha do que deve ser o futebol. Sempre foi assim e, como se diz neste lado da piscina, "you can't teach an old dog new tricks"...

eusebiomais10.blogspot.com

Ricardo disse...

Manuel, concordo que o João Mário tem estado uns furos abaixo do que vale neste Europeu. Mesmo descontando o facto de não estar a ser bem utilizado.

Manuel Teixeira disse...

RG, parece-me que o João Mário precisa de alguém que lhe puxe as orelhas, mas acima de tudo precisa de bola. E como Portugal passa a maior parte do tempo sem bola, o JM não se consegue evidenciar. Pelo menos é a impressão com que fico. E sim, o Rafa tem que ter muitos (!!!) mais minutos.

Ricardo, brilhará nos próximos dois jogos :)

Antonio Jose disse...

ponto 1--não sou jogador de futebol
ponto 2--muito menos treinador
sou um simples adepto que gosta de futebol, e muito do Benfica, detesto pontapés na desgraçada da bola, gosto sim de ver um bom jogo de futebol.
o que vi ontem? um jogo de medo de perder,não um jogo com vontade de ganhar,quando o individuo que tem por obrigação de colocar onze atletas em campo com uma determinada função,que deveria ser vamos jogar para ganhar....
o que vejo? vamos aguentar isto.... até aos penaltis e que seja o que deus quiser. se temos jogadores com garra com vontade de ganhar o que faz? diz ao Renato que encoste à linha, resultado... o rapaz desaparece do jogo não está no seu lugar, J.Mário idem aspas ,tem de jogar sempre o "trio maravilha" que por mais propaganda que os média façam não me convencem,
A.Reis

moleculasdeamor disse...

Deste Ronaldo gosto, quer ele marque ou não golos, que marque claro!
O Renato vai crescer, vai perceber o tempo certo de passar, tenho a certeza, vai ser enorme. Ele está a jogar ao mais alto nível há 8!! meses, ele vai treinar as suas falhas-tempo de passe e vai apostar no um contra um e nos remates, vai ser um marcador de golos.

Quanto ao futebol, bem eu amo o jogo e a arte, reconheço que fico feliz de ver Portugal ganhar, mas no meu coração habita o Brasil de 82, Portugal de 84, o Barcelona actual... o Chalana, o Rui Costa, João V. Pinto, Alves, um pequenito do Porto de nome Frasco, Futre,... Messi!!!, ... enfim gosto de brilhantismo. Espero que esse brilhantismo apareça com a nova geração! ... Nelson Semedo, Raphael Guerreiro, João Mário, Renato, André Silva, Bruno Fernandes, João Cancelo, Bernardo, Florentino, José Gomes, Sérgio Oliveira, Rafa, João Carvalho, Hélder Costa, Bruma, Gelson Fernandes, Ruben Semedo, e muitos outros... acredito nessa mudança de paradigma.

Anónimo disse...

Caro Ricardo,

Ideia principa (única!)l que há que trocar sobre o assunto: Renato.

Renato é o maior terramoto que o futebol assiste hoje. Futebol mundial, não apenas europeu, quanto mais português. Com 18 anos, a jogar na ribalta há meses, tem um impacto no jogo que só se compara, nas últimas duas décadas, a Messi e Ronaldo.

Falar-se de más decisões, enfim, que pobreza de argumento. Vê o golo, mas vê criticamente. O golo que marcou e o golo à Croácia. Vê o número de passes, daqueles que glorificas noutro post, de Hazard, ou daqueles verticais, que tudo rasgam. Vê os roubos de bola, as linhas de passe que sempre oferece aos colegas, os momentos que arrisca e os momentos que congela. Enfim.

Ele não é apenas físico. Muito antes pelo contrário. Junta é um físico impressionante a um cérebro demasiado avançado para a idade.

Desculpa, mas pareces um lagarto, menosprezando o miúdo. Até o LE já se rendeu, deixa lá as análises ao frame, os bitaites científicos, o parolismo de burocratizar o jogo e baba-te com o que tens à frente. Num futebol robótico e enfadonho, pressentir este tsunami é um bálsamo.

Abafou Ronaldo, eu sei, que passou para segundo plano. É man of the match, vai às entrevistas rápidas, vai às salas de imprensa, todos falam dele e de Ronaldo só neste triste país bajulador e em Madrid. É o ciclo da vida e, daqui a quinze anos, aparecerá outro que substituirá Renato. Até lá, o trono vai ser dele.

Aprecia.

Abraço
Pedro B.

Ricardo disse...

Pedro B, o "B" é de quê? Mete aqui o nome todo para daqui a dois anos podermos falar sobre o Renato.

PP disse...

Adorei a foto do artigo! ;)

Ainda bem que não sou o único a apontar esta questão do Rafa, que para mim, depois de ter visto noutro dia o debate entre Hélder Conduto e um trio de ataque formado por Chalana, Carlos Manuel e Diamantino, revolta-me ainda mais. Porquê? Porque nesse programa deu para ver como são as mentalidades que estão dentro da Federação e o quão dependentes são dos interesses dos maiores clubes nacionais.

Quanto apostam que se o Rafa fosse jogador de um dos 3 "grandes" era titularíssimo na equipa das quinas ali naquela posição de médio-ala/extremo esquerdo?

Anónimo disse...

Caro Ricardo,

Se não querias trocar ideias, para quê o título?

Se o teu argumento é o meu 'B', pois então te digo: é de Bestialmente-bonito-e-inteligente.

Abraço
Pedro B

Ricardo disse...

PP, a foto é tua? Tirei-a da net; se soubesse que era tua, tinha feito a referência. É precisamente aí que o poria, pelo Gomes:

Danilo
João Mário, Rafa
Renato

Pedro Apenas Sem B, tu não vieste discutir nada. Vieste, como sempre, insultar veladamente. É compreensível que não queiras assumir a identidade, mas convém talvez explicar-te que pretendo debater contigo, não entrar em duelos de pancadaria. De qualquer forma, estou no facebook em Ricardo Silveirinha. Força e coragem, Pedro sem B.

PP disse...

Meu meio-campo de sonho para a selecção nacional é:

https://4.bp.blogspot.com/-jJwIWRkZpIg/V26QmPBxCvI/AAAAAAAAEb0/cb3pwBYv1QYBtlm_s9Eipb8kn6P5-N2gQCLcB/s1600/XI%2BPortugal_Cro%25C3%25A1cia.png

O William e o Danilo se entrassem nem seria para o meio-campo.

;)

Anónimo disse...

Caro Ricardo,

É justo, 'pareces um lagarto' é ofensivo. Retiro essa parte, o resto do conteúdo mantenho.

Em que te baseias para prever que, daqui a dois anos, não será jogador? É o que se antevê da tua profecia, essa sim, velada.

Penso que dás importância ao transcendente no futebol, ao fantástico, ao intangível. Os teus textos demonstram-no, interpreto-os assim. Se não estiver errado, estranho portanto não sentires a aura do miúdo. Já li algures: ele é o holofote. Sabes? Estas coisas sentem-se: como em Turim, quando se decidiu que os pênaltis eram na baliza das sevilhanas, o povo deles sentiu logo que iam ganhar, o barulho, a onda que se levantou também a mim, lá na outra bancada, a nossa, me fez perceber. Que ia perder. Podes escrever: se o Santinhos meter o Renato, não apenas passas a meia final. És campeão europeu .

(Facebook?! Esquece lá isso)

Abraço
Pedro B.

Ricardo disse...

Caro Pedro, adoro o Renato; tem todas as magias para um texto romântico. Qualquer dia escreverei um só para o nosso Bulo. Outra coisa é ver o que faz em campo, que é simultaneamente muito bom e muito mau. Eu acredito que poderemos ser campeões europeus mas não é só pelo Renato, embora o pusesse a titular. Sem mais ideias, o Santos precisa de alguém que fure, que rasgue o quotidiano. Bulo é esse homem.

Anónimo disse...

Venha de lá esse texto, Ricardo!

Grande abraço
Pedro B.

El comilone disse...

A minha questão é: de que interessa que o Ronaldo fixe os dois centrais, se depois os jogadores de Portugal andam sempre à procura dele? Deveriam aproveitar isso para encontrar espaços sem Ronaldo, mas as vezes só vêm Ronaldo à frente.

Anónimo disse...

Então o Ricardo usou a sua tesourinha?
Estava à espera de ver o meu comentário publicado.
Aposto que a desculpa (esfarrapada) é por não ter nome, só ter iniciais.
Mas as minhas iniciais dizem-lhe tanto como Ricardo me diz a mim.
É alguém. E benfiquista, por sinal. Isso para mim chega.

Passe bem Ricardo, até sempre.

Um dia destes vemo-nos no estádio da Luz.

Abraço

JR

Ricardo disse...

JR, a tesourinha aqui só funciona para mal-educados. Qual era o seu comentário?