sábado, 11 de junho de 2011

A equipa de jagunços. E Nuno Gomes?

É lógico que devia ficar. Não só pelas qualidades desportivas - que, já não sendo brilhantes, chegam bem para ser uma opção de banco (viu-se este ano), em vez de um Weldon -, mas principalmente, e acima de tudo, porque fazem falta referências ao Benfica: gente que ame o clube, que sofra por ele, que transmita aos outros o que é o Benfica, que lhes faça sentir na pele as derrotas com os rivais, que os incentive a ter de ganhar aos rivais, que lhes explique que esses jogos não são iguais aos outros e que, depois de derrotas neles, não podem ir embora para o balneário, não dizer nada aos adeptos, meterem-se no Porche Zxyztwinsparkpoweranger, e ala para Cascais que ainda há uma festarola para cumprir.

Mas querem o quê? Quando os exemplos da estrutura são os que temos? Quando a equipa titular tem estes jagunços:

- Presidente - sócio dos 3 clubes principais, antigo amigo de Pinto da Costa, mente descaradamente aos adeptos (já parece normal, já ninguém acha estranho, já ninguém reclama que um dia o Presidente fale aos sócios uma coisa e no dia a seguir as suas acções denotem o contrário), antecipa eleições para que a oposição não se organize - justificando o acto, qual tirano, como a forma de defender o Benfica dos "abutres". Percebe tanto de bola quanto a Madre Teresa percebia de chicotes "bondage" e, no entanto, o que promete para o futuro? Delegar menos.

- Gestor financeiro - adepto sportinguista que há anos repete, feito catatua: "o Benfica vive uma saúde financeira de excelência" e "o Benfica não precisa de vender os melhores jogadores". A realidade, essa chata, é que choca um bocadinho com as mentiras que diz. E, eh pá, será que neste país é este o génio financeiro? Não haverá no universo benfiquista (afinal, somos muitos mais!) um único bípede capaz de perceber de finanças? As pessoas agora gostam muito de falar em profissionalismo no futebol. Certo. E que tal profissionalismo e... benfiquismo? Não?

- Advogado do Clube - portista assumido. Não me lembro de ter visto o Benfica ganhar um caso, desde que ele lá anda. Também não deve haver um único benfiquista que seja bom advogado. É preciso ir buscar um gajo do Porto.

- Prospector na América do Sul - um gajo para quem o Porto é "uma religião". Neste particular, também não há benfiquistas que sejam bons prospectores. O Gomes é que é muita bom, pá. Até já tem currículo: Falcao e James Rodriguez. "Ah mas esses foram para o Porto"? Pois, lá está. Serviu os intentos.

- Bancada VIP - Joaquim Oliveira. Um corrupto associado às manobras mais podres do futebol português (e não só) senta-se religiosamente ao lado do Presidente, vai à Gala do Benfica em lugar de destaque. Atenção, este é o gajo que manda nos direitos televisivos do Benfica há mais de uma década. Pelos vistos, estamos satisfeitos e queremos mais. Outro VIP: Presidente da Liga. Apoiado publicamente pelo nosso Presidente, revolucionou de tal forma a coisa que este ano parecia que estávamos nos "saudosos" anos 80 e 90. Com o patrocínio do Benfica, pois claro.

- Director de Comunicação - um sportinguista. Não, João Gobern não existe, não existem outros mais inteligentes, mais lúcidos, mais benfiquistas, mais certeiros para o lugar. Tem de ser o Mr. Burns. Este é que é bom. Espera, este vai subir na hierarquia. Vamos buscar outro! Quem? Ah um antigo jornalista d´"O JOGO", que esta época foi o responsável pelos comunicados do Braga. Só elogios ao Benfica, um querido. Dizem que é benfiquista. De facto, é dos bons.

Mas calma, vai haver reforços: parece que está na calha a ama-seca de Pinto da Costa e Pedroto! Octávio Machado para "meter tudo na ordem".

Eu ainda hei-de ver o Macaco sentado na tribuna vip do Estádio da Luz.

Tenham juízo. Abram os olhos.


33 comentários:

Ulrich Haberland disse...

"já parece normal, já ninguém acha estranho, já ninguém reclama que um dia o Presidente fale aos sócios uma coisa e no dia a seguir as suas acções denotem o contrário"

Pois, é isto.
Perdemos referências, valores e ideais.
E não é um fenómeno exclusivo do Benfica, é um fenómeno nacional.

Quanto ao resto estou plenamente de acordo contigo Ricardo.

Vou à Assembleia Geral dia 14.

A mudança só acontecerá quando formos mais exigentes, participativos e interventivos.

Águia Preocupada disse...

É tal qual como diz. Se mais razões não houvesse, bastaria o facto das escolhas de Vieira recairem em gente que não professa as nossas cores, para o afastarmos.
Mas não é fácil. Vieira tem a máquina bem oleada e reune à sua volta os lambe botas mais nojentos que alguma vez vi.
Mas os benfiquistas gostam de se auto flagelarem e por isso vão mantendo o Rei Sol Vieira como seu deus e protector!
Até quando?

Pedro disse...

Ricardo, nem todos estão acomodados com esta situação mas Vieira tens os jornais na mão e como a malta só acredita no q vem nos jornais lá vai levamdo a sua a avante...mas a sua queda está próxima. Dá para sentir.

João Gabriel sportinguista? Acho q não...

O advogado é algo q me choca. Mas eu acho q Vieira está-se a cagar para o SLB, sempre esteve pelo q nada disso me espanta.

Manuel disse...

Este é outro blogue andrade. Se não é, imita muito bem. Só criticas, grande parte delas mentiras e insinuações grosseiras.

Gostava que me explicassem isto:

"gente que ame o clube, que sofra por ele, que transmita aos outros o que é o Benfica, que lhes faça sentir na pele as derrotas com os rivais, que os incentive a ter de ganhar aos rivais, que lhes explique que esses jogos não são iguais aos outros e que, depois de derrotas neles, não podem ir embora para o balneário, não dizer nada aos adeptos, meterem-se no Porche Zxyztwinsparkpoweranger, e ala para Cascais que ainda há uma festarola para cumprir".

O que é que isso significa, exactamente? Mas em que planeta e século é que vivem?
Mas serão mesmo benfiquistas?

karlos disse...

No Benfica de agora e tudo anormal pudera normal são as minorias a bufarem e a dizer mal do presidente ,que por tabela atinge o Benfica , JÁ DIZIA o rei de espanha " porque não te callhas "
É deixam viver em paz o glorioso

Anónimo disse...

o manel deixa os vermes zurrar, e darem a cara ..

porque, quanto mais falarem, mais lhes vamos deswcobrir as suas mentiras ..

PB disse...

Ricardo, fui prof dos 3 filhos do "Mr Burns", ainda antes dele chegar ao Benfica. O miudo mais velho é sportinguista como a mãe, mas nem camisolas do Sporting tem, pq o pai não as compra.

Os mais novos,sempre equipados à Benfica. Um deles, o Francisco na altura até jogava no Benfica e tudo. Não sei se por lá continua!

Ricardo disse...

Pedro, claro que nem todos estão acomodados. O "abram os olhos" é para os que ainda persistem na ilusão de que com esta gente iremos a algum lado. Gente que, como esta caixa de comentários é disso exemplo, confrontada com a crítica, vêem nela uma defesa do Benfica mas o contrário, um ataque feroz ao clube. Confundem Vieira e seus lacaios com o Benfica. Já não sabem distinguir uns do outro. E sempre com ofensas ("blogue andrade", "só mentiras", "serão mesmo benfiquistas?", "porque não te callhas", "deixa os vermes zurrar"). Argumentos a favor dos que defendem, está quieto. É que é difícil contrariar o que quer que seja que aqui esteja dito. O problema é esse. Discutirem o Benfica sem preconceitos, abertos à crítica, argumentado a favor das suas ideias, nem pensar. Ofender, defender o guru, sim, é o caminho desta gente.

E é destes benfiquistas que o homem leva os votos. E é por eles que o Benfica está como está.

Ricardo disse...

PB, a informação que tenho é de uma pessoa que o conhece há muitos anos. De qualquer forma, acho-o incompetente para o Benfica. E esse é apenas um em toda a estrutura. E nem sequer dos mais perigosos. É apenas mais um lacaio. Tirando uma ou outra intervenção esta época, em que esteve claramente bem, o resto tem sido ou pobre do ponto de vista argumentativo ou arrogante e mal-educado.

Enquanto política de comunicação do clube, então, por amor de Eusébio, aquela gente não sabe OU NÃO QUER informar os benfiquistas. Desde informação escondida sobre contratações a comunicados fantasiosos sobre a actualidade desportiva, já se leu de tudo. Os benfiquistas é que ficam sem saber nada sobre o seu próprio clube. Olha, ainda agora: afinal o Airton tem opção de compra ou não? Ninguém nos diz. O Flamengo confirma o empréstimo mas no Benfica não há necessidade nem vontade de informar os adeptos. Tanto faz. Se fosse uma merda qualquer para fazer um comunicado em guerrilhas de palavras com o Porto, ah isso estava logo o Gabriel aos saltos para lançar um comunicado a que os patetas responderiam com enormes ovações: "brilhante!", "assim é que é!", "chupem!", "nós nos comunicados somos os maiores!".

Não há pachorra para tanta incompetência por parte de quem devia defender o clube e não há mesmo paciência para estes acéfalos que nada dizem, nada fundamentam e seguem em rebanho as ideias do pastor.

editor69 disse...

Tu tem cuidado que ao escrever este post poderás correr perigo de vida...já para não dizer que deixarás AUTOMÁTICAMENTE de ser Benfiquista.

low desert puke disse...

Nao detenho nem metade das informaçoes sobre a maioria dos personagens por ti descritos, Ricardo. Mas pelo que tenho observado no clube nos ultimos anos sou obrigado a corroborar contigo.

Hà demasiados paradoxos comportamentais naquela direcçao. Hà pouca defesa do Benfica e da sua diferença para outros clubes. Hà muito pouco profissionalismo e muito pouca frieza ao gerir tantas e tantas situaçoes.

Hà demasiada falta de benfiquismo...

Eu quero um novo presidente.
Um daqueles que opta por nao assinar um cheque de nove milhoes de euros por um guarda redes, mesmo que se chame Van der Saar. Que rasgue esse cheque e desça até ao balneàrio abraçando Quim e lhe diga nos olhos "eu quero que continues no clube!"
Quero um presidente que renova com o Maxi um ano antes do fim do contrato, em vez de alimentar novelas intra ou extra Benfica.
Eu quero um presidente que se empenhe a meter na ordem um canal de tv do clube. Fomos tao lestos e brilhantes a ser os primeiros dotados deste meio que chega a ser triste o que por là se faz e diz. à frente das camaras e atràs delas...(ex-colegas meus da universidade sportinguistas assumidos trabalham là, mas a um dos meus melhores amigos, benfiquista desde que nasceu acenaram-lhe com um contrato de 450 euros/mes devendo ainda pagar os impostos.)

...

Eu quero um presidente que, mesmo que nao saiba falar um portugues correcto, saiba amar e defender o clube.

Deixo uma ideia para um futuro post: haverà alternativa a Vieira? Quem?

Viriato de Viseu disse...

Ora bem,
Não só o autor do post como a quase totalidade dos comentários, afinal pelo mesmo diapasão de que o nosso Sagrado Clube está entregue aos do...CONTRA.

Assim sendo,
Não basta criticar por criticar, por que urge arranjar soluções porque Outubro de 2.012 é já ao virar da esquina.

Soluções? Nomes???

Viriato de Viseu disse...

...afinal não....afinam, quero eu dizer.

Anónimo disse...

O costume é os devedores ficam nas mãos dos credores, qual é a novidade?
Quando a dívida é ENORME ainda pior...

Carlos Alberto disse...

Achar que o João Gabriel é lagarto, mais, chamar depreciativamente um dos melhores jornalistas portugueses de Mr. Burns é de um pobreza que diz bem sobre o seu autor.

Nunca comento neste blog mas isto é no mínimo inqualificável.

Um gajo (que eu gosto muito) que dá umas opiniões sobre cinema, que escreve umas coisas sobre futebol é máximo dos Benfiquistas, um homem que lutou pelos direitos de um povo inteiro, que defendeu uma causa nobre colocando-se em risco para aí sim com PERIGO DE VIDA, defender benfiquistas é um Mr. Burns.

Pró caralho... é só o que me apetece dizer!

José Vieira disse...

Caro Ricardo, não enveredes pelo discurso fácil, o do "benfiquismo", até porque é perigoso professares um clube bacteriologicamente puro.
Preferias o benfiquismo de Vale e Azevedo?
Afinal, erramos nós ao contratar um jornalista d'o jogo ou o Braga ao contratar um benfiquista?
Este teu "post", levado ao limite, nunca teria permitido que Fábio Coentrão (lagarto de nascença agora "merengue" desde pequenino) tivesse vestido a nossa camisola.
Achas que faz algum sentido questionar se Antero Henriques é portista de nascença?
Caro Ricardo, discursos destes mantêm alguma actualidade, é certo, mas apenas inflamam o benfiquismo, não engrandecem o Benfica.
O engrandecimento do Benfica faz-se, essencialmente, com profissionalismo, com competência.
Tu próprio pareces perceber essa diferença, caso contrário não identificarias o Nuno "Gomes" como uma referência do Benfica, logo ele que tinha como referência um antigo goleador portista.

Armando disse...

A democracia é um lugar difícil, não é caro MM? Francamente, só me faltava um sportinguista "ter pena" do Benfica! Devemos ter batido mesmo nu fundo, para aí uns 9 Kms., bem no meio da fossa do Atlântico. Claro que o Ricardo ajuda ao peditório, mas caro MM convém não exagerar, no aproveitamento. E já que se interessa tanto por questões benfiquistas — nenhuma objecção — então porque não nos ilumina, explicando onde, como e qual o significado do “fundo” de 50/ 60 milhões de que dispõe o Sporting? Milagre ou …É que gostaria de saber o segredo da Milificação dos pães?

Discordo dos últimos textos do Ricardo, não por não tenha razão na maioria das coisas, o problema é o da perspectiva — benfiquismo? — na água suja do banho vai também o menino. O Benfica não é o PC — partido…— mas convém não perder a perspectiva, ideológica, como o Ricardo gosta, a nossa linguagem não pode confundir-se com a linguagem dos inimigos, muito menos servi-los.

Por exemplo, uma das poucas atitudes, ideologicamente correctas, de LFV foi a antecipação das eleições. E porque? Porque a “oposição” de que fala o Ricardo, é um bando de interesseiros e servidores de interesses contrários ao que entendo serem os do Benfica, comandados por um sinistro Dr. Rui Rangel, onde se acolitavam todo um conjunto de vadios que a CS inimiga utiliza como “notáveis”.

Correcto seria o Ricardo avançar com alternativas, nomes. Que me lembre, fui o único que o fiz, apontando o nome necessário e “revolucionário”, coisa que o Benfica já foi e não é, daí a curva da decadência.

Como diz uma canção: “Para melhor está bem, para pior já basta assim”.

Portanto, nomes, perfis, já! Indiquei um nome, que saiba fui o único que o fiz, aqui ou noutra lugar. O perfil é desnecessário: o homem tem 35 anos, idade para se candidatar à PR, é licenciado e uma inteligência mais que provada. Só falta que ele queira, nenhuma dúvida para a sua capacidade de ganhar. Vamos a isso? A não ser que me apresentem candidato mais credível. Não vai ser fácil, acreditem.
PS. Caro J. Vieira, sem ofensa: que raio de clube é o MEU Benfica?

MM disse...

Estimado Armando, e demais presentes,
A democracia nao e um lugar dificil. Ja o que se faz com ele, e um lugar muito defeituoso, e vos sois a prova disso mesmo: ofereco-lhe (nao a si, mas ao seu clube) o meu sincero lamento e pena, e voce retribui dessa forma, "era o que faltava um Sportinguista ter pena do Benfica".
Pois e Armando, por essas e por outras e muito complicado ser-se neutro em relacao ao seu clube. Ate adeptos - como o Armando - que nao sao parte dos 99% de imbecis que constituem a massa adepta do Benfica preferem na maioria do tempo usar-se dessa arrogancia que nao tem razao nenhuma de existir.
Nao quer que eu sinta pena do Benfica? Pois sinto-a, o que quer que faca em relacao a isso explique-me la?
Sejam mais modestos. Os adeptos do Benfica, e o Benfica, nao tem realmente capacidade de aprendizagem nenhuma. Continuem a ser arrogantes, porque e meio caminho andado para continuarem a ser humilhados. Como foram hoje de resto, mais uma vez.

Armando, nao sou ninguem para defender ou fazer de advogado de defesa do Ricardo mas, acho extremamente injusta postura que quase todos vos adoptam em relacao a ele: o Ricardo e tao benfiquista como qualquer um dos demais, e nao devia ser punido la porque tem a nocao exacta daquilo que o seu clube (nao) vale. Trata-se de realismo, coisa que falta a muitos de vos.
Mas nem e surpresa isso, porque ate o Ricardo se engana (a si proprio) vezes demais.
E como escrever um texto e dar-lhe como titulo "A mistica morreu", eu vir aqui dizer-lhe a minha adversaria mas humilde opiniao de que "Tens razao caro Ricardo, mas a mistica nao morreu porque nunca existiu", o que, para os efeitos do presente e a mesmissima coisa, porque significa que - hoje - nao existe, e ele ataca-me do modo que sempre faz: bla bla bla, o Glorioso, o Sporting nao vale nada, 40 pontos em 2 anos, o Eusebio, e o inferno da Luz e pronto, nao passamos disto.
Mesmo quando fazem um retrato mais ou menos fiel da realidade, recusam-se depois a ser confrontados com algumas verdades que vos custa ouvir, naquela que sera sempre uma expressao democratica que - entre outras - contempla o direito a divergencia de opiniao, quando aqui nem ha divergencia ...

O Ricardo fa-lo com os adversarios.
O Armando idem.
O Armando e outros, fazem-no com o Ricardo.
E no fim, quem sofre, e o Benfica. Verdade, ou consequencia? Eu acho que e consequencia Armando, porque ao contrario do que pensam, a culpa e toda vossa. Estao no estado miseravel em que estao por vossa exclusiva responsabilidade.

Porque sao um clube de adeptos ressabiados, invejosos, agressivos, arrogantes, incapazes de reconhecer derrotas, sempre a procura da justificacao facil, incapazes de aprender, e profundamente limitados.

E porque sao todas e cada uma dessas coisas: continuarao a ser castigados como merecem, porque e muito facil humilhar quem nao revela respeito pela vida, pelo desporto, pela concorrencia, pela vida em sociedade, e porque preferem nao sair desse registo fantasista onde apenas sao gloriosos nas vossas proprias alienadas cabecas.

Ricardo disse...

E muitíssimo bem dito, Carlos Alberto. Foi um "pró caralho" vigoroso, másculo, foi de homem, Carlos Alberto!

Muito bem nesse particular. Já no dar argumentos, que é bom, zero. Mas tudo bem. Ao Carlos que, tem amnésia, eu facilito.

E gostei de saber que o verdadeiro Salgueiro Maia é o nosso Director de Comunicação. Eu proporia talvez o Otelo para Presidente.

José, esse argumento de trazer Vale e Azevedo à discussão é a chama levantada por Vieira há mais de 10 anos para manter o povo no medo. Típico de tiranias. E o curioso? O povo come e cala.

Quanto ao resto, dispenso conselhos sobre o que engrandece ou não o Benfica e começo a ficar um bocado farto desse discurso miserabilista. Como se por eu escrever num blogue umas verdades óbvias o Benfica fosse acabar. Deixem-se de paneleirices!

E quanto ao Fábio ser lagarto de nascença ou não, se uma pessoa lê este texto e pensa que defendo que os jogadores têm de ser todos do Benfica desde fetos, bom, er... ficamos assim.

Armando, eu discordo desse discurso de coitadinhos cujo lema é "não falemos em praça pública!", depois passa para "não falemos em praça privada" para acabar em "n
ao falemos sequer em casa". Por amor de Eusébio, os problemas têm de ser discutidos, falados, encarados de frente. Tudo isso, toda essa conversa de fazermos o jogo dos adversários, é tão superficial. O que conta é que se resolvam os problemas. E um blogue, como um café, é um espaço público - eu quero lá saber se os portistas, sportinguistas, ou outros istas vejam a minha opinião sobre o Benfica, desde que possamos discuti-lo.

Esta é a minha posição: não estou satisfeito com quem nos dirige. É só. Chego, escrevo um texto, dou a minha opinião, parece-me que geralmente fundamentada. Quem discorda dela, tem dois caminhos: chamar-me abutre ou convencer-me a apoiar esta Direcção com argumentos. É para isso que cá estamos. Mas não. Ou chamam abutres ou duvidam deste benfiquismo. Chamam-lhe prejudicial. Chega a ser cómico: o meu benfiquismo é prejudicial, mas o não-benfiquismo de quem nos dirige não o é.

Quanto ao dar nomes, não sou da opinião de que é necessário dar nomes para poder criticar aspectos negativos das opções de quem lá está agora. Mas, sim, aceito o desafio. Farei um texto sobre o perfil que defendo para os dirigentes do Benfica. E, como já te disse, RAP é um nome interessante para a estrutura. Já como Presidente, não me parece. Mas quero que me convenças do contrário.

MM, de uma vez por todas: se tu vieres aqui dar a tua opinião sobre a realidade benfiquista sem esse Evereste de arrogância e mal-educação (sim, os mesmos que depositas aos benfiquistas), terás resposta à altura. Enquanto o tom do teu discurso for esse, tens a resposta que mereces. E, que ainda assim, é bem melhor do que qualquer outra que eu receberia num blogue do Sporting (com raras excepções). Portanto, repensa lá essa coisa das idiossincrasia de uma vez que já começa a enfastiar essa megalomania. Pareces um benfiquista, pá.

Ricardo disse...

*má-educação

MM disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ulrich Haberland disse...

Armando,

Partilho da sua simpatia pelo RAP mas o RAP não poder ser candidato à luz dos novos estatutos do nosso clube.
De facto, o Presidente da Direcção terá obrigatoriamente de ser, à altura da data da eleição, sócio efectivo há 25 anos ININTERRUPTOS (Artº 61º, nº2). Sendo que só se adquire o estatuto de sócio efectivo aos 18 anos de idade (Artº 11º). Assim a idade mínima para se poder ser Presidente do SLB é de 43 anos. Se o RAP tem 35 anos, pode ser Presidente da República mas não pode ser Presidente do SLB…

Quanto diz que “… uma das poucas atitudes, ideologicamente correctas, de LFV foi a antecipação das eleições. E porque? Porque a “oposição” de que fala o Ricardo, é um bando de interesseiros…” não acha que é passar um atestado de menoridade e estupidez aos Benfiquistas?
Aceitar que se “adaptem” as regras, em benefício de um, a meio do jogo em nome de um meramente putativo perigo é uma contradição insanável num clube que se orgulha do seu passado democrático.

“Para melhor está bem, para pior já basta assim”.
Sinceramente custa-me entender esta teoria, que vejo ser tão querida de tantos hoje em dia… É desresponsabilizadora, niveladora por baixo, triste, cobarde.
O conformismo é uma doença em fase adiantada de propagação, é preciso combate-la.
Não foi sempre, e assim continuará a ser, uma questão de discernimento, ponderação, em último caso, de “feeling” o que nos leva a tomar decisões relativamente a terceiros? E depois esperamos que o melão escolhido seja bom

Nomes para a Presidência do SLB? O meu preferido seria Rui Costa mas não é “presidenciável”. Dadas as regras actuais o leque de escolha é certamente reduzido, uma consulta aos “cadernos eleitorais” do SLB pouparia muito tempo de discussão à volta de nomes.
Mas aceitando o seu desafio e sem preocupações estatutárias diria, sem qualquer ordem de preferência: Leonor Pinhão, Jacinto Lucas Pires, José Fialho Gouveia, Luís Tadeu.

PS – O Armando foi uma grande aquisição aqui para o tasco! Apreciei especialmente o seu escrito sobre o fenómeno “noyaux”!

Hattori Hanzo disse...

Bom texto. De facto opor-se a esta ideia e dizer que o que interessa é estas figuras serem boas profissionais tem a sua graça. Principalmente porque a única razão pela qual estas figuras estão no Benfica não será de certeza isso, parece-me mais serem amigas do "caro presidente". É que chegou-se a um ponto em que pelo contrário parece que o único requisito para se pertencer aos poderes de decisão do clube é precisamente o contrário: não ser benfiquista. Depois como querem que haja mística por parte dos jogadores se nem quem manda deles a sente. Só um reparo Ricardo (não é que eu concorde com a vinda dele para mais nesta altura), por estranho que pareça Octávio Machado é ele sim benfiquista.

José Vieira disse...

Caro Ricardo, fiquemo-nos, pois, por aqui, até porque - ao contrário do que pretenderias - não encontro qualquer motivo para te chamar abutre e (muito menos) convencer-te a apoiar esta direcção.
Aliás, novamente ao contrário do que pensas, não propões (dois) caminhos alternativos a quem te lê, pois calcorrear o percurso inverso não faz dele um novo trilho.
Enquanto não perceberes isso vais continuar encurralado neste beco sem saída. Avisa quando estiveres disposto a encontrar um caminho alternativo, tão necessário quanto urgente para o nosso glorioso.

P.S.: Já agora, para percebermos o quão fundamentadas são as tuas óbvias verdades: de onde conheces o João Gabriel? Espera...Mr. Burns...está visto...está muito bem visto...conhece-lo da televisão!

low desert puke disse...

Por vezes esboço um sorriso ao ler cada novo episòdio da patética quimera do MM.

Sao sorrisos fugazes, no entanto. Subitamente substituidos pela interrogaçao...Lembrando-me do par de titulos erguidos pelo sporting nos ultimos 30 anos and counting, ou da magnifica noite da eleiçao do Godinho. Continuo a perguntar-me onde raio vai buscar o MM as forças para insistir tao veementemente em ser alvo da chacota geral?

Miguel disse...

Ricardo, concordo em absoluto: não haverá ninguém Benfiquista e profissionalmente competente para integrar os quadros do Benfica?

A presença de gomes e oliveira (com letra bem pequenina) na Catedral é vergonhosa e insultuosa para o Benfica, para os Benfiquistas e para a História do Clube - e não mencionaste os abraços ao amigalhaço salvador...

Aliás, o gomes está onde está porque foi acolitado por LFV e JEB... Quem ainda se está a rir à gargalhada sei eu (sabemos nós) quem é.

Alguém aqui se referiu a Rui Rangel como uma figura sinistra. Sem ironias, quero perguntar a que se deve esse epíteto. Não conheço o percurso de Rangel e achei-o uma pessoa com alguma credibilidade quando apareceu ligado ao movimento Benfica Vencer. Devo estar enganado e queria saber porquê.

De qualquer modo, seguramente que na próxima eleição (caso não haja mais nenhum golpe estatutário pelo meio) aparecerão nomes que podem ser boas alternativas. Pessoalmente, acho que Humberto Coelho seria um bom candidato. RAP daria um excelente director de comunicação. Mas fico a aguardar o teu texto sobre o perfil adequado para os dirigentes do Benfica.

Nos tempos (de má memória) de Vale e Azevedo, chegou-se à mesma histeria: quem criticava o Presidente e a Direcção era imediatamente apodado de anti-benfiquista, e quantas vezes insultado.

Pedro disse...

Ricardo, repara q os do costume só insultam, não refutam o q escreves. Isso mostra tudo.

Cheira-me a mamões do SLB. Voltamos ao tempo do Damásio...

Armando disse...

Há poucos ditos populares que recolham a minha simpatia e um deles é aquele que dia que”quem semeia ventos, colhe tempestades”. Diz o caro MM que os benfiquistas são arrogantes, perdedores e não sei que mais. Primeiro, conviria que MM nos dissesse qual ou quais os termos de comparação, Porto ou Sporting?

O Porto é aquilo que considero um clube de pais incógnitos, pessoas que a partir de uma simples notícia de jornal, acrescentaram 13 anos à sua fundação, sem qualquer facto desportivo que o justifique. O Sporting é diferente, tem paternidade conhecida. É um clube presente, uma bondade de um avô para um netinho: consta do site do SCP, uma afirmação do neto do visconde: “vamos ter com o meu avô e ele dá-me, “compra-me outro clube!” . Um pouco tempo antes, o principal dinamizador do que viria a ser o Benfica, o que hoje seria um ajudante de farmácia, esqueceu-se, por modéstia ou distracção, de incluir o seu nome na assembleia constitutiva: Cosme Damião.

Escolheram, como divisa. “e pluribus unum”, que qualquer pessoa, minimamente culta, sabe que significa “o todo é mais que a soma das partes”. Ignora-se quando surgiu a divisa do Sporting, sabe-se que o símbolo, o leão rampante — trata-se de heráldica — só surgiu ao fim de quatro anos e foi pedida emprestada a uma família nobre de Lisboa. Daí que Sousa Cintra, pretendendo renovar a imagem do leão sportinguista, tenha ficado furioso quando lhe apresentaram a proposta de um leão, preguiçosamente deitado.

Resumido, caro MM, posso, perfeitamente, conviver consigo neste espaço, desde que não me chateie com parvoíces.

PS. A questão proposta pelo Ricardo não está esgotada, tenho algo mais para dizer.

Armando disse...

E, sempre, a língua portuguesa, a minha bola,é cada chuto na dita! Sou desleixado e impaciente, daí que muitas vezes, a minha assistente, com um "canudo", leve, no fim do mês, mais dinheiro para casa.Desculpem, sou assim: escrevo como respiro e como tenho problemas respiratórios...

Armando disse...

1 — Não sei se já repararam que existem três palavras que os portugueses têm muita dificuldade em usar fora dos contextos apropriados:” ideologia”, porque obsoleta, “ política”, fora do partidário, e “amor”, talvez por timidez, ainda que a razão seja outra, o português é lamechas, raramente sensível, daí que a maioria das excepções se dediquem à poesia e Portugal um país de poetas.

Todos os benfiquistas “amam” o Benfica, todos queremos o “melhor” para o clube. É verdade, não é? Não existem benfiquistas “mais” ou benfiquistas “menos”, é também verdade, não é? LFV, tão criticado neste e noutros espaços, será menos benfiquista que qualquer de nós? Amará ele menos? E nós mais?

Dito de outra forma, será o “amor” uma abstracção, algo muito difícil de exprimir por palavras ou uma coisa simples que se exprime através do concreto, do afirmativo, da soma de actos e atitudes e da disponibilidade, o “dar” sem condições ou troca esperada não é dos menos importantes. E “dar” ao Benfica é muito mais que ser sócio e ir aos jogos, é o dever-direito de participar nas AGs. Sem esta participação, o Benfica torna-se no país, onde os políticos estão nas tintas para os cidadãos, tratados como rebanho eleitoral. E com todas as consequências da sua gestão, o certo é que nunca vi o Benfica mais vivo que no tempo de Vale e Azevedo e quase tenho saudades das tempestuosas AGs com 5 ou 7 mil presentes. E tudo porquê?

Porque definiu, muito correctamente, um inimigo concreto: a Olivedesportos. Um inimigo que persiste no colo e no afago da actual direcção. E tinha razão, não rasgou nenhum contrato, corrigiu uma anomalia de gestões anteriores e a prova está no facto de as duas primeiras estâncias judiciais terem decidido que ele teve razão ao denunciar um contrato leonino, contrário aos interesse do clube e esta é uma verdade inconveniente e muito útil ao status quo, aos “cavalheiros de indústria” que mandam e querem mandar no Benfica. Por “amor” ao clube, claro.

A minha relação de afectividade com o Benfica é deste tipo e já o disse, tive a sorte de poder escolher, não recebi o benfiquismo como herança ou porque sim. Aqueles que me conhecem, sabem que não sou benfiquista: sou do Benfica, ponto. Estão a ver a diferença? Benfiquistas, na sua maioria, são aqueles que querem receber, tudo de borla, sem darem o mais pequeno contributo ao clube que dizem amar, excepto a arrogância — nisto tenho que dar razão a MM — quando o Benfica ganha ou o a crítica inflamada quando as coisas não correm bem.

Há benfiquistas que sabem que não podem falar comigo sobre o Benfica, sabem que não sou do “seu” clube, o que significa que ao aceitar o convite do Ricardo para participar, depois de uma propositada espera, o fiz por entender que ele não se encontra nos antípodas daquilo que penso e sinto sobre o Benfica, porque apesar dos desmandos e exageros de linguagem existem nele as mesmas preocupações que me afligem sobre o rumo e o futuro do clube. Se o Benfica fosse um partido político, diria que temos divergências “políticas” pontuais e formas diferentes de exprimir “o que fazer?”.

Escusado será dizer que as “divergências”, quando não sanadas e se aprofundam, conduzem, inevitavelmente à ruptura, coisa que não desejamos, seguramente e vamos continuar a divergir sobre a conjuntura, esfoladela aqui ou acolá, nada que o “Betadine” não desinfecte. Há uma condição para que a divergência seja construtiva e saudável: nada de pornografia no discurso e embora seja tolerante com os consumidores, o facto não faz de mim um adepto e por uma razão muito simples: o amor que tenho pela nossa parceira de espécie. Infelizmente, muitos benfiquistas, quando as coisas não correm bem têm tendência a deixar-se cair na tentação do criticismo, essencialmente destrutivo e muito diferente da crítica, o reconhecimento do errado como condição para continuar e progredir.

Armando disse...

2 — A crítica, racional, é sempre muito dolorosa, é como que uma auto-cirurgia: dói. Por exemplo, sinto-me sempre espantado quando alguns amigos dizem que nunca deram um tabefe educativo aos filhos. Os meus não levaram muitos, só alguns, em ocasiões em que cirurgia se tornou necessária. Nenhum remorso me incomoda, os meus filhos sabem que me doeu mais que a eles, dai que depois de umas terapêuticas lágrimas, que resultavam mais da surpresa que da dor, a reconciliação foi, sempre, muito emocionante e ainda hoje, quando as memórias surgem, são motivo de risos. Recebi o conceito e não tenho qualquer dúvida que já foi transmitido. Chama-se a isto crítica e auto-crítica, o motor do desenvolvimento de uma sociedade saudável, muito diferente daquela em que vivemos.

De regresso ao Benfica: o criticismo considera as consequências isoladamente, perdendo a perspectiva, ou seja: tem a tendência de ignorar as razões que explicam o porquê dessas consequências, a relação causa-efeito.

No Benfica TUDO deriva do modelo de gestão. Ponto e parágrafo.

Todos os que se interessam com o interior do clube concordam e os efeitos são os que conhecemos, um clube a perder o pé e o futuro. Só que a maioria de nós acho que o clube é mal dirigido, que a gestão não é profissional, uma banalidade que faz parte da conversa da treta.

A questão enuncia-se de forma muito simples: deve o Benfica ser dirigido por uma direcção e um presidente ou deve ser governado por um conselho de administração, o qual contrata um gestor profissional, um CEO, para levar à prática determinada estratégia e pela qual será remunerado e responsabilizado? Gratificado pelo sucesso e pontapé nos fundilhos pelo insucesso? Podemos contestar e recusar o conteúdo da gestão portista, cretino é ignorar a realidade: são único clube com uma gestão profissional e os resultados óbvios. E é num clube de cretinos que o Benfica se está a transformar, “em casa onde não há pão todos ralham (criticam), etc. e tal”. Malditos ditados!

Estão a ver o nó górdio do Benfica? Infelizmente, Alexandre morreu há mais de 2 400 anos.

Ricardo disse...

José, acho que os últimos 2 comentários merecem mas respeito: publica lá isso. Está aí muita coisa que deve ser lida na primeira página.

Quando puder, comento.

Anónimo disse...

Olá Ricardo,

Só duas coisas. Se o João Gabriel é sportinguista eu sou benfiquista ferrenho, o facto de ele se ter agarrado à Taça da Liga a dizer que era nossa, não faz dele Leão ;)

A outra é para o Armando. Ainda se entende o rol de disparates que diz acerca do Sporting pois não é o clube dele mas dizer que "E pluribus unum" quer dizer que o todo é mais do que a soma das partes, faz-me pensar se o homem está a falar mesmo a sério.

Ao contrário da (des)informação prestada sobre o meu clube, vou tentar ajudá-lo para que não repita isso a ninguém. E pluribus unum quer dizer "De todos, um". Há quem prefira "Todos por um" mas não está correcto. Foram provavelmente buscar a ideia ao lema do Estados Unidos que deve ter vindo à boleia com o símbolo da águia mas isso já sou eu a especular. E pluribus unum surgiu de uma frase de um poema de Virgilio chamado Moretum que tinha como assunto uma receita de salada (e verde, olha lá o azar!) A frase era "color est e pluribus unus".

Quanto ao que diz sobre a história do Sporting, acredite que ainda foi mais engraçado. Não foi "compra-me outro clube" mas sim, "irá dar-me dinheiro para fazer outro clube", uma vez que existia uma divergência no clube entre quem preferisse eventos sociais a desportivos.
É assim que se cria um novo clube, mais virado para o desporto. Inicialmente chamava-se Campo Grande Sporting Club sendo que no dia 1 de Julho de 1906 por proposta em AG do clube adopta a nova designação de Sporting Clube de Portugal. Esta passa a ser a data oficial de nascimento do Sporting de hoje (o original era o clube de Belas de 1902). Quanto ao brazão não é desconhecido como diz, foi solicitado a uma família nobre à época que acedeu única e exclusivamente para ser o símbolo do clube, um Leão rampante.

Desculpa lá a intromissão Ricardo, boa sorte em lidar com os teus.

Abraço de Leão,
Verdão.