sábado, 28 de abril de 2012

1000 euros a quem conhecer 10 jornalistas portugueses [desportivos, no activo, conhecidos da populaça] que admitem o clube de que são adeptos

Isto - este nojo, que é a capa do jornal "A BOLA" de hoje - é resultado da inexistência de jornalistas desportivos em Portugal. Menos cáustico e mais verdadeiro: eles existem, só que não têm poder, estão arrumados em prateleiras, na horizontal ou então servem cafés aos directores e aos sabichões - aqueles que, com dois candidatos à Presidência do Sporting, fazem notícia com a vitória do candidato errado, por exemplo. Ou então aqueles que abdicam dos serviços de um cronista sportinguista só porque o mesmo respondeu à letra a um cronista portista - igualdades, sim, mas só no dia 25 de Abril e de cravo ao peito! 

Há ainda aquele que não aceita, bem, uma pequena indiscrição de Gobern - quando o comentador festejou um golo do Benfica, pensando não estar a ser filmado - mas não tem problemas nenhuns, o Santos, em manter num programa de grande audiência um senhor totalmente embezanado que, além da estupidez latente que já lhe percorre as veias e a massa encefálica sempre que respira, com o álcool atinge momentos de grande qualidade humorística e até laivos de hilaridade. Mas para o senhor Santos, que gosta de rir, está tudo bem. O Senhor Gobern é que com aquele espasmo faltou ao respeito aos portugueses.

Não há, no mundo desportivo português, muitos que se mantenham direitos. Por medo, por cobardia, por ambição, por degredo mental. Basta ver que é raro o jornalista que tem clube conhecido. Geralmente o jornalista desportivo português é do Casais de Revelhos ou do Cantaria da Alçoita - isto porque são clubes que verdadeiramente mexem com o jornalista. Entende-se: o clube "lá da minha terra" passa os anos a disputar o campeonato, a Champions, a Intercontinental - quem são Benfica, Porto, Sporting, Académica, Belenenses, Vitória ao pé deles?

O jornalista desportivo português é um bicho estranho. Ele sabe de tudo o que se passa no mesmo mas, por ordens superiores e instinto de sobrevivência, tem de fingir que nada sabe. Ele tem de escrever loas ao Porto, ainda que ele saiba que o Porto é o principal beneficiado - mas de muito, muito longe. Ele vê que os penáltis a favor do Porto muitos deles são dúbios e que lances iguais nunca são assinalados a favor dos restantes clubes mas ele tem de dizer que "a vitória por 1-0 de penálti foi o resultado justo, tal foi a torrente ofensiva dos dragões". 

Ele sabe que, nos momentos cruciais, o Porto leva o empurrão que o deixa quase sempre com as taças na mão mas ele não pode deixar de escrever que "estes títulos são a consequência de 30 anos de competência". Ele nunca viu o Benfica ganhar um jogo no Porto com um golo em fora-de-jogo, mas ele lá vai ter de dizer que "um lance não resolve jogos". Ele estranha que Sporting e Benfica nunca possam resolver aqueles encontros bloqueados com um penaltizinho em cima da hora, meio dúbio, ou, como na semana passada, fora da área e com o atacante do Porto a puxar a camisola do defesa adversário - ele nunca viu tal coisa. Ou se viu, foi uma vez, há muito tempo, e provavelmente num amigável ou na Taça de Portugal contra uma equipa fraca. 

Ele leva os cafés aos senhores que mandam nele e ele às vezes, por ressaca, está meio fora da realidade e meio naquela neblina de cansaço e álcool e pergunta, inocentemente: "mas ó xôr director, a gente não investiga?", "a gente sabe que isto não é igual para todos, toda a gente que anda nisto há 30 e tal anos conhece o que se passa, não há forma de ajudarmos a limpar o futebol desta gente?". Pobre do sonhador, que no dia a seguir já tem lá uma cartinha em cima do portártil: "ou deixas-te de merdas ou amanhã podes ficar a dormir".

O jornalista desportivo português escuda-se com a Lei: "isso é coisa para juízes, nós não temos obrigação de julgar em praça pública". Pois não. Mas devias ter a obrigação - e até o prazer, e até a vontade, e até a decência - de querer saber e divulgar a verdade e não este lamacento atirar areia para os olhos dos outros, como se vivêssemos num mundo de cegos em que só passando as mãos pelas notícias podíamos saber e viver a realidade. 

Eu quero lá saber se as escutas não são legítimas nos tribunais, caralho. Eu quero é saber o que elas demonstram e quero que tu e os teus amigos jornalistas vão atrás daquilo que elas dizem e não se elas são aceites ou não em julgamento. Que jornalismo de merda é este que se acanha perante as hipócritas e desviantes formas de evitar a verdade que os dirigentes executam nem sequer com tão grande qualidade artística? Onde vivem as vossas consciências, o vosso brio, as vossas entranhas? Perdidas entre favores e gestos de assentimento com a cabecinha olhando para o chão.

Não têm clube, mas gostam de futebol. Têm um trabalho que envolve maioritariamente um desporto específico, dizem-se amantes do futebol, adoram citar Nelson Rodrigues ou Valdano, mostram-se tão cultos e tão defensores da pureza e arte e génio e transcendência do desporto na sua forma mais primária e depois dizem-nos que não têm clube, que não sabem de nada, que não viram nada, que desconhecem como chegaram até aqui - se de gaivota, andorinha ou cegonha. Que o mundo vos é estranho, que não o entendem. Que, no dia a seguir ao Guardiola se despedir do Barcelona, nem sequer estavam na redacção quando alguém, provavelmente agarrado a um leitão e dois javalis, decidiu esta nojeira de primeira página.

Porque são todos muito puros, não têm provas de nada. Eles amam o futebol. Por eles, se fosse por eles, ai se me deixassem, agarrem-meagoraqueuvoumaeles, isto só lá vai com uma limpeza, estive quase quase para, ou muito me engano ou.

Cortem as asas. Comprem uns colhões.

30 comentários:

PB disse...

Vou contar-te algo mt grave que se passou nesta semana, por causa de um fdp dum jornalista de seu nome Pedro Cadima.

Tens seguido o "a minha bola"?

Um fdp dum jornalista incendiou o ambiente e o 1o Dezembro feminino acabou a ser insultado, agredido, apedrejado e enchovalhado no Bessa. Não posso revelar mais pormenores aqui.

A MC tem saido nos jornais todos. Levou 4 estalos no bessa, numa cena orquestrada até com a própria policia.

Bicadas disse...

Caro Ricardo,

Depois de ver o título, já nem vi o post:

Leonor Pinhão - Benfica
Miguel Sousa Tavares - Porto
Ribeiro Cristovão - Sporting
Daniel Oliveira - Sporting
João Gobern - Benfica
Jorge Gabriel - Sporting
Pedro Ribeiro - Benfica
José António Lima - Sporting
João Malheiro - Benfica
Júlio Magalhães - Porto
Miguel Prates - Benfica
David Borges - Benfica
José Rodrigues dos Santos - Benfica
Alfredo Barroso - Sporting
Nuno Rogeiro - Benfica

Bota pra cá !!

Cumprimentos

Ricardo disse...

PB, soube agora do sucedido. Merece divulgação clara e pública.

Bicadas, por não teres lido o post é que entraste de lado. Os jornalistas de que se fala são:

- desportivos
- activos
- conhecidos das rádios, televisões ou jornais

Muitos desses participam na vida pública mas sem estarem a exercer:

Leonor Pinhão é cronista; MST idem; Ribeiro Cristóvão é comentador; Daniel Oliveira idem; Gobern idem; Gabriel idem; Ribeiro idem; Lima cronista; Malheiro idem; Magalhães generalista; Prates - Benfica!?!?!? onde, como e quando o assumiu?; Borges, onde quando e como? Santos generalista; Barroso comentador; Rogeiro comentador.

Nem um.

JNF disse...

José Manuel Delgado - SLV
Rui Loura - Beira-Mar

Faltam 8...

Bicadas disse...

Bom, já pareces o gajo da oficina a fazer o orçamento...

Pronto, se não tens guita eu faço um desconto... Mas todos são jornalistas... no curriculum.

Sim, Prates é Benfiquista e já o admitiu. Contou até a história de que, durante muitos anos, na RTP, tinha que dizer que era do Estrela da Amadora.

O único que não tenho confirmação factual, apesar de saber que é Benfiquista, é o David Borges.

Mas foi só uma brincadeira. É, de facto, notório o enviesamento que se produz no espaço mediático.

Cumprimentos

P.S: ficamos por 500?

Anónimo disse...

Carlos Daniel - Benfica

bjorn disse...

tudo isso é bem verdade meu caro, mas infelizmente já é banal. já a capa da bola é uma coisa nunca vista, uma abjecção tal que senti vergonha - alheia e própria, algum mérito há-de ter. por acaso quando a vi pensei escrever sobre ela.

Bicadas disse...

Ò JNF, está a chamar jornalista ao JMD?! Prontos, está bem, junta umas letras para A Bola...

Cumprimentos

Ricardo disse...

JNF, muito bom :)

Bicadas, agora já leste o post? Se não, vai ler e depois traz as tuas conclusões; se leste, já entendeste (espero) que o que importa aqui saber é por que razão os jornalistas DESPORTIVOS que estão DIRECTAMENTE ligados ao futebol em Portugal, as pessoas que informam, desinformam, comentam, analisam não admitem a sua preferência clubística. Ao contrário do que se possa pensar, esse assumir o clube do coração libertaria os jornalistas para uma isenção tremendamente maior - em vez de qualquer um poder ser apelidado de benfiquista, portista ou sportinguista, consoante a doença do adepto, imagina um jornalista assumidamente benfiquista a poder fazer o seu trabalho e, sendo competente, a elogiar uma medida ou uma jogada ou uma filosofia de alguém relacionado com o Porto.

Admitir que se tem clube - ainda para mais alguém que vive disso e que disso sente paixão - não deve ser nenhum tabu. Dizer qual é para toda a gente saber teria o condão de abrir o jogo, mostrar o jornalista tal qual ele é - humano e imperfeito e igual aos outros, com escolhas e paixões - e permitir-lhe-ia, se fosse caso disso, demonstrar capacidade e competência. Assim, tudo é secreto, tudo é mudo. Tudo mais apto à polémica, ao insulto fácil, à crítica sem fundamento por parte de quem lê, ouve ou vê o trabalho dos jornalistas. Tudo fica no espaço de ninguém, sem critérios, quase como os árbitros que tanto podem, em duas jogadas iguais, marcar penálti ou dar amarelo ao atacante.

Entendida a ideia do post (uma delas), acho que poderás entender melhor a filtragem que tive de fazer aos nomes que apresentaste. Porque aqui o que me importa é saber por que razão estes não dizem de que clube são:

- jornalistas da Sporttv;
- jornalistas d´"A BOLA";
- jornalistas do "Record";
- jornalistas da "TSF";
- jornalistas da "RTP";
- etc.

Ou então, ainda mais simples: de que clube são Miguel Prates, Helder Conduto, Hugo Gilberto, Manuel Fernandes Silva, Mário Fernando, Paulo Sérgio, Rui Loura, Alexandre Afonso, e agora continuem a lista entre gente que directamente está ligada ao fenómeno: repórteres de campo da rádio, jornalistas da sporttv, rtp desporto, da sic (desporto), dos jornais desportivos.

Quase ninguém, de entre esta gente, assume o seu clubismo porque...?

Ricardo disse...

Desconhecia essa do Prates, mas se garantes que ele o admitiu, fica como o primeiro - apesar de ter sido um caso esporádico. Faltam 9. Cummprimentos.

Ricardo disse...

Anónimo, o Carlos Daniel não exerce no momento a actividade de jornalista desportivo. Comenta num programa sobre futebol e é só, mas não produz informação. Dá opiniões, é diferente.

Bjorn, o "A BOLA" está um circo autêntico. Os benfiquistas deviam deixar de comprar o jornal até que os conteúdos melhorem e saiam de lá os censores. É mau em demasia.

Fernando disse...

Joao Ricardo Pateiro TSF- Benfica
Carlos Daniel-RTP- Benfica
Paulo Sergio- RDP- Sporting
Rui Orlando- Sport tv- Porto
Pedro Azevedo- RR- Porto
Bernardino Barros- RR- Porto

JNF disse...

Não vale dizer que são do clube da terrinha, como faz o Rui Loura?

JNF disse...

Olha, o Zé Nunes é assumidamente benfiquista.

Bicadas disse...

Pronto, não te zangues. Se estás com problemas de orçamento podemos conversar...

Podes aceitar o Paulino Coelho (RR - Sporting)? desculpa, estava a brincar.

A questão é que os senhores têm que ganhar a vida, só isto.

A minha opinião é de que a ocupação do espaço mediático é, só, um dos maiores problemas da sociedade portuguesa, com uma dimensão exponenciada pela baixa qualificação média do público.

Depois temos uma certa oscilação do, dígamos assim, nível de honestidade. Há para todos os gostos, desde fanáticos com a mais elevada dissonância cognitiva, até aos que, sem pudor, vendem o seu espaço, passando pelos que "vão com a onda" sem sequer irem à net pesquisar qualquer coisa para saberem do que estão a falar e ainda pelos louvam o patrão seguindo a orientação que julgam agradar.

A verdade é que, para mim, não há isenção. Não existe. Só com a distância do tempo se consegue perceber melhor as coisas. É assim, intrínseco. Por exemplo, crianças de agregados desfavorecidos desenham moedas de um euro com dimensões muito superiores às desenhadas por crianças de classes altas. Não se apercebem, mas é assim, e todos sabem a dimensão real das moedas.

Cumprimentos

P.S.: pronto, vá lá, 300€ em suaves prestações mensais, pode ser?

Ricardo disse...

Desculpa, Bicadas, aproveitei para explicar melhor o que queria dizer. Não era nada contra ti.

Ricardo disse...

Sim, JNF, mas aparece como comentador - pelo menos na rádio e televisão. Desconheço se exerce nos jornais, mas acho que não.

Ricardo disse...

Portanto, até agora, temos 0. Muito bom.

Bicadas disse...

Se alguém me dissesse o clube do Freitas Lobo matava-me a curiosidade...

Cumprimentos

Anónimo disse...

o freitas lobo além de parvo é adorador de corruptos embora faça de conta que é do braguilha... gajo nojento

JNF disse...

O LFL diz-se do Braga. O avô foi fundador.

O Sousa Martins da TVI disse uma vez numa revista que li no dentista que era do Trofense.

Mentiroso disse...

Hoje desabafo eu!

A contratação de Jesus foi uma má opção. É preciso assumi-lo com toda a dignidade e convicção. Vejamos:

Ano 1
Jesus tinha ao seu dispor a melhor equipa desde os anos oitenta. Com Maxi, Luisão, David Luiz, Coentrão, Javi Garcia, Ramires, Di María, Aimar, Saviola e Cardozo, perante um FCP amputado de Hulk metade da época, o Benfica garantiu o título somente na última jornada.

Ano 2
Queda a pique no último terço da época com jogos em casa que foram autênticas humilhações para sócios e adeptos. Eliminados pelo Braga nas meias-finais da competição que poderia ter salvado a época.

Ano 3
Perante o pior FCP das últimas décadas, com um treinador que ganha cerca de um terço dos mais de dois milhões líquidos auferidos por Jesus, O Benfica perdeu um dos campeonatos mais fáceis de conquistar.
Com um plantel composto por Eduardo, Artur, Maxi, Luisão, Garay, Capdevila Witsel, Javi, Gaitan, Cardozo, Aimar, Saviola, Nelson Oliveira, Rodrigo, Nolito, Bruno César, Enzo Pérez, Matic, Rúben Amorim, etc., não seria difícil a qualquer treinador de segundo plano fazer bem melhor.

jzz disse...

Esse Sousa Martins descaiu-se no programa do Futre e disse que quando era adolescente foi ver o Porto à Covilhã.

Ricardo, parabéns pelo fantásico post, sinto a mesma revolta por este pais desportivo amordaçado, e hoje nas tvs e amanhã nos pasquins teremos mais exemplos disso, com o branqueamento do "trabalhinho" do sr baptista no Caldeirão.

Por mim, fazia como o Leiria e desistia do campeonato, estou farto desta merda de país

Vitto Vendetta disse...

Manel Queiroz (TVI) - Porto

Martins dos Santos (TVI) - Porto

João Pateiro (TSF) - Benfica

Rui Baptista (ex-RTP, agora é assessor do PM) - Benfica

Bruno Sousa Ribeiro (TSF) - Sporting

o tal Pedro Cadima (A Bola) - Porto

Zé Gabriel Quaresma (TVI) - Benfica

Teófilo Fernando (Antena 1) - Porto

Hélder Robalo (DN) - Sporting

José Marinho (Sporttv) - Benfica

Tens aqui 10, com 100% de certeza. Um dia faço um post,quando souber o clube de todos :)

B Cool disse...

Os jornalistas, tal como os árbitros não têm um trabalho fácil. mesmo que assumam a sua preferência clubística, de nada os salva, pois mal dêem indicações do contrário todos os atacam com 7 pedras na mão.

Hoja em dia há grandes grupos económicos que condicionam severamente o acesso à profissão.

Qualquer jornalista que queira ter futuro na sua carreira, tem de aprender a arte do compromisso, ou como o pões Ricardo, do dobrar da espinha.

O jornalismo de investigação tem 2 problemas, é caro e as consequências são processos em tribunal que levam a que os editores e chefes de redação façam uma censura prévia.

Queres um exemplo, o caso do Público que divulgou que o Sporting tinha dívidas ao Fisco e foi condenado pelo Supremo Tribunal, porque apesar de ter dito a verdade, disse algo que prejudicou a boa imagem do Sporting. Como se a divulgação da verdade pusesse em causa o bom nome de alguém.

Enquanto quem de direito, nomeadamente a justiça deste país, continuar a branquear a verdade, e se calhar razão tem o geração benfica ao apontar o passado e ligações de alguns dos juízes deste país como causa da pouca vergonha.

B Cool disse...

Quanto ao Nuno Luz asseguro que é lagarto

jzz disse...

O Nuno Luz tem o perfil ideal para ser técnico auxiliar de equipamentos do Cepórtem

sustudio disse...

Joao Ricardo Pateiro TSF- Benfica ????

esse gajo é tripeiro do pior.

Vitto Vendetta disse...

Verdade B Cool.

Há dias assisti a um colóquio com um dos fundadores da TSF que nos explicou que o jornalismo é condicionado por processos em tribunais, e que se gastavam rios de dinheiro com isso. No futebol isso já não acontece tanto, pois o dinheiro gasto pelo jornal acaba por ser em conta de hospital do jornalista.

Isto pode parecer óbvio para nós, mas quando dito por quem foi, com a seriedade que foi, só devemos ficar preocupados.

Vitto Vendetta disse...

PS: Quando disse Martins dos Santos era Sousa Martins, claro :) Já agora, o Pateiro é benfiquista e o Nuno Luz é lagarto. 100% sure.