sexta-feira, 6 de abril de 2012

Vieira apoia inequivocamente a candidatura de Pablo Aimar à bancada vip do Estádio de Alvalade

A 4 de Outubro de 2011, o jornal "A BOLA" versava assim:
 
«O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, confirmou, esta terça-feira, que o clube encarnado apoia «inequivocamente» a candidatura de Fernando Gomes à presidência da Federação portuguesa de futebol (FPF).

«Fernando Gomes vai aproximar o futebol amador do profissional. Vai realizar uma reestruturação muito importante, traz uma nova mentalidade e acrescenta em termos de capital humano», defendeu Luís Filipe Vieira.

Fernando Gomes ocupa actualmente e liderança da Liga, que vai perder o dirigente, mas o presidente do Benfica defende que é o candidato ideal para a cadeira da FPF: «O futebol português está em mudança e neste momento é preciso um gestor profissional para o gerir».
»


Há dois dias, enquanto o senhor Vieira aproveitava a derrota polémica em Stamford Bridge para garantir, através de uma demagogia fácil e barata - que poderá vir a ter consequências nefastas para o clube -, mais apoio que o leve a mais três anos de incompetência à frente do Benfica, em Portugal decidia-se que Pablo Aimar merecia ficar de fora de um dos jogos mais importantes da época.

É bom relembrar: dos 22 casos de expulsão por "jogo violento" que ocorreram esta época na Liga Portuguesa, só 2 originaram um castigo de 2 jogos. Mais: o outro caso, de Abdullaye, deveu-se ao facto de o jogador da Académica ser reincidente, o que faz de Pablo Aimar - esse conhecido demónio da carnificina - o ÚNICO, sem antecedentes, a ficar 2 jogos de fora por castigo. 

O caso é de tal excepção que mesmo o adepto menos crente em bizarrias, bruxarias e conspirações há-de perguntar-se a razão para tamanha diferença no julgamento destes lances. Eu, que me mantenho moderadamente afastado das teorias mais profundas sobre desigualdade de critérios e prejuízo constante ao Benfica, tirei a minha fácil e óbvia conclusão: há, na Federação Portuguesa, quem não queira Pablo Aimar no jogo contra o Sporting. 

É, aliás, a única forma de ler este castigo ao argentino. O que diz muito tanto de quem gere os destinos do Conselho de Justiça da Federação como de quem apoiou "inequivocamente" esta canalha para a Presidência. 

Em vez de o senhor Vieira andar a comprar votos com frases ridículas sobre Platini e seus apaniguados - não por serem mentira no seu conteúdo, mas pela parca consequência que terão a nosso favor e que poderão, em sentido contrário, gerar um castigo pesado ao clube - talvez fosse caso para pedir ao Presidente do Benfica explicações sobre que espécie de "apoio inequívoco" foi este a um corrupto que, após ter sido responsável pelas facturas a putas e árbitros, se passeia agora pela gestão do futebol português tomando medidas como esta.

A não ser que o extraordinário e vil pontapé de Aimar tenha sido uma acção incrivelmente atípica e merecedora da diferente conclusão disciplinar, não vejo em que é que os homens liderados por esse corrupto apoiado pelo nosso Presidente se fundamentam para deixar um dos melhores 3 jogadores do campeonato fora de um jogo fundamental para o desfecho do mesmo. 

E o senhor Vieira, sempre tão solícito na arte da demagogia, talvez fizesse melhor se falasse nestes casos e se deixasse de tanto boçal populismo. Talvez tivesse feito bem melhor se, em vez de ir abrir a boca para a televisão pública quando o Benfica ganhava, demonstrasse, nos vários jogos em que o clube saiu prejudicado (mesmo ganhando), indignação e revolta e não, como fez, quando o mal já estava feito e a equipa tinha perdido pontos à custa dos agentes que ele inequivocamente patrocinou. 

Agora quem sofre é Pablo Aimar e quem sofre é o adepto. E quem sofre é a verdade desportiva, essa que tantas e tantas vezes o senhor Vieira defende de boca cheia mas que, pelas suas acções, acaba a morrer, como o peixe.

Um leitor - ex-membro deste blogue - perguntava-me há dias quais as medidas estratégicas fundamentais para o Benfica acabar com estas alimárias que dominam o futebol português. Antes de acções sólidas e estruturais, começaria por uma: não apoiar "inequivocamente" corruptos para a Presidência da Federação. Se calhar, ajudava. Digo eu, que sou mau benfiquista.

11 comentários:

Bicadas disse...

Boas,

Esta direcção já cometeu e comete muitos erros.

Não era preciso ser muito inteligente para perceber o que estava por trás das "novas" lideranças da liga e fpf. A questão é: o que se poderia fazer para contrariar os objetivos corruptos? Esse é que é o bottom line.

Por falar em bottom line, pelo que se percebe a culpa dos dois jogos de castigo ao Aimar é do LFV. Hum...

Cumprimentos

Vitto Vendetta disse...

Eu digo que a solução está em quem comenta o clube, discute os seus reais problemas, desde o apoio incondicional a Jesus por parte da direcção aos puxos das portas avariadas nos sanitários.

O futuro do Benfica passa, em grande escala, por uma geração de blogueiros e tu, Ricardo, encabeças essa lista. Não quero com isto engraxar ou levar os teus leitores a bajulações impróprias, mas é algo de que tenho convicção já há bastante tempo.

Terás, nessa caminhada, o meu apoio.

Ricardo disse...

Bicadas, se a solução estratégica passava por apoiar Gomes - que está longe de ser a única solução, como é óbvio - não havia necessidade de apoios "inequívocos", até porque ele ia ganhar as eleições de qualquer forma. Por outro lado, não vejo em que é que a luta pela verdade desportiva se enquadra num apoio inequívoco a um corrupto. Talvez algum apoiante do nosso Presidente mo possa explicar. Cumprimentos.

Vitto, o futuro do Benfica depende de todos, blogueiros, caceteiros, mineiros, pedreiros, livreiros e todos os eiros benfiquistas.

A problematização do Benfica é algo que defendo e é só. Pensar o Benfica, para além da bola ao poste e das frases feitas de apoio. A blogosfera nesse sentido pode ter um caminho diferente do actual e, sim, concordo que é um importante meio para discutir os nossos assuntos (os sanitários deixo para a blogosfera portista). E há por aí quem, nos próximos 10/15 anos, se bem aproveitado, pode dar muito ao clube, disso também não tenho dúvidas.

Já eu não quero saber de tachos nem de lugares ao sol. Mas apoiarei, como tu, quem ache que pode dar algo ao clube. Quem traga um sentir benfiquista diferente daquele que actualmente gere os destinos do Benfica. Até agora não vejo soluções, mas elas só aparecerão se no Benfica se viva um clima de liberdade, que não existe. Ou que as pessoas - sejam elas quem forem - possam livremente candidatar-se à Presidência. Sem eleições antecipadas ou caciquismos abjectos.

Miguel A. disse...

Certeiro, Ricardo. O apoio a um corrupto miserável como o gomes, os abraços ao salvador e sua presença na tribuna de honra da Catedral são das coisas mais abjectas a que tenho assistido, e que muito caro têm custado ao Benfica. O castigo ao Aimar não é inocente, porque essa gente sabe bem o que faz e com que linhas se cose. Isso não me espanta. O que me espanta, o que me revolta e inquieta é como é que dentro do Benfica pode ser dada cobertura e apoio a mafiosos que andam de mão dada com os corruptos da cedofeita, legitimando e autorizando que o Benfica seja roubado e enxovalhado no campo e na secretaria.

rui disse...

Muito bem dito, A opiniao benfiquista é unanime,aqui cabe perguntar so e categoricamente ao presidente pois nao vi mais ninguem benfiquista que se preze que achou isto bem, correcto,ou ate mesmo algo com pes e cabeça

João Jordão disse...

Eu, desde que Fernando Gomes foi eleito, não comento mais arbitragens/castigos/nomeações, etc. O sr. presidente cavou o nosso próprio buraco, portanto não vale a pena sofrer com estes assuntos. Está tudo bem, se ganharmos, porreiro, se perdermos, fica para a próxima. E que a próxima tenha Aimar.

Ulrich Haberland disse...

TAU!!!


P.S. - É muito bom ter-te como parceiro de bancadas da Luz. Obrigada pela agitação de consciências que sempre promoves por aqui.

JC disse...

O que me preocupa é que o apoio a Fernando Gomes não é um erro. Os erros acontecem - normalmente fruto de alguma pressão ou precipitação - e, bem ou mal, remedeiam-se.

O apoio a Fernando Gomes é reflectido, definitivo e propositado. Qual é o propósito? Só Vieira saberá. Quem é beneficiado? O Sport Lisboa e Benfica não é certamente.

É que nem os mais acérrimos apoiantes de Vieira perceberam esta... Vieirada.

moleculasdeamor disse...

A reflexão é no mínimo... consistente!

Dentro deste prisma... parece-me razoável que a forma das pessoas se relacionarem deve assentar na Verdade e não na estratégia (maneira polida de valorizar a mentirinha que nos possa favorecer de alguma forma...)... ódios são cenas "parvas", mas amizades fofinhas... eh pá... acho desnecessárias...

Abração a todos o benfiquistas que acham bem as amizades fofinhas e a LFV e todos os seus amigos... paz e alegria para todos...SEMPRE! [sem ironia]

Bicadas disse...

Caro Ricardo,

Para lhe falar com toda a sinceridade nem sei se sou apoiante de LFV ou não. Arrisco situar-me para que talvez perceba, até melhor do que eu, o meu posicionamento:

Tenho (infelizmente) mais amigos lagartos que Benfiquistas. Aquando do emergir do agora designado "projecto roquete" sempre procurei demonstrar-lhes que o caminho delineado era profundamente errado por dar uma excessiva ênfase à contenção de gastos em detrimento do desenvolvimento de potenciação dos recursos do clube, ou seja, aumentar a capacidade de gerar Cash Flow. Dizia-lhes na altura, que se a implementação da estratégia fosse bem sucedida, estariam no futuro a competir com o Boavista (não o Boavista de hoje, mas aquele que na época era apresentado como modelo de gestão, mas que qualquer um via que tinha um potencial limitado).

LFV apareceu com uma estratégia muito mais próxima do que eu achava adequado. Penso que, independentemente do estado contabilístico do Benfica, ninguém poderá negar o grande crescimento da capacidade do clube para gerar receitas. Isto, digo-o claramente, tem o meu total apoio. Poder-se-á dizer que não é um caminho sem fim e que a capacidade inovadora de LFV neste campo estará perto do limite. Pode ser verdade, mas ao que me parece, embora reconheça que posso estar enganado, há ainda espaço para LFV fazer crescer o Benfica.

Mas isto é apenas o lado da gestão financeira do Benfica. Apesar de pensar que será das mais importantes, admito perfeitamente que haja outras dimensões bem mais centrais.

Sejamos claros. Em nenhum sector a gestão de uma organização se pode dar ao luxo de pura e simplesmente ignorar o sistema instalado. Há que encontrar formas de relacionamento com esse sistema e enquadrá-las com o posicionamento estratégico que é definido para a organização. Quero dizer que vale tudo para ganhar? Claro que não. Agora também me parece um erro tomar atitudes intransigentes que conduzem a um estado de "ou estás comigo ou contra mim", quando se percebe à partida que o lado "contra mim" poderá ter preponderância e vir a ser esmagador.

No bottom line o que eu gostaria de ter era uma direcção que continuasse o caminho de crescimento do Benfica e conseguisse vergar o sistema. Até aqui penso que não estou sózinho. A percepção que cada um tem de como vergar o sistema é que será sempre heterogénea.

Concretizo mais um pouco. Apoioaria, à partida, uma direcção encabeçada por Luís Nazaré. Obviamente acompanhado por Rui Costa, que não me parece nada inútil no Benfica. Agora, lá está, quem é que os acompanharia que pudesse encarregar-se do lado escuro do futebol? E mais, por se tratar de uma zona escura, por muito adequada que fosse a actuação nesta área, estaria sempre sujeita a ser entendida como pontapés na gramática.

Não sei se consegui ser claro ou não, mas permita-me que lhe faça um pedido: não arregimente os Benfiquistas entre "livres pensadores" e "apoiantes de LFV". É redutor e errado. Reconhecerá que há livres pensadores que apoiam LFV (com razão ou não) e também há detratores de LFV que se juntam em "manadas" distintas.

Cumprimentos

Cosme Damião disse...

LFV foi enganado uma vez por Fernando Gomes nas eleições para a Liga, e como se não bastasse voltou a ser enganado passados poucos meses nas eleições para a FPF. E como não há duas sem três, ate se deixou levar por Vitor Pereira ao apoia-lo nas eleições para o Conselho de Arbitragem, quando já se sabia, que depois de não conseguir arranjar substituto para João Ferreira no Beira Mar-sporting, se viu que já não mandava nos arbitros.

Esperemos que não se deixe enganar agora com a Olivedesportos e o seu amigo Joaquim Oliveira.

O erro de LFV, ou a sua ingenuidade, ou a sua incompetencia, tem sido pensar que pode controlar o sistema domesticando-o e pô-lo a trabalhar em seu beneficio. Nada mais estupido. O sistema não renega os seus donos e só pode ser combatido de fora tentando fazê-lo explodir.

Irá LFV a tempo de perceber isso?