segunda-feira, 23 de abril de 2012

Alternativa a Vieira

Como já disse anteriormente, sobre Jesus falarei no final da época desportiva, embora já tenha uma idéia formada. Quanto ao LFV, eu sei que as eleições são só para Outubro, ou seja daqui a 6 meses, porque desta vez não interessa antecipá-las e porque os estatutos já condicionam suficientemente os sócios para que apenas uma pequena minoria possa ambicionar ser líder de qualquer orgão social do nosso clube, mas visto que estamos a falar do mandato desportivo, podemos já prepararmos um balanço.

Comecemos pois pelo futebol, a mim interessam-me os resultados, os títulos, não as séries de vitórias ou as boas campanhas.

Campeonato - 1 (lamento imenso, mas a teoria do matematicamente possível é boa para quem não tem calo suficiente para saber que se fôr preciso, o próprio PdC apitará o que fôr necessário para ser campeão).
Taça de Portugal - 0
Taça da Liga - 3
Supertaça - 0

Se compararmos com o mandato não desportivo que antecedeu temos:

Campeonato 1 vs 0
Taça de Portugal 0 vs 0
Taça da Liga 3 vs 1 (embora só tenham existido 2 edições no anterior mandato)
Supertaça 0 vs 0

Ou seja, o mandato desportivo, aquele onde foram investidos milhões atrás de milhões, onde tivémos os plantéis mais caros de toda história sem qualquer tipo de comparação, rendeu apenas 1 campeonato e 2 taças da liga a mais que um mandato não desportivo.

Será então na formação que obtivémos o domínio ?

Juniores 0  vs. 0 (desde de 2003/04 que não ganhamos 1 título de juniores)
Juvenis 1  vs 1
Iniciados 1  vs 1

Este ano está em aberto a possibilidade de sermos campeões nas 3 categorias, embora a derrota com o Porto neste fim de semana prejudique as nossas ambições em Juvenis.

Passemos então para o Pavilhão e continuemos com a bola no pé, ou seja o Futsal.

Campeonato 0 vs 3
Taça de Portugal 0 vs 2
Supertaça 1 vs 2
Uefa Futsal Cup (AKA Champions do Futsal) 1 vs 0

Conclusões, apostámos tudo na conquista da Champions, no primeiro ano de mandato, mas a nível nacional perdemos a hegemonia para os lagartos, mesmo que este ano conquistemos a dobradinha.

Basquetebol

Campeonato 1 vs 1
Taça de Portugal 0 vs 0
Supertaça 2 vs 0
Supertaça Luso-Angolana 1 vs 0 (De referir que a competição só existiu neste mandato, tendo nós conquistado em 2009/10, tido uma participação vergonhosa em 2010/11 e nem fomos apurados em 2011/12)
Troféu António Pratas 1 vs 2
Troféu Hugo dos Santos 1 vs 0 (A competição só existiu neste mandato)

No Basquetebol devido às constantes mudanças de nomenclatura e à criação e extinção de competições, torna-se difícil fazer comparações, mas não existe uma clara hegemonia a nível nacional, ao contrário do que parecia iniciar-se após as vitórias no campeonato no último ano do mandato anterior e no primeiro ano deste mandato. A derrota no ano seguinte, perante os tripeiros, ditou o fim do projecto em curso, pelo que se espera que o projecto iniciado este ano dê frutos.

Hóquei em Patins

Campeonato 0 vs 0
Taça de Portugal 1 vs 0
Supertaça 1 vs 0
Taça Cers (equivalente à Taça UEFA) 1 vs 0
Taça Continental (equivalente à Supertaça Europeia) 1 vs 0

Embora no campeonato não existam indicações do fim da hegemonia dos tripeiros, os títulos europeus e as taças mostram que se está a trabalhar melhor que nos anos anteriores, a liderança no campeonato perto do fim, embora seja apenas de 1 ponto, deixa-nos a esperança de sermos campeões.

Andebol

Campeonato 0 vs 1
Taça de Portugal 1 vs 0
Supertaça 1 vs 0
Taça da Liga 0 vs 1

O despedimento incompreensível de Aleksander Donner, interrompeu uma trajectória de sucesso que existia no mandato anterior. Neste mandato nunca, em momento algum parecemos fazer perigar o domínio dos tripeiros.

Voleibol

Campeonato 0 vs 0
Taça de Portugal 2 vs 0
Supertaça 2 vs 0

Sem lagartos nem tripeiros, com um investimento sem precedentes, que inclui 3 titulares da selecção nacional resgatados a equipas profissionais estrangeiras, inacreditável foram as derrotas nos 2 primeiros anos de mandato nas fases decisivas após largo domínio nas fases regulares, estando este ano em aberto a possibilidade de finalmente sermos campeões.

Atletismo

Campeonato Nacional de Clubes (Masculinos) 1 vs 0

Após 15 anos o título foi conquistado em Masculinos, como consequência do trabalho realizado em Sub-23 e Juniores, que apesar de ter procurado informação, nem no site do Benfica, nem do da Federação consegui identificar resultados mas tenho ideia que o título de sub-23 foi conquistado pela 2.ª ou 3.ª vez consecutiva no ano passado.

O Atletismo é a modalidade paradigma, onde um investimento na formação e detecção de valores nacionais jovens nos levou a conquistar o título quando foram aliados a valores seguros com alguma experiência. Infelizmente esta prática pouco ou nenhuma vez foi repetida nas outras modalidades onde independentemente dos valores dispendidos, serem muitas vezes muito superiores à concorrência, nem sempre conseguimos os resultados pretendidos.

Cada um retirará as conclusões que quiser do mandato desportivo, na minha opinião os resultados ficaram muito aquém das expectativas, revelando na maioria das modalidades onde os tripeiros participam uma incapacidade em quebrar a hegemonia deles, o resultado do basquetebol este ano ditará se nesta modalidade quebrámos a hegemonia ou não. No futsal, perdemos a hegemonia nacional para os lagartos, no voleibol apesar da quase ausência de concorrência os resultados são pobres, apenas no atletismo se vê um trabalho de fundo, sustentado e digno de todo o realce.

Obviamente que esta é uma pré-avaliação antes de se saberem as decisões dos campeonatos, mas para um mandato desportivo que se queria de êxitos, mesmo que conquistemos alguns títulos este ano, ficará muito aquém do esperado.

Não sei qual o vosso veredicto, mas o meu é muito negativo, mais ainda quando se endividou e acumulou resultados financeiros negativos na SAD e no Clube para tentar obter os resultados que afinal não apareceram.


Tudo o que Vieira fez foi mau ? Não.


Objectivamente o Benfica exponenciou a sua capacidade de marketing e as receitas que daí advêm


O Benfica aumentou significativamente a sua base de sócios e a rede de casas.


Os trabalhos realizados na formação de base, quer ao nível do futebol, quer de outros desportos, é exemplar, mas deverá produzir frutos para as equipas principais, caso contrário poderá vir a ser posto em causa um trabalho meritório.


O Benfica é o clube em  Portugal que tem consciência social e ambiental.

O Benfica foi pioneiro na comunicação, com a criação da Benfica TV, apesar dos maus caminhos pelos quais recentemente esse projecto tem entrado, com o saneamento de benfiquistas que ousam criticar ou pensar diferente da direcção (António Melo ou Alberto Minguéns, por exemplo).


Muito do trabalho feito tem como objectivo o longo prazo, não tem visibilidade actual, pelo que deveremos estar gratos pela visão estratégica.


Mas falta o golpe de asa, aquele que caracteriza as Águias. A cultura dos Yes-man nada de bom traz para o Benfica como a qualquer organização. Introduzir no Benfica infiltrados de outros clubes (incluindo homens para quem o Porto é uma religião), ou pessoal que apenas vê no Benfica um bom meio de promoção pessoal ou de ganhar uns trocos à custa do clube é pernicioso. O romper com os interesses instalados, porque representam o que de podre o futebol português tem tido nos últimos 30 anos, em vez de tentar aproveitar as sobras do sistema (será que não aprenderam nada com as lições dadas ao Sporting ?).

Agradeço o trabalho efectuado, mas pode ser feito mais e melhor e não me parece que esta equipa seja capaz de elevar o Benfica à excelência, seja ela desportiva ou organizativa, pelo que é altura de uma renovação na estrutura dirigente.


Quando me falam de grandes presidentes penso em Maurício Vieira de Brito, Borges Coutinho, Fezas Vital, Adolfo Vieira de Brito, Ferreira Bogalho. Querem comparar o palmarés do Benfica no tempo destes presidentes com o tempo de Vieira ? Nem brinquem comigo. Nenhum deles tem menos palmarés que Vieira e em muito menos tempo, pois o único que esteve 8 anos no Benfica, Borges Coutinho, ganhou 6 campeonatos e 2 Taças de Portugal (e não havia nem Taças da Liga nem Supertaças).

Presidentes vão e presidentes vêm e o Benfica continua. O Benfica é muito maior que qualquer presidente. É pois urgente surgir uma alternativa a Vieira.

Não vou discutir nomes, pois esse não é o meu interesse.

Um Benfica ganhador não pode ser incompetente, aquele que ganha 1 campeonato em cada 5 anos, deixando os adeptos a culpar o sistema, apesar de o Benfica com ele pactuar e o alimentar constantemente.


Quero alguém que seja benfiquista, honesto, vertical, não pactue com esquemas, que imprima uma cultura de exigência em vez de pactuar com a mediocridade e afastar os mais competentes, como foi o caso do Donner, em detrimento de outros menos conflituosos, mas obviamente muito menos competentes.


Quero alguém que tenha uma visão estratégica e que pense o Benfica como sendo maior que o rectângulo onde vive, um Benfica Europeu e Mundial, que não se limite a falar de 6 ou 14 milhões e efectivamente explore e desenvolva a marca Benfica no mundo.


No fundo quero um Benfica à Benfica.



44 comentários:

RedOfficer disse...

Bem sabemos que derrotar o sistema é tarefa duríssima! Mas para isso, é preciso um presidente fortíssimo, consciente do poder social do SLB, bem como do seu potencial económico! E fazer valer ambos argumentos.

Anónimo disse...

Não concordo quando falas em perda de hegemonia no futsal.

Nesta modalidades os planteis de Benfica e Sporting são muito nivelados e os títulos decidem-se em pormenores.

Creio que o Benfica este ano não quis participar na supertaça luso angolana.

moleculasdeamor disse...

Dados são dados... agradeço a LFV tudo o que de bom fez... mas é tempo de mudança... não vou elencar coisas estranhas, porque o que fez de bom merece esquecer as coisas... estranhas...

Concordo com tudo!

Anónimo disse...

Se me permite, falta aí uma palavra para o Rugby... que continua desterrado e com zero títulos desde 2000. E suponho que com apoio perto do 0 (zero) da direção. Estamos este ano a lutar para não descer (e o Benfica é o 2ºmaior palmarés nacional da modalidade...)! Ao anónimo das 22:19, se me permite, a perda de hegemonia do futsal não é matéria de opinião, é 1 facto. Depois de ganhar 3 campeonatos, perdemos os outros 2, logo não somos hegemónicos na modalidade. Aliás, como não somos em nenhuma, nenhuma... Uma nota positiva para acabar: o excelente trabalho na e da secção de atletismo. Abraços, MT.

Águia Preocupada disse...

São factos irrefutáveis, os aqui apresentados, mais que justificativos para uma mudança radical!
Mas, perante uma estrutura inquinada, demasiado pessoalizada em redor de um único indivíduo - Vieira - pesada e endividada até sabemos lá onde, quem terá a coragem de se atirar para a frente, para um cargo destes?
A pessoalização da estrutura em Vieira, é altamente inibidora e castradora, mesmo para quem tiver a ambição de servir o seu Clube.
Insistentemente, ouvimos e lemos: "Se houver alguém credível..." Mas que raio, de raciocínio mais básico, medíucre e medroso! Como poderemos saber se é credível, se não dermos a oportunidade de o conhecermos? Se não somos capaz de arriscar, se não temos a coragem de mudar, vamos deixar-nos morrer até ao fim da vida de quem lá está? Queremos, tal como aconteceu ao nosso país, um longo fascismo, uns longos anos de trevas, que é o mesmo que dizer de derrotas e vexames?
Temos que ser audazes e experimentar e tentar a mudança. Só os fortes de espírito lograrão alcançar a vitória. Mas, infelizmente o que eu vejo, é gente subjugada e amedrontada pela ideia da mudança! O que eu vejo, é gente que em Vieira um pai, um salvador, insubstituível!
ASSUSTADORA a situação em que o Benfica se encontra!

rui disse...

Muito bem dito Bcool

JC disse...

Eis o Benfica que temos. Agora cabe-nos dizer se é este o Benfica que queremos.

Belíssimo trabalho, Bcool.

Nuno Pinho disse...

Está mais do que claro que não basta ter equipa e provar a superioridade dentro das quatro linhas. O último fim-de-semana teve novos episódios cómicos: uma linha de fora-de-jogo "à sportv" marcada no golo do Rodrigo e, no outro jogo, um "penalty" aos 30min. para começar a escrever a vitória sobre linhas tortas. Nunca, como nesta temporada, tinha visto o sistema a actuar de forma tão descarada. Isso ou eu estar a ganhar calo pós-apinto-dourado...
Sobre a direcção do LFV, mais do que estatísticas ou escritos junto ao estádio, importa-me perceber se têm pulso para combater o sistema. Da última vez que tentaram dar sinais de vida, ancoraram a estratégia final de um processo numa testemunha pouco credível (Carolina) e apoiaram um dirigente da SAD do FCPorto para a presidência da Liga. Isso foi entregar o ouro ao bandido. As implicações estão à vista. Por isso, estou muito curioso por saber o que LFV tem para dizer sobre a renovação com a Olivedesportos que, em termos práticos, significa perpetuar com o sistema. Dito por outras palavras, se o Presidente aceder à renovação então é evidente que não consegue aprender com os erros e serve-se do Benfica.



-> Há alguma avareza ao falar do José Eduardo Moniz. Não nos esqueçamos que estamos a falar de um homem que sabe lidar com pessoas como poucos e que iria dar muito trabalho ao sistema. Sustento a ideia numa razão: partilham formas de pensar. Não teríamos um "anjinho" na presidência.

Bcool973 disse...

Caro MT, efectivamente não falei no rugby, não por desconsiderar o valor da modalidade, mas porque procurei olhar para as modalidades com maior investimento por parte da direcção no designado "mandato desportivo".

Também poderia falar do hóquei em campo, da natação ou do ténis de mesa, modalidades históricas no Benfica que à semelhança do Rugby andam verdadeiramente afastadas das glórias antigas.

No entanto compreendo que é necessário fazer opções e que dificilmente um clube em deficientes condições financeiras, porque sim, pior do que a Benfica SAD, está o Benfica clube, não devemos dispersar-nos para atingirmos os objectivos pretendidos. Não quero com isto defender que esqueçamos essas modalidades, apenas que nos centremos em realizar trabalhos sustentados para obter vitórias a longo prazo e que após atingirmos esses objectivos assim devemos centrar a atenção nas outras modalidades

Bcool973 disse...

Ainda a propósito do rugby, eu lembro-me que a secção se teria autonomizado com o apoio da Peugeot para não depender da gestão do Benfica. Não sei o que se passou entretanto, mas se puderes partilhar agradeço, pois a sensação que fico é que a entrada de neo-zelandeses e australianos no nosso rugby alteraram claramente a relação de forças entre os diferentes clubes.

Bcool973 disse...

Entrando no caminho das opiniões e não dos factos, que esses estão no post, acho estranho que tendo passado no Benfica treinadores do mais competente que há em Portugal, nas diferentes modalidades, os resultados são invariavelmente os mesmos.

Não sei se é um problema técnico, se de liderança, se de estrutura, mas quando vejo um técnico como o Aleksandr Donner ser afastado depois de ter sido campeão, ele que nos tinha trazido da 2.ª divisão, acho que há um problema em lidar com personalidades fortes que cortam a direito e isso causa muita urticária a certas pessoas no nosso clube.

Anónimo disse...

Caro BCool, falei especialmente no rugby pq tenho especial carinho pela modadlidade e pq esta tem, apesar de tudo, uma importância bastante grande no panorama desportivo nacional. Julgo que o nosso grande problema na modalidade seja a (falta de quantidade e qualidade na) formação e a falta de um espaço em Lisboa. Estes 2 factores estarão até muito ligados. Quanto ao patrocínio da Peugeot, confesso que não lhe sei responder... Abraços, MT.

Anónimo disse...

Já agora, só mais uma coisa... sabem a razão do Benfica não se ter candidatado à organização da Final 8 da Liga dos Campeões de Hóquei em Patins? É que isso aumentaria exponencialmente as nossas possibilidades de ser campeão europeu... MT

Pedro disse...

Até podíamos ser campeões todos os anos nas modalidades que não mudava uma vírgula do que penso de Vieira. Não me levem a mal mas o que a malta quer são conquistas no futebol. É isso que nos move é isso que é o SL Benfica. Vencer nas amadoras é bonito mas não aquece coração algum em época de fracasso no futebol.

Eu avalio Vieira pelo que fez/não fez no futebol.

Com o que teve ao dispôr Vieira fracassou em toda a linha. E teve todas as condições para criar um ciclo de hegemonia no clube. Com Veiga ao seu lado e com a disponibilidade financeira que teve nos últimos anos tínhamos q estar a discutir um tri ou tetra campeonato e a olhar para a champions com outros olhos.

Mr. Shankly disse...

Concordo com tudo, Bcool, até porque são factos, mas o ponto fulcral é este:

"Não vou discutir nomes, pois esse não é o meu interesse."

Temos que discutir nomes, senão não vale pena. Quem tem capacidade para isto? Quem tem suporte popular e financeiro para substituir Vieira? É que em 10 anos não houve um que se aproveitasse. Era o Moniz, mas o gajo recuou. Como para as transmissões televisivas era o Pais do Amaral, e recuou pelas mesmas razões: falta de estofo financeiro. Vieira tem sido mau desportivamente, mas a banca confia nele. E no momento que atravessamos a banca manda. E esta é uma tendência que se vai agravar nos próximos anos.
Pior: Jesus não tem condições para ser treinador no ano que vem. Apesar de tecnicamente ser provavelmente o melhor que podemos arranjar, a contestação que vai sofrer ao primeiro desaire torna-o uma opção desastrosa. Contudo, Vieira não o pode despedir: é caro e perde o treinador que a Banca quer: o que potencia jogadores e possibilita mais-valias em transferências.
Vieira tem uma bota gigantesca para descalçar este Verão, e não tem a força que por exemplo PC tem (PC renovaria com Jesus agora e acabava com as conversas).
E nós temos outra para Outubro: não queremos o Vieira mas não vejo alternativas. E isto é perigoso: arriscamo-nos a que o voto de protesto eleja um Vale e Azevedo, um Jorge Gonçalves ou um Bruno Carvalho.

Anónimo disse...

Exacto, Mr. Shankly! São precisos NOMES e NOMES credíveis, daqueles que façam a diferença. Bater no actual presidente, só, não aquece nem arrefece. Mais de 80% dos sócios elegerão Vieira se não houver um NOME a opor-se-lhe.

Anónimo disse...

O grande problema é o das eleições serem em Outubro... uma pré-época com 10 novos reforços, 1 treinador novo e um arranque de campeonato razoável e tenho quase a certeza que o Presidente é reeleito... Ou surge um nome mesmo grande, ou a história não deve andar longe disto. Se as eleições fossem em Maio, com armas iguais, as coisas podiam ser bem diferentes. Um abraço, MT.

Pedro disse...

"Vieira não o pode despedir: é caro e perde o treinador que a Banca quer: o que potencia jogadores e possibilita mais-valias em transferências."

É caro? Custa tanto como um Emerson ou dois Fernandez...basta não gastar dinheiro em contratações dúbias, aproveitar os 70 jogadores q temos e encontramos dinheiro para correr com Jesus.

Treinador que a banca quer?

Shankly, isso é ainda mais um motivo para correr com esta malta de lá...

Ricardo disse...

Concordo com tudo: saldo negativo neste mandato a juntar ao saldo terrivelmente negativo dos outros.

O futebol foi um descalabro. Um investimento brutal em 3 épocas consecutivas deu um campeonato e 3 Taças da Liga. Pouco, muito pouco, ainda mais sabendo que, por exemplo, este ano só não seremos campeões por incompetência pura e dura. A juntar às humilhantes derrotas do ano passado, este mandato desportivo - que supostamente seria o que nos traria a glória "não uma, mas duas ou três vezes seguidas" - fez os mínimos dos mínimos e curiosamente, ou não, consegue ainda assim ser mais produtivo do que os mandatos não desportivos. Ou seja: o que devia ter sido um mínimo em 3 anos (1 campeonato e 3 tças da liga), foi o máximo que Vieira alcançou enquanto Presidente num mandato. Acho que está tudo dito.

Sobre as modalidades, passa-me o mesmo: investimentos brutais para resultados decepcionantes. Excepção feita às 3 taças europeias que conquistámos (uma no Futsal, duas no Hóquei), que foram grandes vitórias e a final em Andebol o ano passado, o saldo é pobre e denota, transversalmente, o mesmo paradigma do futebol: incompetência, incapacidade para derrotar o Porto, temor e trauma contra o Porto. Enquanto no Benfica não existirem benfiquistas que sabem o que vale o clube e ensinam, desde o treinador ao empregado de casas-de-banho, que o Benfica não pode temer ninguém e que isto é uma guerra aberta vamos continuar assim: esporadicamente, um título; quase sempre a sermos vice-qualquer coisa.

Gostava, no entanto, de chamar a atenção para um lado muito positivo desta Direcção: Fundação Benfica. Um enorme projecto que eleva o clube à maior instituição de solidariedade desportiva deste país. Mas de muito longe. O que a Fundação Benfica tem feito não tem paralelo com qualquer outra acção dos outros clubes todos juntos e devia merecer outro reconhecimento: do Estado e também de nós, benfiquistas.

Agora... é lógico que Vieira está a mais. Para mim, está a mais há 2 mandatos mas especialmente há um, depois do que fez nas últimas eleições.

As alternativas aparecerão. Não se comece já mais uma paranóia colectiva em torno disto. O Benfica sempre teve gente preparada para o dirigir decentemente, mesmo quando quem lá está pretende fazer do clube uma pequena ditadurazinha. A seu tempo, aparecerão. Mas, antes que isso aconteça, e como diz bem o Bcool, projectemos perfis de pessoas e de equipas directivas. Mais do que um nome - que não nego será fundamental - importa discutir, numa primeira instância, o perfil que se pretende para os dirigentes.

Anónimo disse...

Ricardo, esperamos todos que tenhas razão e que as alternativas apareçam. Só uma nota off-topic para o surreal que foi perceber que houve pessoas que não foram à Luz no Sábado (ou sairam antes) por causa de um jogo qualquer em Espanha. Cuidado, temos todos de defender o benfiquismo! MT.

Mr. Shankly disse...

"Treinador que a banca quer?

Shankly, isso é ainda mais um motivo para correr com esta malta de lá..."

Gostavas de não ter a banca no clube? Eu também. E gostava que a Banca não fosse dona de mais de metade da minha casa, também. Correr com o Vieira resolve isso?

Mr. Shankly disse...

"O grande problema é o das eleições serem em Outubro... uma pré-época com 10 novos reforços, 1 treinador novo e um arranque de campeonato razoável e tenho quase a certeza que o Presidente é reeleito"

Não vejo porquê.

"O Benfica sempre teve gente preparada para o dirigir decentemente"

Tens razão, Ricardo, mas porque não aparecem?

Pedro disse...

Shankly,

"Correr com o Vieira resolve isso?"

Da mesma forma que não resolve o passivo. Há problemas que Vieira deixará que terão de ser tratados por outros. É a tal dívida q se deixa para gerações futuras. O deixar as coisas chegar a este ponto é q tem de ser punido. Uma coisa parece ser certa, Vieira não parece ter vontade em resolver isso pelo que terão q ser outros a fazê-lo.

"Tens razão, Ricardo, mas porque não aparecem?"

Aparecer até aparecem mas depois alguém se lembra em convocar uma AG para alterar os estatutos e impedir q essas alternativas tenham possibilidades de se apresentarem a eleições...

Ricardo disse...

MT, fiz um post no dia do jogo sobre isso. Há gente que não merece o clube que tem.

Shankly, antes de mais, porque o Vieira tem bem controlados todos os possíveis e eternos candidatos. Um atirou-o para a Federação, outro encostou-o num lugar no clube que ninguém sabe qual é e aos outros que vão aparecendo chama-lhes abutres. Como 90 por cento dos que votaram fizeram-no apoiando o Vieira é lógico que esses possíveis candidatos ficam logo queimados na praça pública.

Depois porque há aqui uma coisa essencial que me parece estar a passar ao lado da discussão, sempre que se defende a teoria de que não há alternativas: uma verdadeira alternativa - até pelas razões que dou em cima, sobre a tirania vieirista - não aparecerá gora, a 6 meses das eleições. Só um gajo burro o faria neste momento, porque perderia, ao longo do tempo, toda a credibilidade - a máquina benfiquista, ao contrário do que acontece em termos desportivos, está bem montada. Veja-se o vice Gomes da Silva colocado estrategicamente num programa de grande audiência sempre pronto a lançar epítetos antes ainda de alguém aparecer com uma candidatura.

Um gajo que queira candidatar-se deve preparar minuciosamente a sua equipa e aparecer no momento certo - para mim, em Agosto. Criar, primeiro, um colectivo competente, negociar com a banca acordos que possibilitem a sobrevivência da sua equipa caso seja eleito e, depois sim, apresentar-se. Se é para aparecerem pára-quedistas estilo Bruno Carvalho, mais vale ficarem quietos. Além de que o campeonato ainda não terminou; aparecer agora seria logo motivo de grande desonra e mau benfiquismo, já se sabe.

Neste momento não estou preocupado. Sei que aparecerão, mais cedo ou mais tarde. Preocupo-me, sim, sobre que tipo de equipas aparecerão. E é isso que neste momento me apetece mais discutir, sinceramente.

Por outro lado, percebo o que dizes: não se vislumbra no horizonte ninguém que o possa fazer com reais possibilidades de ganhar as eleições. O que não deixa de ser estranho, tendo em conta o universo vasto de benfiquistas que podiam aparecer com ideias e projectos. Espero que seja pelos motivos estratégicos que apresentei atrás.

Se não aparecer ninguém credível, votarei no Senhor Branco. Votar Vieira é querer mal ao Benfica, muito honestamente.

Ricardo disse...

Outra questão: aquando da golpada estatutária de há 3 anos, Vieira disse que as próximas eleições seriam deslocadas para a pré-época e que o mínimo para uma candidatura seria ter 15 anos de sócio efectivo. por alguma razão que não se percebe - com Vieira não é preciso perceber nada, já se viu -, as eleições não estão marcadas para a pré-época e os anos necessários afinal são 25. Expliquem-me isto, se conseguirem, que eu definitivamente já desisti.

Sabinozé disse...

E quem não quer um Benfica à Benfica? mas, estes já vimos que não conseguem...

Anónimo disse...

Ricardo, peço desculpa por ter voltado ao tema do jogo em Espanha, não tinha lido o posto. Grande texto, como habitualmente :) Abraço, MT.

Mr. Shankly disse...

Pedro:

"Da mesma forma que não resolve o passivo"
Mas o que é "resolver o passivo"? Se eu for eleito presidente do Benfica, resolvo o passivo num instante: vendo os craques, acabo com a formação e as modalidades e não faço investimentos. Problema resolvido.
Agora, queres Estádio novo, centro de estágios, Aimar, Saviola, Cardozo, Di Maria, Ramires, Javi, Luisão, Gaitan, Simão, etc? Custa dinheiro, pá. Como não pagamos a pronto, geramos passivo. Se jogarmos com os juniores, problema resolvido. Mas não esperes que alguém pague 30 milhões por ano pelas transmissões, nem que os benfiquistas paguem um ppv para ver o Sancidino a acumular derrotas (eu pagava, e sei que tu também, mas ao contrário do que parece não somos assim tantos os que o faríamos)
O passivo do Real, Barça, MU são muito superiores. Isso quer dizer que estão piores que nós? Claro que não, pois geram receitas à bruta. E nós temos investido (aumentando o passivo) para podermos gerar mais receitas. É gestão normal. O problema é que viemos de um buraco (quase) sem fundo. Os pais desta situação (e já sei que vou ser insultado por isto) chamam-se João Santos, Gaspar Ramos, Jorge de Brito, Damásio e JVA (todos grandes benfiquistas e, com excepção dos dois primeiros que percebiam de bola, péssimos presidentes).

"Aparecer até aparecem mas depois alguém se lembra em convocar uma AG para alterar os estatutos e impedir q essas alternativas tenham possibilidades de se apresentarem a eleições..."
Não falando do nojenta que foi a atitude de Vieira, eu referia-me a candidatos credíveis.

Ricardo:
"Shankly, antes de mais, porque o Vieira tem bem controlados todos os possíveis e eternos candidatos"
Se calhar então estes candidatos não correspondem ao perfil desejado, ou não aceitariam ser tratados assim.

Tens obviamente razão na questão do timing da candidatura, mas quando eu escrevi que eles não apareciam referia-me às últimas eleições e às outras antes destas. Nada.
Espero que apareça alguém, mas convém ter cuidado: a ansiedade com que o esperamos pode levar-nos a sebastianizar qualquer paraquedista que apareça.

JC disse...

"Espero que apareça alguém, mas convém ter cuidado: a ansiedade com que o esperamos pode levar-nos a sebastianizar qualquer paraquedista que apareça."

Mr. Shankly, este teu receio é o meu receio. Por outro lado, não será justo dizer que Vieira é o D. Sebastião em pessoa? Muitos o vêem como grande salvador, mas... afinal quem é Vieira? De onde veio Vieira? Quem era Vieira antes de ser o Presidente do Sport Lisboa e Benfica? Onde fomos buscar a ideia de que Vieira tinha, como dizes, "o perfil desejado" quando se candidatou pela primeira vez?

Ou andamos tão refinados que exigimos mais a potenciais candidatos do que exigimos ao candidato Vieira?

Mr. Shankly disse...

JC, não era ninguém. Mas não havia concorrência. Vieira não tem sido grande coisa, mas tem sido menos mau que os outros que aponto acima. Só tenho medo que venha outro igual, é tudo.

JC disse...

Shankly, há sempre a possibilidade de vir um pior, como há as possibilidades de vir um igual ou melhor. E, igual por igual, ainda assim sou a favor da mudança.

Compreendo os teus temores, mas não podemos insistir em compararmo-nos com os piores quando aquilo que queremos é ser os melhores. Uma coisa não se coaduna com a outra.

Abraço

Mr. Shankly disse...

Não percebi nada, JC. "há sempre a possibilidade de vir um pior, como há as possibilidades de vir um igual ou melhor."? É uma questão de sorte, é isso? Só disse que não apareceram candidatos credíveis. Todos os que apareceram pareciam claramente piores.

"não podemos insistir em compararmo-nos com os piores "
Mas eu fiz isto?

JC disse...

Shankly:

Quem não percebe agora sou eu.

"Vieira não tem sido grande coisa, mas tem sido menos mau que os outros que aponto acima. Só tenho medo que venha outro igual, é tudo." (se isto não é alinhar pela mediocridade, então peço desculpa e sou eu que não percebo nada de português)

"É uma questão de sorte, é isso?"
(ninguém aqui falou em sorte. Estas são, pura e simplesmente, as 3 únicas hipóteses possíveis: ou aparece um pior, ou igual ou melhor)


"Só disse que não apareceram candidatos credíveis(...)" (respeito a opinião, mas voltamos à questão que gostava de ver respondida: em que se sustentava a credibildade de Vieira quando se candidatou pela 1ª vez?)

"Todos os que apareceram pareciam claramente piores." (de acordo. Ninguém no seu perfeito juízo quer mudar para pior)

Mr. Shankly disse...

JC, ter medo que venha um pior é alinhar pela mediocridade? Alinhar pela mediocridade seria dizer: este que lá fique porque, sendo medíocre, não é mau. Não foi o que eu disse. Eu disse que tinha medo que nos precipitássemos e escolhessemos um pior. Mas enfim, é uma questão de semântica.

Vieira não tinha nenhuma credibilidade quando se apresentou a primeira vez. E achas que é um bom exemplo para justificar futuros candidatos sem credibilidade?

Bcool973 disse...

Obviamente que a discussão já se transferiu para o outro post, mas deixem-me só dizer isto, eu prefiro um desconhecido ao Vieira. O que faz mal ao Benfica não é mudar, mas sim estagnar.

De certeza que nem todos os candidatos que foram destruídos pela máquina de propaganda presidencial eram escroques, pelo que duvido que tivessem feito pior que Vieira.

Estou farto de dizer isto e volto a repetir-me, por uma questão de higiene democcrática, deveria ser vetado a um sócio ser presidente por mais de 3 mandatos, por muito competente que fosse, pois os vícios e quintas associados a uma pessoa tendem a instalar-se.

O Benfica nos seus tempos áureos mudou várias vezes de Presidente, nenhum presidente esteve 12 anos consecutivos à frente do clube, como Vieira ameaça estar e em nada dos 9 anos que já passou como presidente, a que deveremos juntar os 2 que passou como director desportivo, vemos que tenha mostrado competência para levar o Benfica a vencer constantemente.

Pelo contrário, sempre que o Benfica teve sucesso, encarregou-se de desmantelar o esqueleto do sucesso, de modo a que estivéssemos mais 5 anos até voltar a ganhar.

Não sei se aparecerá alguém credível, sinceramente nem me recordo desse Bruno Carvalho que tanto falam, mas para mim, desde que não seja o Guerra Madaleno, ou um dos anteriores presidentes/directores desportivos do Benfica, podem ter a certeza que os meus 50 votos vão para o candidato alternativo. Senão aparecer ninguém, voto em branco, pois em Vieira não voto mais!!!.

JC disse...

Mr. Shankly

Não, não é uma questão de semântica. Ora vejamos:

Primeiro escreves: "Só tenho medo que venha outro igual, é tudo." Logo de seguida escreves: "Eu disse que tinha medo que nos precipitássemos e escolhessemos um pior."

Em que ficamos, Mr. Shankly? É que, parecendo que não, há aqui uma pequena diferença... que faz toda a diferença.

e mais: "JC, ter medo que venha um pior é alinhar pela mediocridade?"

Não, Shankly, alinhar pela mediocridade é comparar Vieira com maus presidentes que passaram pelo Benfica para que Vieira pareça bom. Para além de que é intelectualmente desonesto. E foi o que tu fizeste uns posts acima. Mas devo dizer que não és caso único, pois tenho visto esse argumento utilizado de forma recorrente. Bem espremida, essa magnífica argumentação equivale a dizer o seguinte: à conta do receio de levarmos com outro Vale e Azevedo, mais vale eternizar Vieira no cargo de presidente do Sport Lisboa e Benfica. Bonito.

"Vieira não tinha nenhuma credibilidade quando se apresentou a primeira vez. E achas que é um bom exemplo para justificar futuros candidatos sem credibilidade?"

Não, efectivamente não acho. Mas acho isto: dificilmente algum candidato será encarado como credível e competente. A máquina de propaganda de Vieira e o fantasma de Vale e Azevedo não vão permiti-lo. A única certeza que tenho neste momento é que Luís Filipe Vieira tem provas dadas de que não é credível nem competente.

Parece-me que já há mais gente preocupada em avaliar a credibilidade de um candidato que ainda não existe, do que em avaliar o desempenho daquele que é o presidente do Benfica há largos anos.

Para terminar, caro Shankly, se insistes em distorcer o que escrevo - e, inclusivamente, distorcer e desdizer aquilo que tu próprio escreves -, lamento mas dou por terminada a minha participação nesta nossa troca de ideias.

Abraço

Miguel A. disse...

Excelente post, Bcool.

Porque o atletismo é uma modalidade que me é particularmente cara (e histórica no Benfica) apraz-me registar o notável trabalho da secção de atletismo do Benfica, que deveria ser seguido pelas restantes. Tal como disseste, no andebol é incompreensível a dispensa do Donner. No basquetebol, vamos a ver o que sucederá este ano. Mas é importante dizer-se que o H. Vieira conduziu o Benfica ao vice-campeonato e à final do ano passado (com o Lisboa a director da modalidade). Gosto muito do Lisboa, e seria magnífico se ele pudesse reconquistar o título. O hóquei evoluiu, mas não sei se será este ano que poderemos conquistar o título. Aquela equipa com os gémeos argentinos, Fortunato, Luís Ferreira, Paulo Almeida, etc., deixa-me muitas saudades. Seria igualmente importante relançar o rugby (por onde anda o João Queimado? Continua entre nós?)

Na formação do futebol, pese embora alguma evolução, falta-nos o título de juniores. Não querendo ignorar o bom trabalho que foi e está a ser feito por treinadores sem história como futebolistas no clube, como o João Tralhão, parece-me que só teríamos a ganhar com a inclusão de ex-futebolistas nossos (que os há, competentes e dos poucos que ainda sabem o que é a nossa mística) nas camadas de formação.

Quanto a LFV, o saldo de 9 (11) anos é aterrador. E a presença, no Benfica, de gestores e outros conotados com os nossos adversários é, para mim, vergonhosa. Há muita gente competente para esses cargos que sente o Benfica, e vive o Benfica.

Quanto ao que disse o Ricardo, também não entendo como é que as "próximas" eleições seriam na pré-época e mais uma vez apenas se realizarão em Outubro (mas aquilo que o LFV não é mesmo para se escrever... a propósito: quem é o bufo/infiltrado que aqui há uns meses o LFV dizia saber que era? Continua lá, tal como os outros infiltrados que ele próprio levou para o Benfica.) A época já irá alta em Outubro, e com alguns golpes de sorte e contratações de renome pelo meio, assistiremos a mais do mesmo. Nem sei bem se com o golpe estatutário de há 3 anos será possível mais algum candidato que não o LFV.

Mas também é verdade que o candidato que surgir terá de ter uma equipa muito forte consigo. E quando falo em equipa forte refiro-me, por exemplo, a um grande director desportivo, que saiba o que faz, que proteja jogadores e treinador nos momentos menos bons, que seja competente, sagaz, e inflexível na defesa dos interesses do Benfica. E, a par dele, um excelente director de comunicação.

Vieira disse que ia deixar de delegar e os resultados estão dolorosamente à vista... quando delegou, até avançámos alguma coisa.

Espero que surja um bom candidato. Sério, competente, realista, empenhado na defesa dos interesses do Benfica, e apenas nesses. Sem amigos entre corruptos, por favor. Continuando LFV, vamos penar mais três anos, disso não haja dúvidas.

Um abraço para ti e todos.

Anónimo disse...

Miguel A.,
O João Queimado é o presidente da secção. Abraços, MT.

Pedro disse...

Shankly, a questão é que o estádio e centro de estágios não deviam ser a causa de o passivo ter aumentado tanto. Vieira disse em entrevista à RTP1 que o estádio se pagava a ele próprio e que (penso que a entrevista foi em 2009) estava quase pago. Ora se estava quase pago não pode estar no passivo, certo? Para estar no passivo é pq falta pagar, logo mentiu. O centro de estágios, segundo Vieira, foi pago com o acordo de patrocinio. Logo não devia fazer parte do passivo, certo? Se faz...lá está, mentiu.

Essa questão da alternativa credível faz-me muita confusão. Quem era Vieira? Q credibilidade ele tem?

Qd entrou no SLB Viera era ex presidente do ALverca com um curriculo de negócios estranhos e amizade com Pinto da Costa e com boatos graves sobre a sua vida "profissional" fora do futebol. Algum dos possiveis nomes que vêm a lume para suceder a Vieira tem este "curriculo"?

Bcool973 disse...

Vamos a ver Pedro, se fizeres um investimento, normalmente isso não implica alteração da posição patrimonial do clube, isto é, aumenta o passivo) caso não seja pago de imediato) mas também aumenta o activo pela incorporação do estádio nas contas. Se fôr pago de imediato, tem que diminuir a caixa ou os depósitos à ordem no valor do estádio pelo que nem o activo nem o passivo mudam e também não existe alteração da posição patrimonial.

Obviamente que nem o Benfica nem qualquer outra instituição terá capacidade para fazer um investimento daquela ordem e pagar de imediato pelo que o Passivo teria que aumentar necessariamente, mas também aumentou o Activo.

A questão de o estádio se pagar a si próprio, é que as receitas que o Benfica gera a partir do Estádio devem dar para compensar os custos de manutenção, de amortização do equipamento e dos custos de financiamento. Para se avaliar isto é necessária uma análise cuidada das contas e provavelmente a informação constante do R&C não será desagregada o suficiente, pois devem-se ter em conta alguns critérios de alocação de receitas e despesas que só quem está lá dentro conhece na totalidade.

quero com isto dizer que não é por aqui que ritico o Vieira.

O que para mim é criticável na gestão financeira do Vieira, é a gestão de recursos humanos, nomeadamente no excesso de atletas contratados e consequentes folhas salariais, bem como comissões pagas e passes de jogadores que nunca terão categoria para envergar a camisola principal do Benfica e aqui é que acho que se desbaratam recursos desnecessariamente.

Mais, a política de vendas muito elevadas tem um contra, nunca os recebimentos conseguem ser feitos no momento da transacção dos passes, pelo que obriga o clube a descontar os títulos de dívida e a criar custos financeiros ddadas as necessidades de tesouraria.

Claro que também nós não pagamos na totalidade os passes dos jogadores que compramos no momento da transferência, mas volto a referir, que o excesso de aquisições, faz com que estejam empenhados recursos em atletas excedentários/incapazes/inadequados (utiliza o termo que quiseres) em detrimento de os termos disponíveis para os jogadores que realmente fazem a diferença. E não falo só do dinheiro que fica investido na aquisição dos passes, como também do que é gasto no pagamento de salários.

Bcool973 disse...

Contudo, centro a minha análise nos resultados desportivos do tão famigerado "mandato desportivo". Onde estão ?

E como podem dizer que Vieira é credível se não trás quaisquer garantias de sucesso futuro ?

Ou questionar alternativas em termos de credibilidade, se o que temos é tão pobre ?

Vieira tem coisas bem feitas, é verdade, a Fundação, a BTV, a Corrida d Benfica, a preocupação ambiental, a promoção do desporto infantil, etc. etc. etc.

E os títulos ? Onde andam ?

Futebol - Porto
Andebol - Porto
Basquetebol - Porto
Hóquei em Patins - Porto
Futsal - Sporting
Voleibol - Fonte Bastardo

Sim este ano podemos conquistar no Basquetebol, no Voleibol e no Futsal. Quiçá no Hóquei, mas como ainda jogamos com eles, a experiência, diz-me o contrário.
E este é o mandato desportivo, imagina se não fosse.

Pedro disse...

Bcool, eu quando acabar de pagar a minha casa fico com o activo e sem o passivo certo?

É nesse sentido q falo do passivo vs estádio.

E qqr um de nós faria um estádio novo aumentando o passivo. Não vejo pq raio se deva dar tanto mérito a Vieira por algo q qqr um q fosse para lá faria. Tal como fizeram sporting, porto, boavista, etc...

Bcool973 disse...

Sim, mas se tiveres um empréstimo a 20 ou 30 anos, o valor da casa pode mesmo ser superior ao valor da compra devido à valorização do mercado, no caso do estádio não é assim, o valor será muito inferior ao valor que custou.

Além disso, é um daqueles activos que dificilmente encontras quem o esteja disposto a comprar, ou seja, não há exactamente um valor de mercado, pelo que tens que chegar a outras formas de o valorizar.

E não, nem toda a gente tem capacidade para se enddividar e nisso era necessária alguma credibilidade junto da banca, caso contrário já se tinham resolvido alguns casos com clubes de menor dimensão, e isso é mérito do Vilarinho e do Mário Dias e não do Vieira, porque o estádio não tem a ver com ele.

Quanto ao Centro de estágio a questão é ligeriamente diferente, mas compreendo o teu ponto de vista, porém nisso tens que dar algum mérito à equipa de gestão que conseguiu elaborar um project-finance aceite pela banca que não tem sido impeditivo do funcionamento do clube. Caso contrário não se deitavam todos os anos à rua milhões de euros em contratações desnecessárias.

Acho que não é no aspecto patrimonial que as críticas lhe devam ser feitas, e que o processo de credibilização junto da banca foi um aspecto positivo do consulado do Vilarinho que transitou e continuou durante os consulados do Vieira.

Critico a gestão desportiva pela falta de títulos, critico a gestão de recursos humanos pelo excesso de contratações e elevada folha salarial, critico a falta de liderança (ele que assumiu a centralização de competências deve responder por uma época de insucesso) e pelas ligações a pessoas que ao Benfica nada de bom têm trazido (Salvador, Gomes, Oliveira).

Bcool973 disse...

Outro aspecto Pedro, num empréstimo da casa, sabes que os primeiros anos quase só pagas juros e que é nos últimos anos que amortizas a valer a tua dívida bancária, assim também o é com o Estádio. Sendo o project-finance a 20 anos, salvo erro, só a partir de 2013 ou 2014 vamos começar a amortizar significativamente o passivo do Estádio.

além disso, como referi, algum do passivo oneroso, tem a ver com o desconto das dívidas dos clubes compradores, Real Madrid e Chelsea, isto é, anteciparam o recebimento da dívida através dum desconto bancário, pelo que quando fôr saldada a dívida no prazo de vencimento (excepto se se passar um caso tipo atlético de madrid), esse passivo oneroso desaparecerá, a menos que entretanto tenhamos vendido outros jogadores e tenhamos que também antecipar os recebimentos.