terça-feira, 17 de abril de 2012

Os abutres

No Benfica, desde que me lembro, oiço falar nos abutres. a primeira vez que ouvi perguntei ao meu pai:

- "Abutres, então no Benfica não são Águias ?"

Obviamente que ele se riu da minha pergunta e explicou-me:

- "Filho, falam de abutres, pois existem alguns senhores que mal sentem o cheiro a insucesso aparecem logo com grandes declarações como se estivessem à espera que o treinador ou o presidente morressem, isto é, caíssem do poleiro."

Estranhei tal conceito, mas de facto pude aperceber-me perante as cada vez mais frequentes temporadas mal sucedidas, e relembre-se que quando eu era menino e moço eram pouco frequentes, não estávamos 2 anos sem ganhar um qualquer Campeonato ou Taça de Portugal, que efectivamente uns indivíduos que eram apelidados de notáveis, eram chamados aos jornais, nunca percebi se eram eles que se dirigiam aos jornais se os jornais a eles, a botar faladura sobre os motivos do insucesso.

O problema, é que quando esses notáveis estavam no Benfica como dirigentes, eram eles os alvos dos outros notáveis, que passavam então para a categoria de abutres. Segundo a sabedoria popular, o abutre começa a voar sobre o animal enfermo/moribundo à espera do falecimento para se banquetear com os restos mortais, ou seja, o abutre é um necrófago que se limita a viver dos restos mortais dos outros animais.Ora a sabedoria popular repete à exaustão preconceitos e ideias feitas que muitas vezes estão completamente equivocadas. O abutre, não é exclusivamente um necrófago, pois também se alimenta de seres vivos e bem vivos.

Já tinha dito ao Ricardo que pretendia fazer um pequeno post após o meu regresso de uma viagem que me afastou de Portugal na altura, tida como mais crucial da época (Chelsea em Londres e Sporting), para mim não foi, mas não quero discutir isso antes do fim do campeonato. Quero antes discutir os abutres.

Porque num clube democrático e livre, considero uma ofensa esse tipo de rótulos. Quem discorda do rumo, se fala durante a época ainda com objectivos em vista é vilipendiado com todos e mais alguns adjectivos, se fala após os insucessos é apelidado de abutre. Como não quero insultar quem defende o Jesus e o Vieira de carneiros, também rejeito os insultos com que nós, os críticos, aqueles que criticam quando vêem as coisas mal, independentemente dos resultados, somos mimoseados, desde os mais boçais até aos mais elaborados.

O balanço da época far-se-á no final, após as 4 finais. Se o Jesus quer fazer balanços após uma competição que ganhou é lá com ele, acho curioso que não o tenha feito quando perdeu a Taça de Portugal, a 2.ª competição do calendário nacional. Quem quiser apoiar, que o faça dentro dos estádios, ou na net, ou onde quiser, não aceito é que me digam o que é apoiar o clube, pois cada um sabe dos sacrifícios que faz por ele.

Agora aqueles que vieram chamar de abutres o Veiga e o Figueiredo, por criticarem a Direcção (AKA Vieira) e/ou o Jesus, que nome têm então para o Capristano ?


9 comentários:

Hattori Hanzo disse...

Como é óbvio o Capristano é alguém que fez muito pelo clube e que sempre falou muito bem. Tudo o que ele diz é para respeitar.

Pedro disse...

É isso mesmo...quando se critica durante a competição estamos a destabilizar. Quando se critica após uma derrota somos abutres q estavamos à espera de uma derrota para aaprecer. Quando se critica após uma vitória somos anti.benfica etc etc...

Ou seja, não se pode criticar.

Gostava muito de saber qual era a postura de quem isto defende no tempo de Vale e Azevedo. Uso Vale e Azevedo (quem me conhece sabe qual a minha posição sobre o assunto) pq é, para a maioria dos benfiquistas, o grande demo q passou pelo clube. Tenho curiosidade de saber se nesse tempo tb atacaram quem criticou Vale ou se passaram a vida a criticar Vale.

Ginha disse...

http://a-nossa-mistica.blogspot.pt/2012/04/voltamos-ao-tempo-do-agora-escolha.html

Gostava de saber o que tem a dizer sobre isto o Capristano! Cambada de gente parva(ou não), a dirigir o Nosso Clube..

Ulrich Haberland disse...

Hoje que se celebra as bodas-de-fruta do nascimento dos campeonatos viciados no futebol português, venho aqui falar (coincidência apenas) de um certo movimento de censura que há algum tempo começou a nascer na sociedade portuguesa. Uma certa censura sub-reptícia, mascarada mas insidiosa.

Uma manifestação disso foi o que aconteceu ao Gato Fedorento lagarto, outras acontecem todos os dias na escolha de quem ocupa cargos e progride na carreira e os que ficam pelo caminho e na rua (desde jornalistas a políticos).

Aquilo que incomoda é abafado, silenciado, sem dar nas vistas mas de forma eficaz.

Diz alguma blogoesfera que os verdadeiros Benfiquistas devem, ou estar calados ou bater palminhas para não desestabilizar a equipa!!!
E quando se pergunta:
- "Mas então quando se pode criticar?"
Respondem:
- "Nas Assembleias Gerais!!!"

Coisa extraordinária esta de dizer que num clube com mais de 200.000 sócios estes apenas podem discutir o clube numa AG (com quantos lugares disponíveis????), que se realiza 1 vez por ano, com ordens de trabalho pré-estabelecidas e rígidas e onde se reserva praí 20 minutos para os sócios presentes falarem!!!

Eu já tinha falado numa certa censura mascarada?!... E de estupidez crassa, tinha????

Por outro lado, estou farta de notáveis. Todos eles. Os do Benfica, os da politica, etc.

O Benfica (e o país) precisa é de renovação, total. Com um certo cheiro a “back to basics”.

moleculasdeamor disse...

NO final desta época desportiva gostaria de vos propor uma reunião informal para chegarmos a alguns consensos que colocaríamos nos diferentes blogs benfiquistas ... é urgente tomarmos o Benfica na mente...
Abraço...

Bicadas disse...

Boas,

Sempre me pareceu superficial, redutor e até, por vezes, cobarde, segmentar Benfiquistas entre abutres e carneiros. Elevando ao absurdo isso quer dizer que só há duas hipóteses: ou a direção fez tudo mal, ou fez tudo bem, ou é tudo preto, ou é tudo branco.

Para mim tudo na vida é feito de equilíbrios dinâmicos, o que faz com que nunca permanece tudo bem, mas também dificilmente tudo estará mal.

Vejo virtudes na gestão de LFV? Vejo sim senhor. Vejo erros? Também, muitos, alguns deles graves.

Dito isto não tenho muitas dúvidas em afirmar: Veiga, Ramos e Figueiredo são abutres, Capristano é bajulador, mas na verdade estes senhores não falam enquanto Benfiquistas, falam enquanto indivíduos que sentem necessidade de criar posicionamentos, o resto é só verbo.

No entanto há algo que não pode deixar de me fazer refletir: que benefício poderá vir para o BENFICA de 30 indíviduos esperarem a equipa para insultarem (mais) o treinador (mas também) e os jogadores após a vitória num jogo? De outra forma: como é que os jogadores interpretarão isto e que influência pode ter no seu comportamento nos 4 jogos que faltam?

Cumprimentos

Vitto Vendetta disse...

Desculpa Bcool, mas o Veiga não é benfiquista. Nem o Vieira. Logo são abutres sim!

JC disse...

Democracia is a bitch, caro Bcool. Pode-se criticar desde que não se critique.

Gonçalo Correia disse...

Bicadas,

Um dos comentários com que mais me identifiquei, alguma vez, neste blogue.

Espero que não te ofendas (se ofendam) de dizer que essa não me parece a cultura típica dos benfiquistas (apesar de neste aspecto o Sporting também não ser um exemplo, para mim há grandes diferenças que - ainda, e oxalá durante muito mais tempo - "nos" separam a este nível).