segunda-feira, 19 de novembro de 2012

À conversa com um indivíduo do departamento financeiro

«Como está a encarar esta época do Benfica?

Estou radiante, já assegurámos a passagem à fase seguinte da Champions.

E em relação ao campeonato?

Não ligo muito.

Perdão?

Quer dizer, ligo aos jogos em casa por causa dos espectadores.

Emociona-o ver o estádio repleto de benfiquistas?

Não, não (risos). Ao intervalo telefono para a bilhética para eles me fornecerem o número de espectadores e depois entretenho-me a calcular a receita. São momentos especiais.

Quer dizer que não lhe interessa muito se o Benfica lidera o campeonato?

Interessa, claro. Quando o Benfica lidera vem mais gente ao estádio. Logo, mais receita.

A eliminação na Taça de Portugal não o incomodou?

Não, de todo. Já tivemos os custos da deslocação ao Algarve e agora estes custos da deslocação à Madeira, muito mais dispendiosos, como é evidente. As receitas dos jogos da Taça são ridículas, e ainda por cima são a dividir por três (clubes e Federação). É uma competição que deveria ser extinta. Sou muito mais entusiasta da Taça da Liga.

Mas é uma prova tão recente...

É, mas dá muito mais dinheiro do que a Taça de Portugal. Nestes últimos anos o Benfica tem-se portado muito bem na Taça da Liga.

Sim, já são três vitórias consecutivas.

Como? Ah, sim, pois... As vitórias... Eu estava a referir-me às receitas, onde o Benfica tem estado muito pujante nessa prova.

Regressemos então à Champions. Vê os jogos?

Sim, sim. Não perco um!

Vibra bastante com essa competição, portanto.

Sim, vibro imenso. Por exemplo, o último jogo, em Manchester, foi espectacular! Começámos muito fortes a ganhar 800 mil euros, no final da primeira parte passámos para apenas 400 mil euros, na segunda parte estivemos alguns minutos sem ganhar nada, depois passámos novamente a ganhar 400 mil euros e perto do fim cheguei a acreditar que poderíamos sair de Old Trafford com os 800 mil euros. Acabámos por garantir 400 mil euros. Dado o valor de mercado do plantel do adversário posso dizer que foi um belo resultado financeiro.

Foi uma noite de muita emoção?

Sim, foi muito intenso. Até porque estava a acompanhar o jogo com a calculadora numa mão e o relatório e contas na outra. Antes de vir para o Benfica só tinha passado por sensações semelhantes com as flutuações da Bolsa.

Confiante para o último jogo da fase de grupos? Uma vitória assegura o primeiro lugar.

Sim, perspectivo o encaixe de mais 800 mil euros. E terminar em primeiro lugar será importante para depois evitar colossos financeiros como o Real, o Barcelona ou o Bayern.

Conhece bem essas equipas?

Conheço. Já li muitos estudos económicos e costumo sempre espreitar os relatórios e contas dessas equipas. São muito fortes, muito bem estruturadas... São máquinas de fazer dinheiro.

Teme jogadores como Ronaldo, Messi, Ribéry?

Se o Cristiano Ronaldo custou quase 100 milhões de euros tem que ser muito produtivo. O Ribéry custou perto de 30 milhões, portanto está ao nível daquilo que alguns jogadores do Benfica valem hoje em dia. Quanto ao Messi, não posso opinar porque nunca foi vendido e portanto não tenho nenhuma base objectiva na qual sustentar a minha avaliação. Comenta-se muito sobre qual será o seu real valor, mas é tudo muito subjectivo e eu não discuto subjectividade.

Regressando às provas internas... Depois desse jogo da Champions vem novo duelo com o Marítimo.

Eu por mim perdia por falta de comparência. Mais duas viagens de avião, hotel... Não faz sentido, ainda há uns dias lá fomos.

Aproxima-se a reabertura do mercado de transferências. O Benfica vai mexer no plantel?

Estamos sempre atentos a boas oportunidades de negócio. Por outro lado, os nossos jogadores estão a valorizar-se bastante com a campanha europeia, por isso é natural que haja interessados. Vamos ver...

Falou em boas oportunidades de negócio. O Benfica tem apostado em adquirir muitos jovens praticamente desconhecidos. É para manter essa política?

Sim. Se por cada vinte jovens que entrem no Benfica, com salários muito baixos e a uma média de 200 mil euros cada, saia um por um valor de cerca de 20 milhões de euros, isso representará um lucro de 16 milhões de euros. E mesmo que saia por apenas 10 milhões de euros, será um lucro de 6 milhões de euros. Será sempre uma boa política.

Como está a renovação de Aimar?

Estamos a tentar que baixe o salário. Mas por mim saía já e dava o lugar a um jovem com potencial para ser vendido no futuro.

E a situação de Saviola?

Saviola tem a maior discrepância do plantel entre aquilo que aufere e aquilo que produz. Tem que sair já em Janeiro, enquanto podemos encaixar algo com a sua transferência. O mesmo é válido para Capdevila.

Qual é a sua posição em relação ao tema polémico dos contratos televisivos?

Para mim não há polémica nenhuma. Assinaremos com quem pagar mais.

Fale-nos um pouco sobre si... Como foi ir para o Benfica?

Foi uma excelente oportunidade profissional. Não podia recusar trabalhar para um das maiores marcas portuguesas.

É adepto do Benfica?

Sou adepto do Índice Dow Jones.

Pratica desporto?

Sim, golfe. Como é relativamente parado, é o melhor desporto para discutir negócios. Aliás, eu falo mais do que jogo (risos). Além disso, praticamente não suo. Detesto suar, isso é coisa de pobre.»


Éter, no Céu Encarnado.

3 comentários:

POC disse...

Foi enorme este texto. Grande Éter.

Pedro disse...

GENIAL!!!

B Cool disse...

Este é o nível que esperamos, um brilhantismo notável