quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O bis do Cardozo e o bis do Celtic


Dominadores durante todo o jogo mas com domínios diferentes em ambas as partes. 
Na 1ª, ainda que com mais remates, incluindo os perigosos, um domínio inconsequente.
Na 2ª, mantendo a toada de superioridade em todas as frentes e já com Takuara, acabamos por concretizar da melhor forma a superioridade que  tínhamos vindo a demonstrar.

Ainda antes da concretização é bom não esquecermos que, apesar de em menor número, o Spartak rematou e com perigo à baliza do Benfica. No mínimo foram 3 as grandes defesas de Artur que evitaram termos que correr atrás do prejuízo já que a Equipa não traduzia em golos a tal superioridade que apenas ía alimentando estatísticas. 


A Equipa veio do balneário com uma atitude mais agressiva, mais solta.


Ola John revolucionou a ala esquerda na 2ª parte e esteve nos 2 golos marcados por Cardozo. Os tais “tiques” de grande jogador vão progressivamente deixando ser “tiques” no holandês, evidenciando paulatinamente o que os adeptos tanto anseiam.


Enzo Peres correu kms, esteve em todo o lado e o apoio que prestou a André Almeida foi de uma amplitude sem reparos, permitindo ao jovem ganhar confiança e segurança para demonstrar uma exibição que acabou por sossegar os ânimos mais preocupados hoje com a sua chamada à Equipa principal e logo numa Champions! 


Salvio supersónico, como nos habituou, mas com um companheiro deficitário, infelizmente não sendo surpresa lembrando os últimos jogos que tem realizado.. Maxi acabaria por ser substituído já no quarto final de jogo. 

Num bloco defensivo que defendeu mais em qualidade do que em quantidade , destaco Garay – como não o poderia fazer?! - praticamente irrepreensível e, como já referi anteriormente, Artur.

Oscar Cardozo hoje, e mais uma vez, resolveu. Foi o expoente da mudança de jogo de toda a Equipa na 2ª parte. Em 5 oportunidades – entre as quais um penalty (que não concretizou) – marcou 2 golos. 2 golos quando o resultado do jogo era o nulo, 2 golos que a dupla Lima-Rodrigo em 45 minutos não conseguiu marcar. Aliás, uma dupla bastante apagada, sobretudo a jogar enquanto tal.  

Virou o jogo, jogou que se fartou e ainda teve tempo para “provocar” e falhar o penalty assinalado sobre a falta que sofreu. Fez as delicias de toda a gente, dos seus “defensores” e do seu tão dedicado gang do assobio. Agradar a todos, é obra! É só para quem pode. E se há alguém que pode é o Cardozo.

Para finalizar os comentários sobre o jogo de hoje, em nota de rodapé, não podia deixar de falar na equipa de arbitragem. 

Ao 1º minuto o Benfica já via um penalty claríssimo por falta (agarrão) sobre Garay a não ser assinalado.  Nem o árbitro (de frente para o lance), nem o árbitro de baliza, nem o árbitro assistente viram aquilo que todos nós vimos. Os árbitros estrangeiros, mesmo aos pares, enganam-se, não prejudicam o Benfica deliberadamente como os árbitros nacionais.. fina ironia. Não tivesse Cardozo resolvido e não faltariam as “teorias do erro” apimentadas com as sempre tão originais “teorias da conspiração”. 

A surpresa da noite para muitos não foi Cardozo ter falhado o penalty ou ter resolvido  o jogo de hoje com 2 golos ou até a goleada do Bayern de Munique ao Lille (6-1). O que arrancou interjeições de surpresa foi mesmo a derrota da melhor equipa do mundo, naturalmente líder do Grupo, frente ao Celtic por terras escocesas (2-1).  Naturalmente não apenas pelo que joga mas pelo estatuto adquirido e que todos lhe reconhecem.  

Não terá o Barcelona jogado o seu futebol “Tic-Tac”? Não terá o Barcelona tido a avassaladora posse de bola que caracteriza o seu futebol? Não terá o Barcelona jogado com quantos habituais titulares? Foram as perguntas que mais devem ter atravessado a mente de quem não assistiu ao jogo.
O Barcelona foi o mesmo Barcelona de praticamente sempre com todas as suas caraterísticas tão particulares.
Só por curiosidade, chegou a ter 83% de posse de bola!! 83%. Não houve Barcelona a menos, houve Celtic “a mais”. Se é preciso sorte?.. Claro que sim! É um dos elementos inerentes ao jogo. Mas também é preciso… querer e ambição. O Celtic não é tão fraco como muitos esperavam mas certamente não será tão bom quanto muitos quererão justificar com esta vitória sobre o Barça. Os mesmos que argumentavam que o Benfica não podia ter feito mais contra a melhor Equipa do Mundo na Luz, resignando-se e conformando-se com a mesma justificação. 
Os mesmos que se convenciam – e queriam convencer – de que o Benfica não foi goleado porque até jogou muito bem.  
Os mesmos que criticaram a exibição do Benfica em Galsgow por entenderem que o Celtic estava perfeitamente ao nosso alcance. Esta é única parte em que provavelmente estaremos todos de acordo. 

O Benfica terá que continuar a fazer contas para passar aos oitavos por responsabilidade própria e à boa maneira portuguesa. Não temos a “espinha dorsal” da Selecção lusa mas temos as “manias” todas dela. Se não fosse antes para muitos, hoje provou que tem equipa e futebol para passar a fase de Grupos, com o Barcelona no mesmo “pote”. 


Faltam 2 jogos e 2 vitórias. Um dos jogos com a melhor Equipa do mundo. 

O meu desejo para a recta final desta fase: que o Benfica se guie por aqueles que acreditam que é possível, como já era, pela raça, querer e ambição, e não se deixe guiar pelos conformados e resignados que se vergam perante um estatuto esquecendo que nós somos: o SPORT LISBOA E BENFICA.

18 comentários:

rui disse...

com arbitragens como as que eu vi hoje esta mais que visto que nao interessa ter mais que 1 equipa Portuguesa na Lc. Por acaso hoje fomos mais fortes,mas podia ter corrido mal,sera sempre assim?Nao me parece

B Cool disse...

Sempre certeira Marta

JAS disse...

Eu percebo que não vos agrade a conversa sobre o "sistema" (apesar de todas as evidências da sua existência) como forma de desculpabilizar erros alheios, mas querer fazer passar a ideia de que uma equipa de arbitragem, só por ser estrangeira, não poderia deliberadamente prejudicar uma equipa, seja ela o Benfica ou outra qualquer, é de uma ingenuidade atroz que, por coincidência, vos serve o argumento. Neste caso, talvez tenha sido um erro, até porque parece não existir grande coisa em jogo. Pode ter sido simplesmente o receio de evitar que fosse marcado um penalty ao primeiro minuto de jogo. Podem ter sido muitas coisas, entre as quais uma tentativa deliberada de prejudicar o Benfica. Tal como acontece no campeonato nacional. Mais: se toda a gente contesta os árbitros a nível nacional, vendo neles moscambilheiros de primeira água e não simples incompetentes, isso deve-se a tudo aquilo que já ficou provado sobre a arbitragem em Portugal.

Filipe disse...

O Celtic tem um treinador que viu uma fraqueza no Barcelona e tentou explorá-la (já quase tinha funcionado na Catalunha). Vencer o Barcelona neste grupo significa muito possivelmente o segundo lugar.

Há uma diferença significativa entre Benfica e Celtic. O Celtic sabe defender, o Benfica não.

eagle01 disse...

Só para dizer à Marta que eu não estou de acordo com ela e os crâneos como ela, porque sou dos que pensa que em Glasgow fizemos um bom resultado.

Analisar depois de saber o resultado é fácil, mas imagine um Benfica com 2 avançados em Glasgow. Olhe podiam ser Artur Jorge e Eusébio. Lembra-se? Acho que não. Mas podia estudar, porque o futebol também se percebe pelos resultados. Nesse jogo levamos 3 secos. Depois disso e sempre a jogar com 2 avançados perdemos outra vez 3 secos e 1-0, na expulsão do Bynia.

Percebe agora ou tenho de dar mais exemplos? Olhe, Moscovo. 2 avançados, querer ganhar o jogo e não fazer um "pisso" na 1ª parte.

Porque queremos tanto ganhar que não percebemos o que é a estrutura de uma equipa e a sua implicação na dinâmica de jogo. Por isso apostamos em 2 avançados como sinal que o treinador quis ganhar o jogo. Perdeu, não jogou bem, podia ser goleado na 1ª parte, mas a culpa foi dos jogadores que falharam ou do JJ que dispensou o Nelsno Oliveira. Percebe Marta?

Você não pode ver apenas o que faltou à equipa para ganhar, tem de saber ver o que a equipa teve para não sofrer golos. E se perceber isso, vai perceber que o empate em Glasgow é excelente e que podemos ficar de fora da Champions não por perdermos com o Barça, mas por nunca podermos jogar como o Celtic: 2 autocarros e fé nas bolas paradas. Você defenderia um modelo de jogo desses? Por muito menos, você criticou o jogo do Benfica na Escócia ...

Ricardo disse...

JAS, o "vos" aqui não faz sentido. O post é da Marta, discute com ela o teu ponto de vista.

David Duarte disse...

Eagle, o jogo de Glasgow foi bastante simples : uma equipa que jogou zero que empatou contra outra equipa que jogou zero. Sobre o que poderia ter acontecido se o Benfica tivesse jogado com outra atitude - falo de atitude e não de tactica - isso nunca saberemos. Poderia ter ganho, poderia ter perdido. De qualquer das formas uma coisa teria acontecido de certeza : teria existido. E o que irritou-me, falo por mim, foi ter visto um jogo onde o Benfica pura e simplesmente não jogou.

Sobre a qualificação, ou o mais que provavel 3o lugar, veràs que ao contrario do que afirmas, serà (espero bem que não) por causa do jogo de Glasgow que o Benfica vai ser eliminado. Uma vitoria, e tendo em conta o jogo que foi bastava outra atitude para que essa vitoria fosse provavel, e estariamos agora, antes de receber o Celtic, com 7 pontos e eles 6. Até poderiam ter dado 5-0 ao Barcelona, mas seriam sempre 6 pontos e uma derrota na Luz seria a eliminação deles e a nossa qualificação.

Não podemos refazer o mundo, mas não compreendo como podes afirmar que foi um bom resultado quando o nivel apresentado pelas duas equipas foi de uma nulidade incrivel.

Daniel Faria disse...

Muito bem analisado! Passa pelo BLOG
http://www.benficaeternoscampeoes.blogspot.pt/

Abraço!

moleculasdeamor disse...

Provavelmente o Barcelona apresentará a sua equipa B contra o Benfica... parece-me que o Benfica ganha à equipa B do Barcelona!

Marta disse...

JAS, antes de mais o post é pensado e escrito por mim, é a minha opinião particular. O facto de estar num blog não implica que cada um dos seus participantes não tenha opiniões próprias ou que obrigatoriamente sejam unânimes. Tal não faria sentido e se assim fosse nenhum de nós estaria qui com toda a certeza.
Quanto ao meu comentário, talvez não tenha percebido o alcance do mesmo no que respeita ao tema arbitragem que não é, de todo, um tema que goste discutir nestes meios. Mas uma coisa percebeu muito bem: de facto, não justifico erros próprios com erros de terceiros. Em tudo na vida não apenas na arbitragem.
As evidências que existem em Portugal são as mesmas que existem em Espanha ou em Itália por exemplo e até em Inglaterra. A questão de aplicação da justiça é que é completamente diferente. Mas isso é um problema de lei ou da sua aplicação, seja desportiva ou civil.
Uma equipa de arbitragem estrangeira PODE prejudicar o Benfica deliberadamente, a forma como tal é visto é que é completamente diferente da que é vista cá e passo a explicar: os estrangeiros erram os nossos roubam. Bastante simples não é? Os critérios de análise nunca são os mesmos. E o JAS dá cabalmente no seu texto uma prova disso mesmo quando se refere ao penalty não assinalado no 1º minuto, afirmando que “podem ser muitas coisas, entre as quais uma tentativa deliberada de prejudicar o Benfica”. Tal como acontece no campeonato nacional.” Esta é a sua visão, distinguindo cabalmente a diferença entre “erro” e “roubo”, “possibilidade” ou “certeza” com critérios de nacionalidade.

O Artur Soares Dias não assinalou um penalty a favor do Benfica, ao 1º minuto, em Alvalade na época passada.. Para além de não ter um árbitro de baliza, estava desenquadrado do lance que não foi tão claro como o de ontem. O JAS nessa altura também terá tido o mesmo “bom senso” que teve agora ao colocar as mesmas hipóteses que considerou para o caso do jogo de ontem, nomeadamente o facto e passo novamente a citá-lo: “pode ter sido simplesmente o receio de evitar que fosse marcado um penalty ao primeiro minuto de jogo..”. Os árbitros internacionais podem ter receios, os nacionais com toda a certeza que não. Não têm margem que fará receios.
A nossa arbitragem é tao má que coloca um árbitro numa final da Champions e numa final do Campeonato do Mundo. E em ambas as exibições com nota alta. Não, e não é com base nas avaliações nos jogos internacionais.

Os problemas em Portugal respeitam à mentalidade. Essa é que é a grande diferença. Em tudo, não apenas no futebol. O MU é sobejamente protegido em Inglaterra, o Barcelona em Espanha. Qualquer menção à arbitragem por parte dos agentes desportivos é severamente penalizada. O Povo fala de futebol e entretém-se menos com arbitragens e os estádios estão sempre cheios.

A justiça em Portugal não funciona e não funciona porque é o resultado desta mentalidade e cultura em que todos são responsáveis menos os próprios. Os agentes corruptores estão no poder, toda a gente sabe, toda a gente os critica mas a maioria vota neles, mas o problema está e continuará nos “outros”. Do futebol à política. Quando se encerram processos e se ilibam corruptores.. É difícil ter algo a acrescentar.

Cumprimentos JAS.

Marta disse...

Filipe, na teoria o Benfica sabe atacar, o Celtic nem por isso.

Marta disse...

Eagle01, só para lhe dizer que não discuti tácticas mas discuti atitude ou falta dela – e pelos vistos não fui a única a vêr isso, vulgo o David Duarte - portanto se continuar a dar exemplos como os que deu que não vai ser muito bem sucedido para rebater o que escrevi sobre o jogo com o Barça na Luz e sobre o jogo com o Celtic fora, por falta de enquadramento. Não se misturam alhos com bogalhos, percebe Eagle01?
Não sou treinadora, posso opinar mas regra geral não me debruço muito sobre esse tema ou esquemas de jogo, deixo isso para Si já que pelo que percebo se dedica a estudá-los. Crâneos diferentes. Repito, diferentes.

Visto lembrar-se tão bem do que escrevi – obrigada pela consideração – também já deve ter lido que quer numa vitória quer numa derrota, mais ou menos, todos têm a sua quota parte de responsabilidade. Uma táctica pode ser perfeita mas se os jogadores não “jogarem”, não há táctica que resista. Tal como há equipas, como o Barcelona, que também perdem por encontrarem pela frente Equipas sem estrelas que se superam e façam o possível para ganhar o jogo, seja qual fôr a táctica. Tal como um treinador pode transmitir, sem ser por via da táctica, estímulos aos jogadores que façam a diferença. Meros exemplos.

Uma Equipa não é eliminada de uma fase de grupos por 1 jogo mas pela aritmética simples do resultado final. Por um jogo é eliminado em confronto directo ou pela soma de 2 eliminatórias entre as mesmas Equipas. Cada jogo é um jogo e as suas incidências são necessariamente diferentes pela particularidade dos mesmos, pelos factores subjectivos que envolvem este espectáculo, ou não estivéssemos a falar sobre um desporto (ainda) praticado por e para seres humanos. . Se o futebol fosse uma ciência quem tivesse melhor nota nos estudos a somar 2+2 = 4 não faltavam treinadores.
Gostaria muito de saber a sua opinião quanto a tanta certeza de que o empate com o Celtic era um bom resultado após o sorteio da Champions…

Que o Benfica não se lamente nem pelo empate com o Celtic nem pela derrota com o Barça é o que, com toda a certeza, todos os crâneos benfiquistas, mesmo nas suas diferenças, desejam.

Ginha disse...

O Benfica se ficar fora da Champions deve o essencialmente devido á falta de ambição em Glasgow(continuo a achá-los uns matrecos), e devido á falta de planeamento de plantel...

Germano Bettencourt disse...

Uma correcção. O Benfica não precisa de fazer contas, basta ganhar os seus jogos. Só temos de fazer contas, se por acaso já estar a dizer de antemão, que vamos perder em Barcelona, mas se assim for, és tu que te estás a esquecer quem somos... Sport Lisboa e Benfica.

Abraço

Marta disse...

Germano, não me esqueci senão a única coisa de antemão que tinha pedido não seria atitude.. o que não se viu na Luz contra o Barcelona e na Escócia contra o Celtic.
É que antes seja do que fôr o que tem que prevalecer é a essa atitude e querer.
"Vergar-se perante um estatuto" signifca já entrar em campo diminuído, tudo o resto vem por acréscimo.

Refiro que "faltam 2 jogos e 2 vitórias", não falo em derrota em parte nenhuma. Nem empate, que conta para os números e, neste cenário, não vale muito mais que uma derrota.

Até já disse algures que acreditava que o Benfica ía fazer uma exibição muito melhor em Camp Nou do que na Luz. É um "feeling", chamemos-lhe assim.. e reforço-o.

JAS disse...

Viva.

Lamento pelo vos. É do hábito.

Há uma pequena diferença entre um árbitro estrangeiro e um português: é que o português eu já terei visto várias vezes em "acção". É só isto que os distingue e é só por isso que abro a porta a outras explicações no caso do estrangeiro. Não tenho dúvidas que os estrangeiros roubem tanto ou mais que os portugueses e que o aliciamento seja feito ao mesmo nível dos de cá.

Não percebo se na sua resposta e no seu post há uma tentativa de crítica aos dirigentes, treinador e/ou adeptos do Benfica. Uma coisa, porém, é certa: tendo o Benfica vários problemas actualmente, seria ingénuo não considerar a arbitragem como um deles. O objectivo não é escamotear responsabilidades, mas tentar resolver uma questão real e que prejudica frequentemente o Benfica. E se os árbitros são frequentemente chamados à liça, lamento, mas só podem culpar-se a si próprios. Quando Vitor Pereira, a julgar por noticias recentes, guia um carro oferecido pela Olivedesportos, acho que estamos conversados, não?

Sobre os árbitros internacionais que apitam finais europeias, Marta, por amor de Eusébio, tenha pena de mim. Parece-lhe um acaso que certos árbitros, que cometem certos, digamos, "erros", de repente estejam a apitar finais europeias e mundiais? Ainda recentemente, o Benfica foi esbulhado à campeão e o observador atribuiu nota positiva ao esbulhador. Assim, não será difícil.

De acordo que a mentalidade portuguesa não é a melhor, muito por culpa das instituições, judiciais e executivas, que não sabem aplicar a lei. Estranho até que o acontecimento mais grave, até hoje, tenha sido uma cabeçada nos dentes. Mas recuso-me a assobiar para o lado e a ir procurar responsabilidades só em certos sítios. Os árbitros são responsáveis pela porcaria que fazem, jornada após jornada, nos campos de futebol. E se é verdade que servem, em alguns casos, como bode respiratório, para citar o grande Veloso, é inegável que, no momento de fazer mea culpa, são os primeiros a emudecer, esperando que a corporação os defenda ou os enjarre.

Distribuamos por isso as responsabilidades consentaneamente. Mas incluamos na distribuição esse grupelho de gente infecta que arruina o jogo, seja por incompetência, seja por premeditação. Curiosamente, é sempre um ou outro.

Cumprimentos,
JAS

Marta disse...

JAS, no meu texto há um crítica generalizada aos adeptos e dirigentes de TODAS as cores. Não percebo o que o leva sequer a colocar a hipótese de ser aos Benfiquistas. Que me lembre, quem menadou efectuar um depósito na conta de um árbitro assistente foi um dirigente sportinguista e não um benfiquista (por exemplo).

“Quando se encerram processos e se ilibam corruptores”..
Não é bastante clara esta frase?! Onde é que encaixa o Benfica e os seus agentes desportivos em particular nela? Quem ficou sem perceber a sua lógica fui eu.

Vitor Pereira guia uma carro oferecido pela Olivedesportos. Diz-se. Pois muito “bem”: o único sócio da Olivedesportos (ainda) tem lugar cativo no Estádio da Luz ( e agradeço que não me justifique com o ser accionista da SAD ou mesmo sócio!), cuja amizade é assumididssima com LFV que, por sua vez, apoiou Vitor Pereira – na lista de Fernando Gomes para o “pelouro” da arbitragem.
Quem tem que ter pena de mim e não invocar o Santo nome de Eusébio em vão é o JAS. Ou as suas conclusões não levam em conta TODOS os factos mas apenas alguns? Os que mencionei são públicos e os que devem ser considerados, se fosse abordar os “outros”... Mas não vou, estes deveriam ser suficientes.
Acrescento que outros elementos da FPF têm automóveis pagos pela mesma entidade caso desconheça: o Presidente, o Seleccionador e mesmo o Humberto Coelho são apenas 3 exemplos.

Os observadores nacionais e internacionais “regem-se” por relatórios que têm que preencher. O JAS tem alguma ideia de como são esses relatórios ou faz a mínima ideia de quais são as perguntas que têm que responder? Sabe quem define essas questões? Sabe qual é o peso da influência dos observadores na arbitragem? .. Desculpe mas não me parece, de todo.

Responsabilidade Caro JAS?... Começa por cima. Começa por aqueles com quem comecei: DIRIGENTES. E agradeço que não limite a qualquer côr porque estão lá todas.

Quanto à Sua opinião de que o jogo é arruinado pelos árbitros ou por incompetência ou por premeditação, é a sua opinião, respeito-a mas muito longe de alguma vez poder concordar com ela. Há muita incompetência sim, sem dúvida mas, à semelhança do habitual digo: a arbitragem é algo aberto a qualquer candidato, saia-se do sofá. Não é como a política ou como concorrer a um cargo directivo com múltiplas exigências de formação e até financeiras. Não, é bem mais simples, a qualquer comum mortal logo… Venham os críticos sérios e competentes para o terreno. Não pagam nada.

Bom fim de semana!
Domingo lá estarei e a última coisa que me preocupa é o árbitro.

David Duarte disse...

Como o Constantino disse e muito bem, deixemos de falar de arbitragem senão ainda nos acusam de anti-benfiquismo (referência ao apoio dado pelo Vieira à lista de F. Gomes).